SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Construção do Instituto do Autismo segue em bom ritmo

4/7/2019, 8:29h

A construção do Instituto do Austismo, no bairro Muchila, ao lado do Centro do Idoso, segue a todo vapor. Iniciada há cerca de um mês e meio, parte da estrutura de alvenaria do equipamento já está sendo levantada.

“A gente tem buscado agilizar ao máximo os serviços. As chuvas do período atrapalharam um pouco o andamento, mas aqui o trabalho não para”, afirmou o proprietário da empresa JL Porto Construções, Jair Lima.   

O Instituto do Autismo será dotado de consultórios médico e odontológico, salas de terapia ocupacional, psicopedagogia, salas de cultura e multiuso, biblioteca, cozinha, refeitório e sala para aulas de karatê.

Essa obra é resultado de investimentos do Governo do prefeito Colbert Martins Filho e representa grande avanço para os portadores do transtorno do espectro autista que moram no município.

Conforme senso realizado nas escolas da rede municipal, creches e Centros de Referência de Assistência Social (CREAS), em 2016, foi detectado 736 pessoas acometidas pelo espectro do autismo, em Feira de Santana.

  •  

Obras dos Caps II e III seguem em frente

3/7/2019, 9:47h

A Rede de Saúde Mental vai ganhar mais dois importantes equipamentos destinados ao acompanhamento e tratamento de pessoas com transtornos mentais. Trata-se das sedes próprias do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Silvio Marques, na Mangabeira, e o Caps Dr. João Carlos Lopes Cavalcante, no bairro Olhos D’Água, cujas obras seguem a todo o vapor. Os investimentos são resultado de convênio da Prefeitura de Feira de Santana e o Ministério da Saúde.

Previsto para ser entregue em dezembro, o Caps Silvio Marques (tipo II) está com 80% das obras concluídas. Enquanto isso, os trabalhos estão concentrados no retoque do reboco e no assentamento dos revestimentos de alguns setores. O contrapiso já foi concluído. “Acredito que essa obra ficará pronta antes do prazo”, diz o encarregado Joselito de Oliveira sinalizando que o próximo passo é iniciar a pintura. 

Destinado para o atendimento de pessoas acima 18 anos com transtornos mentais graves e persistentes, o equipamento de saúde será dotado de seis consultórios, posto médico, farmácia, salas de repouso para pacientes e profissionais de saúde, refeitório, cozinha, espaço de convivência, sanitários adaptados, sala de coordenação, além de jardim e estacionamento.

Avanço na Saúde

Enquanto isso, as obras do Caps Dr. João Carlos Lopes Cavalcante (tipo III) também seguem avançando. Alguns setores já começaram a receber as primeiras camadas de tinta. O equipamento, que vai atender pacientes com transtornos mentais e persistentes, será dotado de dois pavimentos e funcionará em área contígua às novas instalações do Caps I (Centro de Atendimento Psicossocial Infantil), recém inaugurado pelo governo do prefeito Colbert Martins Filho.

De acordo com a coordenadora da Rede de Saúde Mental, da Secretaria Municipal de Saúde, Robervânia Cunha, atualmente, pouco mais de 30 mil pessoas são assistidas gratuitamente pelo município. Somente no Caps Silvio Marques aproximadamente 4 mil usuários recebem atendimentos de saúde – estão matriculadas 7.375 pessoas.

 “Os investimentos da administração municipal nas construções dessas unidades representam o avanço na área da Saúde, estimulada pelo governo do prefeito Colbert Martins Filho, o que vai proporcionar ainda mais conforto aos usuários da rede”, pontua a coordenadora da Rede de Saúde Mental.

  •  

Profissionais de saúde fazem condução de morador de rua para abrigo

28/6/2019, 8:35h

Em situação de total abandono, Gabriel Vinícius Duarte de Jesus, 21 anos, vive nas ruas de Feira de Santana há cerca de três meses. O jovem chama a atenção devido a extrema magreza e foi conduzido para receber atendimentos de saúde na manhã desta quinta-feira (27).

A ação conjunta realizada pela Prefeitura, por meio do Programa Consultório na Rua, SAMU, Guarda Municipal e Centro de Referência Especializado em Assistência Social Rute Gusmão (CREAS), do Centro-Pop, aconteceu embaixo do túnel entre o cruzamento das avenidas Getúlio Vargas e Maria Quitéria.

Os profissionais estiveram negociando com Gabriel por cerca de uma hora, mas não houve desejo por parte dele de ser ajudado. “Entendemos que ele apresenta sinais de depressão, debilidade física por conta da magreza e que não podemos deixá-lo decidir continuar nas ruas. Devemos fazer o possível para salvá-lo”, enfatizou a coordenadora do Programa Consultório na Rua, Darlene Santos.

O jovem foi conduzido pelo SAMU para a UPA da Queimadinha onde passa por atendimentos de saúde e em seguida Gabriel passará a residir em um abrigo até a equipe do Consultório na Rua conseguir contato com algum familiar dele.

“Ele informou que morava em Belo Horizonte e por conflitos familiares e decidiu morar nas ruas. Se encontrarmos algum parente disposto a recepcioná-lo ele poderá retornar ao lar”, afirma Darlene Santos.

O Programa Consultório na Rua esteve acompanhando o paciente durante os três meses que ele reside no município e, de acordo com Darlene Santos, o mesmo foi ficando debilitado cada vez mais. “Sempre estivemos negociando com ele a saída das ruas, porém ele sempre rejeitou, então precisávamos tomar uma atitude”, findou. 

Sobre o Consultório na Rua

O programa Consultório na Rua, iniciativa mantida pelo Governo do prefeito Colbert Martins Filho, realiza atendimentos de saúde a pessoas em situação de vulnerabilidade social encontradas em vias públicas. A equipe conta com médico, psicólogo, assistente social, técnico de enfermagem e enfermeiro.

  •  

Último dia de vacinação antirrábica nesta sexta-feira

27/6/2019, 16:14h

A vacinação animal de rotina contra a raiva em cães e gatos está sendo realizada nos bairros desde janeiro e a programação encerra nesta sexta-feira (28) no loteamento Parque Sabiá, no bairro Parque Ipê.

Até o momento foram imunizados 17.609 cães e gatos em Feira de Santana. De acordo com a coordenadora do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Mirza Cordeiro, essa vacinação de rotina teve o objetivo de alcançar os animais que não foram vacinados na campanha nacional ocorrida no ano passado e os que completaram três meses recentemente.

A vacina protege os animais contra a raiva, que é uma doença letal para animais e humanos. Para receber a dose da vacina, basta encaminhar o pet aos locais indicados no final da matéria.

Critérios

Podem ser vacinados cães e gatos a partir dos três meses de vida e não tem contra indicação para animais castrados recentemente, além de fêmeas prenhas ou amamentando. “A vacina não é aconselhada para animais debilitados ou que estão fazendo tratamento com antibiótico e corticoide”, afirma a coordenadora.

Os animais que perderam a data podem ser levados ao CCZ, localizado na avenida Eduardo Fróes da Mota – Muchila, das 8h às 15h. Caso já tiver sido vacinado nos últimos anos, o dono deve apresentar a caderneta de vacinação.

O Governo do Prefeito Colbert Martins Filho tem intensificado as ações de controle da raiva para que a doença não afete a população. O último caso registrado de raiva canina em Feira de Santana foi em novembro de 2017.

“A vacinação é única forma de prevenção para evitar que o vírus circule no município”, pontua Mirza Cordeiro.

.

 

Data

Horário

Local

27/06

9h às 15h

Pq. Ipê – Parque Violeta

28/06

9h às 15h

Nossa Senhora de Fátima (Pq. Sabiá)

Segunda a Sexta

8h às 15h

Centro de Controle de Zoonoses

 
  •  

Com investimento de aproximadamente R$ 1,5 milhão, UPA de Humildes será inaugurada no próximo ano

27/6/2019, 11:15h

Com previsão para serem concluídas em junho de 2020, as obras estruturais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do distrito de  Humildes, iniciadas há dez dias, se encontram  em ritmo acelerado.

Com recursos provenientes do Ministério da Saúde, o equipamento erguido pela Prefeitura Municipal, está orçado em R$ 1.478.412,52, e contará com uma área construída de 1.350 metros quadrados. 

  •  

Doação de sangue em unidade móvel do Hemoba superou expectativas

21/6/2019, 11:14h

A quantidade de bolsas de sangue coletadas pela Unidade Móvel do Hemoba foi mais de 10% maior do que esperada. Entre segunda-feira e quarta-feira, 19, 205 pessoas doaram sangue e mais 38 se cadastraram no banco de medula óssea. A iniciativa teve o apoio do Governo do prefeito Colbert Martins Filho, através da Secretaria de Saúde.

O veículo esperou os doadores, que antes passaram por uma triagem, estacionado no estacionamento da Prefeitura, à avenida Getúlio Vargas. As bolsas contribuirão para aumentar o estoque deste produto, principalmente num período festivo, quando a demanda aumenta.

A estimativa inicial da enfermeira Nilza Azevedo, que coordenou o serviço, era de que o número de bolsas chegasse a 60, diariamente. “Mas na segunda-feira foram 62, na terça-feira, mais 66 e na quarta-feira, outras 77. O resultado foi muito bom”, comemorou.

Entretanto, segundo a enfermeira, estatisticamente, 4% das doações são consideradas inapropriadas para uso por apresentarem alterações – alguma doença, positivo para hepatite. Mas, continuou, como a coleta foi realizada na rua, este número pode ser um pouco maior.

  •  

Exame não confirma dengue em menina de um ano e meio morta em Feira

20/6/2019, 8:49h

Deu negativo para dengue, o resultado do exame feito na menina de um ano e seis meses morta em Feira de Santana, esta semana. Havia suspeita, por parte de médicos de um hospital onde ela foi atendida, de que a doença seria a causa do óbito. 

A Secretaria Municipal de Saúde  encaminhou a amostra de sangue da criança  para o Lacen (Laboratório Central da Bahia) e o resultado deu "não reagente" ao vírus. Uma equipe da Secretaria  entregou cópia do exame para a família da criança.

"Na verdade gostaríamos de que a menina estivesse entre nós, jamais ter que entregar um laudo para a família  após a sua morte. Mas estamos cumprindo nosso papel de ao menos tentar esclarecer o que teria provocado essa perda lamentável", diz a secretária Denise Mascarenhas.

Ela afirma que a Prefeitura de Feira de Santana continua trabalhando "com toda prioridade possível" no combate aos focos do mosquito transmissor da doença. E apela a população que faça a sua parte, evitando água parada em quaisquer objetos ou plantas, criadouro do inseto.

  •  

Dia Mundial de Conscientização Sobre Doença Falciforme é comemorado com muito forró

19/6/2019, 18:26h

O Dia Mundial de Conscientização Sobre Doença Falciforme foi animado com comidas típicas da época junina e muito forró em Feira de Santana, nesta quarta-feira, 19. Reunindo pacientes e a equipe do Centro de Referência Municipal a Pessoa com Doença Falciforme, a festa contou com a presença do prefeito Colbert Martins Filho.

O clima era de festa e confraternização, mas também de conscientização. O desejo do Governo Municipal, em ampliar os atendimentos e, principalmente, a construção de uma sede própria – hoje funciona em prédio do Centro Social Urbano (CSU), no bairro Cidade Nova – foram as palavras do prefeito para todos os presentes.

“Como sou médico, tenho uma sensibilidade maior nesta área. Estamos lutando para conseguir essa construção e vamos avançar nisso. Além de tentar trazer mais serviços e beneficiar essas pessoas que são assistidas pelo Centro de Referência”, destacou o gestor municipal.

O prefeito lembrou que está buscando a implantação do Centro de Terapia Celular no Tratamento de Lesões Ósseas na Anemia Falciforme. O professor Gildasio Daltro, titular da Universidade Federal da Bahia (UFBA), e pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) seria o responsável pelo serviço.

O programa consiste em promover tratamento das alterações ósseas de cartilagem e traumas com o uso da célula-tronco, e está interligado à Universidade de Paris e à Comunidade Europeia. O Hospital Dom Pedro de Alcântara, outra referência no tratamento da doença, seria o local da instalação.

Melhora na qualidade de vida

O vice-presidente da Associação Feirense da Pessoa com Doença Falciforme, José Carlos, destacou a melhora da sua qualidade de vida depois que começou a ser acompanhado pelo Centro de Referência Municipal a Pessoa com Doença Falciforme.

“Estou há mais de dois anos sendo assistido e percebi uma melhora significativa após esses atendimentos. Como faço parte da associação, percebo isso em outras pessoas também”, afirmou.

Segundo a coordenadora do Centro de Referência, Luciana Brito, o equipamento tem 430 pacientes cadastrados sendo acompanhados. Os pacientes contam com atendimento de uma equipe multidisciplinar formada por clínico geral, hematologista, nutricionista, assistente social, enfermeiros, psicólogo, técnicos de enfermagem, entre outros profissionais. O programa é mantido apenas com recursos da Prefeitura de Feira de Santana, sem contrapartida estadual, federal ou de outros municípios.

O evento contou também com a presença dos secretários municipais, Denise Mascarenhas (Saúde), Edson Borges (Cultura, Esporte e Lazer) e Justiniano França (Serviços Públicos); e também da vereadora Neinha Bastos.

  •  

Atendimentos a vítimas de explosão, em simulado do SAMU, chamou a atenção em Maria Quitéria

19/6/2019, 17:5h

Animados, um grupo de jovens dança músicas juninas e de repente uma explosão acontece deixando pessoas com ferimentos graves e moderados. Tudo não passou de uma simulação feita pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e instituições parceiras nesta terça-feira (18), no distrito de Maria Quitéria, mas as encenações chamaram a atenção de quem passou pela praça principal.

Estudantes, profissionais de saúde e segurança estiveram envolvidos no treinamento promovido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, para preparar os profissionais em caso de situação de desastre.

Este ano o IV Grande Simulado Junino do SAMU abordou o tema “O risco de estocar fogos em residências”, por se tratar de um costume muito comum neste período de festejos juninos. 

“Orientamos que a população acione o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e SAMU caso ocorra sinistro como esse. O evento visa preparar as equipes para atuar em situações de desastre, principalmente situações incomuns de acontecer”, afirma a coordenadora do SAMU, Maiza Macedo.

Participando todos os anos do Simulado, a enfermeira do SAMU, Meuri Elen Argolo, acredita que a ação proporciona momento de aprendizado a todos os profissionais que participam. “Cada vez mais estamos aprendendo, atuando em uma situação fictícia, para pôr em prática caso necessário em uma situação real”, ressaltou a enfermeira.

O momento de aprendizado foi voltado também para os estudantes. A discente do curso de enfermagem, Lara Rebouças, participou pela terceira vez do evento encenando como vítima do desastre. Ela ressaltou a importância de ver a prática conciliar com a teoria. “Esse evento serve para articular as equipes, já que são temas de acontecimentos raros”, afirma.

As supostas vítimas foram classificadas pela gravidade por meio do método START (Simple Triage and Rapid Treatment), que é a avaliação da capacidade respiratória, a qualidade de perfusão periférica e o nível de consciência da vítima. Após essa avaliação, as vítimas são classificadas pelo estado de gravidade e cada categoria utiliza uma cor para fácil identificação no momento de evacuação e transporte da cena.

O simulado conta com o apoio de diversas instituições como Corpo de Bombeiros Civil e Militar, Defesa Civil, Exército, Guarda Municipal, Home Attend, Polícia Militar, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico de Feira de Santana, Superintendência Municipal de Trânsito e Via Bahia.

  •  

Unidade do Hemoba coleta sangue, no estacionamento da Prefeitura, até 4ª feira

17/6/2019, 17:54h

A unidade móvel de coleta de sangue do Hemoba vai ficar estacionada no estacionamento da Prefeitura, na avenida Getúlio Vargas, até a próxima quarta-feira, 19. Tem o objetivo inicial de coletar 60 bolsas de sangue, diariamente.

Aumentar o estoque é estratégia para enfrentar o período festivo que se aproxima sem muitas preocupações, visto que o banco de sangue local abastece muitos hospitais da região. 

Também estão sendo cadastrados doadores de medula óssea, que é usada no transplante para a cura de algumas doenças que afetam as células do sangue, como leucemias e linfomas.

Durante os períodos de festas populares, como o junino que se aproxima, o ideal é que os estoques dos bancos de sangue estejam dentro dos níveis considerados aceitáveis para atender as demandas, que normalmente nestas festas aumentam.

A enfermeira do Hemoba, Nilza Azevedo, disse que devido a doações recentes, o banco de sangue local não está com estoque considerado preocupante. “Apenas o RH negativo está com a quantidade abaixo do esperado”.

A estudante Sarah Souza, que doou sangue pela primeira vez, disse que a necessidade da manutenção do estoque e a vontade de ajudar a quem precisa a levaram ao ônibus. “Quanto mais pessoas doarem, melhor”.

Em toldos colocados em frente ao ônibus, profissionais do CADH (Centro de Atenção ao Diabético e Hipertenso) auferem a pressão arterial e medem os níveis de glicemia.

Uma equipe da Vigilância Epidemiológica orienta aos passantes sobre prevenção ao mosquito aedes aegypti, que transmite a dengue, chikungunia e zika, bem como a consequência destas doenças.

Requisitos para doação:

Estar em boas condições de saúde

Ter entre 16 e 69 anos - acima de 60 anos só pode doar se já tiver doado sangue alguma vez antes

Pesar no mínimo 50kg

Estar descansado

Estar alimentado

Apresentar documento original com foto, que permita o reconhecimento do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Pessoas com menos de 18 anos precisam estar acompanhadas dos responsáveis ou com formulário de autorização.

Quem não pode doar sangue?

Estar com anemia no teste realizado imediatamente antes da doação

Estar com hipertensão ou hipotensão arterial no momento da doação

Estar com aumento ou diminuição dos batimentos cardíacos no momento da doação

Estar com febre no dia da doação

  •