FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, TELECOMUNICAÇÃO E CULTURA EGBERTO TAVARES COSTA

Escola que não dispõe de espaço para esportes utiliza praça do CEU na Cidade Nova

18/10/2018, 14:9h

Uma parceria entre o CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados) do bairro Cidade Nova e a Escola Municipal Professora Olga Noemia de Freitas Guimarães vem proporcionando aos alunos a oportunidade de desfrutar de um espaço completo para práticas esportivas e momentos de entretenimento. Além do equipamento físico, os estudantes também são monitorados pelos profissionais do CEU.

“Como nossa escola está atualmente sem um local adequado para atividades físicas, é muito bom sermos acolhidos aqui na praça. As crianças precisam de um ambiente para praticar um exercício físico, e é muito proveitoso fazer isso com o auxílio de professores formados nessa área, presentes aqui no CEU”, explica a professora Larissa Nogueira.

Biblioteca e Cineteatro utilizados didaticamente

E a oferta se estende para além das atividades desportivas. Os alunos têm acesso a todas as áreas disponíveis na praça CEU, o que é aproveitado didaticamente pelos professores. “Temos atividades bem interessantes na biblioteca e no cineteatro. Elas interferem nas atividades desenvolvidas em sala de aula, é um complemento. Os alunos têm acesso aos livros e diversos outros materiais, o que enriquece o nosso trabalho”, relata a professora Hanna Andrade.

"Tem como a gente brincar mais", diz aluna

Letícia Santos (foto), aluna do 5º ano, traduz bem o sentimento de todos os estudantes diante da possibilidade de usufruírem de um espaço como a Praça do CEU. “Acho essas atividades bem legais, é um jeito da gente sair da sala de aula. Um lugar diferente porque tem mais espaço e tem como a gente brincar mais”, conta.

Programação ampliada por conta do Dia das Crianças

A visita dos alunos ocorre durante toda semana, e nos últimos dias eles estão aproveitando uma programação especial alusiva ao Dia das Crianças. Foram desenvolvidos jogos recreativos durante toda a manhã desta terça-feira, 16, e à tarde foram feitas dobraduras em papel e materiais recicláveis.

A programação especial se estende até a próxima sexta-feira, 19, e contará com atividades como contação de histórias, torneio de futsal, entre outras. 

  •  

Professora do Programa Arte de Viver é homenageada com Comenda Maria Quitéria

15/10/2018, 18:21h

A musicista e professora do Programa Arte de Viver, Juscélia Figueiredo da Silva, conhecida como Celiah Zaiin, foi homenageada com a Comenda Maria Quitéria pela Câmara Municipal de Feira de Santana, na última quarta-feira, 10. A iniciativa foi resultado de um decreto legislativo do vereador Luiz Augusto de Jesus, o Lulinha. 

O presidente do legislativo feirense, José Carneiro Rocha, conduziu a sessão compondo a Mesa de Honra ao lado de Paulo Aquino, secretário Municipal de Governo; do Magnífico Reitor da Uefs, professor Evandro do Nascimento Silva; do senhor José Olegário Teles da Silva, pai da homenageada e da homenageada.  A solenidade foi prestigiada por vereadores, familiares e amigos de Celiah Zaiin.

Sobre a homenageada

Celiah nasceu no dia 16 de fevereiro de 1970 neste município. É filha da senhora Julieta Figueirêdo da Silva e do senhor José Olegário Teles da Silva e tem como irmãos o senhor José Júlio Figueirêdo da Silva e as senhoras Julieta Jovem Figueirêdo da Silva, Joselina Áurea Figueirêdo da Silva, Joélia Joel Figueirêdo da Silva e Jucélia Magna Figueirêdo da Silva.

É licenciada em Música pela Universidade Federal da Bahia (1996), além de possuir o magistério pelo Instituto de Educação Gastão Guimarães (1988), a conclusão do curso de Teoria e Percepção Musical pela Universidade Estadual de Feira de Santana (1985 a 1988), entre outros. Também possui certificados como orientadora da área de canto coral e coordenadora do projeto “Cantando na Escola” (2014) e ministra da oficina de canto/coral do Centro de Cultura Maestro Miro.

Desde 2012 Celiah passou a entoar o “Hino à Feira”, o “Hino Nacional” e o “Hino ao 2 de Julho” vestida de Maria Quitéria, à pedido da diretora do Departamento de Turismo, Graça Cordeiro, para atender aos eventos turísticos da Secretaria de Trabalho,Turismo e Desenvolvimento Econômico. Na área da educação e formação de novos músicos, Celiah Zaiin fundou os corais de crianças e adolescentes dos distritos dentro do programa Peti Cultural, da Secretaria de Desenvolvimento Social. Fundou o projeto Cantando na Escola, da Secretaria de Educação e o Coral Seduc.

Características semelhantes a heroína Maria Quitéria

O vereador Lulinha destacou as semelhanças entre a homenageada e a heroína Maria Quitéria. “Trata-se de uma pessoa com características semelhantes as da heroína que lutou na guerra da Independência da Bahia, tais como lutadora, dinâmica e batalhadora. Não podendo esquecer que no ano de 2015 tivemos o orgulho de homenageá-la também com a Comenda Godofredo Rebello de Figueiredo Filho. Parabéns amiga! Tenho a convicção de que suas atribuições não estão de acordo com quaisquer críticas em seu desfavor seja como ser humano ou profissional”, elogiou.

Sugerir criação da Comenda Maria Quitéria em todas as câmaras municipais da Bahia

Célia Zaiin se referiu a Maria Quitéria como “a mulher que viu na guerra uma oportunidade de vida”. E revelou que o seu objetivo é que essa comenda seja levada para outros municípios. "Me comprometi em visitar todas as Câmaras Municipais da Bahia e depois do Brasil, para que se instale a comenda Maria Quitéria. É necessário lutar pela preservação da nossa história”, afirmou.

  •  

Mulheres em tratamento contra o câncer encontram estímulo e apoio nas Praças do CEU

11/10/2018, 15:30h

Interação social, hábitos saudáveis e auto-estima elevada são fatores fundamentais para a qualidade de vida de qualquer pessoa e indispensáveis para quem está encarando um tratamento contra o câncer. Neste sentido, as praças do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) estão desenvolvendo atividades voltadas especialmente a mulheres que estão realizando tratamento contra o câncer de mama. A iniciativa faz parte do Outubro Rosa.  

Nos equipamentos são realizadas várias atividades, como  oficinas culturais do programa Arte de Viver, aulas de ginástica localizada, palestras, entre outras. As praças CEUs também fazem o intermédio para o acompanhamento com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de cada bairro. O objetivo é ajudar a mulher a se restabelecer na sociedade. 

“O CRAS tem um papel social de acompanhar as famílias e direcionar no que é necessário para a manutenção desta, garantindo a interação com a comunidade. Com isso a gente apresenta as atividades genuínas da praça, onde temos uma equipe formada para prestar serviços para este público do CRAS e CEU”, informa Lay Ribeiro, coordenadora do CEU Cidade Nova.

Esqueço tudo quando estou no CEU, diz Luciene

Uma das alunas do CEU Aviário, Luciene da Cruz (foto), 50, foi diagnosticada com câncer de mama recentemente. Ela diz que o apoio que recebe dos professores e colegas no CEU tem sido importante para sua recuperação. “Depois que comecei a fazer as atividades físicas, mesmo que esteja sentindo dor, chego aqui passa tudo, melhora minha autoestima e nem lembro do meu problema. Esqueço que estou de lenço, de chapéu, esqueço tudo. E as pessoas também são acolhedoras, as professoras são excelentes”, conta a aluna.

Luciana destaca importância do acolhimento humano

Depois de passar por dois diagnósticos, Luciana de Castro (foto) se mudou para Feira de Santana. E descobriu no CEU Cidade Nova a importância do acolhimento humano para quem está enfrentando o câncer. “Estou aqui quase todos os dias. Venho e elimino o estresse. Se as pessoas tivessem noção da riqueza que é você ter esse contato, poder conversar, rir. Temos que aprender, e eu aprendi”, relata.

Trabalhar o pensamento positivo

A coordenadora do CEU Cidade Nova, Lay Ribeiro, explica que o maior desafio é trabalhar o pensamento positivo entre as mulheres diagnosticadas. “Estamos sempre reafirmando que o CEU está sempre de portas abertas esperando que elas venham fazer as atividades físicas e das oficinas, para melhorar o seu dia a dia e superar qualquer situação negativa. É uma conexão que tem dado resultado”, explica.

As atividades nas praças do CEU, alusivas ao Outubro Rosa, seguem durante todo esse mês. 

  •  

Estudantes norte-americanos se surpreendem com o planetário do Museu Parque do Saber

11/10/2018, 11:30h

Em visita à Feira de Santana, através da Faculdade Adventista da Bahia, situada em Cachoeira, intercambistas norte-americanos conheceram o planetário do Museu Parque do Saber Dival da Silva Pitombo, na última segunda-feira, 8. Os estudantes se surpreenderam com a qualidade e tecnologia do equipamento ZKP4 Quinto.

Eles integram um grupo de estudantes de várias universidades dos Estados Unidos que estão no Brasil, há aproximadamente um mês, para aprenderem a língua portuguesa. Por intermédio do professor e coordenador dos cursos de línguas da Faculdade Adventista, Jean Magno R. do Ouro, os alunos tiraram suas dúvidas sobre o ZKP4Quinto e suas funções, e em seguida assistiram a um filme, no planetário.

O professor explica que para que conheçam outras línguas, também precisam entender a civilização. "Visitas como esta servem justamente para que participem da nossa cultura e a compreendam", ressalta. Engenheiro e apaixonado por tecnologia, Jean Magno observa que um equipamento como o ZKP4 Quinto é um motivo de orgulho. “É importante mostrar que nós, brasileiros, temos nossas limitações mas também temos nossas tecnologias que são bastante diferenciadas”, completa.

Os estudantes vieram de estados diferentes dos EUA. Dois deles vieram de uma faculdade que fica no Tennessee, um deles vem de uma instituição que fica no Míchigan, e outro que veio de uma faculdade no Alabama. A Adventista trouxe um grupo com quatro alunos de diferentes cursos: pedagogia, computação, medicina e enfermagem.

Maria Barrios destaca sensação de realidade proporcionada ao espectador

A estudante de medicina, Maria José Barrios (foto), 21 anos, fluente no espanhol, destaca a sensação de realidade que é proporcionada pelo planetário. “Já conheci um lugar quase igual, mas não com tanta tecnologia e realidade. Gostei muito do início, a lua, o sol, as estrelas. Foi muito real”, pondera.

“A parte técnica eu também apreciei bastante. É muito real a forma da amostragem dos corpos celestes. Tive a sensação de como se eu estivesse do lado de fora, olhando para um céu limpo”, conclui.

Os estudantes americanos assistiram ao filme "Kaluoka’hina: o recife encantado", juntamente com estudantes agendados, da Escola Municipal Amenaide de Carvalho, situada na cidade de Santo Estevão.

  •  

Fundação Egberto Costa apoia o FENATIFS

9/10/2018, 9:35h

O Festival Nacional de Teatro Infantil de Feira de Santana (FENATIFS), evento que está sendo realizado pela 11ª vez, conta este ano com o apoio da Fundação Municipal de Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Cultura Egberto costa (FUNTITEC). A programação foi aberta no dia 1º e segue até o dia 11 deste mês.

A FUNTITEC está disponibilizando equipamentos de som para apresentações de espetáculos na Praça Froes da Mota, um dos palcos do Festival. "A Fundação tem a finalidade de fomentar a cultura e a arte em Feira de Santana. Por isso consideramos fundamental estimular eventos como este no município", observa o presidente da FUNTITEC, Antônio Carlos Coelho.

A primeira atração do espaço foi o espetáculo circense Misturaê, da Cia Cuca de Teatro. Com números de contorcionismo, equilibrismo, e acrobacias, a apresentação encantou o público, formado majoritariamente por alunos da Escola Maria Quitéria.  

“A praça já faz parte da nossa escola. É como se fosse o quintal. Então, trabalhar dentro da praça é importantíssimo para os alunos, porque tem a questão histórica, tanto do casarão como da nossa própria escola que é centenária. Trabalhar neste local é unir o útil ao agradável”, revelou a professora da Escola Maria Quitéria, Jordana Menezes Mascarenhas.

Coordenadora da Cia Cuca de Teatro destaca importância do apoio

Para a coordenadora do grupo Cia Cuca de Teatro, Elizete Desteffani (foto), todo apoio que seja dado é muito bem-vindo para que a arte continue transformando a sociedade e a vida dos cidadãos. “A arte agrega pessoas e faz com que elas saiam da sua rotina, para poder vivenciar um momento lúdico, que faz elas pensarem que o mundo não é só dor, a vida não é só sofrimento”, completou a coordenadora.

  •  

Circuito Belgo Bekaert leva espetáculo teatral para o CEU Cidade Nova, neste sábado

5/10/2018, 16:19h

O Circuito Cultural Belgo Bekaert abre a programação de outubro com o espetáculo “A festa do pijama”, neste sábado dia 6, às 16h, no Centro de Esportes e Artes Unificados - CEU Cidade Nova, em Feira de Santana. Nos sábados seguintes, o Circuito apresenta os espetáculos “O Nariz do Poeta” (dia 13), “Música para brincar” (dia 20) e Rock in Family (dia 27), sempre às 16 horas, no CEU Cidade Nova. Neste mês, em homenagem ao Dia das Crianças, a programação do projeto inclui atrações todos os sábados. Todas as apresentações são abertas ao público e com entrada gratuita.

A temporada 2018 do Circuito Cultural Belgo Bekaert segue até o fim de novembro. A programação é composta por peças de grupos teatrais locais e nacionais de referência, espetáculos premiados em festivais, adaptações de clássicos do universo infantil, montagens com conteúdo educativo e musicais que agradam ao público de todas as idades mesmo sendo voltados para crianças.

Sobre o espetáculo

“A Festa do Pijama”, encenada pelo Grupo Oriundo de Teatro, é uma grande celebração ao mundo da criança, com muitas brincadeiras, disputas, histórias e estados emocionais próprios do universo infantil, como o medo de assombração. Tudo revelado e vivenciado por atores em cena e com trilha sonora executada ao vivo. O público, convidado a comparecer de pijama, vai conferir um espetáculo pontuado pelo humor e por brincadeiras de ontem e de hoje.

Programa de formação de público infantil para teatro

Promovido pela Belgo Bekaert Arames, o Circuito Cultural é um programa de formação de público infantil para teatro, realizado em seis municípios nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia.

O objetivo do Circuito Cultural é democratizar o acesso à cultura, oferecendo uma programação teatral regular às comunidades, com espetáculos infantis gratuitos. Desde sua criação em 2011, foram apresentados 456 espetáculos, beneficiando mais de 106 mil espectadores. O Circuito Cultural torna a experiência de assistir os espetáculos teatrais um momento único para as crianças e toda a família.

A iniciativa é viabilizada por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e conta com o patrocínio da Belgo Bekaert Arames, apoio da Fundação Egberto Costa, Prefeitura Municipal de Feira de Santana e produção da Lima Produções Culturais.

A programação e mais informações sobre o Circuito Cultural Belgo Bekaert podem ser conferidas na página www.facebook.com/circuitoculturalbelgobekaert

CONFIRA ABAIXO A PROGRAMAÇÃO COMPLETA: 
Dia 13.10.18 – Espetáculo: O Nariz do Poeta - CEU Cidade Nova – às 16 horas
Dia 20.10.18 – Espetáculo: Música para Brincar - CEU Cidade Nova – às 16 horas
Dia 27.10.18 - Show Rock in Family - CEU Cidade Nova – às 16 horas

  •  

Atividade física e interação social: receita de longevidade que idosos do Aviário encontram na Praça do CEU

3/10/2018, 14:29h

Palestras, atividades físicas e orientação sobre cuidados com a saúde marcaram a programação especial alusiva ao Dia do Idoso, no Centro de Artes e Esportes Unificados - CEU do bairro Aviário. Senhores e senhoras entre 60 a 80 anos participaram das atividades na segunda-feira, 1º.

Dona Josefa Matos (foto), 68 anos, é uma das pessoas atendidas pelo CEU. E revela que desde que passou a participar das atividades no equipamento sentiu uma grande melhora na qualidade de vida. 

"Todos os dias acordo às 5h da manhã para caminhar. A tarde venho para a praça do CEU. A atividade aqui é muito boa, temos palestras, aulas de educação física, e várias outras oficinas. Com isso estou sempre aqui na praça, é uma forma que tenho de socializar e me divertir", conta. 

Muitos buscam apenas uma companhia

Segundo a psicóloga do CRAS, Suzane Leite (foto), muitos de seus pacientes de mais idade chegam procurando uma companhia, alguém para conversar. “Os idosos sempre nos procuram porque já estão numa fase da vida em que as vezes se sentem muito solitários, e nós oferecemos escuta. É uma demanda que temos muita atenção, que a gente busca ter muito cuidado e oferecer muitas atividades para que possamos preencher esse vazio que às vezes acomete a vida do idoso”, explica.

Atividade física na terceira idade garante saúde física e mental

A prática de atividade física na terceira idade faz bem não somente para o corpo, mas também para a mente, conforme a professora Daiane Azevedo (foto). “Às vezes o idoso se sente incapaz por conta de uma cultura social. Ele acha que por causa da idade tem que ficar parado em casa, sem saber a importância que a atividade física traz tanto para o corpo quanto para mente. Além de estar praticando uma atividade física que vai estar contribuindo para a saúde, ele ainda tem contato com outros idosos e interação social, isso estimula a autoestima e traz vários outros benefícios", pontua.   

A comemoração do Dia do Idoso marcou o início das atividades do mês de outubro na Praça CEU Aviário, que com o apoio da Fundação Egberto Costa também trará atividades para o Dia da Criança e em prevenção ao câncer de mama. Nesta sexta-feira, 5, acontece a abertura do Outubro Rosa com palestras sobre a saúde da mulher e um aulão de swing baiano.

  •  

Meninas do bairro Aviário realizam sonho de desfilar numa passarela de moda

3/10/2018, 9:49h

Desfilar numa passarela de moda é o sonho de muitas meninas, especialmente na adolescência. Algumas moradoras do bairro Aviário tiveram a oportunidade de realizar esse desejo no último sábado, através do projeto Desfile de Primavera, iniciativa do Centro de Esportes e Artes Unificados (CEU).

“Além de lembrar a chegada da estação da primavera, o evento tem a finalidade de promover a socialização entre a comunidade. É um momento de entretenimento e de realização do sonho realizado destas garotas, que sempre desejaram estrear em uma passarela”, disse Ivanilde Julião dos Santos (foto), uma das organizadoras do desfile, juntamente com Ana Alice Pereira Vitório.

Sorridente e com brilho nos olhos, a orientadora social, Dilza Matos Garcia (foto), 35, não escondeu a emoção diante do resultado do evento. “É uma iniciativa de inclusão que realmente tem que ser muito prestigiada pela comunidade. Hoje aqui estou maravilhada e muito feliz por ver essas meninas tão empolgadas e esforçadas, pois é uma porta que está se abrindo na vida delas”, comenta.

O evento recebeu o apoio da Fundação Municipal de Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Cultura Egberto Tavares Costa, Secretaria Municipal de Educação, e de empresas que se propuseram a incentivar jovens e adolescentes da comunidade.

  •  

Professora da Royal Academy of Dance elogia o Programa Arte de Viver

25/9/2018, 16:58h

Na semana passada, o Centro de Cultura Maestro Miro recebeu a visita da examinadora e professora de balé, Bonnie de Beer, da Royal Academy of Dance (Real Academia de Dança) localizada em Londres. É uma das maiores e mais influentes organizações de ensino e prática de dança e tem a maior banca examinadora de balé clássico do mundo. 

Bonnie veio á Feira de Santana pela primeira vez e teve a oportunidade de conhecer o Programa Arte de Viver, a convite do diretor do Maestro Miro, Luiz Augusto de Oliveira. Além de ter acompanhado as aulas de algumas das oficinas, ela também conheceu o Memorial Nelson Gonçalves e o Teatro Ângela Oliveira.

A examinadora pôde acompanhar um pouco as aulas de Balé Baby, Dança de Salão, Teatro Melhor Idade e a oficina de violão. E segundo ela, esse momento foi um dos pontos mais interessantes e inspiradores da viagem. 

“Eu fiquei muito impressionada com a disciplina e o comprometimento que elas mostravam ter com a aula. Eu amei também o fato de que é oferecido no Maestro Miro atividades para as pessoas idosas, que só pelo fato de os deixarem livres para apreciar as atividades e de interagir uns com os outros, já os deixavam muito felizes e alegres", observou.

Bonnie também destacou a "atmosfera positiva" do CCMM. "Um lugar muito feliz e seguro, que permite que as pessoas tenham experiências com a arte e com a cultura. E eu acho que tudo que envolve dança, música, teatro e artes em geral é muito importante e bom pra alma” afirmou a professora.

Balé Baby foi a oficina que mais chamou a atenção

A sulafricana não escondeu que a oficina que mais lhe chamou a atenção foi a Balé Baby. “Eu definitivamente acho que a dança tem um grande impacto na vida das crianças. A disciplina que a dança traz é muito importante. Especialmente com as meninas, a dança faz com que elas se sintam bem com o próprio corpo, faz com que elas cuidem de si mesmas. O ballet é muito mais do que a técnica e do que o professor ensina. Então ao contrário do que muitos pensam não é só sobre a dança, é a disciplina, o foco, é a determinação de trabalhar duro para melhorar a si mesmo”.

Descobriu o ritmo do berimbau no MAP

Em sua visita a Feira de Santana, Bonnie de Beer também conheceu um dos pontos turísticos da cidade, o Mercado de Arte Popular (MAP). E revela que ficou encantada com o som de um instrumento genuinamente baiano, o berimbau. "Achei muito interessante e diferente do que estou acostumada a ver na África. Fiquei muito encantada pelo som e pelo ritmo”, confessou.

Ela também foi contagiada pela calorosa recepção dos feirenses. “As pessoas aqui parecem muito felizes, alegres e amigáveis. O Mercado, no horário que eu fui, estava bem calmo, mas mesmo assim pude ver muita cultura ali", declarou.

  •  

II Sarau Sales Barbosa remete público a uma viagem à antiga Rua do Meio

24/9/2018, 15:34h

Um banquinho, um poste antigo, uma mesinha e lá estamos nós na Rua Sales Barbosa do século XIX, antes chamada de Rua do Meio. É conhecida hoje por seu forte comércio, mas já foi ponto de encontro dos boêmios e escritores da cidade e leva o nome de um dos principais poetas feirenses: Francisco Sales Barbosa.

O II Sarau Sales Barbosa trouxe um clima romântico e literário da época durante todo o dia. O ambiente foi todo pensado para remeter as pessoas ao passado e trazer a rua para o Mercado de Arte popular (MAP).

Patrimônio Imaterial de Feira de Santana

A escritora e Mestre em Estudos Literários (UEFS), Cíntia Portugal (foto), revela a importância da antiga Rua do Meio, enquanto patrimônio imaterial de Feira de Santana. "Ela traz uma carga histórica. Nos reserva uma história do local, da nossa cultura, do berço do romantismo”, explica.

Cíntia destaca Sales Barbosa como um dos principais poetas românticos e abolicionistas da época. “O livro “Cavatinas” é uma obra com 40 poemas publicados de Sales Barbosa. Poemas amorosos, abolicionistas e que tratavam também de questões sociais. Era através da poesia que se reivindicavam as lutas, as mudanças e a libertação dos escravos”, conta.

O evento busca levar o conhececimento da cultura e da poesia da rua para as pessoas. O presidente da Fundação Cultural Egberto Costa, Antônio Carlos Daltro Coelho, ressalta a importância de apoiar eventos como este.

“Uma iniciativa que restabelece a vida do grande poeta feirense Sales Barbosa, que honra a nossa cidade com uma das ruas com o seu nome. Estão de parabéns Cíntia Portugal e todos que integram esse movimento em favor do reconhecimento do seu valor e da sua poesia”, finaliza.

  •