SEC. TRABALHO, TURISMO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Associativismo torna o pequeno empreendedor mais competitivo, diz especialista

7/3/2019, 11:10h

Projeto exitoso que projetou pequenos empreendedores no mercado nacional, de forma competitiva unindo forças, o Empreender 2019/2020 é relançado em Feira de Santana. A ação foi marcada com palestra do economista e especialista em varejo Adriano Câmera, na noite de quarta-feira, 06, na sede da Associação Comercial e Empresarial, no bairro Kalilândia.

A iniciativa é fruto da parceria entre o Sebrae, a Associação Comercial e Empresarial e o Governo Municipal de Feira de Santana, através da Secretaria do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec). Visa criar condições para que segmentos econômicos possam empreender através do associativismo.

Representando o prefeito Colbert Martins Filho, o secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior, enfatizou que o Empreender é o maior projeto existente no país para inovar e fazer com que o empresário não veja o outro como concorrente. “Caminhar juntos pode gerar mais benefícios”.

O palestrante Adriano Câmera (foto) explica que o Empreender fortalece o associativismo de impacto, reorientando empresários. “O associativismo é único meio que os micro e pequenos empreendedores possam diminuir as suas desvantagens com relação ao tamanho, aumentando o poder de barganha, dividindo resultados e acessando novas tecnologias. Assim eles podem dar um passo que jamais conseguiriam se fosse de forma individual”, afirmou.

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Feira de Santana, Marcelo Alexandrino (foto), reafirmou o compromisso do projeto Empreender de buscar reunir empresários para fortalecer, através de conhecimento e soluções, focado em núcleos setoriais.

Já o gerente do Sebrae em Feira de Santana, Isailton Reis, observou que o pequeno negócio é responsável por 27% da riqueza do país e que representam mais de 90% dos negócios. Também esteve presente o presidente da Associação Comercial e Empresarial da Bahia, Clóves Cedraz.

  •  

Galpão de Peixes do Centro preparado para atender aos clientes

4/3/2019, 10:23h

Tradicionais nas mesas dos católicos a partir da Quarta-feira de Cinzas e em determinados dias da Quaresma, o consumidor pode encontrar mais de 30 espécies no Galpão de Peixes do Centro de Abastecimento. A procura aumenta desde o final de semana, dizem os comerciantes. A tilápia, cujo quilo está custando entre R$ 10 e R$ 11, continua sendo o mais vendido. Outro apreciado é a corvina.

A grande maioria dos estoques – que ainda não está sendo feita pelos comerciantes locais, é comprado em Salvador – vem de outros centros de pesca, como o de Santa Catarina, do Pará, ou da região da Barragem de Sobradinho, cidades como Remanso e Sento Sé. Estimam que a quantidade que está exposta será suficiente para atender as necessidades do primeiro dia da Quaresma.

Paladares mais apurados também encontram nas peixarias espécies como o robalo, de sabor inconfundível, por R$ 35, ou a pescada amarela, pelo mesmo preço. Para tentar economizar, a primeira medida é percorrer todos os boxes, no total de 16. A segunda iniciativa é pechinchar. Quem sabe os argumentos não toquem os vendedores e o preço caia um pouco.

O preço é muito atrativo

O comerciante Ivan Trindade (foto), da Peixaria Trindade, disse que há quatro anos o preço do tilápia não registra aumento significativo e que os preços dos outros peixes estão dentro da média. “E já começamos a observar que há um discreto crescimento nas vendas, que devem aumentar neste sábado e se acentuar na quarta-feira, para o almoço”. Revelou esperar vendas melhores que no ano passado.

Ingredientes do caruru não podem faltar

Opções para a mariscada não faltam, bem como o camarão fresco que dão sabor diferenciado aos pratos. Os ingredientes para o caruru não podem faltar. O quilo da castanha está sendo vendido por R$ 35, o do camarão seco varia de R$ 40 a R$ 45, o quilo do amendoim custa R$ 12 e o azeite de dendê, R$ 6, mais a massa do vatapá, R$ 10 o quilo.

Consumidores vão encontrar um espaço diferente

Além da grande quantidade para todos os bolsos e paladares, quem for Centro de Abastecimento verá um local de vendas completamente diferente dos anos anteriores. O galpão se destaca pela higiene e estrutura interna dos boxes, que ganharam balcões refrigerados, onde os peixes são colocados. Outro ponto importante é que os comerciantes participaram de cursos de qualificação – armazenamento, vendas, atendimento foram temas abordados.

Para Marcos dos Santos Souza, a organização do local – com limpeza e higiene e o ambiente de estocagem adequada, vai atrair a clientela ao galpão do peixe do Centro de Abastecimento. “Aqui ele, o cliente, vai encontrar preço, variedade e qualidade. Estamos iniciando mais uma etapa das nossas vidas”. Será a primeira Quaresma de vendas no novo espaço.

  •  

Vendedora que teve mercadoria apreendida passa a trabalhar no Centro de Abastecimento

22/2/2019, 16:6h

A vendedora ambulante, Deise Ferreira, que teve sua mercadoria apreendida pela equipe de fiscais da Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, vai passar a vender seus produtos no Centro de Abastecimento. Após reunião na sede da secretaria, a vendedora entendeu a importância da reorganização da cidade e aceitou sua saída da informalidade e da insalubridade.

A partir da próxima semana ela começará a trabalhar no setor de mercado de frutas e verduras do entreposto comercial. Ela terá isenção de 12 meses no pagamento pelo uso do espaço. Deise também fará parte da reestruturação do Centro de Abastecimento, passando a vender em local organizado e com boas condições de trabalho.

Segundo Márcia Cristina Gomes, coordenadora de fiscalização da Settdec, a ação que resultou na apreensão de mercadorias esta semana visa atender o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) e a Lei Municipal 1613/92, que proíbe a venda em praças, jardins e canteiros centrais da cidade.

Ambulantes podem sair da informalidade e evitar apreensões

Márcia Cristina avisa que os vendedores ambulantes que estão em locais proibidos podem procurar a Settdec para se adequar e evitar apreensões como a de Deise Ferreira. “Todos esses feirantes que estão no centro e quiserem ser relocados, podem procurar a secretaria que iremos resolver a situação”, afirma.

Eles poderão ser relocados para o Centro de Abastecimento, as feiras livres da cidade ou para a Feira Intinerante, que tem projeto para começar a funcionar após a inauguração do centro Comercial Popular.

Vendedora não sofreu agressões

Em relação ao caso da Deise Ferreira, a coordenadora afirmou que “não houve, em momento algum, agressão por parte dos agentes da Settdec, inclusive, nem a vendedora disse isso ”. Ela explicou que a mercadoria foi apreendida e a viatura da PM foi acionada porque os prepostos sofreram ameaça.

“Com isso ela foi até a Câmara de Vereadores e fez o apelo. Mas nós seguimos o que a lei determina. A mercadoria nesses casos tem apreensão imediata, sem ser necessário aviso prévio. E não pode ser devolvida para o vendedor”, ressalta Márcia Cristina.

  •  

Prefeitura realiza Inventário Social entre os feirantes

22/2/2019, 9:44h

A feirante Marinalva Ferreira, na atividade há mais de 40 anos, teve o nome inserido no Inventário Social, que está sendo realizado pela Prefeitura através da Secretaria do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, com o objetivo de conhecer o perfil destas pessoas que trabalham nas ruas centrais de Feira de Santana.

Para ela, é importante que a Prefeitura saiba a quantidade de pessoas que desenvolvem este tipo de atividade, principalmente com relação ao futuro. “Acredito que com o Centro Comercial Popular as coisas por aqui mudarão muito. Tudo indica que vou voltar para o Centro de Abastecimento”.

O levantamento está sendo feito por aplicativo e as informações são enviadas instantaneamente para o banco de dados de uma empresa contratada pela Settdec, onde é tabulado. No questionário virtual constam espaços para nome, o que vende, de onde vem, quanto tempo está na atividade, entre outras informações.

O chefe da Divisão de Mercados e Feira Livre, Cristiano Gonçalves, disse que o banco de dados terá informações que serão usadas na formatação de atividades que serão implementadas no futuro bem próximo pela Settdec, como uma feira livre itinerante e adequar a realidade com o início de atividades do shopping.

Serão entrevistados os feirantes da Marechal Deodoro, Senhor dos Passos, praça do Nordestino, Conselheiro Franco, Carlos Gomes e das imediações do Feira Tênis Clube. “Cerca de 15% do serviço já foi realizado e até o final do próximo mês deverá ser concluído”. O inventário com os camelôs já foi realizado.

  •  

Parceria entre a Prefeitura e o CrediBahia libera financiamento de até R$ 10 mil

15/2/2019, 17:4h

Com financiamento de até doze meses, os micro e pequenos empresários de Feira de Santana poderão contrair empréstimos que chegam a R$ 10 mil, através de uma parceria firmada entre a Prefeitura Municipal e o CrediBahia, Programa de Financiamento do Estado da Bahia.

Intermediado pela Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (SETTDEC), o Programa de Financiamento já se encontra disponível ao público alvo, com atendimento no posto do SAC da Rua  de Aurora, além de visitas domésticas e aos empreendimentos por  prepostos do CrediBahia.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior informa que, nos últimos anos, o Programa  liberou para o setor recursos superiores a R$ 2 milhões.

  •  

Prefeitura vai traçar perfil de comerciante de rua com vistas a feira itinerante

12/2/2019, 9:19h

A partir desta terça-feira, 12, comerciantes de rua instalados nas vias centrais de Feira de Santana passarão por um levantamento social. O estudo deverá ser concluído em até 45 dias.

A tabulação vai permitir, diz o titular da Secretaria do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec), Antônio Carlos Borges Júnior, que o município trace um plano de ação com vistas a criação de uma feira itinerante, que será levada a alguns bairros.

Serão entrevistados camelôs da Marechal Deodoro, da imediações do FTC, Nordestino, Carlos Gomes, rua Recife e da Praça do Tropeiro, entre outros locais.

A iniciativa da Settdec vai mostrar os perfis, como origem, quantos são, o que vendem, suas idades e o tempo em que estão na atividade.

As feiras, afirma o secretário, acontecerão diariamente, das 6h ao meio-dia, em bairros a serem escolhidos. Para ele, a descentralização será positiva para estes comerciantes, que passarão a explorar novos mercados.

O levantamento será realizado por uma empresa contratada pela Settdec e também será perguntado se antes já atuaram em outros bairros ou feiras-livres.

  •  

Mercado de Arte é palco para manifestações artísticas de variados gêneros

6/2/2019, 13:48h

Mais que um espaço para o comércio de artigos em couro, crochês ou cerâmicas. O Mercado de Arte Popular (MAP) é também um celeiro cultural, de visibilidade para músicos, escritores e pintores. Gente de Feira de Santana ou da região que querem ganhar o “mundo” nos palcos por aí afora ou que já têm uma carreira consolidada têm no MAP um lugar certo para soltar a voz; recitar um poema; expor telas ou lançar um livro.  

No Palco Cultural do MAP o movimento é intenso o ano inteiro. É raro não ter shows nas sextas-feiras e aos sábados, que sempre atraem um bom público, com programações contratadas pela Prefeitura Municipal ou de artistas que solicitam o espaço sem cobrar o cachê para divulgar o seu trabalho – é necessário o agendamento prévio.

A diretora de Turismo, da Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec), Graça Cordeiro, considera que a localização do MAP em área central da cidade, suas características como espaço de arte e cultura e os serviços oferecidos são fatores que atraem público e despertam o interesse de artistas dos mais variados segmentos.

“O MAP tem uma programação diversificada o ano inteiro. É um espaço para cultura, moda, culinária e entretenimento”, considera a diretora de Turismo ao afirmar que a realização de atividades de cunho artístico e cultural impulsionam o comércio local, atraindo clientes e turistas.

No ano passado, sinaliza Graça Cordeiro, mais de cinquenta atrações subiram ao palco. Entre os artistas os cantores Sarajane, Paulo Bindá, Djalma Ferreira, Marizélia, Tonho Dionorina, Márcia Porto e Outros Baianos.

Entre os eventos, foi realizada a comemoração de aniversário da Filarmônica 25 de Março, que completou 150 anos; lançamento do Projeto de Samba Reggae; Encontro Nacional de Capoeira; Sarau Literário; festivais de tortas; Tributo a Michael Jackson e exposições de fotografias.

“Além disso, o Map é também campo de pesquisa de estudantes de universidades e escolas, tanto de Feira quanto de outras cidades. No ano passado recebemos a visita de um grupo de 40 alunos de Itabuna, que vieram à cidade conhecer sua história.

  •  

Feira foi o terceiro município que mais gerou empregos na Bahia em 2018

4/2/2019, 9:11h

O saldo positivo de empregos com carteira assinada em Feira de Santana, no ano passado, se aproximou de 1,6 mil postos. De janeiro a dezembro foram gerados 36.605 postos de trabalho e fechados 35.012.

Feira registrou o terceiro melhor desempenho na geração de empregos entre os municípios baianos que têm mais de 30 mil habitantes – Salvador e Dias D’Ávila, respectivamente primeiro e segundo lugares. A Bahia apresentou saldo positivo de 25.278 vagas.

Mesmo enfrentando crise há anos, o setor que mais empregou foi o da construção civil, com 678 novas vagas, seguido pelo o de serviços, com 569 – outro setor forte da economia local. O saldo na indústria chegou a 216. A variação positiva no ano foi de 1,44%.

“Mesmo com a crise que a nossa economia vem enfrentando, Feira de Santana apresenta saldo positivo na geração de novos postos de trabalho. Isso é muito importante para todos nós”, disse o secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior.

Se não fossem as demissões ocorridas em dezembro, o saldo registrado em Feira de Santana seria ainda mais positivo. Naquele mês, a indústria formalizou 326 demissões, o setor de serviços outras 180, a construção civil mais 115. A variação negativa foi de -0,29%.

  •  

Cover do "Rei" Roberto Carlos leva plateia ao delírio

2/2/2019, 23:37h

“De olhos fechados, tenho a sensação de que é o próprio Roberto Carlos quem está cantando". A comparação feita pela comerciária Ana Maria Pereira Santos, ao assistir ao show do “Rei” com canções interpretadas por Francisco de Araújo Lima reflete a mesma impressão que levou o público ao delírio, durante apresentação do artista feirense no Mercado de Arte Popular (MAP), no início da tarde deste sábado, 2.

Bem afinado, o “Roberto Carlos” feirense levou todo o romantismo de várias canções do “Rei” que fazem sucesso e atravessam décadas. No repertório, “Como é grande meu amor por você”, “Debaixo dos caracóis de seus cabelos”, “Amigo”, dentre muitas outras, fizeram os casais dançarem bem agarradinhos.

Motorista da Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec), cantou durante pouco mais de duas horas, tempo suficiente para atrair um grande público ao Mercado de Arte Popular, dentre jovens e pessoas na terceira idade.

A iniciativa faz parte do projeto Dança e Música na Praça, promovida pela Fundação Municipal de Tecnologia e Ciências Egberto Costa, da Prefeitura de Feira de Santana, valorizando os talentos de Feira de Santana e fomentando a cultura.

  •  

Romantismo do "Rei" no palco do Mercado de Arte Popular

1/2/2019, 17:11h

Neste sábado, 2, o romantismo do cantor Roberto Carlos vai dominar o Mercado de Arte Popular (MAP) na interpretação de Francisco de Araújo Lima.

Cover do “Rei”, o músico feirense, que no dia a dia também se dedica à profissão de motorista, exercendo a função na Prefeitura, subirá ao palco ao meio-dia, com previsão de duas horas de show.

A realização é da Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico (Settdec).

  •