SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Prefeitura proporciona confraternização natalina entre moradores de rua

12/12/2018, 11:16h

Dezembro é um dos meses mais esperados do ano para reunir a família e comemorar o Natal. Mas para as pessoas em situação de rua a realidade é bem diferente. A aproximação da data natalina é reflexo de tristeza e saudade. É isso que relata A. S. (abreviação do nome), durante ação do Programa Consultório na Rua, iniciativa da Prefeitura através da Secretaria Municipal de Saúde.

A abordagem dos profissionais teve um objetivo diferente nesta terça-feira, 11. Com gorros de papai noel, médico, enfermeiros, assistente social, técnica de enfermagem e psicólogo fizeram uma confraternização natalina com distribuição de lanches, atendimento médico e acolhimento.

Equipe recebida com abrações e sorrisos

Quando os profissionais chegaram a Praça J. Pedreira, na Avenida Getúlio Vargas, dezenas de moradores de rua já estavam reunidos a espera. Com abraços e sorrisos, a equipe é recebida. “A gente sabe que eles passam a noite, já temos a base do horário toda terça”, ressalta João Ricardo Brito, que mora nas ruas há 15 anos.

Geralmente o Natal é uma data triste para eles

Entre tantas histórias a serem contadas, atentos os profissionais de saúde buscam dar atenção a todos. “Geralmente Natal é uma data triste pois eles não possuem família e nem vínculo de amizade. Tem sempre uma história por trás deste que está na rua. A gente não sabe o motivo especifico de cada um, mas estamos aqui para acolher e ajudar”, relata o psicólogo João Bezerra.

De acordo com João, em momentos como esses, aos quais as lembranças e a saudade apertam, a única coisa que os moradores de rua precisam é de alguém que os abracem sem preconceito. “Eles precisam conversar, desabafar. E nós enquanto profissionais de saúde vamos fazendo esse papel, cada um em sua área, conquistando a confiança deles aos poucos”, ressalta.

Diariamente, o programa Consultório na Rua percorre a cidade levando a promoção da saúde a pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade. Com ações diurnas e noturnas, as estratégias visam atender as necessidades de cada paciente. “De segunda a sexta, atendemos durante o dia, mas separamos um dia no mês para dar uma atenção especial aquelas pessoas que temos dificuldades de encontrar em outros horários”, informa Darlene Santos, coordenadora do Consultório.

  •  

Centro de Zoonoses notificou 175 casos de escorpiões em residências este ano

11/12/2018, 18:24h

Acúmulo de entulhos, lixo doméstico e baratas são atrativos para os escorpiões. Só este ano, de janeiro a novembro, o Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde esteve visitando 175 residências, onde a presença do animal peçonhento foi notificada.

As principais ocorrências aconteceram nos distritos de Ipuaçu e Maria Quitéria, e nos bairros Calumbi, Feira X, SIM, Conceição, Brasília, Sto. Antonio dos Prazeres, Mangabeira, Caseb, Queimadinha, Cidade Nova, Jardim Cruzeiro, Papagaio, George Américo, Tomba e Feira VII.

Normalmente a população entra em contato por telefone ou pelo aplicativo 156. “Ao receber a ligação, abrimos a Ordem de Serviço e são anotados os dados da pessoa, o endereço e o telefone, o relato do aparecimento do animal na residência ou empresa e se houve agressão”, informa a bióloga Paula Trindade.

Após receber a solicitação, a equipe faz a visita no ambiente para identificação de foco do animal. “São feitas as observações e prevenções, deixamos as medidas preventivas por escrito e trabalhamos ponto a ponto no processo de educação em saúde. Nesse momento são tiradas também todas as dúvidas dos moradores”, ressalta.

São atraídos por lixo e baratas

A limpeza do ambiente é a principal medida para evitar acidentes com o animal. Jardins e quintais limpos, grama aparada, lixos acondicionados em sacos plásticos ou outros recipientes fechados para evitar baratas e moscas que servem de alimentos para os escorpiões são algumas das orientações passadas.

“Os pesticidas usados nas dedetizações não afetam os escorpiões, pois eles possuem uma estrutura quimiorreceptora, conseguindo captar no ambiente o cheiro forte do veneno e fugindo em seguida do local”, alerta.

De acordo com Paula, a ação conjunta da comunidade é muito importante. “Não adianta você tratar o seu ambiente, se o seu vizinho não faz a mesma coisa. Tem que ser uma ação conjunta, uma rua inteira acometida por escorpião, toda a rua tem que fazer o mesmo procedimento”, ressalta.

  •  

NOTA DE ESCLARECIMENTO

11/12/2018, 18:20h

A Secretaria Municipal de Saúde, diante da repercussão perante o público LGBTQ+ da matéria veiculada sobre casos de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s) diagnosticados em ação noturna pelo Programa Municipal, vem esclarecer que a iniciativa foi realizada com a população em geral, profissionais do sexo (homens e mulheres), travestis, transsexuais, gays e todos aqueles que demonstraram interesse em realizar o teste. A referida publicação não teve a intenção de causar prejuízos ao grupo, e sim fomentar ações de promoção a saúde pública que acontecem continuamente e incentivar a importância da realização de exames diagnósticos para o tratamento precoce de tais infecções.

O Município trata com muita responsabilidade as ações de promoção a saúde, entendendo a importância de intensificar e divulgar, tornando-as ainda mais acessíveis a comunidade. Só este mês, desde o inicio da Campanha Dezembro Vermelho, foram realizados 196 testes rápidos para IST’s, destes 15 deram reagentes, entre casos de sífilis e HIV, na população em geral. Ressaltamos que a prevenção, o diagnóstico e tratamento é para todos, independente da orientação sexual.

Em um mês de alusão ao combate a Aids, reiteramos que a falta de conhecimento sobre a doença ainda é um dos causadores do preconceito, mesmo após tantos avanços. Enquanto órgão de saúde pública, continuaremos trabalhando para alcançar o maior número de pessoas alertando sobre a importância da prevenção.

  •  

Interatividade e troca de experiências entre famílias e crianças portadoras de microcefalia

5/12/2018, 17:6h

Para promover troca de experiências entre famílias com crianças portadoras da Síndrome Congênita do Zika Vírus (microcefalia), a  Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde, promoveu nesta terça-feira, 4, o Natal Aconchego. A programação proporcionou uma tarde diferenciada, com roda de conversa, brindes e distribuição de cestas básicas.

Durante abertura do evento, a Secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, ressaltou que a gestão municipal tem se empenhando para proporcionar o melhor em assistência. “Temos essa preocupação em conscientizar nossas equipes para, além das atividades de saúde e competências profissionais, buscar entender vocês como família, saber ouvir, acolher, até porque a escuta é algo primordial em qualquer acompanhamento de saúde”, afirma.

Geovana, de três anos, é acompanhada desde quando nasceu

Atualmente, 24 crianças são acompanhadas pelo município. Estas recebem assistência através dos setores da Vigilância Epidemiológica, Atenção Básica e TFD (Transporte Fora Domicilio). Geovana Vitória, 3 anos, é uma dessas crianças. “Ela é acompanhada desde quando nasceu. Para gente aqui é excelente, pois recebemos todo apoio. O transporte é disponibilizado para nos deslocarmos uma vez por semana aos atendimentos em Salvador, como também em algumas atividades como essa. A equipe está sempre acompanhando e dando suporte”, relata.

Reconhecido em congressos realizados nas cidades de Salvador (BA) e Brasília (DF), local onde também foi premiado durante o 33º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, o Projeto Aconchego iniciou com o surgimento das primeiras crianças diagnosticadas com microcefalia. Por meio deste trabalho, as famílias encontram apoio para troca de experiências, atendimentos de saúde e assistência.

Equipe multidisciplinar é disponibilizada

“Disponibilizamos uma equipe multidisciplinar que atende essas crianças em parceria com a Atenção Básica, e também um Ambulatório, na Rua Barão do Rio Branco, onde é prestada toda assistência com infectologista”, informa a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Francisca Lúcia de Oliveira (foto).

  •  

Dezembro Vermelho: Testes rápidos não detectaram pessoas com HIV

5/12/2018, 16:8h

Nenhuma das 46 pessoas que fizeram o teste rápido para detecção do vírus HIV no organismo apresentaram quadro positivo para a doença. Os testes, cujos resultados são apresentados em aproximadamente 15 minutos, foram realizados no sábado.

No dia 1º de dezembro é comemorado o Dia Mundial da Luta Contra a Ais. Os exames foram realizados no Centro de Referência Municipal de Infecções Sexualmente Transmissíveis/DST/aids. O HIV, quando não tratado, provoca a aids.

Ações acontecerão nos próximos dias

Nos próximos dias, o Centro de Referência, fará ações pontuais na cidade com o oferecimento de testes rápidos. No dia 6, à noite, a equipe vai estar na avenida Presidente Dutra e Marechal, nas áreas onde há prostituição masculina.

No dia 10, os técnicos farão uma ação no Beco da Energia, onde há décadas se concentram vários prostíbulos. Os testes serão oferecidos às profissionais do sexo e aos seus clientes. Os testes não serão obrigatórios.

Um canteiro de obras da L. Marquezzo será o ponto de concentração para os exames, no dia 11. Na quarta-feira, 12, a equipe estará no Posto Trevo, no Tomba, numa ação com os caminhoneiros, principalmente, mas aberta ao público.

Dia 18 os testes serão oferecidos no Centro de Abastecimento de Feira de Santana, com comerciantes e caminhoneiros. E, no dia 20, última etapa, a equipe vai estar no centro da cidade, oferecendo o teste para moradores de rua.

  •  

SAMU presta socorro a vítimas do incêndio

4/12/2018, 12:37h
Cinco ambulâncias do SAMU de Feira de Santana (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) deram apoio no socorro as vítimas do incêndio que ocorreu na madrugada desta terça-feira, 04, no residencial Iguatemi, no bairro Mangabeira. As equipes estão sendo mobilizadas desde às 5h27 da manhã quando receberam o primeiro chamado.

Até o momento nove pessoas foram socorridas, quatro em estado grave estão sendo transferidas para o Hospital Geral do Estado em Salvador. “Duas delas já foram encaminhadas de avião”, informa a coordenadora do SAMU Maíza Macedo.

Outras três pessoas estão no Hospital Geral Clériston Andrade e uma vítima, sem queimaduras, deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento 24h do bairro Queimadinha. “Infelizmente um óbito foi registrado no local do incêndio”, lamenta Maiza Macedo.

A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde, tem se colocado a disposição e se solidariza no apoio as famílias das vítimas do incêndio. 

 

  •  

Secretaria de Saúde recebe novos profissionais do Programa Mais Médicos

4/12/2018, 10:56h

Os nove profissionais admitidos pelo Ministério da Saúde para atuar nas Unidades Básicas de Saúde de Feira de Santana, através do Programa Mais Médicos, participaram nesta segunda-feira, 3, de uma reunião com a gestão da Atenção Básica. O encontro aconteceu na Secretaria de Saúde do município.

Durante a manhã, os profissionais receberam algumas instruções e foram apresentados a rede. “A tarde estaremos mostrando alguns locais, como Policlínicas, UPA (Unidade de Pronto Atendimento 24h), CAPS (Centro de Atendimento Psicossocial), entre outros”, informa a coordenadora da Atenção Básica, Valdenice Queiroz.

Irmãs gêmeas, médicas, com boas perspectivas em Feira de Santana

As gêmeas Maria Victória Medeiros e Maria Beatriz Medeiros, 24 anos, fazem parte do grupo recém-contratado que começa a atender nas unidades nesta terça-feira, 4. Elas contam que durante o período de inscrição ficaram cerca de 16 horas tentando garantir as vagas no site do Ministério.

“Foi bem concorrido. Vou trabalhar na unidade do bairro Novo Horizonte, ouvi falar bem do local, estou satisfeita e com boas expectativas”, afirma Maria Victória (foto).

25 profissionais do Mais Médicos no município

Atualmente, Feira de Santana possui 115 equipes de Saúde da Família. Dessas, oito tinham a atuação de médicos cubanos. “Com a saída dos cubanos e as novas contratações passamos a contar com 25 profissionais do Programa Mais Médicos, sendo 23 brasileiros, um cubano com diploma revalidado e um mexicano. Lembrando que nesse número está incluso a vaga de um cubano, deixada antes da medida do governo”, informa a Secretária de Saúde, Denise Lima Mascarenhas (foto).

  •  

Encerramento do Novembro Azul atrai mais de 150 pessoas ao Parque da Lagoa Erivaldo Cerqueira

3/12/2018, 15:47h

A Campanha Novembro Azul, em alusão ao combate do câncer de próstata, foi encerrada neste domingo, 2, em Feira de Santana. Testes rápidos, aferição de pressão arterial, aferição de glicemia, e atividades como vôlei, baralho, dominó e exercício funcional atraíram mais de 150 pessoas ao Parque da Lagoa Erivaldo Cerqueira.

Roberto Neto (foto), 32 anos, esteve participando dos serviços oferecidos e avaliou positivamente. “É importante porque atinge muito mais pessoas. Que mais ações sejam feitas assim em campos e espaços livres. Estão de parabéns”, elogia.

Mais de 2 mil homens alcançados durante o mês

Durante todo o mês, as Unidades Básicas de Saúde estiveram intensificando o acesso ao público masculino. Foram mais de dois mil homens alcançados nas mais variadas atividades, como palestras, educação em saúde nas salas de espera, orientações em locais públicos e privados, atendimentos clínicos e de enfermagem, marcação e realização de exames diagnósticos.

“O novembro azul é um mês de intensificação a prevenção, mas durante todo o ano os homens podem procurar as unidades para solicitar exames e fazer o acompanhamento. Mesmo com o fim da campanha, os laboratórios conveniados ao SUS continuam a ofertar os exames, porém, agora, com demanda agendada”, informa a enfermeira referência em saúde do homem, Isabela Machado (foto).

Isabela ressalta que aqueles cujos resultados do PSA estiveram dentro da normalidade devem continuar a realiza-lo anualmente e os homens com idade inferior a recomendada para o PSA também precisam se cuidar. “É importante que essas pessoas realizem os exames de rotina, pratiquem atividade física e busquem manter uma alimentação saudável, evitando assim patologias crônicas”, afirma.

  •  

Feirenses fazem teste contra HIV: em média uma pessoa é diagnosticada por dia, em Feira

1/12/2018, 22:35h

Estudante de nutrição, Marcelo Ferreira foi a 31ª pessoas que fez o teste rápido que detecta a presença no organismo do vírus HIV, que provoca a aids, na manhã deste sábado, 1º de dezembro, Dia Mundial da Luta Contra a Aids. Os testes foram realizados no Centro de Referência Municipal de Infecções Sexualmente Transmissíveis/DST/aids.

Poucos minutos depois o estudante recebeu o resultado: negativo. “Faço o teste a cada seis meses, uma rotina”, diz. O mesmo procedimento é realizado pelo companheiro dele. “A gente sempre fica cobrando o teste um para o outro, mesmo estando numa relação estável, porque a aids é uma doença como outra qualquer”.

Até outubro, a média de novos casos desta doença em Feira de Santana foi de um por dia – a mesma registrada no ano passado. Contraem mais o vírus, heterossexuais masculinos, com idade entre 20 e 39 anos e ensino médio completo. São pessoas que deixam de lado a prevenção durante a relação sexual – não usam camisinha.

Os testes são ações do Dezembro Vermelho, mês que será focado na conscientização contra a aids, com atendimento para a população chave e a prioritária, como homens que fazem sexo com homens, travestis, população de rua, profissionais de sexo, homossexuais, feirantes e caminhoneiros.

Os casos positivos, caso sejam verificados – até por volta das 10h não houve caso, explica a coordenadora do Centro de Referência IST/HIV/aids, a enfermeira Vanessa Sampaio, a pessoa seria orientada a voltar na segunda-feira para iniciar o tratamento. O Centro oferece, gratuitamente, uma equipe multiprofissional que passa a acompanhar a pessoa.

A enfermeira diz que a segunda coleta, para quem fez o teste neste sábado, deve ser feita dentro de três meses – os anticorpos anti HIV não se manifestam no período de 30 dias a partir da data da infecção, a chamada janela imunológica. “Quem é ativo sexualmente deve fazer o teste periodicamente”, orienta.

Ela diz ainda que quem se colocar em situação de risco deve fazer o exame. Em Feira existem 3.265 pessoas cadastradas no programa. Destas, 2.719 são acompanhadas. O restante transferiu seu domicílio, abandonou o tratamento ou morreu.

  •  

Motoristas e feirantes recebem alerta para o combate ao Aedes Aegypti

30/11/2018, 17:36h

O Dia D de mobilização em combate ao Aedes Aegypti levou os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde a promover ações em vários campos da cidade nesta sexta-feira, 30. Na Estação Nova, blitz com educação em saúde foram feitas na Avenida João Durval e na feirinha local.

Enfermeiros, agentes comunitários e agentes de endemias saíram as ruas conversando com a população sobre os riscos de manter água parada, principalmente com a chegada do verão. De acordo com a supervisora da Vigilância Epidemiológica (VIEP), Neuza Santos, os cuidados devem ser redobrados devido o aumento da temperatura. “Se em uma temperatura de 18° celsius, o ciclo do vetor se desenvolve numa média de 30 dias, com o aumento desta para 30° celsius a média cai para oito dias. Então é potencialmente perigoso”, ressalta.

Vendedor de coco está atento aos cuidados para evitar focos

Fagner Junior, feirante há cinco anos, diz que faz o que pode para evitar o aparecimento de focos na localidade. Ele é vendedor de coco e informa separar os materiais todos os dias. “Aqui é céu aberto, nem todos fazem a sua parte. Eu varro, separo daquela forma (aponta para um carrinho de supermercado) e boto uma lona por cima, agora os demais descartam em containers”, ressalta.

O cuidado de Fagner no descarte dos cocos não é o suficiente para manter longe o mosquito. Ana Luiza Melo, enfermeira da VIEP, orienta que a atitude de cobrir os cocos ao fim do dia não impede possíveis criadouros. “O fato deles ficarem expostos com a parte aberta para cima já é um risco. Então o ideal é que vire a casca do coco, como a gente faz com a garrafa, virando para baixo”, informa.

Para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti outras dicas também são importantes, como evitar jogar inservíveis no meio ambiente (materiais como pneus e garrafas pet), manter caixas de água tampadas, manter vasos de plantas limpos e com areias até a borda e descartar lixos e entulhos corretamente.

  •