SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Organização Social cumprirá os 90 dias restantes do contrato, após rescisão com a Coofsaúde

26/12/2018, 19:25h

Uma Organização Social (OS) deverá ser contratada para operacionalizar, deste início de ano até o dia 30 de março, os três meses de contrato que resta cumprir a Coofsaúde, cooperativa que atua, por licitação, no fornecimento de mão de obra, em diversas áreas, para funcionamento de equipes do Programa Saúde da Família (PSF), policlínicas e Centros de Atenção Psicossocial (Caps) junto a Prefeitura de Feira de Santana. A informação foi dada pelo prefeito Colbert Martins Filho durante entrevista ao programa Levante a Voz, da Rádio Sociedade, nesta quarta-feira, 27.

A Coofsaúde encontra-se impedida de continuar a prestação dos serviços depois que foi alvo de uma operação do Ministério Público, semana passada, que resultou na prisão de várias pessoas ligadas à cooperativa.

Após reunião com o Ministério Público, órgão que tem auxiliado na direção das medidas da administração municipal nessa questão, Colbert Filho já tem orientação de como fazer para a Prefeitura pagar aos cooperados. Eles continuam prestando os serviços normalmente. “Precisamos manter as atividades, que são essenciais. Ninguém será prejudicado”, afirma o prefeito.

Até o fim da semana ele espera definir a forma com que a Prefeitura vai efetuar diretamente os pagamentos. Também deverá ser oficializado nos próximos dias o rompimento unilateral de contrato com a Coofsaúde. Paralelamente a atuação da Organização Social, nos próximos 90 dias, o Município procederá o devido processo licitatório, para contratação definitiva da nova prestadora dos serviços.

  •  

Policlínicas e Upas registram quase 1,5 milhão de atendimentos e procedimentos este ano

26/12/2018, 15:52h

Com a marca de aproximadamente 1,5 milhão de atendimentos e procedimentos, as sete policlínicas e as duas Unidades de Pronto Atendimento 24h (UPA) do município registraram de janeiro a novembro deste ano o dobro da demanda quando comparado ao mesmo período de 2016 e um aumento de 72,59% em relação a 2017.

A Policlínica do Tomba liderou o quantitativo realizando 240.539 atendimentos e procedimentos. Um aumento de 68% em comparação com o mesmo período do ano passado, onde o quantitativo chegou a 142.954. Em seguida, as Policlínicas da Rua Nova (213.520) e George Américo (210.659) aparecem com totalizando maior demanda.

Para a secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, esse crescimento significativo pode estar relacionado a ampliação do serviço nos últimos anos, com a construção de novas unidades e a efetividade das ações. “A agilidade no atendimento e a assistência prestada podem ter culminado numa maior procura pelo serviço. Temos também uma parcela da população que tinha plano de saúde e migrou para o SUS, além daquelas pessoas que recorrem a essas unidades por funcionarem fora do horário comercial”, ressalta.

Maior índice de ocorrências em maio

O maior índice de ocorrências foi registrado no mês de maio, que totalizou 143.224, período marcado pelas mudanças de temperatura e o aparecimento de casos relacionados as infecções respiratórias, como os de influenza notificados nesta época no município. “É um período sazonal, pós micareta, com a presença de chuvas, gerando um maior movimento nas UPAS e Policlínicas”, observa a secretária.

Em relação a ocorrências comuns durante o ano é possível identificar pacientes hipertensos e diabéticos descompensados, com algum desequilíbrio no organismo, por não fazerem o acompanhamento correto nas unidades de saúde. Diarreia em crianças também estão entre os casos, porém estes comumente registrados nos períodos festivos.

Alta resolutividade: apenas 0,04% dos pacientes transferidos para hospitais

Além disso, a resolutividade nos atendimentos das unidades continua positiva, podendo ser um dos fatores que contribuem para a procura da população pelo serviço. Este ano apenas 0,04% dos casos atendidos em UPAS e Policlínicas foram transferidos para hospitais, sendo 506 adultos e 168 crianças. Os dados apontam que quase 100% dos atendimentos são resolvidos nas próprias unidades.

  •  

Quem for viajar nas férias deve observar caderneta de vacinação

24/12/2018, 10:17h

Depois dos acertos finais sobre a viagem de férias, o viajante precisa observar se a caderneta de vacinação está em dia – alguns destinos exigem. Imunizado, nem leva doenças para as terras que vai visitar e nem traz doenças que existem por lá.

A maioria das vacinas é encontrada gratuitamente nas unidades da rede pública de saúde. Outras apenas são encontradas na rede privada. Os imunizantes permitem que se tenha férias com saúde.

Mesmo para alguns destinos dentro do país o turista deve tomar cuidados. Em alguns estados, onde foram registrados surtos, é necessário que a pessoa esteja imunizada contra a febre amarela, sarampo, gripe.

O cartão de vacinação do turista atualizado contra caxumba, rubéola, hepatite B é fundamental para uma viagem tranquila, sem sobressaltos sobre doenças infectocontagiosas.

Existem vacinas, como a contra febre amarela, que alguns países exigem para permitir a passagem do turista nas suas fronteiras. A falta do certificado pode impedir as férias no país desejado.

Outro procedimento importante é respeitar os prazos para que as vacinas comecem a gerar anticorpos no organismo. O ideal é que o interessado em viajar as tome com um mês de antecedência da data da viagem.

Para quem não pode se vacinar contra a febre amarela, como as grávidas, por exemplo, especialistas recomendam o uso contínuo de repelentes

  •  

Diabéticos e hipertensos experimentam ceia especial, com alimentos saudáveis

21/12/2018, 16:49h

A mesa da ceia de natal é cheia de sabores e tentações. Para os pacientes do Centro de Atenção ao Diabético e Hipertenso (CADH) não poderia ser diferente. A mesa posta com alimentos ricos em sabor e dentro da dieta animou os que estiveram presentes na confraternização de natal ocorrida nesta sexta-feira, 21.

A programação contou com dinâmica de mensagens natalinas, sorteios de brindes e cestas. Uma mesa composta com alimentos característicos desta época do ano, como bolos, panetone, suco e salada de fruta, foi preparada pelos profissionais da unidade. A ideia visou manter os pacientes envolvidos nesse contexto de festa e apresentar alimentos que também podem ser preparados para a ceia em casa.

Alimentos saborosos mesmo sem açúcar 

“É possível manter os alimentos gostosos, mesmo sem utilizar uma grande quantidade de açúcares. A elaboração de pratos caseiros com substituição dos açúcares por adoçante é uma opção possível e saborosa, às vezes mais saudáveis em relação aos produtos light e diet que vendem no mercado”, ressalta a nutricionista Josinete Monteiro.

É sempre uma alegria poder confraternizar

A diversidade de sabores e a orientação sobre as substituições chamou a atenção de Maria da Graça Ferreira, 70 anos, paciente acompanhada pelo Centro há mais de 15 anos. Ela conta que é sempre uma alegria poder confraternizar o Natal junto ao grupo. “Todo natal eu estou aqui para celebrar e as comidas são deliciosas. Pra mim o CADH é tudo, só tenho a agradecer, todos aqui são meus amigos”, relata.

  •  

Mais de 12 mil viagens com pacientes que fazem tratamento fora do domicílio realizadas este ano

20/12/2018, 15:30h

Pacientes de Feira de Santana que precisam realizar tratamento médico por meio do SUS em outras cidades tem a disposição transporte gratuito disponibilizado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde. O TFD (Tratamento Fora do Domicílio) garantiu só este ano, entre os meses de janeiro a novembro, 12.222 viagens com 8.837 acompanhantes.

A autorização do serviço é concedida através da comprovação da marcação de consulta e/ou exame na clínica ou hospital de tratamento. A liberação de acompanhante para viagem também pode ser feita mediante justificativa detalhada pelo médico que assina o laudo.

Edorian utiliza o serviço de segunda a sexta

Edorian Ferreira é uma das pessoas que utilizam o serviço. Desde 2010, ela necessita ir para tratamento em Salvador devido a problema de coluna, hérnia de disco e fibromialgia. Atualmente, a paciente tem feito viagens cinco dias na semana, segunda a sexta.

“Eu sempre sou atendida bem. O carro sai no horário certo, nunca faltou transporte. O motorista busca em casa e espera terminar o tratamento no hospital para me trazer de volta”, ressalta Edorian.

O TFD disponibiliza de ônibus com saídas do terminal central, carros pequenos e ambulâncias para os pacientes mais debilitados. A solicitação do serviço é feita de segunda a sexta, no próprio setor que fica na Secretaria Municipal de Saúde. Para tanto é necessário ter em mãos documento de identidade com foto, CPF, cartão SUS, comprovante de residência, relatório médico e o comprovante da marcação na unidade.

  •  

Coofsaúde: Colbert diz que adotará medidas legais e que prioridade é manter atendimentos

18/12/2018, 22:2h

“A comunidade pode ficar tranquila, pois não haverá interrupção da prestação de serviços, no Programa Saúde da Família”, afirma o prefeito Colbert Martins Filho, em referência às investigações que estão sendo feitas, pelo Ministério Público Estadual, à cooperativa Coofsaúde, licitada pelo Município para atuar como fornecedora de mão de obra especializada nas equipes do PSF.

De acordo com o MP, a Coofsaúde, com sede em Feira, mantém contratos celebrados com diversos municípios baianos e com o Governo do Estado. A prioridade, diz o prefeito, é garantir o atendimento às milhares de pessoas que necessitam do PSF. Decisões no âmbito administrativo e jurídico referentes ao contrato da Prefeitura com a cooperativa em questão ainda estão em análise pelos órgãos municipais competentes. 

Colbert diz estar “informado e consciente” da importância das investigações. E que a Secretaria de Saúde vai colaborar, no que for possível, para o esclarecimento de todos os fatos. Quanto ao futuro desta cooperativa em seu contrato com o Município, diz ele: “é certo que adotaremos as medidas legais cabíveis, mas precisamos ter a segurança de não haver nenhum prejuízo à população assistida”.

O vínculo da Coofsaúde com o Município, para fornecer mão de obra destinada as unidades do PSF em Feira de Santana, vence em março de 2019 – dentro de pouco mais de três meses. A Secretaria de Saúde já vem adotando providências para deflagrar o processo licitatório que resultará na contratação de outra prestadora dos serviços.

  •  

Com 44 encontros no ano, CAPS encerra oficina de retalhos para pacientes

18/12/2018, 13:15h

Durante todo o ano, 20 pacientes acompanhadas pelo Centro de Atendimento Psicossocial Silvio Marques (CAPS II) participaram do grupo terapêutico “Oficina de Retalhos”. O momento de elevação da autoestima e promoção da autonomia financeira resultou na confecção de mais de 150 materiais.

Foram 44 encontros, nestes as pacientes trocaram informações sobre técnicas de artesanato e aprenderam a confeccionar peças, como panos de prato, toalhas de mesa, jogos americanos e técnicas de bordado, pontos de cruz e etc.

“Todas essas mulheres são atendidas nesta unidade e acompanhadas durante as oficinas por psicóloga e assistente social”, informa o coordenador Joadson Andrade.

O encontro, que foi encerrado com uma exposição na última quinta-feira, 13, é realizado semanalmente, as quintas-feiras, no turno da tarde, e deve retornar em janeiro de 2019. Para participar são necessários dois requisitos: ser acompanhada pelo serviço e ter habilidade para costura.

“Decidimos incentivar as pacientes, ao fim do curso, através da exposição e venda dos materiais, onde o valor arrecadado servirá como um auxilio na renda das mesmas”, relata Joadson Andrade.

  •  

Programação especial marca encerramento do Projeto Bem Estar nas Unidades

15/12/2018, 8:37h

Em clima de final de ano e descontração, a equipe de saúde do NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família) 7 realizou mais uma edição do projeto Saúde e Bem Estar nas Unidades nesta sexta-feira, 14. O momento foi de confraternização e reuniu 90 pessoas em um espaço de evento do Sítio Matias.

A ação que acontece anualmente, há quatro anos, envolveu as equipes de saúde do Panorama I e II, Fraternidade I e II e Limoeiro para participar de atividades como hidroginástica, aula de dança, amigo secreto e sorteio de brindes.

Como se fosse uma família

Elmira do Carmo (foto), dona de casa, afirma que participa das ações de saúde há dois anos e que considera toda a comunidade como se fosse sua família. “Participar dessas atividades promovidas pela equipe é muito prazeroso, convidei a minha sobrinha para participar também”.

Interação entre as comunidades

Para o educador físico, Genival Couto (foto), o projeto promove interação entre as comunidades. “O objetivo dessa ação é promover bem estar, que envolve o aspecto físico, mental e social para a saúde”, ressalta.
Durante todo ano esta equipe do NASF esteve incentivando as práticas corporais e atividades físicas, cerca de seis vezes por semana em três unidades, além de atividades mensais realizadas em datas comemorativas.

  •  

Prefeitura proporciona confraternização natalina entre moradores de rua

12/12/2018, 11:16h

Dezembro é um dos meses mais esperados do ano para reunir a família e comemorar o Natal. Mas para as pessoas em situação de rua a realidade é bem diferente. A aproximação da data natalina é reflexo de tristeza e saudade. É isso que relata A. S. (abreviação do nome), durante ação do Programa Consultório na Rua, iniciativa da Prefeitura através da Secretaria Municipal de Saúde.

A abordagem dos profissionais teve um objetivo diferente nesta terça-feira, 11. Com gorros de papai noel, médico, enfermeiros, assistente social, técnica de enfermagem e psicólogo fizeram uma confraternização natalina com distribuição de lanches, atendimento médico e acolhimento.

Equipe recebida com abrações e sorrisos

Quando os profissionais chegaram a Praça J. Pedreira, na Avenida Getúlio Vargas, dezenas de moradores de rua já estavam reunidos a espera. Com abraços e sorrisos, a equipe é recebida. “A gente sabe que eles passam a noite, já temos a base do horário toda terça”, ressalta João Ricardo Brito, que mora nas ruas há 15 anos.

Geralmente o Natal é uma data triste para eles

Entre tantas histórias a serem contadas, atentos os profissionais de saúde buscam dar atenção a todos. “Geralmente Natal é uma data triste pois eles não possuem família e nem vínculo de amizade. Tem sempre uma história por trás deste que está na rua. A gente não sabe o motivo especifico de cada um, mas estamos aqui para acolher e ajudar”, relata o psicólogo João Bezerra.

De acordo com João, em momentos como esses, aos quais as lembranças e a saudade apertam, a única coisa que os moradores de rua precisam é de alguém que os abracem sem preconceito. “Eles precisam conversar, desabafar. E nós enquanto profissionais de saúde vamos fazendo esse papel, cada um em sua área, conquistando a confiança deles aos poucos”, ressalta.

Diariamente, o programa Consultório na Rua percorre a cidade levando a promoção da saúde a pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade. Com ações diurnas e noturnas, as estratégias visam atender as necessidades de cada paciente. “De segunda a sexta, atendemos durante o dia, mas separamos um dia no mês para dar uma atenção especial aquelas pessoas que temos dificuldades de encontrar em outros horários”, informa Darlene Santos, coordenadora do Consultório.

  •  

Centro de Zoonoses notificou 175 casos de escorpiões em residências este ano

11/12/2018, 18:24h

Acúmulo de entulhos, lixo doméstico e baratas são atrativos para os escorpiões. Só este ano, de janeiro a novembro, o Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde esteve visitando 175 residências, onde a presença do animal peçonhento foi notificada.

As principais ocorrências aconteceram nos distritos de Ipuaçu e Maria Quitéria, e nos bairros Calumbi, Feira X, SIM, Conceição, Brasília, Sto. Antonio dos Prazeres, Mangabeira, Caseb, Queimadinha, Cidade Nova, Jardim Cruzeiro, Papagaio, George Américo, Tomba e Feira VII.

Normalmente a população entra em contato por telefone ou pelo aplicativo 156. “Ao receber a ligação, abrimos a Ordem de Serviço e são anotados os dados da pessoa, o endereço e o telefone, o relato do aparecimento do animal na residência ou empresa e se houve agressão”, informa a bióloga Paula Trindade.

Após receber a solicitação, a equipe faz a visita no ambiente para identificação de foco do animal. “São feitas as observações e prevenções, deixamos as medidas preventivas por escrito e trabalhamos ponto a ponto no processo de educação em saúde. Nesse momento são tiradas também todas as dúvidas dos moradores”, ressalta.

São atraídos por lixo e baratas

A limpeza do ambiente é a principal medida para evitar acidentes com o animal. Jardins e quintais limpos, grama aparada, lixos acondicionados em sacos plásticos ou outros recipientes fechados para evitar baratas e moscas que servem de alimentos para os escorpiões são algumas das orientações passadas.

“Os pesticidas usados nas dedetizações não afetam os escorpiões, pois eles possuem uma estrutura quimiorreceptora, conseguindo captar no ambiente o cheiro forte do veneno e fugindo em seguida do local”, alerta.

De acordo com Paula, a ação conjunta da comunidade é muito importante. “Não adianta você tratar o seu ambiente, se o seu vizinho não faz a mesma coisa. Tem que ser uma ação conjunta, uma rua inteira acometida por escorpião, toda a rua tem que fazer o mesmo procedimento”, ressalta.

  •