SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Prefeitura recebe 40 litros de inseticida para combater aedes na fase adulta da vida

23/1/2020, 9:21h

Usado no combate ao mosquito aedes aegypti na fase alada – adulta e consequentemente reprodutiva, quarenta litros do inseticida malathion foram repassados pelo governo federal à Prefeitura de Feira de Santana – que não acontecia há sete meses, desde julho do ano passado.

A aplicação do inseticida vai completar o trabalho realizado pelo Governo do prefeito Colbert Martins Filho no combate contra o mosquito, que vinha sendo feito com a aplicação de larvicida em locais onde foram constatados acúmulo de água, principalmente dentro das residências.

O produto é usado nos procedimentos conhecidos como fumacê, que é a sua aplicação mecânica nas ruas dos bairros onde os índices de infestação predial estão acima dos tolerados pelas autoridades epidemiológicas, que é de até 1% dos imóveis.

O aedes transmite a tripla infecção: zika, chinkungunya e dengue e o inseticida contribui para quebrar a cadeia reprodutiva do inseto na sua fase adulta de vida – o ciclo da fêmea é de 30 dias e põe entre 60 e 120 ovos em cada uma das três, ou mais, das suas fases reprodutivas.

O coordenador da Divisão de Endemias da Secretaria de Saúde, Edilson Matos, afirmou que o órgão vai iniciar os bloqueios, por meio de bombas costais, que considera estar atrasados. A quantidade, diz, da para trabalhar durante um mês. “Mas já fizemos o pedido de novo repasse”.

Ele salienta que as bombas costais são eficientes porque o agente pode adentrar as residências e aplicar o inseticida em todos os cômodos. Diz que os locais já estão definidos – aqueles que apresentam maiores índices de infestação predial, como a Cidade Nova e a Serraria Brasil.

  •  

Cidade Nova recebe ação Bota Fora nesta quarta-feira

21/1/2020, 17:46h

A programação de limpeza pública nos bairros, promovida pela Prefeitura através das secretarias de Saúde, Serviços Públicos, Desenvolvimento Social e Superintendência de Trânsito continua. Desta vez o bairro Cidade Nova recebe a ação que segue nos dias 22, 23 e 24 de janeiro.

A iniciativa do Governo do prefeito Colbert Martins Filho é uma estratégia de prevenção e eliminação do mosquito Aedes Aegypti.

Móveis inutilizáveis, eletrodomésticos, vaso sanitário, entre outros materiais que são potenciais criadouros do mosquito podem ser descartados durante a ação do Governo do prefeito Colbert Martins Filho, que acontece até o final da tarde, a partir das 8h, iniciando do Centro Social Urbano (CSU).

"Contamos com a adesão da população, para juntos combater a proliferação do mosquito. Boa parte dos focos encontrados pelos agentes estão nas residências, em recipientes abandonados e expostos à água", relata Edilson Matos, coordenador do Centro de Referência em Endemias.

Os agentes de combate à endemias estarão realizando o trabalho focal e perifocal nos locais com maior notificação de casos suspeitos de dengue e chikungunya. "A bomba costal motorizada tipo fumacê também será utilizada", informa Edilson Matos.

Em breve será divulgada a data da ação nos bairros Eucaliptos, Tomba, Brasília e Morrinhos. O bairro Serraria Brasil foi contemplado nos dias 17, 18 e 20 de janeiro.

Materiais como sucatas e automóveis abandonados devem ser solicitados através do aplicativo Fala Feira 156.

  •  

Colaboração da população é essencial durante Bota Fora nas comunidades

18/1/2020, 9:15h

Durante a ação de Bota Fora realizada nesta sexta-feira, 17, no bairro Serraria Brasil, diversas pessoas da comunidade colaboraram reunindo materiais inutilizáveis e potenciais criadouros do mosquito Aedes Aegypti. A iniciativa segue até esta segunda-feira, 20.

Nerivaldo Ferreira, serviços gerais, foi uma dessas pessoas. Ele trabalha nas proximidades do bairro e avalia como uma iniciativa importante. "Tirando essa sujeira dos imóveis e limpando as ruas acredito que reduz significativamente a quantidade de escorpiões, baratas e ratos encontrados nas ruas, inclusive focos do mosquito", relata.

O Bota Fora nas comunidades foi retomado por iniciativa da Prefeitura, através das secretarias de Saúde, Serviços Públicos, Desenvolvimento Social e Superintendência de Trânsito, como estratégia no combate à eliminação do mosquito Aedes Aegypti.

O índice de casos suspeitos de dengue e chikungunya, recebidos pela Unidade Básica de Saúde (UBS) Serraria Brasil, tem aumentado, o que deixa a Vigilância Epidemiológica municipal em alerta.

"Estamos fazendo a notificação dos casos que chegam para atendimento com sintomas semelhantes a essas arboviroses. Percebemos que são sintomas muito parecidos, e então acionamos de imediato a Vigilância Epidemiológica", explica a enfermeira da UBS Serraria Brasil, Maria das Graças Passos.

Ainda de acordo com ela o descuido da população e a quantidade de terrenos baldios, casas abandonadas na região colaboram com a proliferação do mosquito.

"A população ainda não se conscientizou da sua responsabilidade como cidadão e sobre o seu papel na sociedade. Digo sempre que o perigo é de todos e o combate também. Temos reforçado as ações de educação em saúde e as visitas casa a casa, incluindo nas áreas descobertas, mas não podemos invadir terrenos e residências", observa a enfermeira.

Em breve será divulgada a data da ação nos bairros Cidade Nova, Eucaliptos, Tomba, Brasília e Morrinhos.

Materiais como entulhos, sucatas e automóveis abandonados devem ser solicitados através do aplicativo Fala Feira 156.

  •  

Feira de Santana é reabastecida com doses da vacina pentavalente, que estarão disponíveis nesta 2ª

17/1/2020, 14:54h

Todas as 89 Unidades de Saúde da Família e 12 Unidades Básicas de Saúde estarão disponibilizando as doses da vacina pentavalente a partir desta segunda-feira (20). A informação é da enfermeira coordenadora do setor de Imunização, Simone Neves, da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana. De acordo com ela, a Prefeitura recebeu 2.550 doses da vacina na última quarta-feira.

O Governo do prefeito Colbert Martins Filho elaborando um plano de logística para priorizar as crianças que estão com esta vacina atrasada, em virtude do desabastecimento a nível nacional nos últimos meses. "Estamos mapeando através das equipes de saúde, as crianças que ainda não foram imunizadas e acredito, devido a demanda reprimida, que as doses não serão suficientes. Iremos solicitar um novo quantitativo em breve", analisa a enfermeira.

Ainda de acordo com ela, não se sabe ao certo os impactos causados pelo desabastecimento. "Temos a consciência de que as crianças estavam suscetíveis a algumas doenças, e isso gera impactos negativos, estamos analisando os dados para verificar se houve aumento das doenças referentes ao que a vacina oferece proteção", explica Simone Neves.

As vacinas estão sendo transportadas para que a zona rural e urbana tenham acesso de forma igualitária, não haverá centralização nas unidades básicas de saúde. "Contamos com a colaboração dos pais ou responsáveis que, se possível, informem na unidade de saúde a necessidade de vacinar a criança", pontua a enfermeira.

A falta da vacina em diversas regiões do país foi motivada por um desabastecimento nacional, após reprovação do controle de qualidade da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), impedindo assim a distribuição dos lotes por parte do Ministério da Saúde.

Em Feira de Santana, doses emergenciais foram recebidas do Ministério da Saúde nos meses de outubro e novembro, repassadas através do Núcleo Regional de Saúde Centro Leste. A vacina estava em falta desde o mês de agosto.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, explica que a pentavalente faz parte do calendário nacional de vacinação das crianças a partir de seis meses e reforço até os dois anos de idade. "A vacina protege contra o tétano, difteria, coqueluche, hepatite B e doenças causadas pelo Haemophilus tipo B", acrescentou.

  •  

Prefeitura promove Bota Fora no bairro Serraria Brasil nesta sexta-feira

16/1/2020, 18:20h

Como estratégia de eliminação dos focos do mosquito Aedes Aegypti, a Prefeitura de Feira de Santana, através das secretarias de Saúde (SMS), Serviços Públicos (Sesp), Desenvolvimento Social (Sedeso) e Superintendência Municipal de Trânsito (SMT), promove a Ação Bota Fora no bairro Serraria Brasil nesta sexta-feira, 17.

Móveis inutilizáveis, eletrodomésticos, vaso sanitário, entre outros materiais que são potenciais criadouros do mosquito podem ser descartados durante a ação do Governo do prefeito Colbert Martins Filho, que acontece até o final da tarde, a partir das 8h, iniciando na rua Vasco Filho.

"A população deve procurar a equipe para informar a necessidade de descartar algum material. Estaremos de forma itinerante percorrendo as ruas do bairro", pontua Justiniano França, secretário de Serviços Públicos.

De acordo com a responsável técnica pela Vigilância Epidemiológica, Francisca Oliveira, a iniciativa surgiu devido ao aumento das notificações de casos suspeitos de chikungunya no bairro Serraria Brasil e aumento dos casos confirmados de dengue no ano de 2019.

"Estamos preocupados com o aumento das notificações de chikungunya, que tem surgido desde dezembro, principalmente em locais pontuais", afirma.

Ainda de acordo com Francisca Oliveira, as equipes de combate ao mosquito transmissor das arboviroses: dengue, zika e chikungunya, não cessaram o trabalho desde o ano passado, quando surgiram o aumento de casos notificados de dengue. 

"O município de Feira de Santana se encontra em alerta, por este motivo contamos com o apoio de toda a população, não só nos bairros com maior índice de notificação", ressaltou a responsável técnica da Vigilância Epidemiológica.

O Bota Fora no bairro Serraria Brasil acontece nos dias 17, 18 e 20 de janeiro, a partir das 8h. Em breve será divulgada a data da ação nos bairros Cidade Nova, Eucaliptos, Tomba, Brasília e Morrinhos.

Materiais como entulhos, sucatas e automóveis abandonados devem ser solicitados através do aplicativo Fala Feira 156.

 

 

  •  

Ação da Prefeitura detectou 30 casos de sífilis e dois de HIV

13/1/2020, 15:13h

Dos 632 testes rápidos realizados em Feira de Santana pelo Centro de Referência Municipal em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AIDS, 30 foram positivos para sífilis e 2 para HIV. A ação fez parte da campanha Dezembro Vermelho – encerrada no último dia 30 – desenvolvida pela Prefeitura através da Secretaria Municipal de Saúde. Todos as pessoas diagnosticadas estão em tratamento.

Na avaliação da enfermeira referência técnica em infecções sexualmente transmissíveis, Vanessa Sampaio, o diagnóstico dos casos tem grande relevância para a quebra da cadeia de transmissão. 

“O preservativo ainda é o método mais eficiente de prevenção das IST’s e temos percebido um aumento de casos de sífilis no município. A falta de prevenção nos preocupa, mas a ampliação do diagnóstico tem sido reforçada”, afirma Vanessa Sampaio.

Preservativos são oferecidos de forma gratuita em qualquer unidade de saúde, como também a realização dos testes rápidos para diagnóstico das infecções sexualmente transmissíveis.

Basta apresentar documento de identidade pessoal e informar o interesse. O resultado do exame é sigiloso e sai em menos de vinte minutos.

A pessoa diagnosticada tem acompanhamento gratuito de uma equipe multidisciplinar no Centro de Referência Municipal em Infecções Sexualmente Transmissíveis, localizado na rua Professor Germiniano Costa, s/n, Centro.

Este ano a campanha teve adesão de todas as Unidades Básicas de Saúde e de Saúde da Família com a ampliação do diagnóstico, ações educativas e de prevenção.

Dezembro Vermelho

Em maio de 2017 foi sancionada a Lei Municipal de nº 3.702, de autoria do vereador Luiz Ferreira Dias, que institui o mês de dezembro como o período dedicado a intensificação das ações de combate e prevenção ao HIV/AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis no município de Feira de Santana.

  •  

Frota do SAMU ganha nova ambulância básica

9/1/2020, 16:36h

Mais uma ambulância de suporte básico, a USB, foi incluída à frota do SAMU de Feira de Santana, que passou a somar oito destes modelos, mais uma USA (Unidade de Suporte Avançado), equipada com UTI Móvel, além de uma motolância, que pela agilidade é usada para chegar mais rapidamente ao local do acidente, por exemplo. A nova unidade adquirida pela Prefeitura foi apresentada a imprensa nesta quinta-feira, 09. 

A quantidade destes veículos do SAMU local, diz a secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, é maior do que o preconizado pelo Ministério da Saúde, que estabelece uma ambulância para cada grupo de cem mil habitantes. O IBGE estima que Feira tenha 614 mil habitantes.

“Com base nestes números e relações, o município tem três destas ambulâncias a mais do que a quantidade considerada ideal pelo Ministério da Saúde”, afirmou a secretária. “Mas o prefeito Colbert Filho busca mais recursos no Governo Federal para que este número seja aumentado”.

 Ela explica que a busca de recursos para compra de novos veículos deve-se ao fato de que o período de vida útil de algumas das ambulâncias do SAMU locais se aproxima do final e a reposição é necessária para haja continuidade na prestação do serviço.

O atendimento do SAMU em Feira de Santana foi descentralizado, com a instalação das bases do Centro e da Norte, no bairro Campo Limpo. A redução no tempo para a prestação deste serviço é fundamental.

  •  

Janeiro Roxo: 65 novos casos de hanseníase foram registrados em Feira ano passado

8/1/2020, 15:48h

Durante o mês de janeiro a Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde, vai intensificar as ações para busca ativa de novos casos de hanseníase. A ação faz parte da campanha de prevenção e combate a doença, intitulada Janeiro Roxo. Em Feira de Santana foram diagnosticados 65 novos casos de hanseníase em 2019.

A programação do mês conta com intensificação das salas de espera e atendimento multidisciplinar em todas as Unidades Básicas de Saúde, Unidades de Saúde da Família e Centro de Saúde Especializada.

Em alusão ao dia mundial de luta contra hanseníase – celebrado no último domingo do mês – uma ação especial marca o dia D de mobilização da campanha, dia 31 de janeiro.

A ação acontece a partir das 8h, no espaço Marcus Moraes. Atividades educativas, consulta médica e de enfermagem, avaliação de pressão arterial e nutricional estarão sendo ofertadas de forma gratuita.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, explica que a hanseníase, conhecida no passado como lepra, é uma doença crônica, infectocontagiosa e uma das enfermidades mais antigas da humanidade. "Em Feira de Santana, os portadores da doença recebem assistência nas unidades de saúde, onde é feito o diagnóstico e acompanhamento. Para casos específicos, o tratamento é disponibilizado no Centro de Saúde Especializado Dr. Leone Coelho Leda (CSE)", ressalta Colbert.

Sintomas

A hanseníase se caracteriza por manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas na pele, com perda ou alteração da sensibilidade térmica, dolorosa ou tátil no local. Possui lenta evolução e apresenta principalmente sinais e sintomas dermatoneurológicos nos nervos periféricos, como: mão, olhos e pés, podendo atingir pessoas em qualquer faixa etária, independente do sexo.

A transmissão ocorre através do contato prolongado e frequente com uma pessoa infectada, que não esteja em tratamento, através da tosse, espirro, saliva ou secreções nasais.

O tratamento é feito a base de comprimidos e a duração varia de seis a doze meses, dependendo da manifestação clínica de cada indivíduo.

Pessoas com sintomas semelhantes devem procurar a unidade de saúde a qual é cadastrado para receber orientações.

Confira a programação abaixo:

Local

Período

Atividade

Unidades Básicas de Saúde e de Saúde da Família

07 a 31 de janeiro

- Salas de Espera

- Atendimento multidisciplinar ao público alvo e encaminhamento para o serviço de referência para diagnóstico precoce de lesões sugestivas de hanseníase.

Centro de Saúde Especializada Dr. Leone Coelho Lêda (CSE)

07 a 31 de janeiro

- Salas de Espera

- Atendimento multidisciplinar ao público alvo e encaminhamento para o serviço de referência para diagnóstico precoce de lesões sugestivas de hanseníase.

Espaço Marcus Moraes

31 de janeiro (Manhã e Tarde)

- Atividades educativas

 - Consulta de Enfermagem

- Consulta Médica

- Aferição de Pressão Arterial

- Avaliação Nutricional

  •  

Conscientização e alerta sobre os cuidados com a saúde mental são reforçados durante o mês de janeiro

3/1/2020, 14:15h

Recomeços, promessas e metas que marcam o início do ano podem ser frustrantes quando não alcançados. Estar mentalmente saudável é necessário para lidar com as inquietudes da vida. Para conscientizar quanto aos cuidados com a saúde mental, a Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde, iniciou a campanha Janeiro Branco nesta quinta-feira, 02.

A intenção é mobilizar a população a pensar nas questões envolvendo a saúde mental, desde os cuidados preventivos até a parte de diagnóstico e tratamento. Salas de espera serão realizadas durante o mês em todos os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

O preconceito, segundo a coordenadora da rede de saúde mental, Robervânia Cunha, é um dos desafios enfrentados. “O medo de ser associado a um doente mental faz as pessoas evitarem buscar ajuda com profissionais especializados. Para esse cuidado não devem existir tabus, são profissionais de saúde como qualquer outro”, explica.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, orienta que as pessoas que precisam de ajuda devem procurar a unidade de saúde ou CAPS mais próximo de sua residência com documentos de identificação pessoal, comprovante de residência e cartão do SUS para receber orientações.

Durante todo o mês, os CAPS estarão trabalhando com a equipe multiprofissional a disposição para ajudar e orientar os pacientes. “A recomendação é que as pessoas procurem o serviço o quanto antes, para que os transtornos mentais não gerem problemas na vida delas”, pontua Colbert.

  •  

Casos confirmados para HTLV aumentam em 94 por cento

20/12/2019, 15:41h

Em Feira de Santana, de janeiro a setembro deste ano, 105 casos de HTLV foram notificados, destes, 97 confirmados e 8 descartados. Em 2018, de janeiro a dezembro, foram 61 notificações, destes, 50 confirmados e 11 descartados, o que representa um aumento de 94%. O HTLV é uma infecção sexualmente transmissível que é silenciosa, assintomática, não tem cura e é pouco conhecida.

Na quarta-feira profissionais do Ambulatório Municipal de Infectologia encaminharam diversas pessoas para participar da ação de conscientização e diagnóstico do HTLV. A iniciativa da Prefeitura de Feira de Santana, através da Vigilância Epidemiológica, teve o objetivo de oferecer orientações e esclarecimentos sobre esta doença.

"Digamos que o HTLV é um 'primo' do HIV, já que ambos atacam os linfócitos de defesa do organismo. A única diferença é que o HTLV não tem tratamento, o paciente uma vez diagnosticado, a depender do seu organismo, se desenvolver as sequelas dessa doença, pode vir a ter dores em membros inferiores, fraquezas, dormências e formigamento dos membros. Pode evoluir até com paralisia dos membros, levando inclusive a tetraplegia, dificuldade de defecar e urinar. Há um grande comprometimento motor”, explica a enfermeira supervisora da Vigilância Epidemiológica, Neuza Santos.

O pastor Juan Monteiro aproveitou a oportunidade para realizar a sorologia do HTLV. “Fui abordado na rua e me interessei em fazer o exame, vejo que é uma ação muito importante para as pessoas que não tem conhecimento sobre a doença”, avalia. 

Orientações e sorologia para HTLV, testes rápidos para HIV, sífilis e distribuição de preservativos foram os serviços ofertados durante a ação. Na avaliação da enfermeira referência técnica em HTLV, Iracilda Araújo, a pessoa portadora da infecção é assintomática, geralmente havendo a suspeita durante a triagem de pré-natal e doação de sangue.

“Boa parte dos casos notificados são encaminhados depois de realizar essa triagem. O crescimento dos casos representa que a vigilância é ativa e está ampliando o diagnóstico, mas existem ainda muitos estão contaminados, contaminando, e não sabem”, avalia a enfermeira.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, explica que a transmissão do HTLV ocorre por meio da mãe infectada para o recém-nascido, durante o parto ou aleitamento materno, relação sexual desprotegida com uma pessoa infectada e compartilhamento de materiais perfurocortantes contaminados.

"Para prevenir é necessário realizar o acompanhamento de pré-natal em gestantes, utilizar preservativo durante toda a relação sexual e não compartilhar objetos pessoais perfurocortantes, como alicate, seringas, agulhas e entre outros. A amamentação por mulheres infectadas é contraindicada", explica Colbert.

Dos infectados pelo HTLV, apenas 2% apresentarão algumas doenças associadas a esse vírus, entre as quais se podem citar: doenças neurológicas, oftalmológicas, dermatológicas, urológicas e hematológicas (ex.: leucemia/linfoma associada ao HTLV).

Qualquer pessoa que tiver interesse em realizar a sorologia pode procurar a unidade de saúde mais próxima da residência ou comparecer no Ambulatório Municipal de Infectologia. A sorologia é um exame realizado através da amostra de sangue, que pode diagnosticar o HTLV, e o resultado fica pronto em uma média de 30 dias.

  •