SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Aulas suspensas em Feira até 19 de abril

31/3/2020, 10:43h

A suspensão das aulas em todas as escolas da Rede Municipal de Educação foi prorrogada até o dia 19 de abril. A decisão do prefeito Colbert Martins Filho foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do município no último sábado, 28, em sua edição de número 1262. 

A suspensão atende às orientações de especialistas e também do Ministério da Saúde que recomendam o isolamento social como medida mais eficiente para controlar o contágio pelo novo coronavírus, o Covid-19, em todo o país.

Inicialmente, as atividades haviam sido interrompidas no dia 18 de março, com retorno previsto para esta quinta-feira, 2. Entretanto, diante do cenário de expansão da doença, o período de isolamento foi ampliado. De acordo com os especialistas, a quarentena é a melhor alternativa para conter o alto registro de infecções previsto para abril.

O decreto também estende a suspensão das atividades a todos os estabelecimentos da rede privada de educação em Feira de Santana – sejam de níveis superior, médio, fundamental, básico, cursos preparatórios ou mesmo creches – que são licenciados pela Prefeitura.

  •  

Antes da suspensão das aulas, escolas municipais realizam atividades de conscientização contra o coronavírus

18/3/2020, 17:17h

A suspensão das aulas na Rede Municipal de Educação, por conta do atual quadro de casos registrados do novo coronavírus, o COVID-19, em Feira de Santana e o estado de pandemia, começou a valer nesta quarta-feira, 18. Mas, antes disso, várias escolas realizaram atividades de conscientização no combate à doença.

A Escola Municipal Ecilda Ramos, por exemplo, produziu um guia básico com as principais informações referentes à doença e modos de prevenção. Ele servirá para que os estudantes se cuidem em casa e possam compartilhar o conhecimento com os mais próximos e desta forma, colaborar com a segurança de familiares e comunidade.

Na manhã desta terça-feira, 17, professores e gestores da Escola Municipal Professora Eli Queiroz de Oliveira explicaram aos estudantes o que é o coronavírus, quais são seus sintomas, formas de tratamento e o que fazer durante o período de quarentena. Os estudantes elaboraram cartazes e paródias para alertar a população sobre o perigo do Covid-19.

A professora Rosângela Galindo, do 1º ano, levou os cuidados de prevenção ao coronavírus para a rodinha de conversa com os alunos da Escola Municipal Adenil Falcão. Diversas escolas fizeram trabalhos bastante criativos, levando o tema a sério e mostrando que as crianças e adolescentes são excelentes multiplicadores.

Com uma paródia criativa e educativa, os estudantes do 5º ano da Escola da Associação Feirense Minhas Crianças deram dicas de como se prevenir para não contrair o Covid-19. Eles compartilharam informações importantes usando como base a melodia da música “Asa Branca”.

A ludicidade sempre foi grande aliada da Educação. Ela torna mais fácil a apreensão de conteúdos. Neste caso, ela cumpre outra função de semelhante importância: aliviar a tensão do assunto e evitar a propagação de pânico entre população.

As aulas têm previsão de retorno estabelecida para o dia 2 de abril. Novas atualizações seguirão sendo publicadas no site oficial da Prefeitura e nas redes sociais da Secretaria de Educação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  •  

Orientação aos pais e alunos será realizada nesta terça-feira, 17

16/3/2020, 19:52h

A Secretaria Municipal de Educação solicita aos gestores escolares que nesta terça-feira, 17, orientem os estudantes, pais, professores, funcionários e a comunidade de modo geral sobre as medidas e os cuidados que devem ser tomados também fora da escola – evitar aglomerações, contato direto com pessoas que tenham chegado de viagem de qualquer país, outro estado ou cidade e reforçar os hábitos de higiene.

“É importante também que todos fiquem atentos às redes sociais da Seduc e ao site oficial da Prefeitura de Feira de Santana. A situação seguirá sendo acompanhada pelos órgãos públicos competentes e, caso seja necessário, vamos anunciar novas medidas”, orientou o secretário de Educação, Marcelo Neves.

As aulas na Rede Municipal de Educação de Feira de Santana foram suspensas a partir de quarta-feira, 18. A medida foi anunciada pelo prefeito Colbert Martins da Silva e pelo secretário de Educação, Marcelo Neves, na manhã desta segunda-feira, 16. As aulas foram suspensas por 15 dias, portanto, a previsão de retorno é para o dia 2 de abril.

A medida foi tomada por precaução diante do atual quadro de casos registrados do novo coronavírus, o COVID-19, em Feira de Santana e o estado de pandemia.

  •  

Prefeito suspende aulas em escolas e faculdades por 15 dias, além de outras medidas restritivas em prevenção ao Coronavírus

16/3/2020, 18:59h

Além das escolas municipais, as unidades da rede particular, bem como cursinhos e instituições de ensino superior vão suspender as aulas, em Feira de Santana, pelo período de 15 dias, a partir desta quarta-feira, 18. A decisão foi tomada hoje, 16, pelo prefeito Colbert Martins Filho, em entendimento com o Comitê de Acompanhamento das Ações de Controle do Coronavírus.

Também vão ser suspensas atividades dos equipamentos da Fundação Cultural Egberto Costa, a exemplo do Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira, Biblioteca Municipal, Teatro Margarida Ribeiro e Centro de Cultura Maestro Miro, incluindo o programa arte de Viver, que atende a mais de três mil pessoas.

Os parques José Monteiro (Parque da Cidade) e Erivaldo Cerqueira (Parque da Lagoa), vinculados a Secretaria de Serviços Públicos, serão fechados aos finais de semana, nesse período. Há, por enquanto, “recomendação” do Poder Executivo para suspensão de funcionamento dos cinemas, academias de ginástica e teatros privados, ambientes geralmente fechados.

Servidores com idade a partir de 65 anos estão dispensados do trabalho nos órgãos da Prefeitura Municipal, com exceção dos ocupantes de cargos de confiança (estes devem buscar meios de continuar em serviço, porém sem se expor a aglomerações) e os que atuam em serviços essenciais na assistência à saúde (médicos, enfermeiros, agentes de saúde, entre outros).

Fica suspensa a concessão de férias para funcionários públicos dessas áreas específicas e mais os guardas municipais, pessoal da Defesa Civil, entre outros.

Essas medidas estão sendo adotadas, conforme o prefeito – que é médico, especialista em epidemiologia e professor do curso de medicina da Universidade Estadual de Feira de Santana – em razão de o Município ter o registro de transmissão local do vírus, o que representa uma ameaça real da elevação do contágio.

“Estamos decretando a suspensão de uma série de atividades, ampliando medidas que já havíamos adotado na sexta-feira passada. Inicialmente, pelo prazo de 15 dias, podendo ser reduzido, caso as circunstâncias favoreçam, ou prorrogado, se tivermos uma pior do quadro de transmissão no nosso município e no Estado”, informa o prefeito Colbert Filho.

  •  

Prefeito decide suspender a partir de quarta-feira, por 15 dias, aulas nas escolas municipais

16/3/2020, 14:35h

O prefeito Colbert Martins da Silva e o secretário de Educação, Marcelo Neves, em entendimento com o Comitê de Acompanhamento das Ações de Controle ao Coronavírus em Feira de Santana, decidiram pela suspensão, por 15 dias, das aulas nas escolas da Rede Municipal de Educação, a partir desta quarta-feira, 18.

A previsão de retorno é para o dia 2 de abril, mas o prazo de suspensão das aulas pode ser ampliado, dependendo de como esteja a situação na cidade e no estado.

Desta forma, está também cancelada a reunião prevista para as 14h30 desta terça-feira, 17, que aconteceria no auditório da Secretaria Municipal de Saúde, entre diretores escolares.

Estes gestores, em conjunto com os professores e demais servidores das escolas, vão comunicar aos alunos e aos seus pais, sobre a medida, nesta terça, quando haverá aula normalmente.

A Administração Municipal também está recomendando as escolas da rede particular que adote a mesma medida, preventivamente.

  •  

Não há situação epidemiológica para suspensão das aulas, afirma coordenadora do Comitê Coronavírus

14/3/2020, 12:55h

Não existe, no momento, situação epidemiológica relativa ao Coronavírus que recomende a suspensão das aulas, em Feira de Santana. Esta é a posição do Comitê Municipal de Acompanhamento das Ações de Controle ao Coronavírus. O órgão é vinculado a Secretaria de Saúde do Município.

A administração municipal aguarda por orientação do Ministério da Educação sobre a possibilidade de antecipar as férias escolares em todo o país.

"A suspensão precoce das aulas pode prejudicar uma necessidade futura. Essa decisão deve ser tomada no momento epidemiológico adequado. Por enquanto não há necessidade e precisamos ter cautela ao tomar essas decisões", diz a médica Melissa Falcão, coordenadora do Comitê. A infectologista orienta que "quando houver necessidade, todas as instituições de ensino serão comunicadas".

O prefeito Colbert Martins Filho, que decretou situação de emergência em saúde pública no município, informa que escolas da rede particular e universidades ou faculdades tem autonomia para decidir sobre medidas preventivas relacionadas com a crise.

  •  

Formadores da Seduc têm capacitação sobre direitos da criança e do adolescente na área de saúde

13/3/2020, 9:45h

Ter conhecimento sobre assuntos como alterações no corpo, algumas hormonais e inerentes à adolescência, consequentes de uma gravidez nesta fase da vida, é um direito de jovens e adolescentes. Com base nesta premissa, 31 professores e professoras formadoras da Secretaria de Educação participaram de uma capacitação oferecida por profissionais que atuam no programa Saúde na Escola, iniciativa do governo federal, na manhã desta quarta-feira, 11.

A articulação entre as secretarias municipais de Educação e Saúde é parte da lista de atribuições a que os municípios devem se ater para concorrer ao Selo Unicef 2017-2020. Os formadores da Seduc serão responsáveis por compartilhar estes conhecimentos com os professores que atuam em sala de aula.

O selo é uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância, UNICEF, que busca estimular e reconhecer avanços reais e positivos na promoção, realização e garantia dos direitos de crianças e adolescentes em municípios do semiárido e da Amazônia legal brasileira.

“Queremos capacitar os professores e gestores sobre alterações hormonais nos jovens, métodos contraceptivos, IST’s, sinais e sintomas apresentados por uma criança ou adolescente vítima de violência sexual, entre outros aspectos, para que esses educadores consigam orientá-los e encaminhá-los corretamente para a rede de Saúde”, explica Nancy Oliveira, enfermeira de referência técnica do programa Saúde na Escola, do setor de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde.

Ela pontua que é preciso fazer um levantamento acerca desses conhecimentos e preencher as lacunas. “A exemplo da gravidez na adolescência: ela não é ideal para a esta fase por ser um período de crescimento; existem consequências emocionais, psicossociais, financeiras na vida de uma jovem nesta idade. É direito dela saber sobre métodos contraceptivos, conseguir identificar alterações corporais, etc”, explica a enfermeira.

Como educação sexual é um assunto que ainda gera ruídos, o cuidado ao tratar do tema também foi abordado durante a formação. “Os professores que estão na escola diariamente conhecem melhor os alunos. Eles podem e devem verificar a melhor forma de falar sobre isso com eles e com elas”, orienta.

Luscilla Lima, chefe da Divisão de Planejamento e Técnicas Pedagógicas da Seduc, foi a responsável pela organização da formação. Ela reforça que obter a certificação do selo é muito importante para Feira de Santana. “É um reconhecimento internacional. Se uma empresa multinacional deseja apoiar algum projeto social, ela vai priorizar a cidade que já tem o selo, pois sabe do seu engajamento e do desenvolvimento das políticas públicas para a criança”.

  •  

Com criatividade, alunos e professores estudam nas escolas municipais como evitar o coronavírus

10/3/2020, 19:24h

Lavar bem as mãos com água e sabão, usar álcool gel, cobrir o nariz com a parte interna do cotovelo ao espirrar ou tossir e finalmente procurar um médico caso perceba algum dos sintomas sugestivos. Estes são os principais cuidados para prevenir o contágio pelo Covid-19, conhecido como coronavírus. O tema, abordado de maneira criativa, virou assunto de aulas em diversas escolas da Rede Municipal de Educação. As orientações visam evitar o pânico e proteger a comunidade escolar – estudantes, professores, funcionários e pais.

A Escola Municipal Regina Vital, do bairro Campo Limpo, contou com o apoio da enfermeira Danielle de Almeida Oliveira Souza, que repassou com os alunos as principais informações sobre o contágio. “Trabalhamos a saúde e a higiene durante todo o ano, mas sentimos a necessidade de frisar as informações sobre o coronavírus e assumir este compromisso como escola”, argumenta a professora Indaiara Sant’Anna, diretora da escola. A ação foi tema de reportagem elaborada pela TV Subaé.

Dois casos do Covid-19 foram confirmados em Feira de Santana. Desde então, a Secretaria Municipal de Saúde criou o Comitê de Acompanhamento das Ações de Controle ao Coronavírus e está difundindo informações para toda a comunidade, ressaltando os cuidados. O mais importante é manter o ambiente da escola seguro.

“Nos unimos e buscamos palestras com profissionais da área para entender mais o assunto, já que o primeiro passo é a informação. O objetivo é saber o que é verdade e o que pode ser informação falsa disseminada. Nossos professores de ciências estão à frente das atividades e estamos orientando tanto nossos alunos quanto funcionários", destaca a professora Marta da Graça Lima, diretora do Centro Integrado de Educação Municipal Professor Joselito Falcão de Amorim, a maior escola da Rede.

Os principais sintomas do Coronavírus podem ser confundidos com gripe comum ou virose. São eles: tosse, febre, dor de garganta, nariz entupido e pode ocorrer falta de ar. É importante que, ao apresentar qualquer sintoma, a pessoa procure um posto de saúde.

Evitar o pânico a partir da disseminação da boa informação foi também a bandeira da Escola Municipal Adenil da Costa Falcão, no bairro Brasília. “Decidimos falar sobre a prevenção nas salas de aulas, destacando a maneira correta de lavar as mãos e os demais cuidados para evitar a contaminação. Esta é uma grande oportunidade para aprendermos mais sobre higiene e limitar o número de doenças no geral, não apenas o risco do coronavírus”, ressalta a professora Geruza Ferreira Ribeiro de Souza, diretora da escola.

O conhecimento assimilado nas atividades foi posto em prática pelos estudantes do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos do Centro de Educação Monteiro Lobato, bairro Capuchinhos.

Além da apresentação e debate sobre os dados a respeito do Covid-19, os alunos responderam a um questionário sobre o tema, resolveram um caça-palavras sobre os sintomas e também elaboraram cartazes para conscientização da comunidade escolar. O Brasil é um dos 107 países com casos confirmados do Coronavirús. A maior parte dos infectados estão na China, seguidos pelos seguintes países: Itália, Irã, Coreia do Sul e Espanha, nesta ordem. No Brasil, até o momento 31 casos foram confirmados.

  •  

Mais da metade das escolas da Rede Municipal já recebeu fardamento

10/3/2020, 8:31h

O fardamento escolar já foi entregue em mais da metade das escolas que compõem a Rede Municipal de Educação: até esta segunda-feira, 9,  110 unidades de ensino receberam os itens. Desde o início do ano letivo, a Secretaria de Educação está fazendo um mutirão para distribuir todos os materiais, dentre os quais, o kit do aluno, material de apoio para diretores e professores e agora, fardamento.

A distribuição da farda começou há pouco mais de uma semana por que só pode ser feita com as informações que são disponibilizadas pelos gestores escolares no Sistema Integrado de Educação, como a quantidade de alunos por turmas, idade e o tamanho das peças de roupa de cada estudante: no geral, camiseta, short e calça.

Por isso mesmo, a Seduc reforça a necessidade de disponibilizar essas características dos estudantes no Sistema no mais breve espaço de tempo. Estes dados são extremamente importantes para que o fardamento seja distribuído de forma mais precisa e eficiente.

Todas as 206 escolas da Rede Municipal de Educação já receberam os kits destinados aos alunos – composto por itens como lápis, cadernos, esquadros, compassos, lápis de cor, entre outros que variam de acordo com a idade de cada um e a modalidade em que estudam. Neste caso, o processo de entrega direta aos estudantes está sendo feito pelos diretores escolares.

  •  

Dia da Mulher fomenta discussões sobre empoderamento feminino nas escolas municipais

10/3/2020, 8:16h

A força e o empoderamento feminino foram os principais temas das discussões que marcaram o Dia da Mulher nas escolas da Rede Municipal de Educação, transcorrido este domingo, 8. Na última semana, estudantes, professores e a comunidade realizaram várias atividades em torno das vivências femininas.

Na última sexta-feira, 6, as mães e responsáveis pelas crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Irma Rosa de Lima Caribé Amorim, do bairro Santo Antonio dos Prazeres, debateram a valorização da mulher e o resgate da autoestima. Elas foram acolhidas com uma apresentação cultural e contaram com a palestra da professora Neumam Ribeiro de Brito que abordou o tema “Mulher: força, emoção, ação”. Neuman já foi integrante da Rede e agora está aposentada.

Figuras femininas importantes como Malala, Irmā Dulce, Dandara, Maria da Penha e Frida Kahlo foram representadas pelas professoras da Escola Municipal Adenil da Costa Falcão, do bairro Brasília, na homenagem às mães, responsáveis e funcionárias da unidade de ensino. A ideia foi trazer para o evento mulheres responsáveis por diversas transformações em vários países.

Já na Escola Municipal Dr. Clóvis Ramos de Lima, Parque Ipê, os estudantes do 7º ano discutiram o “Empoderamento Feminino a partir do estudo da biografia e obras da escritora Carolina Maria de Jesus”, uma das primeiras escritoras negras do Brasil. A atividade foi realizada na aula de Língua Portuguesa.

“Ela foi um exemplo de superação e de resistência. Carolina deixou um legado para toda mulher: independentemente de nossa situação social precisamos lutar por um lugar melhor, por sermos ouvidas, lutar para realizar nossos sonhos e desejos. Foi maravilhoso o envolvimento da turma com a literatura afrobrasileira. É de fato algo que precisamos levar para nossas aulas”, destaca a professora Cláudia Gomes, responsável pela atividade.

“Mulheres que compõem histórias” foi o tema escolhido na Escola Municipal Padre Giovanni Ciresola. O objetivo é levar para as salas de aula e para toda a comunidade escolar reflexões a respeito do papel da mulher na sociedade, as conquistas e a vida de cada uma que contribuiu para uma vivência mais igualitária.

  •