SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Dois ônibus de transporte escolar foram assaltados somente esta semana

1/6/2019, 11:21h

Os alunos da rede municipal de educação que utilizam o transporte escolar estão sendo alvos de constantes assaltos em Feira de Santana. Somente esta semana, duas ocorrências foram registradas na zona rural, e resultaram em momentos de pânico e medo entre os estudantes. 

A primeira aconteceu no distrito de Jaíba, na localidade Lagoa das Pedras. O outro assalto ocorreu na Estrada do 13, que liga o povoado do Alecrim Miudo a sede do distrito da Matinha. Os estudantes, que fazem parte do EJA - modalidade de ensino para jovens e adultos - tiveram prejuízos com a subtração de pertences pessoais como celulares e relógios. 

A empresa terceirizada que presta serviço ao Município registrou as ocorrências na Polícia Civil. A Prefeitura também está cobrando providências junto a Secretaria Estadual de Segurança Pública. 

  •  

Proposta Curricular da Rede Municipal de Educação será entregue nesta segunda-feira

1/6/2019, 8:55h

Após ampla construção democrática e colaborativa, será lançada nesta segunda-feira, 3, às 14h30min, a Proposta Curricular para a Rede Municipal de Educação. O evento, que acontece no Teatro Margarida Ribeiro, marca a entrega da versão final do documento, que será apresentado às escolas e à comunidade.

Vão participar da solenidade gestores, coordenadores pedagógicos, autoridades, professores que colaboraram com o documento, parceiros e a imprensa. A proposta será apresentada em formato físico e de livro virtual (e-book), que visa facilitar o acesso dos profissionais da educação ao documento.

A “Proposta Curricular do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Educação: diálogos em construção...” foi elaborada por diferentes sujeitos para nortear a organização curricular teórica e metodológica das escolas municipais. Trata-se de um instrumento orientador da atividade pedagógica e, como tal, deve nortear o trabalho dos professores e professoras da Rede. Em todo o processo de construção, foram ouvidos professores, estudantes, pais e representantes de movimentos sociais.

“A Proposta Curricular foi construída a partir de várias mãos. Num primeiro momento, realizamos uma escuta daqueles que compõem a educação municipal; depois os próprios professores das diversas áreas do conhecimento se dedicaram à pesquisa e à escrita do documento. Finalizamos entregando um documento com o olhar da nossa Rede Municipal, com dados que foram coletados a partir da colaboração destes sujeitos”, destaca a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

“Os professores reconhecem a importância do documento escrito, mas principalmente, reconhecem o seu papel na construção do currículo que é vivenciado no chão da escola. Este é um momento de gratidão e de realização para todos nós que estivemos envolvidos em várias etapas do processo”, comemora a professora Simone Dias, coordenadoras do GCEF – Grupo do Currículo do Ensino Fundamental da Secretaria Municipal de Educação.

A elaboração da Proposta Curricular do Ensino Fundamental atende ao propósito estabelecido pelo prefeito Colbert Martins Filho, com o objetivo de melhorar a qualidade da educação no município.

  •  

Festividades locais são tema do "Feira Que Te Quero Ver" 2019

31/5/2019, 15:13h

A quarta edição do “Feira Que Te Quero Ver” já tem tema definido – “Cultura popular: festividades locais”. Na tarde desta quarta-feira, 29, durante encontro realizado na sede da Secretaria Municipal de Educação, a escolha foi anunciada a representantes das 30 escolas municipais que vão participar do projeto este ano. Esta foi a primeira reunião para debater o regulamento do programa, além de apresentar as novidades pensadas para ele.

A culminância deve ocorrer em novembro. Até lá, os estudantes participarão de oficinas de produção de vídeos, de edição de imagens e de elaboração de e-books, para apropriação de técnicas básicas e produção posterior de seus materiais, os quais serão submetidos à votação e avaliação de jurados. As oficinas serão realizadas nas próprias escolas.

Com o novo tema, a equipe que coordena o programa busca aproximar a comunidade estudantil dos momentos festivos marcantes de Feira de Santana e de sua riqueza cultural, além de rememorar eventos que ficaram registrados na história do município. Cada escola pode inscrever até 40 estudantes de turmas diferentes; cada equipe deverá ter três coordenadores.

O “Feira Que Te Quero Ver” visa promover a difusão do patrimônio histórico-cultural do município a partir do estudo dirigido e da visitação de estudantes e professores aos bairros, distritos e entornos das escolas, além de incentivar o uso da tecnologia a favor da educação.

O número de escolas participantes neste ano é maior devido à municipalização de cinco escolas estaduais, as quais passam a integrar o projeto. Outra novidade será a realização das atividades – pesquisa e elaboração dos produtos – dentro da própria escola, o que deve potencializar o uso da tecnologia nas pesquisas.

"Neste ano, os estudantes dedicarão mais tempo à pesquisa, tanto em livros, quanto na Internet, o que se enquadra com a nossa proposta inicial, que é fazer dessas ferramentas tecnológicas um instrumento pedagógico”, destaca a professora Luíza Selis, chefe do Núcleo de Tecnologias da Seduc e uma das coordenadoras do programa. Ivamara Bastos, chefe da Divisão de Ensino Fundamental, e Geórgia Kaline Matos, do Grupo de Gestão e Mediação, também coordenam a iniciativa.

A professora Jozelia Araujo, diretora do Departamento de Ensino da Seduc, enfatizou a importância da iniciativa do Governo do Prefeito Colbert Martins Filho na vida dos estudantes e celebrou a longevidade que ela vem alcançando. “É um projeto que eu, particularmente, tenho orgulho. Ele cumpre um objetivo fundamental, que é tratar de fatos históricos locais com sua devida importância. Ele consegue o envolvimento desses estudantes, desperta sua curiosidade e também o interesse da comunidade ao redor. Então, ele vai além, extrapola nossas expectativas”, ressalta a diretora.

  •  

Dia B contou com adesão de 27 instituições externas à Rede Municipal

31/5/2019, 15:9h

Além das escolas municipais, um total de 27 instituições diversas participaram da mobilização pelo Dia B, promovido pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação, na última terça-feira, 28. Foi a primeira vez que duas dessas organizações aderiram ao movimento: são elas o Condomínio Verde Ville, no bairro Alto do Papagaio, e o Centro de Reforço Escolar Mentor.

Ao todo, foram 19 escolas privadas: o Colégio Maia, Colégio Santo Antônio, Colégio Lírio dos Vales, Casa Amarela Escola para Pequeninos, Escola Vinícius de Moraes, Escola Rubem Alves, Escola Juscelino Kubitschek, Escola Criativa, Amor Coruja Creche Escola, Colégio Civilização, Colégio Padre Ovídio, Escola Despertar, Prime Creche Escola, Creche Escola Catavento, Creche Escola Shalom Kids, Escola João Paulo I, Centro Educacional Pró Infância, Creche Primeiros Passos e Colégio Sistêmico.

Dentre as demais instituições participantes estão a brinquedoteca da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), o grupo de terapia e arte Yoga do Riso, o Centro Interprofissional de Apoio Educacional Marliete Santana Bastos (InterEduc), Espaço Pedagógico Joy Club, Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e o Hospital Estadual da Criança (HEC).

Também houve novidades dentro da própria Rede Municipal de Educação. Foi a primeira vez que as unidades de ensino incorporaram turmas da Educação de Jovens e Adultos à mobilização do Dia B. Foram elas: as escolas Doutor João Duarte Guimarães, do distrito de Humildes, Escola Municipal Izidro Alves de Jesus, de Matinha, e Escola Municipal Manoel Cundes Ferreira, de Maria Quitéria.

Para Darlene Lima, professora que integra a equipe técnica da Divisão de Educação Infantil da Seduc, a adesão de tantas instituições é gratificante. “Recebemos muitas avaliações positivas. Isso é uma forma de validação e de reconhecimento da importância do brincar em nossas vidas, o que reforça também o quão fundamental é este dia”, destaca.

  •  

Dia B relembra que brincadeira é para todas as idades

31/5/2019, 11:28h

Quem pensa que brincar é coisa de criança ainda não conhece a proposta do Dia B. Em sua quarta edição, com o tema “O brincar que abraça a diferença”, as diferenças de idade também foram deixadas de lado. Na última terça-feira, 28, escolas das redes municipal e privada, além de diversas outras instituições promoveram atividades para enfatizar a importância da brincadeira na vida das crianças, adolescentes e até mesmo adultos. As atividades movimentaram o Dia do Brincar que em Feira de Santana foi mobilizado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação.

No Centro de Educação Monteiro Lobato, do bairro Capuchinhos, a programação começou cedo envolvendo os estudantes do Ensino Fundamental. Logo que chegaram, já se depararam com diversos espaços reservados para a brincadeira. Para a alegria de Stefane Souza Sobral , de 8 anos e aluna do 3º ano, já havia um pula-pula à sua espera. “É o que eu mais gosto!”, disse entusiasmada. Já o estande de fantasias arrancou sorrisos de Isabela Sacramento, da mesma idade e série da colega. “Vou escolher a de princesa ou a da Mulher Maravilha!”, enfatizou.

E neste ano, as turmas de Ensino Fundamental II e da Educação de Jovens e Adultos foram incluídas na programação da unidade de ensino pela primeira vez. Pela tarde, os estudantes do 6º ao 9º ano participaram de uma gincana colaborativa, que incentivava a cooperação entre os colegas ao invés da competição, além de baleado com bexigas d’água e muito mais. À noite, os alunos da EJA se divertiram com brincadeiras que resgatam as memórias da sua infância.

“O brincar está em todas as áreas e idades, mas cada grupo tem suas especificidades. Na Educação Infantil, buscam-se opções que não ofereçam risco de crianças se machucarem. Para o Ensino Fundamental, estimulamos mais a movimentação física, a exemplo do pula-pula; e o raciocínio, no caso da gincana, que são jogos de perguntas e respostas”, explicou a diretora da unidade de ensino, professora Claudine Cordeiro.

Na Escola Municipal Arthur Martins da Silva, do bairro Asa Branca, uma brincadeira diferente fez parte da programação do dia: a saia de história. Uma longa saia foi depositada em uma caixa no centro da sala do 1º ano. Quem a vestisse deveria contar uma história, lida ou até mesmo inventada. A mobilização por lá também foi marcada por uma festa simbólica em que foi celebrado o aniversário de 45 anos da escola.

A proposta do Dia B, que em Feira de Santana é fomentada pelo Governo do prefeito Colbert Martins Filho, é fomentar durante todo o dia a prática livre do brincar, para vivenciar a integração da cultura de sua época com a de outras, em contato com brincadeiras individuais, coletivas, cantadas e muitas outras. O brincar proporciona vantagens como a diversão, a educação, o aumento da concentração, da criatividade, exploração e convivência.

Comemorado em mais de 40 países, o “World Play Day” é um evento conhecido como Dia Internacional do Brincar ou Dia Mundial do Brincar. Na data, as instituições e profissionais que trabalham com a Educação Infantil lembram que o brincar é um direito – artigo 31º da Convenção sobre os Direitos da Criança das Nações Unidas – e ainda uma alegria essencial para pessoas de todas as idades.

  •  

O brincar que abraça a diferença: a experiência do Dia B

29/5/2019, 9:46h

O direito ao brincar é garantido por lei a todas as crianças. E justamente para reforçar a importância da inclusão no Dia Mundial do Brincar, celebrado esta terça-feira, 28, a Secretaria Municipal de Educação abordou o tema “O brincar que abraça a diferença” na quarta edição do Dia B em Feira de Santana. A iniciativa envolveu crianças, adolescentes, professores e outros profissionais de escolas públicas municipais e instituições privadas.

De acordo com o artigo 16 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), “o direito à liberdade compreende os seguintes aspectos: [...]brincar, praticar esportes e divertir-se”. Na Escola Municipal João Paulo II, da Associação Nacional de Instrução, do bairro Queimadinha, o objetivo do Dia B foi incentivar entre as crianças brincadeiras inclusivas, como o “futebol às cegas”.

As crianças foram vendadas para simular a experiência vivida pelas pessoas com deficiência visual; uma bola com guizo – que sinaliza através do som seu deslocamento – permitiu aos alunos o exercício no “futebol às cegas”.

“Já tivemos alunos deficientes visuais na escola e achamos importante mostrar a todos como funciona uma proposta de educação inclusiva. Desta forma, eles vivenciam o que o outro sente. Sempre promovemos brincadeiras sem separação de grupos e os alunos se incluem muito bem”, destaca a diretora da escola, a professora Ana Célia Dantas Tanure.

“A gente tem que prestar muita atenção, usar a audição ao máximo e ficar atento para encontrarmos a bola, acabamos usando mais os outros sentidos quando não podemos usar a visão”, relata Kaue Walace Dias Albuquerque, de 10 anos. “Foi o meu primeiro Dia B e achei muito bom”.

A inclusão dos pais e responsáveis

Um dos pontos abordados pela Divisão de Educação Infantil foi a importância do brincar para todas as idades. Pensando nisso, a Creche Escola Municipal Professora Dalva Suzart Gomes, do bairro Papagaio, promoveu um Dia B com a presença de pais e responsáveis. Desde o dia 20 de maio, a unidade de ensino propõe atividades com a participação das crianças e adultos da comunidade.

“O brincar é essencial na vida das pessoas. Quando reunimos os pais, responsáveis e os alunos, reforçamos laços afetivos entre eles e incentivamos para que esses adultos não esqueçam da importância da diversão na vida das suas crianças”, defende a diretora  da creche, a professora Marina Guimarães dos Santos.

As crianças ficaram satisfeitas com a participação. “Na semana passada, meu pai esteve aqui e brincou de peteca comigo, eu achei muito legal poder brincar com meus coleguinhas e com ele”, conta José Miguel Marques Vieira, de quatro anos. 

  •  

Pais elegem novos representantes para o Conselho do Fundeb

28/5/2019, 11:15h

Acreditar na educação é quase uma vocação para Tarcila Souza Ferreira de Oliveira. A crença é maior ainda quando se trata da educação pública. Ela própria, fruto destas escolas, tirou seu filho, João Miguel Ferreira de Oliveira, da rede particular e o matriculou na municipal de Feira de Santana; uma decisão da qual não se arrepende. “Não tiro de lá nunca mais!”, diz a mãe. Atualmente, João é aluno do 3º ano da Escola Municipal Doutor Rubens Carvalho, do bairro Pampalona.

Na manhã de sexta-feira, 24, ela deu um passo a mais no zelo que se compromete a ter com a educação: foi uma das duas eleitas em assembleia como representante dos pais no Conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, Fundeb, do município. “Eu venho da rede pública e quero cuidar dela. Quero o melhor para o meu filho, para mim e para os outros pais”, declarou.

A assembleia foi realizada na sede da Secretaria Municipal de Educação. Liliane das Virgens Moreira foi a segunda eleita na votação e vai ocupar uma vaga também como titular.

Ela tem cinco filhos, dentre os quais, três estudam na Rede Municipal de Educação. “Gosto de participar, conversar e me envolver; quero ajudar a melhorar a educação. Ela é a fonte de tudo!”, enfatizou. José Carlos dos Santos e Márcia Maria Santana foram eleitos suplentes.

Todos eles iniciam sua participação no Conselho do Fundeb de Feira de Santana no próximo dia 14 de junho, que é quando se encerra a gestão dos atuais conselheiros. Os novos ficarão no posto até a mesma data de 2021.

O Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb é um colegiado, cuja função principal, segundo o art. 24 da Lei nº 11.494/2007, é proceder ao acompanhamento e controle social sobre a distribuição, a transferência e a aplicação dos recursos do Fundo. Em Feira de Santana, uma das metas do Governo do prefeito Colbert Martins Filho é priorizar os investimentos em Educação.

  •  

Evento da Escola Regina Vital incentiva participação da família no processo educacional dos alunos

23/5/2019, 18:14h

Criar possibilidades dentro do espaço escolar para que haja uma efetiva participação dos pais no processo educacional de seus filhos. Este foi o principal objetivo do IV Encontro da Família na Escola, que reuniu toda a comunidade no espaço da Escola Municipal Regina Vital, do bairro Campo Limpo, na última sexta-feira.

Este é um momento tradicional da unidade de ensino em que os pais são apresentados ao funcionamento da escola. Além de assistir a uma palestra com o tema “Mãos que constroem”, eles tiveram acesso a atendimento psicológico, clínicos gerais e enfermeiras, fisioterapeuta, educador físico, teste de glicemia, aferição de pressão e muito mais.

  •  

Desconto salarial determinado pela justiça para professor que participou de greve é complementado na folha de maio

22/5/2019, 19:0h

Não houve um “segundo corte” no salário dos professores, afirma a secretária de Educação do Município, Jayana Ribeiro, sobre reclamação da APLB. A entidade e alguns docentes da rede municipal que participaram da greve que paralisou as aulas por 15 dias, entre os meses de março e abril, assim interpretaram um novo desconto no contra-cheque do salário de maio. 

O contra-cheque já está disponível no portal da Prefeitura de Feira de Santana, embora o pagamento da folha esteja previsto para o dia 31 deste mês. A secretária explica que o desconto efetuado no salário de abril diz respeito a 11 dos 15 dias de paralisação. Os outros quatro dias estão sendo descontados do salário de maio.

Foi necessário dividir a penalidade em dois meses porque quando a folha de abril foi preparada a greve ainda não havia terminado. A medida foi adotada em cumprimento de decisão judicial. A Justiça considerou a greve ilegal e determinou o desconto dos dias parados. “Portanto, não existe nenhum professor sofrendo desconto indevido, ou em duplicidade”, afirma a secretária.

A APLB reclama também que uma parte dos professores teria recebido de volta o valor descontado em abril, e outra não. Mas esta informação também não procede. “Absolutamente, não houve isto. Todos os professores que faltaram a 15 dias de aula tiveram redução proporcional em seus salários, conforme determinou o Poder Judiciário”, diz Jayana.

O que houve, esclarece ela, foi reembolso a alguns professores, quantidade bem menor que 121, que provaram ter ocorrido erro no desconto, envolvendo profissionais que, efetivamente, não participaram da greve. “Corrigimos esse lapso, pois o nosso interesse não é o de prejudicar ou ser injusto com os nossos professores”.

Quanto a reivindicação de reembolso desses valores em vista de que foi definido um calendário de reposição de aulas, a posição da Prefeitura, reitera a secretária, é de “cumprir a decisão judicial”. A Procuradoria Geral do Município entende que “a reposição é obrigatória  para o cumprimento do calendário letivo, mas uma vez a greve tendo sido considerada ilegal, não existe dívida do Município com os professores em razão disso”.

  •  

Pais podem acompanhar on line desempenho escolar dos filhos

20/5/2019, 8:12h

Ferramenta on line, oferecida pela Secretaria de Educação de Feira de Santana, permite que pais e responsáveis acompanhem pela internet a vida escolar dos seus filhos, como notas e frequência.

Para tanto, ao interessado basta se cadastrar no Portal do Aluno no link Sempre Junto. Deve digitar os nomes do aluno e da mãe, mais a data do nascimento.

O acompanhamento à distância, entretanto, não deve ser usada como substituto das visitas às unidades escolares, para que pais e responsáveis não enfraqueçam os vínculos com a escola.

A avaliação da vida escolar dos filhos – se as notas boas ou o desempenho está sendo insatisfatório, está a um acesso à internet – www.feiradesantana.ba.gov.br.

A ferramenta também pode ser uma boa alternativa para aproximar os pais das escolas, porque os boletins tradicionais são entregues nas reuniões, mas nem sempre estes participam destes encontros.

E apenas nestes encontros é que eles ficam sabendo das dificuldades enfrentadas pelos filhos ou que eles não estão frequentando as escolas como deveriam, mesmo que saiam das suas casas com este objetivo.

  •