Protocolo internacional de triagem em urgência e emergência é aplicado no Hospital da Mulher

21/2/2018, 19:37h

As pacientes que chegam à emergência e urgência do Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, contam com o serviço que garante acesso rápido ao atendimento de saúde através de protocolo internacional denominado como Triagem de Manchester, ou acolhimento com Classificação de Risco.

Priorizando o atendimento de acordo com os sinais e sintomas apresentados pela grávida após a avaliação clínica, o setor de classificação de risco do HIPS, equipamento da Prefeitura de Feira de Santana, que funciona 24 horas desde o final de 2015, selecionou no ano de 2017 aproximadamente 36.585 pacientes com maior prioridade de atendimento, representando uma média de até 100 grávidas por dia.

Esse sistema da área de saúde, criado em 1994 como forma de estabelecer consenso entre médicos e enfermeiros dos serviços de urgência, determina o atendimento de acordo com a gravidade clínica de cada paciente identificada por cinco categorias existentes com nomes, cor, definições específicas e não por ordem de chegada, norteando a tomada de decisão ao avaliar o quadro clínico.

O processo de triagem e acolhimento com Classificação de Risco é uma ação de caráter interdisciplinar e envolve diversos profissionais, a exemplo de enfermeiros e médicos obstetras. Esses profissionais acolhem as gestantes e seus familiares de forma humanizada com qualidade, compromisso, ética e eficiência seguindo protocolo do Ministério da Saúde.

Pulseiras de cor sinalizam classificação de risco


A classificação de risco é sinalizada após a avaliação feita na paciente por pulseiras de cor vermelha (emergência), laranja (muito urgente), amarela (urgente), verde (pouco urgente) ou azul (não urgente). Pacientes classificadas com a cor vermelha (emergência) necessitam de atendimento médico imediato. A classificação laranja (muito urgente) é quando o atendimento deve ser realizado em até 15 minutos. A amarela (urgente) quando o atendimento deve ser feito em até 30 minutos. A classificação verde (pouco urgente) em até 120 minutos, pois são pacientes sem risco de agravo. Já a pulseira azul estabelece que o atendimento não é prioritário ou é solicitado o encaminhamento da gestante para um Centro de Saúde.

Informações da paciente e avaliação médica definem prioridade



“Colhemos as informações das pacientes juntamente com a avaliação do profissional, o exame físico, para classificar o atendimento. Em seguida, avaliamos se ela precisa de atendimento imediato ou se é um atendimento que pode ser postergado um pouco”, afirma a enfermeira do setor, Lícia Barbosa Lopes (foto).

Em uma sala estruturada na emergência da unidade hospitalar, a enfermeira faz o acolhimento, avalia os sintomas apresentados pela gestante, afere a pressão arterial, avalia o batimento cardíaco do bebê e realiza, quando necessário, o exame do toque para saber a dilatação.

Após avaliação, a gestante recebe orientações de acordo com seu caso e se há necessidade do retorno para a unidade de atenção básica ou se a mesma necessita ser encaminhada para o atendimento médico do hospital.

Triagem proporciona resultado em tempo menor



“Seguimos um protocolo de acolhimento e de atendimentos, no qual conseguimos triar as gestantes que são prioridades para o atendimento de emergência”, ratifica a presidente da Fundação Hospitalar de Feira de Santana (órgão mantenedor do Hospital da Mulher), Gilberte Lucas (foto). Segundo ela, através do protocolo internacional, é possível dar um resultado em um tempo mais curto e uma melhor assistência para as gestantes.

Hipertensa, gestante de 20 anos foi logo internada



A dona de casa Rosineide Pinto de Souza, 20 anos, chegou ao HIPS devido as 41 semanas de gestação. Ela, que recebeu a pulseira amarela (quadro classificado como urgente), é hipertensa e será mãe pela primeira vez de um menino. “Cheguei aqui porque já vou ter o neném, mas não senti dor nenhuma. A enfermeira viu que estou com pressão alta, avaliou os batimentos cardíacos do meu filho e me encaminhou para o atendimento médico para eu ser internada”, disse.

Pulseira verde para paciente pós-aborto, sem hemorragia


Outro exemplo de atendimento priorizado pelo setor de Emergência do Hospital da Mulher, Tayná de Oliveira de Jesus, de 22 anos, deu entrada após abortar com 3 meses de gestação. “Já passei pelo médico, vou tomar os medicamentos e fazer a curetagem”. A paciente como não teve hemorragia e estava com o colo do útero fechado, recebeu a pulseira verde (pouco urgente).



  •  

Cerca de 200 pessoas já adquiriram edital para licitação das barracas na Micareta

21/2/2018, 18:20h

Aproximadamente 200 pessoas interessadas em montar ponto de venda de bebida e comida no circuito da Micareta 2018, na avenida Presidente Dutra, já adquiriram o edital da concorrência pública para buscar um espaço. A festa acontece de 19 a 22 de abril. A licitação, tipo maior preço, está marcada para o dia 21 de março. A entrega deste documento será feita até o dia 20 de março. Poderão participar do certame pessoas físicas e jurídicas.

Neste ano serão licitados 245 espaços padronizados e divididos em três lotes – 125 com 16 metros quadrados (lote I), para comida e bebidas, 150 com três metros quadrados (3), que serão destinadas exclusivamente para a venda de cerveja, água e refrigerantes. Os editais estão sendo entregues na Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, à rua Estados Unidos, 37, Kalilândia.

Outras 70 barracas, com quatro metros quadrados (2) de área coberta também serão licitadas. Destas, 30 serão disponibilizadas para a venda de capeta e 40 para a comercialização de lanches. O edital vem com os anexos que deverão ser preenchidos pelos concorrentes e todas as informações referentes ao processo.

Lance mínimo vai de R$ 100 a R$ 350, a depender do tamanho da barraca

O secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges, disse que ao saber os valores mínimos a serem ofertados, os barraqueiros não enfrentarão problemas para traçar seus planos iniciais de trabalho durante a Micareta. “Acredito que teremos um certame licitatório sem problemas”. Para as barracas maiores, o lance mínimo será de R$ 350; as médias, R$ 200 e as menores, R$ 100. A entrega dos lotes acontecerá nos dias 7 de abril – os com 16 metros quadrados, e dia 8 os demais.



  •  

Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico se reúne segunda-feira

21/2/2018, 17:40h

Presidido pelo secretário do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior, o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico se reúne, na próxima segunda-feira, 26, às 16H30, no auditório do Hotel Acalanto.

Na pauta do encontra consta a avaliação, pelos seus membros, dos projetos executados durante o ano de 2017; a apresentação da operacionalização das atividades do Plano de Ações do Projeto Centro Comercial Popular, em 2018; e a apresentação das atividades do Plano Diretor de Desenvolvimento Econômico de Feira de Santana.

A convocação desta reunião, de acordo com Borges Júnior,  é prevista na Lei Municipal nº2.553/2004, que criou o Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico, e no Decreto Municipal nº10.174/2017, que designa representantes para o mencionado Conselho.



  •  

Prefeitura dá início às obras da praça poliesportiva do Recanto Feira X

21/2/2018, 17:36h

Dotada de uma ginásio poliesportivo coberto e com vestiários, a praça do Loteamento Recanto Feira X , cujo projeto de urbanização  prevê a implantação de canteiros, 17 torres de iluminação e passeios circundando os 620 metros quadrados de área construída, teve as suas obras iniciadas na manhã desta quarta-feira,21.

Previsto para ser entregue a comunidade dentro de seis meses, o equipamento está orçado em R$ 407.288,10, recursos oriundos do erário do Município.

Pacote de obras

No  mês passado, o Governo do Município entregou aos moradores do Loteamento Recanto Feira X a pavimentação de 17 ruas. O pacote de obras incluiu as ruas Sete,  Argentina, 1º de Novembro, Brasil, Alfavile, Paraíso, Gênesis, Alécio Pereira, Jader Souza, Albert Douglas, Sergio Gomes, Aurélio Santana, Antônio Florença Bastos, Yuri Souza Pires, Prof. Carmelita Batista, Travessa 1º de Novembro e a 1ª Travessa  Yuri.

Ainda na região, dentro de mais duas semanas a Prefeitura Municipal fará a inauguração dos 1.600 metros de pavimentação asfáltica e sinalização da Rua do México.



  •  

"Tirei o pé da lama", comemora moradora ao pisar ruas calçadas

21/2/2018, 15:47h

A luta que atravessou quatro décadas apelando pela urbanização de várias ruas do bairro Asa Branca chegou ao fim para Dona Moça, como é mais conhecida a dona-de-casa Severina Alves de Araújo. Durante uma caminhada com os moradores marcando a inauguração da pavimentação a paralelepípedo das vias públicas, na noite desta terça-feira, 20, a aposentada fez um desabafo em tom de comemoração e que tão bem representou a satisfação de toda a comunidade: “Estou muito feliz! Tirei o pé da lama!”

Dona Moça relata o sofrimento que marcou as quatro décadas que viveu no bairro com ruas sem urbanização. “Aqui cheguei, cesci, casei, criei meus filhos e tudo vivendo em ruas com lama e muita poeira. Agora acabou todo o sofrimento, graças a Deus e ao Governo Municipal que atendeu nossos apelos”, afirmou.

Seis ruas foram contempladas

As obras de pavimentação foram promovidas pelo Governo Municipal, investindo recursos próprios do Município que resultam em ganhos na qualidade de vida da comunidade. E põem fim ao sofrimento provocando por lama, buracos e poeira nas vias públicas. Foram contempladas as ruas Moisete, travessa Moisete, Adorno Pereira, Ibituruna, Majé e Macarani.

A caminhada teve início na rua Moisete, onde os moradores se reuniram com representantes do Governo Municipal para comemorar a urbanização das vias públicas. E após visitarem todas as artérias calçadas, o anúncio de mais pavimentação, contemplando desta vez a rua Dois Irmãos e outras vias circunvizinhas, concluindo assim os trabalhos de calçamento nesta região da cidade.
 



  •  

Departamento de Turismo vai elaborar catálogo de benzedeiras de Feira de Santana

21/2/2018, 11:15h

Quem são, onde estão, quantas ou quantos são. A Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico quer conhecer e identificar e, a partir daí, fazer um catálogo com os nomes de benzedeiros e benzedeiras de Feira de Santana. Para tanto, eles e elas devem procurar a Diretoria de Turismo, no mezanino do MAP (Mercado de Arte Popular), onde as inscrições estão sendo feitas.

São nas casas das benzedeiras que crianças e adultos encontram o alivio esperado. “Estas mulheres e homens são um importante traço na nossa cultura religiosa e, por que não, na cura de doenças que a medicina tradicional não conseguiu. Isto para quem acredita”, afirma a diretora do Departamento de Turismo, Graça Cordeiro, que acredita existir muitas destas pessoas em Feira de Santana.

De acordo com a diretora, eles poderão participar do curso de qualificação de turismo étnico-afro, que será realizado através da Oficina de Construção de Redes II - Entrega e Ajuste do Diagnóstico Participativo - em parceria com a Secretaria de Turismo da Bahia, no dia 2 de março, das 13h30 as 17h30, no auditório do Mercado de Arte. Os interessados deverão apresentar documentação pessoal e comprovante de residência. 

Em Feira os terreiros do povo de axé já estão sendo devidamente catalogados. Conhecedoras de orações medicinais, as benzedeiras tem um grande poder de transformar dor em esperança, quando sacodem com suas mãos santas galhos verdes de um lado para o outro. Houve uma época que benzedeiras davam expediente em unidades de saúde no Ceará. Atualmente, em três cidades do Paraná, as benzedeiras possuem credenciamento expedido pelas respectivas secretarias de Saúde. Os índices de mortalidade infantil caíram, devido a intervenção delas, e dos pediatras.



  •  

O resgate da Fonte dos Milagres, um patrimônio de Feira no bairro Gabriela

21/2/2018


Compartilhar no Facebook    
  •  

Centro Comercial Popular será inaugurado em setembro

21/2/2018, 10:0h

Em ritmo acelerado, as obras do Centro Comercial Popular, que vêm sendo executadas no Centro de Abastecimento, através de uma Parceria Público-Privada, deverão ser entregues à comunidade em setembro. Orçada em 50 milhões, a iniciativa é resultado de incessantes discussões que envolveram todos os segmentos organizados do Comércio da cidade.

Em visita técnica realizada ao canteiro de obras do equipamento, na manhã desta terça-feira, 20, o secretário do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior, acompanhou a implantação da fundação da estrutura metálica, etapa que será sequenciada pela colocação do piso.

Estacionamento terá capacidade para 600 veículos

Acompanhado dos coordenadores técnicos do projeto arquitetônico, ele também visitou o estacionamento que vem sendo construídos no piso superior do entreposto comercial, numa área de 23 mil metros quadrados, com capacidade para receber 600 veículos, com uma área exclusiva para carga e descarga de caminhões.

Pacto da Feira

A construção do Centro Comercial Popular é resultado de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre o Consórcio Feira Popular S/A e a Prefeitura de Feira de Santana.

Denominado de Pacto da Feira, este projeto busca organizar e requalificar o comércio ambulante das ruas centrais da cidade e vai abrigar cerca de dois mil trabalhadores informais em boxes individualizados, dentro de um complexo arquitetônico dotado de conforto e moderna infraestrutura.

“Pela complexidade deste empreendimento e pelo seu alcance socioeconômico, o Centro Comercial Popular se inclui entre as maiores obras em execução em nosso Estado, e vai impulsionar significativamente a Economia do nosso Município”, ponderou Borges Júnior.



  •  

Universidade Aberta de Meio Ambiente discute ações e calendário de cursos para 2018

21/2/2018, 9:57h

Técnicos em meio-ambiente e em agronomia, um apicultor e estudante de pedagogia se encontraram na manhã desta terça-feira, 20, para discutir ações socioambientais. A Reunião de Planejamento Participativo ocorreu na sede da Unamacs (Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cidadania Sustentável), localizada no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho, no conjunto Feira VII.   

“O objetivo é ouvir a comunidade para agregar as opiniões ao calendário de atividades que serão realizadas pela Unamacs, neste ano”, afirmou a educadora ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam), Elisângela Lucena. Ela observa que “todos devem ter uma responsabilidade compartilhada com as questões ambientais”.

O calendário de atividades da Unamacs teve início no último sábado, 17, com a realização do Whorkshop Orientação na Bahia – Curso de Mapeadores Ambientais, no Parque da Lagoa Radialista Erivaldo Cerqueira. “Foi um encontro muito proveitoso, onde contamos com a participação de representantes de outras cidades baianas e do Rio Grande do Sul, que abordaram o esporte de orientação e a questão ambiental”.

Já nesta quinta-feira, 22, e na sexta-feira, 23, será promovido o Curso de Sustentabilidade na Escola, das 8h às 17h, destinado aos professores da rede municipal de ensino. Ainda neste mês, no dia 27, será realizada a Reunião de Formação do Colegiado do Fórum de Desenvolvimento Sustentável, das 8h às 12h.

A Unamacs é a primeira Universidade Aberta do Meio Ambiente da Bahia e do Norte e Nordeste neste formato, para capacitação de cursos e de educação informal, a terceira do Brasil, acompanhada da UMAPAZ (em São Paulo) e a Unilivre (em Curitiba) e a sétima no mundo. Mais informações: (75) 3322-9318.



  •  

Matrícula na rede municipal termina nesta quarta e ainda restam 4 mil vagas

21/2/2018, 9:49h

Aproximadamente 4 mil vagas ainda estão disponíveis para matrícula na Rede Municipal de Ensino, cujo prazo termina esta quarta-feira, 21. De acordo com o balanço da Secretaria Municipal de Educação, já foram preenchidos 92% da capacidade de atendimento das 217 escolas municipais.

“Estamos muito satisfeitos com a demanda registrada nas nossas escolas e o preenchimento das vagas. Reordenamos a Rede Municipal e, também, reorganizamos e redistribuímos diversas turmas, de acordo com a procura. Este trabalho possibilitou ainda a criação de novas turmas, onde foi registrada maior demanda”, destaca a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

Na tarde desta terça-feira, 20, – quando foi elaborada a reportagem – algumas escolas de grande porte, como a Emiliana Souza Oliveira, de Ensino Fundamental, ainda ofereciam aproximadamente 180 vagas; existe também a possibilidade de abertura de novas turmas, devido a reorganização pela qual a escola passou.

Também dispõem de vagas unidades de ensino como o Centro Integrado de Educação Municipal Professor Joselito Falcão de Amorim, que fica no centro, e a Escola Municipal Monteiro Lobato, que fica nos bairros Capuchinhos.

Em outras escolas, no entanto, as vagas já foram preenchidas. É o caso dos Centros Municipais de Educação Infantil, CMEI´S, normalmente chamados pela comunidade de creches. E também das escolas situadas no bairro Feira VII, entre outras.

Para efetuar a matrícula, os estudantes, pais ou responsáveis devem apresentar os seguintes documentos: histórico escolar (original); cópia da certidão de nascimento ou carteira de identidade; uma foto 3x4; cópia do comprovante de residência atualizado; para as crianças de Educação Infantil também é necessário apresentar cópia do cartão de vacinação atualizado. E, finalmente, para as crianças beneficiárias do Programa Bolsa Família, deverá ser apresentada ainda cópia do cartão em nome do pai, mãe ou responsável. No ato da matrícula, devem ser apresentados os documentos originais para a devida conferência.



  •