Novo laboratório de análises clínicas da Fundação Hospitalar será entregue nesta quarta

10/9/2018, 12:15h

Nesta quarta, 12, às 18h30, a Prefeitura Municipal de Feira de Santana entrega à comunidade feirense um novo laboratório de análises clínicas, totalmente reformado e ampliado pela Fundação Hospitalar de Feira de Santana (FHFS).

Instalado há 26 anos e responsável pela realização de mais de 300 mil atendimentos/ano - ultrapassando a marca de um bilhão e 600 milhões de exames entre 2013 e 2018 - o novo equipamento de saúde atenderá tanto pacientes do complexo materno-infantil que reúne o Hospital Municipal da Criança Dr. José Eduacy Lins e o Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, bem como a população em geral. 

As obras contemplaram ampliação da sala de bacteriologia, bioquímica, hematologia e da área da recepção com rampa para acessibilidade, proporcionando mais conforto e segurança aos pacientes.

Uma nova sala de repouso feminina e masculina de funcionários da unidade, novos sanitários para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, além de banheiro infantil, sala de coordenação e administração, setores técnicos I e II, salas de coleta infantil e adulta foram construídas.

Já estrutura das redes elétrica e hidráulica foram modificadas e novas esquadrias (portas e janelas) instaladas, bem como parte da calha do telhado substituída.

O laboratório recebeu nova pintura e as paredes internas foram revestidas com pastilhas e as externas com cerâmica. Piso de alta resistência, instalação da rede logística (novos telefones e computadores), luminárias de emergência e extintores de incêndio fazem parte do conjunto de investimentos executados com recursos próprios do município, totalizando R$ 219 mil.

Humanização e ampliação da capacidade de atendimento

Segundo Gilberte Lucas, presidente da FHFS, “as melhorias servem para ampliar a capacidade de atendimento e humanizá-lo ainda mais”. 

Durante o período de execução das obras, a população recebeu atendimento para coleta e exames laboratoriais em uma unidade provisória situada na mesma rua do novo laboratório e, também, em um espaço interno do Hospital da Mulher.

Horário de funcionamento

O horário de funcionamento do novo laboratório será de segunda a sexta, das 7h às 17h. A oferta continua a mesma: exames laboratoriais como hemograma (exame de sangue), exame parasitológico de fezes, urina, microbiologia, imunologia, bioquímica e ainda hormonais.



  •  

Expofeira tem até Engraxate Executivo

10/9/2018, 8:31h

Há cerca de dez anos, Eduardo Santos Morais atendeu à orientação de um amigo e decidiu atender à clientela vestido a rigor: terno escuro, gravata, camisa social e sapato lustrado. “A minha clientela aumentou muito e diversificou”, afirma. A maleta que carrega funciona como seu cartão de visitas: “Engraxate executivo”.

Diz que consegue sobreviver com o que ganha. Cerca de R$ 100, por dia. “Cobro barato, apenas R$ 10 por engraxada”, observa. Antes da mudança no estilo e no visual, engraxava três, quatro sapatos, diariamente. “Agora só ando de terno”, acentua. Revelou que a roupa foi doada por um cliente e que tem apenas um terno. “Tinha outro, mas doei para um amigo que estava precisando”, conta.

Profissionais liberais e servidores

Em Salvador, os clientes preferenciais estão nos restaurantes mais conhecidos. São profissionais liberais e servidores públicos dos escalões superiores. “Estas pessoas sempre trabalham de sapato de couro e gostam de ver limpos e brilhando”, observa. Chega nestes locais sempre nas horas das refeições.

“Já sou conhecido deles, e tenho uma clientela boa e fiel”, disse Eduardo Santos que está em Feira de Santana há alguns dias, mais especificamente no Parque de Exposição João Martins da Silva, onde espera engraxar, ou melhor, dar um grau em muitas botinas. Também já esteve em Jequié.

Conta no Instagram

Na sua maleta carrega o material de trabalho: um tapete pequeno vermelho, escovas e graxas nas cores preta e marrom. “O terno me trouxe sucesso e tenho conta no instagram”, diz. E o amigo? “Ele trabalha de guarda-pó e vende caldo de cana”, explica.



  •  

SMTT faz vistoria preventiva nas plataformas de acessibilidade aos ônibus durante Expofeira 2018

9/9/2018, 17:2h

Visando garantir preventivamente a segurança do usuário que utiliza o serviço de transporte coletivo urbano para ter acesso à 43º Exposição Agropecuária de Feira de Santana, a Expofeira 2018, a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) montou esquema de fiscalização diário para vistoria da frota de cem ônibus que operam especialmente durante o evento.

Nas inspeções interna e externa do veículo os fiscais da SMTT checaram o funcionamento do sistema eletro-hidráulico das plataformas elevatórias (elevadores) independentes para acessibilidade aos ônibus, tecnologia fundamental que proporciona qualidade, segurança e conforto durante a oferta do serviço às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Atenção redobrada

“Tivemos atenção redobrada preventiva para este item que melhora a qualidade de embarque de pessoas com necessidades especiais, neste caso, o usuário, reduzindo ainda o tempo de embarque”, explica o secretário Saulo Figueiredo.

A fiscalização da SMTT também inspecionou, no interior dos ônibus, a área reservada para cadeira de rodas ou acompanhada de cão-guia com todos os dispositivos de segurança (encosto, cintos de três pontos e travas), bem como os assentos preferenciais para gestantes, pessoas com sobrepeso, bebês ou crianças de colo e idosos. 

Durante a soltura nas garagens, câmeras de segurança, estado de conservação dos pneus, vidros e lentes, tacógrafos, janelas de emergência, suspensão, parte elétrica, motor, catracas mecânicas, validadores eletrônicos, instrumentos no painel e extintores estiveram entre os demais itens vistoriados.

Até a manhã de hoje (domingo, 9) mais de 15 mil pessoas utilizaram a estação especial para embarque e desembarque de passageiros montada pela SMTT no interior do Parque João Martins da Silva - especificamente na ala sul, ao lado do parque de diversões.

Destaque em acessibilidade

Comparando dados do IBGE, o Sistema Integrado de Transporte (SIT) de Feira de Santana é destaque entre os 5.570 municípios brasileiros do país e também entre apenas cinco cidades baianas que possui toda a frota de ônibus (total de 250) 100% acessível. 

Além disso, todos os veículos das concessionárias São João e Rosa são monitorados em tempo real por Sistema de Gestão de Frota via GPS e câmeras de segurança.

O levantamento do IBGE aponta que a Região Nordeste é a que tem o menor percentual de municípios (5,3%) com frota acessível, seguida pelo Norte (5,7%) e Sul (9,8%).



  •  

Expofeira 2018: cinema 6D proporciona experiência inusitada aos visitantes

9/9/2018, 14:59h

“Indescritível!”. Foi assim que Mary Carlla Pastor definiu a experiência do cinema 6D. Acompanhada da família e amigos, Mary garantiu que a impressão é de estar dentro do filme. O grupo ficou curioso ao passar pela estrutura que prometia um cinema em seis dimensões e, segundo eles, não resistiram.

A fim de ajudar a amiga Manuela Gomes a superar seu medo de filmes de terror, eles encararam o desafio e não deu outra: todos adoraram. E, não satisfeitos, repetiram a dose. “Não dá para descrever, é sensacional. Parece que estamos realmente dentro da história, é muito bom”, foram unânimes ao narrar.

O proprietário do cinema, Paulo Cesar de Andrade (foto), explica que esta sensação se deve aos efeitos de imagem e som agregados aos movimentos de poltrona, jatos de vento, água e aromas e, até mesmo, de espuma que simula a neve.

Entre filmes infantis, de terror e aventura, dezoito opções para os espectadores, com cerca de cinco minutos de duração. “A estrada do medo” foi o preferido do público, que fez fila para viver por alguns minutos uma história aterrorizante.

Do lado de fora, quem aguardava podia conferir a reação de quem estava lá dentro através de um monitor. Cada expressão aumentava ainda mais a ansiedade de quem esperava a sua vez. Recebendo, em média, mil pessoas, o “cine 6D” foi mais uma das opções de diversão e entretenimento da Expofeira 2018.



  •  

Team penning atrai grande público à Expofeira 2018

9/9/2018, 14:53h

Quem visitou a Expofeira nas noites de sexta-feira e sábado pôde assistir a uma emocionante disputa. O Team Penning foi responsável por atrair dezenas de pessoas à estrutura montada no Parque de Exposição João Martins da Silva.

O esporte consiste na apartação de gado e é praticado em trios. Estes devem, em um tempo máximo de noventa segundos, tanger três bois até o curral; a equipe que fizer o percurso em menos tempo garante a vitória.

Segundo o competidor e um dos organizadores do evento, João Murilo Carvalho, este ano cerca de duzentos trios participaram da competição. Ele conta que, com o apoio da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, que cedeu toda a estrutura, a competição pôde ser realizada.

Programa de família

Praticante há dois anos, João Murilo (foto) garante que o esporte é democrático e familiar. “Aqui estamos rodeados de amigos e familiares. Todo mundo pode praticar!”.

Foi esse clima que atraiu Tuane Silva (foto), pela segunda vez, ao torneio. Apaixonada pela vida no campo, a técnica em agropecuária conheceu o esporte na Expofeira do ano passado. “É a área que eu atuo e amo. É um esporte muito interessante e que lembra o trabalho no curral”, afirma.

Este ano a competição teve premiação de R$10 mil reais divididos entre os melhores colocados. Concentração, habilidade e entrosamento em equipe são essenciais para chegar ao pódio.



  •  

Imitando estátua de cangaceiro, artista de rua fatura, em média, R$ 80 por dia na Expofeira

9/9/2018, 14:47h

Denis Ramos ganha por dia R$ 80, em média, trabalhando no Parque de Exposição João Martins da Silva, a Expofeira. Ele não é tratador de animais nem comerciante. É artista de rua. Faz performances de estátua, vestido de cangaceiro, com o corpo pintado e interagindo com o público, principalmente as crianças.

Ele trabalha há 13 anos como artista de rua. Denis chama a atenção por ficar sobre um banquinho, completamente parado por alguns minutos. Simulando uma estátua.

Com as gorjetas recebidas, Denis consegue se sustentar. Há 8 anos trabalha na Expofeira. "Esse ano é um dos melhores para faturar", avalia.

Inspirado na estátua de Cabral

Começou a se apresentar quando ficou desempregado. Se inspirou numa estátua de Pedro Álvares Cabral, o descobridor do Brasil, que viu na internet. A partir daí resolveu ganhar a vida fazendo essa performance. E até hoje não tem do que se queixar.



  •  

Caminho da Roça recebe bom público no sábado

9/9/2018, 14:20h

O espaço Caminho da Roça atraiu bom público na tarde desse sábado, 8. O local é o point de quem quer curtir música ou comprar alguma lembrancinha na 43ª Exposição Agropecuária de Feira de Santana (Expofeira 2018).

O cadeirante Ivanildo Silva Brito (foto), 51 anos, há 15 anos frequenta a festa. A deficiência não impediu de dançar e se divertiu. "Esse ano estou gostando da programação musical no Caminho da Roça", diz.

Atrações musicais no Caminho da Roça

O forró pé de serra predominou no palco do caminho da Roça. Neste sábado, a programação começou às 14h, comTrio Barra do Nordeste, Entre Amigos Chorinho e Samba, Nu Xote e Meninos de Seu Zé, fechando a noite.

No domingo, 9, último dia da mostra agropecuária,  o palco do Caminho da Roça terá, desde o início da tarde, o Forrozão Balanço Novo, Os Pé Quente do Forró, Mequinha do Forró e Forró Fulêro.

Música atraiu bom público

Mas não é só a música que movimenta o Caminho da Roça. Restaurantes e lojinhas oferecem comidas, bebidas e artesanato.

A comerciante Susana Neves vende comidas como maniçoba, feijoada e mocofato, além de beijus de diversos sabores. "O movimento está bom. Hoje (sábado), principalmente. Também estou gostando da programação musical, que ajudou a atrair um bom público", salienta.
"A programação está perfeita"

Cleide Silva (foto) vende artesanato em sua lojinha no Caminho da Roça. Ela está há 8 anos comercializando na Expofeira e considera este ano um dos melhores. "A programação está perfeita. Esse está sendo um dos melhores anos, com bom lucro", observa.



  •  

Catadores de latinhas faturam até R$ 75 por dia na Expofeira

9/9/2018, 14:11h

Para quem visita, a 43ª Exposição Agropecuária de Feira de Santana (Expofeira) é lazer. Para os expositores, negócios. Mas tem uma turma que faz as duas coisas: são os catadores de latinhas. Se divertem e ainda faturam um dinheirinho vendendo o que recolhem.

Seis catadores de latinhas estão cadastrados pela Secretaria Municipal de Agricultura para trabalhar no Parque.

30 quilos de latinhas só na sexta

O casal Cristiane Bispo e Domício Santana está na Expofeira desde o início desta edição. Somente na sexta-feira, 7, conseguiram juntar 30 quilos de latinhas. Pretendem vender ao final da festa, junto ao resultado da coleta dos outros dias. "Vendemos por R$ 2,50 o quilo. Então a produção de sexta vai render uns R$ 75 reais", calcula.

Cristiane está em sua quinta Expofeira. Para Domício é a primeira. "Vim com ela (Cristiane) e estou satisfeito. Vai dar para fazer a feira do mês", prevê.

Sexta-feira, o melhor dia

Cirlene Moura (foto) trabalha catando latinhas há oito edições da Expofeira. Para ela, a sexta-feira, 7, também foi o melhor dia. "Consegui catar 10 quilos de latinhas", comemora.

Espaço para guardar as latinhas

Todos os catadores têm um espaço cedido pela Secretaria de Agricultura para guardar as latinhas recolhidas. "É uma forma de ajudar esse pessoal a ter uma renda extra", salienta Antônio Joel Barbosa, diretor de Fiscalização da Seagri.

Ainda segundo ele, além de terem a renda extra, os catadores colaboram para a limpeza do Parque ao recolher a latinhas.



  •  

"Só vou deixar os cavalos quando eu morrer", diz pai que mudou de profissão para apoiar sonho do filho

8/9/2018, 12:50h

Normalmente são os pais que influenciam nos gostos dos filhos. Mas, apesar de comum, esta não é uma regra, e seu Severino Silva Costa (foto), 48 anos, é um exemplo. Quem o vê, pacato, ao lado do seu cavalo Tadeu e do boi Virgulino, nem imagina a história de amor que ele tem com seus animais e de como seus filhos influenciaram nesse sentimento.

Seu Severino, que mora no distrito de Tiquaruçu há 27 anos, é pai de dois meninos. Sua relação com os cavalos começou quando seus filhos ainda eram crianças e tinham três e sete anos. Nesta época, o mais velho se apaixonou por montaria, e o pai, mesmo relutando, apoiou. 

"Ele sempre quis montar cavalos. Enquanto eu proibia, ele montava escondido com os amigos. Com isso, eu vi que era melhor apoiar do que ser contra", explica seu Severino. Hoje, 10 anos depois, o esforço do pai valeu a pena. O filho já foi até para o Rio de Janeiro, em competições de montaria. 

Enquanto apoiava o filho na carreira escolhida, seu Severino se aproximava e se apaixonava pelos animais. "Eu vivo no campo, produzindo. Eles trouxeram essa profissão para mim, porque nunca montei na minha vida". Hoje os animais se tornaram sua principal fonte de renda. Na Expofeira 2018, ele disponibiliza os bichos para montaria e passeio pelo Parque. "Eu só vou deixar os cavalos quando eu morrer", relata.

Animais treinados o ano todo

 

Olhando para Tadeu e Virgulino é impossível não perceber o reflexo do cuidado do dono no comportamento do animal. "Eles comem bem para aguentar  o trabalho. Passam o ano treinando. Aí pode soltar a rédea que não vai derrubar quem estiver montado", garante Severino, orgulhoso.

Para dar a volta na pista, montado no animal, o visitante paga R$ 5,00. Caso queira só uma foto utilizando a montaria, o valor é R$ 2,00.



  •  

Comerciantes de produtos artesanais elogiam organização da Expofeira e apostam nas vendas

8/9/2018, 12:20h

O feriadão que se iniciou nesta sexta-feira, 7, com às comemorações da Independência do Brasil, aumentou as espectativas dos comerciantes do setor de artesanato do Parque de Exposição João Martins da Silva, em ampliar as vendas dos seus negócios.

A Exposição, que nesta edição não conta com a programação de grandes shows musicais, medida que foi tomada pelo prefeito Colbert Martins Filho, em decorrência do momento econômico que passa o país, com reflexos diretos na arrecadação dos municípios, tem sido bem avaliada pelos expositores, que apoiam a decisão do governo.

Bom movimento este ano

"Graças a Deus estamos tendo um bom movimento, nesta expofeira. Além de vender os nossos produtos, o cliente passa a conhecer as nossas lojas e, assim, a gente aumenta a nossa clientela", comemora Ton Moura (foto), proprietário da Bahia Pita Artesanato e do Palete e Cia.

O comerciante, cuja família trabalha há mais de trinta anos no Centro de Abastecimento com produtos de cerâmica, disse que o ano passado as vendas foram boas, "mas este ano está melhor, e sem os shows, então, ficou maravilhoso".

Esquema de segurança é um dos aspectos positivos

A regularidade do esquema de segurança planejado pela Secretaria de Prevenção à Violência, através da Guarda Municipal, é um dos aspectos positivos apontado por Rosa Bonifácio de Queirós (foto).

A comerciante de calçados de couro cru acredita que "as vendas devem aumentar bastante, agora, durante o feriadão, com o aumento do número de famílias visitando a Expofeira", disse.

Já a presidente da Associação dos Artesãos do Mercado de Arte Popular, Maria Catarina Almeida, elogiou a segurança prestada pela Guarda Municipal e a Polícia Militar, e sugeriu que a organização do evento volte a liberar o acesso pela frente do Parque João Martins.

Expositoras de moda praia comemoram

Dividindo o mesmo espaço, Lilian Lago e Flávia Nascimento (foto), expositoras de "moda praia", e de bolsas e conjuntos de cozinha e banheiro, respectivamente, disseram  que "estão vendendo desde o primeiro dia".

Com o feriadão, esperam aumento de 100% nas vendas

Demonstrando bastante otimismo, Camila Sales (foto), que viu as suas vendas crescerem, espera que "com o feriadão as vendas aumentem em 100%".



  •