SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Posto da Saúde registra redução de 46 por cento no número de atendimentos do primeiro dia de Micareta

20/4/2018, 15:23h

O Posto de Saúde localizado no circuito da Micareta registrou 138 atendimentos no primeiro dia oficial da festa. A informação é do coordenador, José Leal, durante reunião de avaliação da Micareta 2018.

Segundo Leal, no mesmo período do ano passado, foram atendidas 297 pessoas, o que aponta uma redução de 46,46%. 

Dos atendimentos realizados, também houve uma redução de 50% de pacientes atendidos por agressão física. "Este ano 12 pessoas deram entrada por este tipo de ocorrência, enquanto no ano de 2017 foram 24", informa.

Diferente do ano passado, quando não houve lesão por arma branca, na quarta-feira, 18, foi registrada uma ocorrência do caso. Mas conforme informado pela coordenadora do Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (SAMU), Maíza Macedo, o paciente foi transferido com quadro estável.

No circuito da festa, encontram-se 500 profissionais da Secretaria Municipal de Saúde em ação. Estes distribuídos no Posto de Saúde, no Anexo da Vigilância e em pontos estratégicos, como os profissionais do SAMU com quatro ambulâncias no circuito.

  •  

Bebida clandestina continua sendo o maior problema encontrado pela Vigilância Sanitária

20/4/2018, 10:41h

Para deixar o folião mais seguro para curtir a Micareta de Feira, que acontece até o próximo domingo, 22, a Vigilância Sanitária tem realizado inspeções para conferir a qualidade de bebidas e alimentos vendidos no circuito da festa. A  medida visa combater a comercialização de produtos clandestinos e vencidos, que podem causar intoxicação alimentar, além de outros problemas de saúde para quem consome.

Segundo a coordenadora da Vigilância Sanitária, Kérssia Carneiro, a bebida clandestina ainda continua sendo o maior vilão. “Todos os anos enfrentamos esse problema com os ambulantes que insistem em comercializar bebidas de venda proibida, como o príncipe maluco e cravinho. Isso é um crime a saúde pública, pois são produtos sem nenhum registro e com a utilização de ingredientes desconhecidos”, afirma.

Além disso, a Vigilância Sanitária está atenta aos produtos vencidos, geralmente os mais encontrados neste estado são ketchup, maionese, molho de tomate, salsicha e as carnes. “Para garantir que a carne veio de um local fiscalizado, pedimos sempre a nota fiscal”, informa.

Kérssia Carneiro também alerta os consumidores que se sentirem inseguros a consumir algum tipo de alimento, verificar se estes estão acondicionados em isopor ou caixa térmica, o cheiro do produto, assim como observar se as pessoas estão utilizando os equipamento de manuseio distribuídos pela Vigilância, que são luva, touca e avental.

“Nós pedimos que ao encontrar alguma irregularidade as pessoas procurem os nossos técnicos no Posto de Saúde ou em um de nossos pontos distribuídos no circuito”, ressalta.

Diariamente, a fiscalização tem acontecido durante os três turnos em locais que vendem produtos alimentícios. Unidades de Saúde públicas e privadas também estão recebendo a visita dos técnicos para averiguar se há algum caso de intoxicação alimentar oriundo do circuito da festa.

  •  

Helicóptero da PRF estará a disposição da Secretaria Municipal de Saúde durante a Micareta

19/4/2018, 12:58h

Começa nesta quinta-feira, 19, a Micareta de Feira de Santana, e a Secretaria Municipal de Saúde irá garantir toda assistência aos foliões da festa com uma estrutura mini-hospitalar de 253m² e o envolvimento de 500 profissionais. Além disso, serão distribuídas quatro ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (Samu), em pontos estratégicos do circuito da festa. Outra novidade deste ano, é o apoio de um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com a equipe do Samu de Salvador.

Aeronave será utilizada para transferência imediata de casos mais graves para os hospitais

Segundo a secretária de Saúde, Denise Lima Mascarenhas, a parceria com a Secretaria Municipal de Salvador e PRF visa realizar a transferência imediata de casos mais graves para os hospitais. “Isso é realmente um avanço, e um fortalecimento do nosso trabalho”, ressalta.

Posto fixo conta com 10 leitos

O Posto Fixo de Saúde, montado no circuito, conta com três médicos e dois bucomaxilofaciais, a cada plantão de 12 horas, além de enfermeiros, técnicos de enfermagem, entre outros profissionais. A estrutura local possui sala de reanimação, sala de espera, 10 leitos, 10 poltronas, sala de conforto, almoxarifado, copa, banheiros, recepção, e demais dependências.

Um anexo da Vigilância em Saúde foi montado ao lado do posto. No local estará atuando o IST/HIV/Aids, com testes rápidos e distribuição de preservativos; o programa de Hepatites Virais; agentes de educação em saúde da Vigilância Epidemiológica; agentes de endemias; a equipe do Centro de Referência a Saúde do Trabalhador; além de profissionais da Vigilância Sanitária. O anexo ainda comporta a Central de Digitação, onde é feito a análise e computação de todos os dados e atendimentos.

  •  

Empresas de Ônibus estão sendo orientadas a colocar dispensador de álcool 70 nos veículos

19/4/2018, 12:43h

Para evitar a proliferação do vírus da gripe, empresas de ônibus coletivos estão sendo orientadas a colocar o dispensador de álcool 70 nos veículos. A informação é da coordenadora interina da Vigilância Epidemiológica, Neuza Santos, durante apresentação das ações da Secretaria Municipal de Saúde para Micareta, na tarde desta quarta-feira, 18.

Entre as ações preventivas contra a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) está a ética respiratória e higienização correta das mãos. Por este motivo, a Vigilância Epidemiológica está orientando empresas de ônibus coletivos do município, shoppings e camarotes a utilizarem o dispensador de álcool 70. A medida visa evitar a transmissão da doença e de outros vírus em ambientes aglomerados por meio do contato físico.

Segundo a coordenadora da VIEP, nessa época do ano já é esperado um aumento do número de casos que envolvem síndromes gripais, por este motivo ações tem sido realizadas diariamente, e estão sendo intensificadas neste período de Micareta, assim como no pós-festa.

“Estaremos, todos os dias, com equipes no circuito da festa fazendo as orientações necessárias para os foliões e trabalhadores. Alertando sobre a importância de ter cuidado ao tossir ou espirrar, utilizando sempre lenços descartáveis e evitando ficar em locais aglomerados quando se tem sintomas da doença, para não transmitir e nem agravar o caso”, informa.

Além disso, os profissionais das unidades de urgência e emergência, assim como do Posto de Saúde fixo no circuito, foram capacitados para qualquer caso suspeito e investigação de todos os agravos. Equipes da VIEP estarão trabalhando todos os dias para o controle dos casos.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO

Seguindo o calendário do Ministério da Saúde, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza inicia na segunda-feira, 23, e segue até 01 de Junho, sendo o dia D 12/05. A Secretaria Municipal de Saúde recebeu 20% das doses do imunizante, que corresponde ao quantitativo de 29 mil doses para os grupos prioritários.

Tem direito a vacina crianças de seis a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias pós parto), idosos com 60 anos ou mais, funcionários da área da saúde, indígenas, população e funcionários do sistema prisional, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, em exceção ao portador da hipertensão sem comorbidade, e professores da rede pública e privada.

Para melhor organizar o fluxo, cada categoria terá um calendário específico. Segue relação abaixo.

 

Profissionais de Saúde    

23 de Abril a 02 de Maio    

Gestantes, puéperas e idosos    

14 de Maio a 18 de Maio    

Privados de liberdade e medidas socioeducativas    

25 de Maio a 01 de Junho    

Crianças    

03 de Maio a 12 de Maio    

Comorbidades e professores    

19 de Maio a 25 de Maio    

 
  •  

Feira tem um caso confirmado para H1N1

18/4/2018, 9:8h

A Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana informa que foram notificados nove casos suspeitos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), sendo um confirmado para H1N1. Destas notificações um caso foi descartado, outros dois foram confirmados como SRAG por outros vírus e cinco continuam em investigação. Os dados são do Boletim Epidemiológico desta terça-feira, 17.

Houve a divulgação de outros dois casos confirmados para H1N1, estes tratados na cidade de Salvador. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde aguarda recebimento da ficha de notificação, para poder averiguar se são residentes de Feira de Santana.

Informação errada de endereço prejudica trabalho da equipe

A coordenadora interina da VIEP, Neuza Santos (foto), pede que a população colabore fornecendo dados corretos ao serem atendidos nas unidades de saúde, seja em Hospitais ou Policlínicas. “Acontecem situações em que o paciente é de outro município e fornece o endereço de um familiar, um amigo ou de qualquer outra pessoa, não sendo a residência real do paciente. Porém quando o endereço é fornecido errado, o trabalho da equipe na investigação e acompanhamento do caso acaba sendo prejudicado”, relata.

Assim que notificada qualquer suspeita, as equipes de epidemiologia iniciam a coleta de amostras do paciente para serem submetidas a exames de diagnóstico. E para fornecer uma melhor assistência, a VIEP também comparece ao endereço informado na ficha da unidade, fazendo assim todo o bloqueio da doença na área.

Para a prevenção da síndrome gripal é importante manter alguns cuidados básicos de higiene, como lavar sempre as mãos, não compartilhar copos ou talheres, evitar ambientes aglomerados se estiver gripado e usar lenços descartáveis ao tossir e espirrar.

A H1N1 tem sintomas parecidos com a gripe comum, porém de maneira mais intensa, como febre com mais de 39º, dor de cabeça, calafrios frequentes, cansaço extremo, fortes dores musculares e ardência nos olhos. Para um diagnóstico correto é importante procurar atendimento médico em uma unidade de saúde.

  •  

Secretaria de Saúde define cronograma de vacinação contra a Influenza em Feira

16/4/2018, 16:31h

O cronograma de vacinação contra a Influenza em Feira de Santana foi divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde. A Campanha Nacional de Vacinação acontece no período de 23 de abril a 01 de junho, sendo 12/05 o dia D de mobilização nacional. Para melhor organizar o fluxo de imunização, cada categoria incluída no grupo prioritário, estabelecido pelo Ministério da Saúde, terá um calendário específico (cronograma completo no final do texto).

Por lidarem diretamente com a população e casos suspeitos da doença, os profissionais de saúde serão primeiro imunizados, evitando assim tanto o contato, como a proliferação da doença para outros pacientes das unidades. Em seguida, serão vacinadas crianças de seis a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias pós parto), idosos com 60 anos ou mais, funcionários da área da saúde, indígenas, população e funcionários do sistema prisional, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, em exceção ao portador da hipertensão sem comorbidade, e professores da rede pública e privada.

“Estamos divulgando o cronograma para organizar e nortear a população, conseguindo assim atender de uma melhor forma a demanda”, informa a referência técnica Henrique Valverde (foto).

Profissionais já estão capacitados para atender a demanda

Uma capacitação com roda de conversa sobre a Influenza foi realizada na sexta-feira, 13, pela Secretaria Municipal de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica. Estiveram presentes profissionais de Hospitais públicos e privados, Policlínicas, Unidades de Pronto Atendimento, Clínicas na área de otorrinos e pneumologia, e Comissões de Controle de Transmissão Hospitalar. O treinamento aconteceu no Auditório Dr. João Batista Cerqueira.

Durante o treinamento, a referência técnica de Influenza, Bruna Carvalho, passou informações importantes acerca do diagnóstico, tratamento e manejo clínico da doença, assim como a vigilância de casos clínicos suspeitos. “Esse diálogo é necessário para que todos os profissionais entendam como proceder não só em relação ao vírus H1N1, mas também de outras síndromes respiratórias. Nesse momento compartilhamos estratégias de vigilância e bloqueio”, informa.

Sobre a Influenza

A influenza, conhecida como gripe, é uma doença viral, aguda, benigna e o quadro da doença é geralmente resolvido em uma semana. Os sintomas são febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, dor de garganta, falta de apetite, tosse e coriza. A doença pode evoluir, em alguns casos, com complicações levando a um quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com sinais de desconforto respiratório, pressão baixa e desidratação.

“As pessoas devem ter um maior cuidado para prevenção, lavando as mãos com água e sabão, além de higienizar com álcool 70. Evitar aglomerações se estiver gripado ou resfriado, e cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar também é uma medida importante para que não ocorra a contaminação e transmissão”, ressalta Bruna Carvalho.

Confira abaixo os dias de cada categoria:

  •  

Apenas 19 por cento dos municípios realizam fiscalização de contratos, diz especialista em licitação

16/4/2018, 16:12h

Em todo o país, apenas 19% dos municípios realizam a fiscalização de contratos de licitação. A informação é do economista e especialista nesta área, Orlando Gomes, que está ministrando para gestores de contratos administrativos da Secretaria Municipal de Saúde o curso “Orientação para Gestão de Contratos”. A capacitação foi iniciada nesta segunda-feira, 16, no Hotel Acalanto, e segue até esta terça. 

Orlando considera a falta de fiscalização de contratos “um desastre para a administração pública”. “As empresas mergulham nos preços, apostando nessa falta de fiscalização, resultando muitas vezes em obras inadequadas”, ressalta.

Gestores orientados a verificar todas as fases dos contratos

Durante o curso, os gestores foram orientados a acompanhar e verificar a execução do contrato em todas as suas fases, até o recebimento do objeto, anotando em expediente próprio todas as irregularidades encontradas e as providências adotadas. A falta de anotações pode acarretar em graves consequências. 

Entre os conteúdos apresentados estão a formalização dos termos, garantias, durabilidade dos contratos, prorrogação, reajuste, revisão, liquidação, pagamento, entre outras medidas que garantem a qualidade da gestão dos recursos

Para a secretária de saúde, Denise Lima Mascarenhas (foto), o curso é importante para melhorar o desempenho do serviço, contribuindo assim para uma efetividade das fiscalizações realizadas pelos servidores. “Essa é a proposta, orientar e auxiliar todos aqueles que participam ativamente dessas atividades”, afirma.

  •  

Governo Municipal dá apoio as Olimpíadas da APAE

16/4/2018, 15:32h

Envolvendo sete modalidades esportivas e mais de quinhentas pessoas, entre atletas, acompanhantes, técnicos e árbitros, as Olimpíadas da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) serão sediadas em Feira de Santana, entre os dias 26 e 28 de abril.

O certame é promovido pela Federação Estadual das APAEs e congrega atletas de catorze municípios baianos. Os jogos ocorrerão no Complexo Poliesportivo Oyama Pinto e na quadra coberta da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS).

O evento, que abrange capoeira, futsal, bocha, atletismo, ginástica rítmica e natação, tem o apoio da Prefeitura Municipal, através das secretarias de Saúde, e de Cultura, Esporte e Lazer.  

Estão à frente da organização das Olímpiadas a presidente da APAE de Feira de Santana, Edna Maira Amorim, a diretora Mary Portugal e o coordenador de Prevenção e Saúde, Deraldo Gomes Azevedo.

  •  

Foliões a partir de 12 anos podem realizar teste rápido de HIV, sífilis e hepatite na Micareta

13/4/2018, 14:33h

Pessoas a partir dos 12 anos de idade, mesmo não acompanhadas de pais ou responsáveis, poderão realizar exames rápidos de sífilis, HIV e hepatite B e C durante a Micareta de Feira, que acontece de 19 a 22 deste mês. A informação é da coordenadora do Centro de Referência Municipal de Infeção Sexual Transmissível, Vanessa Sampaio. Serão disponibilizados 600 kits na unidade de vacinação que funcionará no circuito da festa. 

Poderão ser feitos 150 exame por dia. O atendimento será realizado entre as 19h e meia-noite. Foram dois os casos positivos para o HIV e nove para sífilis, no ano passado. A demanda será espontânea. Para ser submetido ao exame, basta a pessoa demonstrar interesse. 

A pessoa diagnosticada com sífilis vai receber a primeira dose do medicamento, que é distribuído gratuitamente, logo após a constatação e será orientado a procurar o serviço de saúde imediatamente. Os possíveis casos de HIV e hepatite serão encaminhados para o Centro de Referência.

Janela imunológica

A coordenadora do Centro orienta que as pessoas que tiveram relação de risco – sem a devida proteção - em data próxima à Micareta ou durante a festa, devem esperar algumas semanas – entre um e três meses – para que se submetam ao exame, devido à janela imunológica.

Janela imunológica designa o período que um organismo leva, a partir de uma infecção, para produzir anticorpos que possam ser detectados por exames de sangue. Varia de acordo com o tipo de infecção e sensibilidade do teste utilizado para detectá-la.

  •  

Profissionais do SAMU e outros órgãos são capacitados através de simulado

12/4/2018, 17:21h

Um desabamento de camarote no circuito da maior festa de rua do interior da Bahia foi tema do VII Grande Simulado de Micareta, promovido pelo Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (SAMU), nesta quinta-feira, 12. O evento envolveu cerca de 250 pessoas, entre profissionais e estudantes que atuaram como vítimas.

Diante da simulação de desabamento, 11 vítimas foram retidas embaixo dos escombros, duas delas com óbito confirmado pela equipe de Departamento da Polícia Técnica (DPT). Outras 89 estáveis, andando e com poucas escoriações, foram redirecionadas pelo Corpo de Bombeiros para avaliação médica.  A ação contou com o apoio de várias competências municipais.

A primeira equipe a chegar no local em uma situação como essa é a Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia). Na simulação, a ação do órgão foi imediata, desligando todo circuito elétrico para evitar danos maiores. Em seguida, o Corpo de Bombeiros fez a avaliação da área para que a equipe do SAMU pudesse entrar em ação, delimitando a atuação dos profissionais em três zonas: quente, morna e fria. 

Controle do evento e separação das zonas de risco são as principais ações

Segundo a coordenadora do SAMU, Maiza Macedo (foto), num desastre a principal atividade é o controle do evento e a separação das zonas de r​isco, com a retirada das vítimas da zona quente – que é onde acontecem os maiores danos. “Utilizamos o método Start que classifica as vítimas por gravidade, através de uma triagem que ajuda a fazer o transportamento rápido e com segurança”, informa. 

Estudante destaca aprendizado proporcionado através desta experiência

Participando pela primeira vez de um simulado, o estudante de enfermagem, Edmilson Santos (foto), atuou como vítima em estado de óbito. Para ele a experiência é de aprendizado. “Tudo que estudamos na teoria pudemos acompanhar hoje aqui sendo aplicado na prática. Ver como a rede de urgência é articulada em nossa cidade, sentir na pele o que passa uma vítima de um desastre como esse e observar de perto a atuação da equipe é um sentimento incrível”, relata.

O treinamento envolveu além da equipe do SAMU, o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, Defesa Civil, Exército, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Superintendência Municipal de Trânsito, Departamento de Polícia Técnica, estudantes e instituições de ensino superior.

Treinamento e integração entre os órgãos, destaca coordenador da Defesa Civil

Para o coordenador da Defesa Civil, Pedro Américo (foto), o simulado é fundamental para integrar os órgãos e ajudar numa evolução em conjunto. “Essas ações permitem que sejam identificadas algumas falhas de protocolo, além da atuação diferenciada de cada órgão. Então é importante para a gente se comunicar, se ouvir e evoluir”, ressalta.

  •