Mais de 300 cirurgias ortopédicas foram realizadas pelo Município até agosto

9/10/2017, 15:50h

A Prefeitura de Feira de Santana realizou, através da Secretaria Municipal de Saúde, de janeiro a agosto deste ano, 333 cirurgias ortopédicas. Os procedimentos de média complexidade, que são de competência do Município, foram realizados nas unidades prestadoras.

A secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, considera que esse é número expressivo diante do déficit no volume de recursos que estão sendo repassados pela União para o Governo Municipal.

“Mesmo diante das dificuldades por conta do repasse, a Prefeitura tem cumprido a sua responsabilidade junto a população no que diz respeito a realização de cirurgias ortopédicas de média complexidade”, afirma.

De acordo com Denise Mascarenhas, o valor do recurso repassado pela União (R$ 94 mil mensais) não cobre as despesas com o total dos procedimentos cirúrgicos realizados, o que gera um déficit anual estimado de R$ 4 milhões. Ela destaca que, somente no ano passado, foram realizadas 646 cirurgias ortopédicas, através da SMS.

Hospitais credenciados

A rede de ortopedia em Feira de Santana é composta por seis hospitais e clínicas, sendo eles Casa de Saúde Santana, Cliort (Clínica Ortopédica e Traumatologia); HTO (Hospital de Traumato e Ortopedia); HORT (Clínica de Fisioterapia, Ortopedia e Traumatologia); Hospital Dom Pedro de Alcântara e o Hospital Geral Clériston Andrade.

As cirurgias da competência do Município são de fraturas fechadas normais, com uso de placa, pino, etc. O único hospital credenciado em alta complexidade em ortopedia, pelo Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, é o Hospital Estadual da Criança.

  •  

Secretários discutem em Feira organização dos leitos de obstetrícia

9/10/2017, 15:38h

A Secretaria de Saúde de Feira de Santana sediou nesta segunda-feira, 9, reunião ampliada da Comissão Intergestora Regional (CIR). O encontro, no auditório Dr. João Batista de Cerqueira, reuniu secretários municipais de duas regiões de saúde: Feira, que engloba 28 municípios, e Serrinha, com 19 cidades.

A pauta da reunião foi discutir o fluxo materno infantil e o papel de cada município para garantir a organização da rede e, sobretudo, o serviço materno infantil. A secretária municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, observa a importância em discutir as políticas públicas da rede cegonha.

“A organização dos leitos de obstetrícia oferecidos pelo SUS é muito significativa, tendo em vista a necessidade dos municípios circunvizinhos se planejarem para atendimentos de partos habituais e encaminhamentos necessários das pacientes de alto risco e ambulatório de pré-natal de alto risco tipo II – requer mais atenção - para as unidades de referência em Feira e Salvador”, afirma Denise.

A reunião foi conduzida pelos técnicos da Sesab (Secretaria da Saúde do Estado da Bahia) e do Núcleo Regional de Saúde. Entre os presentes, Ivonildo Dourado, coordenador da CIR Centro Leste, e Alcina Romero, diretora de Atenção Especializada.

  •  

Aberta II Mostra de Artes do CAPS III no MAP

9/10/2017, 15:18h

Foi aberta, nesta segunda-feira, 9, no Mercado de Arte Popular (MAP), a II Mostra de Artes do Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS) Dr. João Carlos Lopes Cavalcante, reunindo trabalhos artesanais e artes plásticas, produzidos por usuários da instituição.

Organizada pela equipe de Saúde do CAPS em homenagem ao Dia da Saúde Mental, comemorado nessa terça-feira, 10, a mostra se divide em duas etapas. A primeira, de 9 a 13, serão expostos trabalhos em tela, enquanto a fase seguinte, de 16 a 20 de outubro, estarão sendo apresentados trabalhos artesanais.

O evento promove a reabilitação psicossocial de pacientes maiores de 18 anos portadores de transtornos mentais graves e persistentes, inclusos no projeto desde 2005.

Para a psicóloga Dailey Oliveira Carvalho, que ao lado das psicólogas Taise Lacerda e Margarete Carneiro, coordena o processo de ressocialização, “a mostra melhora a autoestima dos usuários, a partir da exposição e divulgação dos seus trabalhos”.

Iracy Andrade, um das expositoras da mostra, tem 59 anos e luta contra o seu transtorno desde os 19 anos de idade. Ela relata que “a terapia ocupacional tem uma importância muito grande, pois o tratamento medicamentoso, por si só, não consegue bons resultados na ressocialização dos pacientes”.

  •  

Bahia do Centro goleia Santos e conquista título na Rua Nova

9/10/2017, 13:49h

O Bahia do Centro se sagrou campeão do Campeonato da Rua Nova ao vencer o Santos, de Irará, por 3 a 0. A decisão de um dos mais tradicionais certames do município aconteceu na manhã de domingo, 8, no Estádio Beira Riacho, que recebeu um grande público. Os gols foram marcados na segunda etapa. O certame teve o apoio da Prefeitura de Feira de Santana.

Além do Troféu Vicente de Jesus, o seu Fia – homenagem ao torcedor que morreu nas dependências do Beira Riacho, o campeão ganhou R$ 15 mil como premiação. O vice-campeão ganhou R$ 5 mil mais o Troféu Paulo Brasileiro, desportista feirense recentemente falecido. Alexandre, do Tomé de Souza foi o artilheiro, com seis gols, e Marquinhos, do Santos, foi a revelação do campeonato, que teve a participação de 12 equipes.

O time feirense fez melhor campanha do que o seu adversário na final. Entretanto, o regulamento da competição prevê que não existe vantagem na partida decisiva. O jogo foi movimentado, com chances de gols para ambas as equipes. Mas nos 45 minutos finais o Bahia mostrou superioridade e marcou os gols que lhes deram o título.

Iniciado em abril, o Campeonato da Rua Nova, que neste ano inscreveu pela primeira vez uma equipe de outro município, deu uma parada em junho, devido as chuvas que deixam o campo ser condições para a prática do futebol. “Estamos contentes com os resultados e acredito que no próximo ano o nosso campeonato será mais competitivo”, disse o coordenador Juliano Pedreira.

  •  

FUNTITEC solicita relatório estrutural do Casarão dos Olhos D’água

9/10/2017, 13:42h

Após firmar o Termo de Convênio com a Fundação Alfredo da Costa e Almeida Pedra, a Fundação de Tecnologia da Informação, Telecomunicação e Cultura Egberto Costa - FUNTITEC, que agora administra oficialmente o Casarão Olhos D’Água, encaminhou expediente ao secretário Pablo Roberto, titular da Secretaria Municipal de Prevenção a Violência e Direitos humanos, solicitando apoio da Defesa Civil, objetivando o fornecimento de um relatório da parte estrutural, buscando o detalhamento da parte física do prédio.

A solicitação é parte da iniciativa do presidente da FUNTITEC, Antonio Carlos Coelho, em dar celeridade ao processo de transformação do prédio no Memorial do Vaqueiro. “Após esse relatório vamos montar, junto com o departamento de administração da FUNTITEC, um processo de inexigibilidade para contratação de pessoas com notória especialidade no assunto, para construir o Memorial do Vaqueiro, motivo esse pelo qual a Fundação assumiu a administração do equipamento”, afirmou Antonio Carlos.

Ainda de acordo o presidente, o departamento irá enviar esse processo para o Tribunal de Contas do Município - TCM solicitando um parecer sobre o assunto. Caso não seja acatado por parte do TCM o processo por inexigibilidade, será preparado um processo licitatório. “Estamos buscando o processo mais rápido para iniciar a obra. Vamos fazer as intervenções necessárias para inaugurar um novo espaço de conhecimento e entretenimento cultural para o nosso município”, disse.

  •  

O primeiro militar a se eleger vereador em Feira

9/10/2017, 9:38h

Na revista do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana, editada em 2012, o decano radialista e jornalista Zadir Marques Porto lembra a figura do sargento Antônio Antunes dos Santos, mais conhecido como “Sargento Aranha”, que teve importante passagem na vida da cidade. Vale a pena ler de novo este texto publicado em  20 de julho de 2012.  (Adilson Simas).

Sargento Aranha “Meu tipo inesquecível”
ZADIR MARQUES PORTO

Um patriotismo que poderia ser medido pela sua própria estatura – mais de 1,95 m, de músculos e vitalidade – aliada às atitudes, ao ponto de dar a um dos seus filhos o nome de Brasil. De aparência irascível, que chegava a amedrontar, na verdade era um bonachão, um homem preocupado com todos os que queriam, sim, um país melhor e um povo com o necessário espírito de civismo. E nessa missão se empenhava tanto que, às vezes, por não entendê-lo, muitos achavam que ele era intransigente e mandão. Sem querer plagiar a seção da tradicional revista Seleções Reader’s Digest, poderíamos incluí-lo em “Meu Tipo Inesquecível”, muito embora só o tenha visto de perto pouquíssimas vezes.

Antônio Antunes dos Santos, pernambucano de Recife, nascido em 15 de agosto de 1920, o eterno “Sargento Aranha”, mesmo depois de ter sido elevado a 1º tenente, foi uma figura que marcou em Feira de Santana. Depois de comandar a Polícia Especial em Salvador, veio para esta cidade, como instrutor do Tiro de Guerra 17 (TG-17) que tinha sede na Praça Dois de Julho, Rua de Aurora (Rua Desembargador Filinto Bastos). Era militar na extensão da palavra. Não admite brincadeiras ou “corpo mole” nas atividades que comandava. O amor à pátria aflorava em cada atitude.

Nos desfiles de 7 de Setembro e 2 de Julho, ou qualquer outro momento cívico, ele estava à frente, liderando, com passadas largas, pisando forte, peito estufado e voz de trovão. E ai de quem não lhe acompanhasse! Fundou a Escola Dois de Julho, com fardamento verde-amarelo, que funcionou nesta cidade e em Conceição do Jacuípe. O conceito era a Pátria e os pais corriam para colocar seus filhos nesse estabelecimento. Antes de vir para a Terra de Santana fora lutador e já com a idade avançada para a prática de luta livre, aceitou o desafio de um pugilista profissional jovem, em nome de Feira de Santana.

Antônio Antunes dos Santos foi professor de Educação Física do inesquecível Ginásio Santanópolis e eleito vereador em 1963, como primeiro militar a chegar a Câmara Municipal. Foi substituído no cargo pelo suplente José Ferreira Pinto. Em 1970 voltou a ser eleito mas renunciou, substituindo-lhe o atual presidente, o advogado e professor Nilton Belas Vieira. Era um brasileiro convicto e não aceitava, em hipótese alguma, que alguém falasse mal de Feira de Santana ou do Brasil na sua presença. Mas era de um coração talvez maior que o seu corpanzil. Emocionava-se a uma demonstração de amor à pátria e fora do rigor das atividades oficiais era um ser extraordinariamente afável.

Promovia torneios esportivos, festas e outros eventos sociais aos quais os jovens acorriam sabedores de que ali haveria ordem e respeito. Os festejos de São João que realizava em sua residência, na Rua Araújo Pinho, até hoje são lembrados com saudade pelos jovens daquela época. Fartura em bolos, canjica, milho verde, amendoim, licores, muito forró, onde surgiam namoros respeitosos. Sair da linha, nem pensar! No esporte também marcou. Apaixonado pelo futebol construiu um campo, em frente ao atual prédio do Empresarial Rosilda Dantas, na Avenida João Durval. Mas a gurizada tinha que estudar para jogar no time do “Sargento Aranha” que não gostava de perder.

Há fatos no mínimo hilários corridos no futebol, envolvendo esse patriota sem igual. Jogo Duro no Campo Dois de Julho com o time do Sargento, que também era o juiz, empatado em 0 x 0. Apito final e a garotada deixando o campo quando um apito forte e o vozeirão do sargento se faz ouvir:

- Volta todo mundo.

E a meninada sem entender pergunta o motivo e Aranha no seu tom incontestável:
- Esqueci de marcar um pênalti! – naturalmente, para o time dele.

O goleiro adversário debaixo da trave e o jogador do Dois de Julho, escolhido para a cobrança, nervoso com a responsabilidade, deu um violento chute para longe.
- É tinha que ser empate mesmo -, balbuciou Aranha, enquanto deixava o campo.

Em outra oportunidade, durante um jogo no Campo da Usina de Algodão, que ficava próximo ao atual Colégio General Osório, no início da Rua Castro Alves, também estava empatado quando um atacante, depois de bela jogada, chutou muito forte e a bola passou raspando a trave defendida por Branco, excelente goleiro, apesar da baixa estatura. Aranha acompanhou o lance e saiu correndo para o meio de campo. Como era natural, o goleiro protestou:

- Foi pra fora Sargento.

E Aranha categórico: “Mas se fosse dentro você não pegava!”.

Muitos e muitos outros casos engraçados ocorreram com o espirituoso Sargento Aranha, mas nada comparável ao seu patriotismo, ou seu espírito militar, ao seu amor pela família e aos valores morais.

Aliás, por tudo que representou para a juventude da época, Antônio Antunes dos Santos, até hoje está a merecer um maior reconhecimento da terra que ele tanto defendeu.

  •  

Internautas vão escolher melhor trabalho estudantil sobre patrimônio histórico de Feira

9/10/2017, 9:20h

A partir desta segunda-feira, 9, os internautas podem votar na melhor produção de vídeo, e-book e fotografia, trabalhos elaborados por estudantes da Rede Municipal de Ensino que exploraram aspectos diversos do patrimônio histórico-cultural de Feira de Santana. Eles participam da segunda edição do Feira Que Te Quero Ver, iniciativa da Secretaria Municipal de Educação envolvendo escolas de Ensino Fundamental II - do 6º ao 9º ano - de 20 escolas públicas.

Para votar nas três categorias, o público deve acessar o site www.feiraquequerotever.com.br. A votação estará aberta até o dia 15 de outubro.

O objetivo do projeto é valorizar o patrimônio histórico-cultural de Feira de Santana e promover o uso da tecnologia a favor da educação. Em 2017, os estudantes estão explorando aspectos próprios dos bairros onde as escolas estão localizadas.

“A ideia é que o aluno conheça a história do seu lugar de origem, que ele frequenta diariamente. É uma forma de preservar e valorizar a identidade deles, além de promover o pertencimento de cada estudante", destaca a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

O projeto, segundo a visão da secretária, também estimula o amor pela cidade. "É uma forma de demonstrar o quanto gostamos de Feira de Santana”, comenta.

Durante a primeira etapa do Feira Que Te Quero Ver os alunos visitaram espaços importantes dos bairros, gravaram vídeos, fizeram entrevistas e conheceram diversos pontos históricos da cidade; já na segunda, produziram os materiais contando a experiência e compartilhando o aprendizado adquirido nas visitas. Eles também tiveram aulas sobre a utilização das ferramentas proporcionadas pela tecnologia da informação e seu uso na educação, dentre os quais, celulares, computadores, câmeras, etc.

Após o período de votação aberto à comunidade, os materiais produzidos pelos estudantes serão analisados e votados por uma comissão instituída pela Seduc, composta por professores, pesquisadores e/ou produtores ligados à articulação do audiovisual com a educação. Esta análise ocorrerá nos dias 19 e 20 de outubro. A comissão terá no máximo cinco membros, que não integram a Prefeitura ou a Seduc.

A cerimônia de premiação dos trabalhos mais votados está prevista para a primeira quinzena de novembro.

  •  

Karatecas de seis municípios disputam 28ª Taça Budokan

9/10/2017, 9:15h

Karatecas de Santa Bárbara, Araci, Ipirá, Candeal, Salvador e Feira de Santana participaram, neste domingo, 8, da 28ª Taça Budokan do Estado da Bahia, no Ginásio de Esportes do Sesi, no Alto do Cruzeiro.

Disputaram medalhas no katá (luta imaginária) – individual e equipe, mais kumitê, que é o confronto direto entre os atletas. Centenas de familiares e amigos dos participantes prestigiaram a competição.

Campeão Panamericano, título conquistado em agosto, em Buenos Aires, e classificado para o Mundial de Tóquio, em 2019, Jubiraci Jesus da Silva, lembrou que a sua história no karatê começou há 25 anos, na Taça Budokan.

Sexto dan, Rui Albuquerque diz que o karatê é uma arte que trabalha o emocional, a ética, a moral e a disciplina. “Além de ser um esporte de inclusão”. Foi o mais graduado dos mestres presentes à competição.

O mestre Jotaécio Gomes, disse que a tradicional competição vem, ao longo dos anos, se mostrando um celeiro de grandes atletas, que mostram talento, competência e respeito ao karatê.

O deputado estadual Carlos Geilson esteve presente ao evento.

  •  

Prefeito autoriza construção do estádio de Ipuaçu

9/10/2017, 9:3h

Dentro de cinco meses, os jogos de futebol no distrito Governador João Durval Carneiro serão realizados no moderno estádio que a Prefeitura de Feira de Santana vai construir no local. A ordem para que o serviço seja iniciado foi assinada na manhã deste domingo, 8, pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho.

Para ele, esta autorização é um momento único na vida dos desportistas de Ipuaçu, como o local também é conhecido, que souberam esperar para que este sonho coletivo fosse realizado. “Estamos, neste momento, iniciando a concretização de um sonho que foi compartilhado por muitos e que vai atender as necessidades de tantos outros”.

O anúncio da obra foi realizado no local onde o estádio de Ipuaçu será construído – no terreno ao fundo da creche. José Ronaldo disse que a escolha da área demandou tempo devido ao terreno acidentado. “E para que este problema fosse corrigido, houve um aumento significativa no valor da obra, para a construção de um muro de contensão com pedra e argamassa”.

O prefeito também anunciou para dezembro a licitação que vai definir a empresa que vai pavimentar ruas nas proximidades da Caixa D’agua. A intervenção atende aos pedidos dos moradores. “Empenhei a palavra com os desportistas e com os moradores daquelas ruas”. Pediu para que a empresa responsável pela obra, a LD Engenharia, oferecesse as vagas de emprego, mesmo que temporários, para os moradores do distrito.

O desportista Carlos Alberto lembrou que sempre confiou que Ipuaçu, como todos os outros distritos de Feira de Santana, ganharia o seu estádio com dimensões oficiais, alambrado, iluminação, entre outros equipamentos. “Quem não acreditou agora ta vendo que o prefeito sempre cumpre o que diz. É um homem de palavra”.

Estiveram presentes o vice-prefeito Colbert Filho, o chefe de Gabinete do Prefeito, Mário Borges, o deputado estadual Carlos Geilson e os vereadores Lulinha da Conceição, Cadmiel Pereira e João Bililiu.

  •  

Meninas de escola municipal ganham baile de debutantes

10/10/2017
Através do projeto 15 Primaveras 24 meninas de uma escola da rede municipal realizaram o sonho de ter um baile de debutante.

Compartilhar no Facebook    
  •