SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Governo Municipal dá apoio as Olimpíadas da APAE

16/4/2018, 15:32h

Envolvendo sete modalidades esportivas e mais de quinhentas pessoas, entre atletas, acompanhantes, técnicos e árbitros, as Olimpíadas da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) serão sediadas em Feira de Santana, entre os dias 26 e 28 de abril.

O certame é promovido pela Federação Estadual das APAEs e congrega atletas de catorze municípios baianos. Os jogos ocorrerão no Complexo Poliesportivo Oyama Pinto e na quadra coberta da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

O evento, que abrange capoeira, futsal, bocha, atletismo, ginástica rítmica e natação, tem o apoio da Prefeitura Municipal, através das secretarias de Saúde, e de Cultura, Esporte e Lazer.  

Estão à frente da organização das Olímpiadas a presidente da APAE de Feira de Santana, Edna Maira Amorim, a diretora Mary Portugal e o coordenador de Prevenção e Saúde, Deraldo Gomes Azevedo.

  •  

Foliões a partir de 12 anos podem realizar teste rápido de HIV, sífilis e hepatite na Micareta

13/4/2018, 14:33h

Pessoas a partir dos 12 anos de idade, mesmo não acompanhadas de pais ou responsáveis, poderão realizar exames rápidos de sífilis, HIV e hepatite B e C durante a Micareta de Feira, que acontece de 19 a 22 deste mês. A informação é da coordenadora do Centro de Referência Municipal de Infeção Sexual Transmissível, Vanessa Sampaio. Serão disponibilizados 600 kits na unidade de vacinação que funcionará no circuito da festa. 

Poderão ser feitos 150 exame por dia. O atendimento será realizado entre as 19h e meia-noite. Foram dois os casos positivos para o HIV e nove para sífilis, no ano passado. A demanda será espontânea. Para ser submetido ao exame, basta a pessoa demonstrar interesse. 

A pessoa diagnosticada com sífilis vai receber a primeira dose do medicamento, que é distribuído gratuitamente, logo após a constatação e será orientado a procurar o serviço de saúde imediatamente. Os possíveis casos de HIV e hepatite serão encaminhados para o Centro de Referência.

Janela imunológica

A coordenadora do Centro orienta que as pessoas que tiveram relação de risco – sem a devida proteção - em data próxima à Micareta ou durante a festa, devem esperar algumas semanas – entre um e três meses – para que se submetam ao exame, devido à janela imunológica.

Janela imunológica designa o período que um organismo leva, a partir de uma infecção, para produzir anticorpos que possam ser detectados por exames de sangue. Varia de acordo com o tipo de infecção e sensibilidade do teste utilizado para detectá-la.

  •  

Profissionais do SAMU e outros órgãos são capacitados através de simulado

12/4/2018, 17:21h

Um desabamento de camarote no circuito da maior festa de rua do interior da Bahia foi tema do VII Grande Simulado de Micareta, promovido pelo Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (SAMU), nesta quinta-feira, 12. O evento envolveu cerca de 250 pessoas, entre profissionais e estudantes que atuaram como vítimas.

Diante da simulação de desabamento, 11 vítimas foram retidas embaixo dos escombros, duas delas com óbito confirmado pela equipe de Departamento da Polícia Técnica (DPT). Outras 89 estáveis, andando e com poucas escoriações, foram redirecionadas pelo Corpo de Bombeiros para avaliação médica.  A ação contou com o apoio de várias competências municipais.

A primeira equipe a chegar no local em uma situação como essa é a Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia). Na simulação, a ação do órgão foi imediata, desligando todo circuito elétrico para evitar danos maiores. Em seguida, o Corpo de Bombeiros fez a avaliação da área para que a equipe do SAMU pudesse entrar em ação, delimitando a atuação dos profissionais em três zonas: quente, morna e fria. 

Controle do evento e separação das zonas de risco são as principais ações

Segundo a coordenadora do SAMU, Maiza Macedo (foto), num desastre a principal atividade é o controle do evento e a separação das zonas de r​isco, com a retirada das vítimas da zona quente – que é onde acontecem os maiores danos. “Utilizamos o método Start que classifica as vítimas por gravidade, através de uma triagem que ajuda a fazer o transportamento rápido e com segurança”, informa. 

Estudante destaca aprendizado proporcionado através desta experiência

Participando pela primeira vez de um simulado, o estudante de enfermagem, Edmilson Santos (foto), atuou como vítima em estado de óbito. Para ele a experiência é de aprendizado. “Tudo que estudamos na teoria pudemos acompanhar hoje aqui sendo aplicado na prática. Ver como a rede de urgência é articulada em nossa cidade, sentir na pele o que passa uma vítima de um desastre como esse e observar de perto a atuação da equipe é um sentimento incrível”, relata.

O treinamento envolveu além da equipe do SAMU, o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, Defesa Civil, Exército, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Superintendência Municipal de Trânsito, Departamento de Polícia Técnica, estudantes e instituições de ensino superior.

Treinamento e integração entre os órgãos, destaca coordenador da Defesa Civil

Para o coordenador da Defesa Civil, Pedro Américo (foto), o simulado é fundamental para integrar os órgãos e ajudar numa evolução em conjunto. “Essas ações permitem que sejam identificadas algumas falhas de protocolo, além da atuação diferenciada de cada órgão. Então é importante para a gente se comunicar, se ouvir e evoluir”, ressalta.

  •  

Feira de Santana não tem caso confirmado do vírus H1N1, mas SMS está em alerta

11/4/2018, 17:43h

Sem nenhum caso confirmado da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), o município de Feira de Santana está em alerta devido a um óbito de uma criança da região circunvizinha, que estava internada no Hospital Estadual da Criança (HEC). Seis casos suspeitos da doença foram notificados de janeiro a abril deste ano, sendo dois descartados para H1N1 e quatro estão em investigação.

Como precaução, a Secretaria Municipal de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica (VIEP) está intensificando as ações preventivas, por meio de investigações epidemiológicas e busca ativa de casos suspeitos; educação em saúde na rodoviária, pontos de ônibus e escolas; além de capacitações para os profissionais da rede pública e privada.

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza acontece no período de 23 de abril a 01 de junho, sendo 12/05 o dia D de mobilização nacional. Este ano a meta é vacinar 90% dos grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

A influenza, conhecida como gripe, é uma doença viral, aguda, benigna e o quadro da doença é geralmente resolvido em uma semana. Os sintomas são febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, dor de garganta, falta de apetite, tosse e coriza. A doença pode evoluir, em alguns casos, com complicações levando a um quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com sinais de desconforto respiratório, pressão baixa e desidratação.

Alguns hábitos de higiene são recomendados para a prevenção, como: cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar, lavar sempre as mãos com água e sabão ou higienizar com álcool 70; evitar aglomerações se estiver gripado ou resfriado; não compartilhar copos e talheres; dar preferência a lenços de papel, ao invés dos de pano, descartando-os sempre logo após o uso.

  •  

Visando capacitar profissionais para a Micareta, Sessão Científica do SAMU abordou desastre em massa

11/4/2018, 13:44h

A condução do atendimento de emergência em situações de Desastre em Massa foi discutida na Sessão Cientifica, realizada pelo Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (SAMU), na noite desta terça-feira, 10. A palestra, que aconteceu no Auditório Dr. João Batista Cerqueira, foi proferida pela médica e coordenadora do órgão, Maíza Macedo.

“O tema desastres em massa vem conquistando grandes proporções devido ao número significativo desses eventos e sua dimensão. Por isso, nós estamos alguns anos fazendo esse trabalho para socializar e preparar o município e região”, ressalta a coordenadora do SAMU.

Tempo é precioso em situações de desastre, observa ditretora do SAMU

Segundo a palestrante, numa situação de desastre a condução é diferente de outros acontecimentos. É necessário ter agilidade e um olhar diferenciado. “Nós profissionais de saúde aprendemos a iniciar sempre as compressões quando uma pessoa não responde, mas numa situação de desastre as estratégias são diferentes, porque se eu identifico um óbito e descarto tempo mesmo assim, eu coloco em risco a vida de 30 ou 40 pessoas, por exemplo, que poderiam ter sido socorridas. Nessas situações tempo é ouro, então temos que ser ágeis para salvar mais vítimas”, explica Maíza Macedo (foto).

Transporte de produtos perigosos também representa risco de tragédia em massa

O técnico da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Sérgio Aras (foto), que esteve presente no evento, observou que por dia cerca de 300 veículos com produtos perigosos transitam pelas rodovias da cidade. “São 300 oportunidades de acidentes diárias. Foram registradas 56 denúncias nos últimos dias e 47 dessas confirmadas pelo nosso órgão. É um número significativo e um risco grande”, relata.

Sobre o assunto, a coordenadora do SAMU e palestrante, orientou que em caso de acidente com produto perigoso, se a pessoa consegue observar de longe o rótulo de risco ou o painel de segurança, ao ligar para a equipe de socorros pode ajudar uma identificação de maneira mais rápida da classificação e do produto.

O SAMU realiza uma vez ao mês eventos de capacitação para profissionais de saúde, assim como simulados em parceria com outros órgãos. Com a proximidade da Micareta, também irá ocorrer na quinta-feira (12) um simulado na mesma vertente, para aprofundar de maneira prática o tema abordado na Sessão Cientifica. 

Coordenador da Defesa Civil destaca importância da experiência adquirida nos eventos do SAMU

Também presente na capacitação, o coordenador da Defesa Civil, Pedro Américo (foto), enfatizou sobre a experiência adquirida nos eventos do SAMU de Feira de Santana. “É de fato para replicarmos em outros municípios. Nós da Defesa Civil, sempre citamos essas experiências e outras coordenações tem entendido que o treinamento deve ser feito. E o SAMU é um parceiro importante por ter trazido isso a tona e ter aberto as portas para que outras instituições do município, do estado e da união participasse”, ressalta.

  •  

Programa Hora da Saúde já agendou mais 1.200 consultas em menos de 20 dias

11/4/2018, 9:30h

O programa Hora da Saúde realizou, em 17 dias de funcionamento, o agendamento de 1.236 consultas com especialidades médicas. O programa da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana está contemplando pessoas que aguardam na fila de espera por consultas com especialidades das áreas de gastroenterologia, dermatologia, endocrinologia, angiologia e reumatologia.

Os atendimentos estão sendo realizados das 18h às 22h, no Ambulatório do Hospital D. Pedro de Alcântara. O programa que iniciou no último dia 20, tem feito os agendamentos através das Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Saúde da Família, para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do município que estavam com seus nomes na lista das diversas unidades.

Cerca de 30% dos pacientes agendados não compareceram

A meta é realizar até três mil consultas médicas, mas mesmo com as consultas agendadas, algumas pessoas não têm comparecido para o atendimento. Cerca de 30% dos usuários que tiveram suas consultas marcadas para atendimento entre os dias 20/03 a 05/04 não compareçam ao Ambulatório.

A secretária de saúde, Denise Lima Mascarenhas, pede que os usuários avisem antecipadamente em caso de ausência. "Temos feito um trabalho muito importante para ajudar a população no atendimento a essas especialidades com demanda reprimida no município. O que eu peço é que as pessoas compareçam as consultas agendadas, ou avisem a unidade em caso de desistência, pois estão ocupando vagas que poderiam ser disponibilizadas a outras pessoas da fila”, ressalta.

Exames estão sendo autorizados no próprio local

Alguns dos exames solicitados durante as consultas estão sendo autorizados no próprio local do mutirão. Uma equipe de profissionais da Secretaria Municipal de Saúde está presente no local para fazer todas as orientações, tanto do encaminhamento para exames, como da marcação de consulta de retorno.

  •  

Vacinação contra a influenza começa dia 23

10/4/2018, 16:42h

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza acontecerá em Feira de Santana no período de 23 de abril a 01 de junho, sendo 12/05 o dia D de mobilização nacional. Este ano a meta é vacinar 90% dos grupos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Durante o período da campanha, tem direito a vacina crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias pós parto), idosos com 60 anos ou mais. Também podem ser vacinados funcionários da área da saúde, indígenas, população e funcionários do sistema prisional, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, em exceção ao portador da hipertensão sem comorbidade, e professores da rede pública e privada.

A vacina é a medida mais eficaz para prevenção do vírus da gripe, causador da síndrome respiratória aguda grave (Srag). Além de segura, a imunização também é importante para evitar complicações, internações e mortalidade decorrente das infecções causadas pelo vírus da doença.

Profissionais de saúde estão sendo capacitados

A Secretaria Municipal de Saúde tem investido na capacitação dos profissionais que vão atuar na campanha. O treinamento, que tem o período de três dias, teve inicio nesta segunda-feira, 9, no auditório Dr. João Batista Cerqueira. Enfermeiros das Unidades Básicas de Saúde e Unidades de Saúde da Família estiveram presentes.

Alérgicos a proteína do ovo não podem ser vacinados

Durante a capacitação, o técnico referência Carlos Henrique Valverde (foto) alertou para as contraindicações. “Pessoas alérgicas a proteína do ovo ou que já tiveram reação anafilática prévia na aplicação de outra dose não devem se vacinar. Já em caso de uso de outros medicamentos, não há contraindicações para aplicação da vacina, mesmo se for outro imunizante a ser aplicado na mesma ocasião, o cuidado que se deve ter é injetar em outro local”, explica.

Pessoas que desejam realizar doação de sangue também devem ficar atentas. “É necessário que após a aplicação da vacina,  aguarde um tempo mínimo de 48 horas”, informa.

  •  

SAMU promove Sessão Científica com o tema "Desastre em Massa", nesta terça

9/4/2018, 16:5h

Buscando uma melhor preparação dos profissionais que vão atuar na Micareta 2018, que acontecerá entre os dias 19 e 22 de abril, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) promove nesta terça-feira, 10, mais uma Sessão Científica, com o tema "Desastre em Massa". 

O evento que acontece às 20h, no auditório Dr. João Batista Cerqueira, da Secretaria Municipal de Saúde, terá como palestrante a coordenadora do SAMU, Maíza Macedo.

A Sessão Científica é realizada uma vez ao mês, com temas diferentes da área de saúde. A capacitação é aberta para estudantes e profissionais.

  •  

Diabético deve ter atenção inclusive a alimento diet, alerta nutricionista

9/4/2018, 9:1h

Na hora do lanche tem pessoas que não resistem a um bolo ou pastel, por exemplo. Mas para ter qualidade de vida o cuidado com a alimentação é indispensável, e devem ser redobrados quando se trata de hipertensos e diabéticos. E essa atenção também deve ser direcionada a alimentos considerados "diets", conforme alerta a nutricionista Josinete Monteiro [foto]. 

Ela conduziu na última sexta-feira, 6, uma orientação nutricional com degustação de alimentos ideais para a refeição para pacientes do Centro de Atendimento ao Hipertenso e Diabético (CADH). “Mesmo os alimentos 'diet' não podem ser ingeridos de forma descontrolada, pois nem sempre estes estão isentos de açúcares, portanto é necessário ter atenção a descrição destes produtos”, ressalta.

“É importante incluir na dieta alimentos saudáveis como frutas e vegetais, que podem ser combinados de maneiras diferentes. Com um abacate, por exemplo, pode ser feito uma vitamina, além de combinações com outras frutas, como banana ou maracujá”, indica a profissional.

Paciente atesta melhora na qualidade de vida após acompanhamento nutricional

Com direito a mousses, bolos, gelatinas entre outras delícias feitas com ingredientes alternativos aos que são normalmente utilizados, os usuários puderam degustar e tirar dúvidas com os profissionais. Foi o caso de Diomesia Ferreira (foto), 64 anos, uma das pacientes da equipe multidisciplinar do CADH. Ela conta que melhorou a qualidade de vida após o acompanhamento nutricional e de endocrinologia.

“Nos ensinam direitinho a alimentação e alertam o que não pode. Ás vezes a gente acaba errando na comida, o que descontrola o açúcar. Mas aqui eu recebo atendimento de tudo, minha qualidade de vida melhorou bastante”, relata a paciente Diomesia Ferreira.

Seguir as orientações no dia a dia faz toda diferença

Segundo a coordenadora do CADH, Andreia Santos (foto), o dia-a-dia do paciente faz toda a diferença no tratamento. "A gente busca conscientizar os usuários, que além do atendimento com o endocrinologista e nutricionista, o que faz toda a diferença na saúde deles é a contribuição, no dia-a-dia, ao seguir as orientações que são dadas", ressalta.

Atualmente, 4.133 pessoas são cadastradas no CADH. Estes usuários são atendidos por médicos clínicos, enfermeiros, fisioterapeutas, assistentes sociais, nutricionistas e endocrinologistas. Só em janeiro deste ano, 3.540 atendimentos foram realizados e mais de 39 mil em todo o ano passado (2017).

  •  

Centros de Especialidades Odontológicas já realizaram este ano mais de 6 mil atendimentos

7/4/2018, 14:6h

Os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) de Feira de Santana realizaram entre os meses de janeiro a março deste ano 6.549 atendimentos odontológicos de especialidades. Os números correspondem a uma média de 100 atendimentos/dia, com cirurgia oral, exodontia, endodontia (canal), periodontia, estomatologia (diagnóstico de câncer de boca e biópsias em geral), colocação de prótese e atendimento a pacientes especiais – com paralisia cerebral e sindrômicos.

A maior demanda foi registrada no CEO Célia Pamponet, localizado no bairro George Américo. Só nesta unidade foram 3.747 atendimentos. Já no CEO Maria de Lourdes Suzarte, situado na Praça Tiradentes, mais conhecida como Praça do Gastão, os números são de 2.802 atendimentos. As duas unidades funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Atendimento garantido a pessoas de baixa renda

Segundo o coordenador da Divisão Odontológica, Dr. Arilson Pereira (foto), os números demonstram a importância dos serviços oferecidos pela Rede Municipal, através dos CEOS. “São consultas com especialistas e atendimentos mais complexos, que a comunidade a qual nós assistimos, na maioria das vezes, não teria condição de fazer numa entidade privada devido os altos custos”, ressalta.

Para ser atendido, o usuário deve passar por uma consulta odontológica nas Unidades de Saúde da Família, Unidades Básicas de Saúde ou Policlínicas, para avaliação da necessidade ou não de um encaminhamento para procedimentos especiais, feito através da ficha de referenciamento.

Ao comparecer ao CEO, o paciente deve estar munido, além da ficha, com o documento de identidade com foto e cartão SUS.

  •