Feira de Santana vai ganhar a primeira Escola da Guarda Civil da Bahia

12/9/2018, 10:56h

Feira de Santana vai contar, a partir do próximo ano letivo, com a primeira Escola da Guarda Civil Municipal da Bahia, unidade que será responsável pela formação de 400 agentes capacitados para ingressar na corporação, assim que concluírem o curso.

Com similar na cidade paulista de Sorocaba, a Escola da Guarda Civil Municipal vai funcionar no prédio da antiga Escola Antônia Costa, na rua Caravelas, no bairro Chácara São Cosme, onde uma profunda reforma estrutural foi iniciada nesta quarta-feira, 12, com previsão para ser concluída em dezembro.

Oriundo de um convênio firmado entre a Loja Maçônica Segredo, Força e Aliança e as secretarias de Educação e de Prevenção à Violência (Seprev), o equipamento será reformado com recursos próprios do Munícipio e funcionará em regime de dois turnos.

De acordo com o secretário Pablo Roberto Gonçalves (Seprev), para ingressar na Escola da Guarda Municipal, os candidatos, na faixa etária entre 14 e 17 anos, passarão por um processo de seleção que será aberto pela Secretaria de Educação.

“O diferencial da Escola Civil da Guarda Municipal, das demais escolas é que, no contra turno, os alunos poderão estagiar na estrutura administrativa da Prefeitura Municipal”, disse o secretário.

Acompanhado do secretário Ozeny Moraes (Gestão e Convênio), o prefeito Colbert Martins Filho inspecionou as instalações do equipamento, determinou a Diretoria de Parques e Jardins que execute um projeto ornamental para o pátio da escola que pretende inaugurar antes do próximo ano letivo.



  •  

Cadastro e atualização de dados do Bolsa Família já são realizados em quatro CRAS

12/9/2018, 10:28h

Os serviços de cadastro e atualização de dados para o programa Bolsa Família já estão sendo realizados em quatro Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) em Feira de Santana. A iniciativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) visa proporcionar mais agilidade e conforto aos beneficiários do programa, evitando o deslocamento dos interessados à Central, no centro da cidade.

A descentralização foi iniciada pelo CRAS Rua Nova e, agora, a partir desta semana, passou a funcionar também nos CRAS dos bairros Santo Antônio dos Prazeres, Mangabeira e Jardim Acácia/Fraternidade. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira.

Ampliar a descentralização

O secretário de Desenvolvimento Social, Ildes Ferreira (foto), ressaltou a pretensão de ampliar a descentralização dos serviços do Bolsa Família levando o atendimento ao todos os 15 CRAS existentes na cidade, até final deste ano. “É uma iniciativa fundamental e que tem dado bons resultados pois as pessoas não necessitarão mais ir à Central do Bolsa Família. Com isso, evita-se o deslocamento desnecessário dos bairros”, afirmou.

Ildes Ferreira anunciou ainda que já no próximo mês o atendimento do Bolsa Família passará a ser realizado me outros três CRAS da rede de Feira de Santana. “Nossa meta é instalar em mais três, mas ainda não definimos quais serão contemplados em outubro”, destacou.

Beneficiário do Bolsa Família aprova descentralização do serviço

Beneficiários do programa social Bolsa Família comemoram a descentralização no atendimento. Em quatro bairros, a comunidade não precisa mais se deslocar até a Central para realizar cadastro ou atualização de dados: basta se dirigir à unidade do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) da própria localidade, onde os serviços já são totalmente desenvolvidos.

O atendimento descentralizado já está sendo realizado nos CRAS dos bairros Rua Nova, Santo Antônio dos Prazeres, Mangabeira e Jardim Acácia/Fraternidade. E, até o próximo mês, chega em mais três, seguindo um ciclo até completar todos os 15 Centros de Referência em Assistência Social de cobertura da cidade.

Sai para resolver e volta rapidinho

Para quem necessita dos benefícios do programa social, a iniciativa foi bem recebida. “Está sendo ótimo porque as vezes temos que resolver alguma pendência do Bolsa Família e não temos com quem deixar os filhos. Agora perto de casa a gente sai para resolver e volta rapidinho”, afirmou Margarida Souza da Silva (foto), ao se dirigir ao CRAS Santo Antônio dos Prazeres.

Facilitando bastante o acesso

A mesma satisfação é de Lucineide Chaves de Lima (foto), que foi ao CRAS Santo Antônio dos Prazeres atualizar o cadastro. “Está facilitando bastante o acesso, sem falar que aqui o atendimento é para quem mora na comunidade, o que reduz o tempo de atendimento”, destacou.

Trinta senhas diárias

A coordenadora do CRAS Santo Antônio dos Prazeres, Ivanete Rios (foto), ressaltou que o atendimento ao público está sendo realizado diariamente, das 8h às 13h. Para tanto foi disponibilizada uma sala especialmente para o serviço, com distribuição de 30 senhas diárias, além de agendamento para dia seguinte.



  •  

Vistoria anual da frota de táxis começa dia 17

12/9/2018, 9:13h

Anual e obrigatória, a vistoria da frota de táxis de Feira de Santana será iniciada no dia 17 e encerrada em 23 de novembro. A fiscalização, feita no pátio da Secretaria de Transporte e Trânsito, objetiva observar as condições físicas destes veículos - são 1.350 táxis autorizados e credenciados pela Prefeitura.

A prestação do serviço está condicionada à apresentação do Documento de Arrecadação Municipal (DAM) devidamente quitado. Os autorizados devem comparecer à Divisão de Concessões e Permissões para retirar e pagar o DAM com antecedência, que terá limite até o dia 23 de novembro.

As avaliações serão realizadas nos dias úteis e das 9h às 11h30 e das 14h às 16h30. Diariamente serão distribuídas 30 senhas. O veículo que não for levado à vistoria no prazo previsto será submetido a processo administrativo e poderá ter a sua concessão cassada.

Divisão de Concessões e Permissões

Os autorizatários deverão comparecer à Divisão de Concessões e Permissões e apresentar originais e fotocópias dos documentos: CRV/DUT (Certificado de Registro de Veículo), CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo), Antecedentes Criminais (emitido pelo SAC).

Também deverão apresentar documento oficial com foto do autorizatário (caso não seja o condutor), título de eleitor, comprovante de residência atual, certificado de aferição do taxímetro/Ibametro 2018, h) inspeção GNV (se for o caso), comprovante de pagamento do DAM, para condutor auxiliar: CNH (categoria B), título de eleitor, comprovante de residência (atual) e Antecedentes Criminais (emitido pelo SAC).



  •  

Kit gratuito para TV Digital já está sendo distribuído

11/9/2018, 18:52h

O kit da TV Digital já está sendo distribuído em Feira de Santana, para garantir a acessibilidade à informação através da TV aberta para quem não tem condições de adquirir um aparelho de TV moderno, já digital, ou comprar um conversor. O equipamento está sendo entregue exclusivamente para as pessoas que possuem inscrição no Número de Identificação Social (NIS).

O secretário de Desenvolvimento Social (Sedeso), Ildes Ferreira, orienta as pessoas interessadas a se cadastrarem para receber o kit da TV Digital de três formas: uma delas é se dirigindo a um dos 15 Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) espalhados pela cidade, em uma das escolas da rede pública municipal de Feira de Santana selecionadas para o serviço ou também se cadastrando pela internet, no endereço eletrônico www.sejadigital.com.br. Em seguida, a pessoa é orientada a se dirigir ao local de distribuição para receber o equipamento.

Distribuição até meados de dezembro

Ildes Ferreira orienta às pessoas que desejarem adquirir o equipamento gratuitamente a não deixarem para última hora para fazer o cadastro e retirar o kit. Ele alerta que a partir do dia 5 de dezembro o sinal analógico da TV aberta será desligado. “Nossa previsão é de continuar distribuindo o kit na cidade até meado de dezembro”, informou.

Somente em Feira de Santana cerca de 80 mil pessoas estão habilitadas a receber o kit da TV Digital, equipamento que vai possibilitar a quem possuir TV com sinal analógico a continuar assistindo a programação de TV normalmente.



  •  

Seprev lança campanha Feira Pede Paz

11/9/2018, 17:20h

Tendo como símbolo o origami da pomba da paz, Feira de Santana desperta para a cultura da paz e não violência com a campanha Feira Pede Paz, promovida pela Secretaria Municipal de Prevenção à Violência e Promoção dos Direitos Humanos (Seprev). A primeira semana será realizada no período de 13 a 16 deste mês, com atividades diversas na Casa da Paz, instalada no canteiro da avenida Getúlio Vargas, cruzamento com a rua Castro Alves, antigo espaço Marcos Moraes.

O evento, conforme o secretário da Seprev, Pablo Roberto, visa mobilizar a comunidade feirense a fortalecer a cultura da paz e não violência, além de refletirem sobre como podem promover a paz em seus espaços de convivência.

Abertura na quinta-feira, 13

O coordenador da campanha, Cristiano Queiroz, informa que a Casa da Paz será aberta nesta quinta-feira, 13, às 9h30min. Em seguida, uma amostra da campanha Feira Pede Paz, abordando sobre a iniciativa e seus objetivos, e uma oficina de confecção de origami, movimentando o espaço durante toda a manhã.

Ainda na quinta-feira, às 18h30min., o pré-lançamento da Caravana da Paz, na Associação Presidente Getúlio Vargas, à rua Miguel Calmon, 291, bairro Jardim Cruzeiro. Para tanto será mobilizado o ônibus da caravana, onde será realizada a recepção das pessoas colando preguinhas da campanha e bottons, confecção de origamis, discussão de alternativas de mobilização da paz, apresentação de vídeos e abordagens sobre a campanha.

Já na sexta-feira, 14, as atividades serão desenvolvidas durante todo o dia. Às 8h, apresentação da campanha, seguido de oficina de confecção de origamis e, a partir das 10hs, adesivaço Feira Pede Paz, com divulgação da campanha com calagem de adesivos em veículos. Logo depois, captação de pessoas para as Oficinas de Mobilizadores da Paz. No período da tarde, amostra da campanha, confecção de origamis e distribuição de adesivos da campanha.

Oficina para confecção de origami

Enquanto isso, no sábado, 15, além da amostra da campanha, oficina para confecção de origami e distribuição de adesivos do Feira Pede Paz, durante todo o período da manhã, a campanha também vai levar a Caravana da Paz para a praça do Nordestino, a partir das 8hs, onde serão desenvolvidas diversas atividades.

As atividades da Semana de Feira Pede Paz serão encerradas no domingo, 16, com aula de dança, com Luciano Melo, em frente à Casa da Paz, a partir das 7hs. No local também serão feitas apresentações sobre a campanha e seus objetivos para a comunidade feirense.



  •  

FEIRA EM HISTÓRIA: Curiosidades sobre alguns nomes das ruas de Salvador

11/9/2018, 17:3h

O Blog Santanópolis publica matéria com título acima que vale a pena a sua leitura, até como estímulo para que estudiosos da vida feirense possam abraçar a tarefa de buscar a origem de becos, vielas, ruas, avenidas, praças, bairros e até de comunidades distritais (Adilson Simas).

PELOURINHO - Eram colunas de pedra colocadas em lugar público da cidade ou vila para tortura. No Pelourinho os escravos eram torturados e expostos à execração pública.

TERREIRO DE JESUS - Denominação dada à praça em homenagem aos Jesuítas, cujo colégio estava neste local.

PRAÇA DA PIEDADE - Tem esse nome por causa da Igreja Nossa Senhora da Piedade. Nesta praça os condenados eram enforcados, como foi o caso dos líderes da Revolta dos Alfaiates.

RUA DA FORCA - Recebeu esse nome porque era a rua por onde passavam todos os condenados ao enforcamento, que ocorria na Praça da Piedade.

RUA CHILE - Levou o nome devido à visita dos oficiais da Marinha de Guerra Chilena que esteve em visita a Salvador, em 1902.

PRAÇA CASTRO ALVES - Esta praça já recebeu vários nomes: "Largo da Quitanda", "Praça de S. Bento", "Largo do Theatro", na época da inauguração do Theatro S. João, em 13 de maio de 1812. Um grande incêndio destruiu totalmente o teatro. Por fim, a partir de 10 de julho de 1881, a praça recebeu o nome de Praça Castro Alves.

LADEIRA DA BARROQUINHA - O nome origina-se da palavra barranco, e era uma região de depressão provocada pelas chuvas e que era muito utilizada pelo povo que queria ter acesso a Baixa dos Sapateiros.

ÁGUA DE MENINOS - Lugar que tinha uma nascente de água natural onde grande número de meninos iam se banhar. No século XVIII, o governo municipal mandou construir uma bica pública para o abastecimento da população, chamada a Fonte de Água de Meninos.

FEIRA DE ÁGUA DE MENINOS - A feira que hoje é um patrimônio cultural de Salvador foi criada nos anos '60 e era chamada de Feira de Água de Meninos, por ficar num bairro com este mesmo nome. Após ser destruída por um incêndio passou a ser a atual Feira de São Joaquim.

ESTRADA DA RAINHA - Via pública aberta durante o reinado de D. Maria I, rainha de Portugal, conhecida como 'A Louca', durante o período da Inconfidência Mineira.

RIBEIRA - O verdadeiro significado de ribeira é o local onde o navio ou embarcação, tem uma oscilação de marés tal, que permite que o barco fique em seco para trabalhar.

MOURARIA - Este nome se dá pelo fato do local ter sido designado para habitação dos primeiros ciganos de origem moura degredados de Portugal, em 1718.

LADEIRA DA PREGUIÇA - A elite da época, a qual residia em casarões ao longo desta via, costumava divertir-se com gritos de "sobe preguiça!" ao presenciar os escravos subindo penosamente a ladeira, sob o peso de sacos de mercadorias pesando até 60 kg ou empurrando carretas abarrotadas.

SOLAR DO UNHÃO - O local, onde funciona o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), foi residência do desembargador Pedro de Unhão Castelo Branco, em 1692, e até hoje o local homenageia seu antigo proprietário, mais de 320 anos depois.

RUA DO TIRA CHAPÉU - A Rua do Tira Chapéu, nas proximidades da Praça Municipal, fica defronte ao Palácio Rio Branco, onde funcionava antigamente o Palácio do Governo. Por causa disso, os homens que passavam no local tinham o hábito de tirar o chapéu em reverência aos governantes.

RUA DO TIJOLO - A atual Rua 28 de Setembro localizada no centro histórico, já foi conhecida como Rua do Tijolo, devido ao fato de ali, haverem se instalado as primeiras fábricas de tijolos da Bahia colonial, mas aparece registrada no Livro de Tombamentos dos Bens Imóveis da Santa Casa da Misericórdia, como sendo a Rua do Saboeiro.

RUA D'AJUDA - Foi uma das primeiras ruas da cidade de Salvador. O nome é uma homenagem à padroeira da primeira igreja de Salvador construídas pelos jesuítas - Nossa Senhora da Ajuda.

RUA DO CABEÇA - Ganhou o nome devido a atividade de matança de bois nos currais e abatedouros presentes na região e que expunham as cabeças dos animais em suas portas.

RUA GUINDASTE DOS PADRES - Os guindastes ajudaram a expandir muito as ruas e bairros de Salvador, transportando matérias como: pedras, tijolos, telhas, cal e madeiras que chegvam do Recôncavo baiano em barcos.
As ordens religiosas utilizavam guindastes para facilitar as construções ou ampliações de seus conventos. O chamado Guindaste dos Padres se transformou no atual Plano Inclinado Gonçalves.

RUA DO PAU DA BANDEIRA - Situada no antigo sítio político da colônia, ali fica um mastro onde se hasteavam bandeiras para orientar os navegantes em sua ida e vinda, traduzindo o pertencimento da terra.

PAU MIÚDO - Segundo versões do sr. Laurindo Conceição, por volta dos anos '20, onde hoje está assentado o bairro de Cidade Nova, existia a localidade de Cidade de Palha, em razão das moradias serem de palhas.
Com o decorrer dos tempos, as pessoas, moradores do local, começaram a substituir as casas de palha por casas de barros. Com o objetivo de conseguir a referida madeira, grupos de pessoas, subiam e desciam a ladeira de Quintas com destino ao local onde existia a tal madeira. As pessoas nesse trajeto iam com um feixe de paus miúdos na cabeça e ao serem questionadas de onde vinham respondiam: "venho do pau miúdo", e assim ficou batizado o bairro.

TORORÓ - Nome de origem tupi que significa "rumor de água corrente, rio barulhento", ideia que os índios tinham de uma fonte de água corrente que abastecia o grande dique ali e ainda presente.

ALTO DO CABRITO - Este nome descende ainda da era colonial, localizado no alto onde existiu um engenho de cana-de açúcar com o nome Cabrito.

BECO DO MINGAU - Nome dado por existir ali um ponto de venda de mingau.

LADEIRA DO FUNIL - Este nome é devido ao seu traçado cônico, no formato de um funil.

ABAETÉ - Originou-se de um termo tupi 'abaîté', que significa "terror, horror". É uma referência ao fato de a lagoa ser considerada um lugar mal-assombrado. Lagoa do Abaeté: "lagoa tenebrosa", que teria esse nome em função de suas águas escuras.

ITAPUÃ - Ao contrário do que muita gente pensa, Itapuã não significa "pedra que ronca". O nome do bairro tem origem no tupi e é a contração da palavra itá + apuã, que quer dizer, na língua indígena, "ponta de pedra" ou "cabo de pedra".
Para o historiador Carlos Bahia, no caso específico de Salvador, os habitantes nomeavam suas localidades e limites geográficos a partir das referências tomadas da flora nativa, fazendas, e, sobretudo, dos costumes aqui adquiridos ou trazidos de terras longínquas.



  •  

Governo municipal recebe relatório com demandas de comerciantes do centro da cidade

11/9/2018, 16:49h

Um amplo relatório contendo as principais demandas dos comerciantes das ruas Sales Barbosa, Marechal Deodoro e adjacências, relacionadas ao projeto de requalificação do Centro Comercial de Feira de Santana, foi entregue ao prefeito Colbert Martins Filho, na manhã desta terça-feira, 11.

Fruto de reiteradas reuniões ocorridas no curso dos últimos oito meses, as propostas e anseios dos empresários foram elencados no relatório coordenado pelo SEBRAE. O documento é respaldado pela Associação Comercial e Empresarial, a Câmara de Diretores Lojistas (CDL) e o sindicato patronal.

Considerada uma das principais premissas do Projeto Pacto de Feira, lançado pelo governo municipal em 2014, a requalificação do espaço urbano do Centro Comercial (após a imediata transferência dos camelôs que atuam na área para o Centro Comercial Popular, cuja inauguração está prevista para meados do próximo ano) está orçada em R$ 60 milhões.

Ao receber o relatório das mãos de Renato Lisboa, gerente-adjunto regional do SEBRAE, após ter percorrido as obras do Centro Comercial Popular ao lado de uma expressiva comissão de comerciantes da Sales Barbosa, o prefeito Colbert Martins Filho discorreu sobre “a importância do engajamento dos empresários neste projeto, trazendo sugestões para que nós possamos aperfeiçoá-las”.

Rede elétrica adequada

Depois de ouvir os comerciantes, o secretário Antônio Carlos Borges Júnior (Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico), afiançou que “este  relatório  será  analisado pela Governo Municipal, atendendo as demandas relativas as obras de infraestrutura, como a implantação de uma rede elétrica adequada, combate a incêndio; rede de esgoto e pavimentação, além de ações relacionadas à segurança, limpeza e estacionamento”.

A reunião contou ainda com as presenças dos presidentes da Associação Comercial de Feira de Santana e da CDL, Marcelo Alexandrino e Luís Mercês, respectivamente;  Sávio Sampaio, consultor do SEBRAE, os empresários Alfredo Falcão e Wilson Pereira e Delorme Martins, diretor do Centro de Abastecimento.



  •  

Secretaria de Saúde realizou 312 atendimentos durante a Expofeira

11/9/2018, 16:41h

Durante a 43ª Exposição Agropecuária de Feira de Santana (Expofeira), a Secretaria Municipal de Saúde prestou assistência com uma Unidade Móvel de Atendimento dentro do Parque de Exposição João Martins da Silva. Nesse período foram realizados 312 atendimentos médicos e de enfermagem, além de 66 administrações de medicamentos, duas suturas e três transferências.

“A maior procura por atendimento foi de pessoas que trabalharam no evento, geralmente apresentando dor de cabeça, dor de barriga ou para aferir pressão. São os clientes fixos já esperados todo ano”, informa a enfermeira Jucilene Ramos.

Quedas de cuidadores de animais

Já as três transferências foram motivadas por suspeita de fratura. Todas encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento da Queimadinha e para o Hospital Geral Clériston Andrade. “Duas dessas transferências foram de cuidadores de animais, que caíram e se machucaram, e tivemos um caso isolado por agressão física fora do parque, mas a pessoa procurou atendimento em nossa unidade”, informa a coordenadora, Marydalva Leão.

Diante da movimentação intensa no Parque, Marydalva avalia que foi uma festa tranquila para os profissionais de saúde. “Foi uma festa mais família. Tivemos apenas um caso de alcoolismo e sem registros de gravidade que precisasse ficar muito tempo na unidade”, ressalta.



  •  

Divulgada relação dos homenageados com a Ordem ao Mérito

11/9/2018, 16:35h

No Aniversário da Cidade – 18 de setembro - a Prefeitura de Feira de Santana vai homenagear 33 cidadãos e cidadãs com a Comenda de Ordem ao Mérito. A relação dos homenageados foi divulgada no Diário Oficial Eletrônico (edição de quinta-feira, 6). Neste ano, Feira comemora 185 anos de emancipação política.

Serão admitidos cinco comendadores - a primeira-dama Adenilda Lima Lopes Martins; Althemar Ramos Brandão; Janilson Campos Teixeira; João Antônio Pessoa da Silva Neto e Luziel Andrade de Oliveira - e 28 oficiais – estes nas áreas da assistência social, comunicação social, esportiva, saúde, empresarial, artística e cultural e jurídica. São eles: André Luiz Moraes Oliveira Santos; Antônio Carlos Lucena Rocha; Antônio Raimundo Bastos Melo; Ávido Rodrigues de Medeiros; Carlos Alberto Moura Pinho; Celso Ribeiro Daltro; Daniele Piai Ozores; Domingos José da Paixão; Edson Correia Batista; Fábio Carneiro Vosqui Nascimento.

Ainda na relação de oficiais Geraldo Barros Rios; João Marcelo Azevedo Gomes; Joilton Antônio de Freitas Mattos; Jorge Abel Galeano; José Andrade Moura Júnior; José Carlos dos Passos Souza; José Froes da Mota; José Luciano Simões Ferreira Vital; Liomar Ferreira da Silva; Luiz Alvim Boaventura; Maria da Anunciação Alves Bastos; Renato Pires Freitas; Rita de Cassia Pereira Jatoba; Ronaldo Belo Venas de Queiroz;  Tanurio Brito Ramos; Teonilio Ribeiro Campos Filho; Tulio Coelho Carvalho e Victor Pereira Paschoalin.

A Ordem foi criada em 2005 para homenagear os cidadãos, feirenses ou não, que se tornem merecedores do reconhecimento público da administração municipal.

Ponto Facultativo

Em virtude das comemorações pelo aniversário de emancipação política-administrativa do município, a Prefeitura decretou que será ponto facultativo no dia 18 de setembro (terça-feira). O decreto foi divulgado no Diário Oficial Eletrônico.



  •  

Intolerância e racismo religiosos são temas de formação para professores de História

11/9/2018, 12:34h

Promover a sensibilização dos professores para tratar no contexto pedagógico a diversidade religiosa. Foi este o objetivo da formação para professores de história, promovida pela Secretaria Municipal de Educação. O encontro contou com a presença do pastor Jorge Nery, presidente do Comitê Interreligioso e de Liberdades Laicas de Feira de Santana (Cointer), que discutiu com os professores intolerância e racismo religiosos.

Durante a formação, os professores abordaram a diversidade religiosa dentro do ambiente escolar, que deve ser tema de debate entre alunos, professores, comunidade e também com a equipe de gestão. Eles participaram de rodas de conversa e fizeram a socialização sobre a realidade vivenciada em sala de aula.

 

Celebrar a diversidade​

“Este é um momento de conversa, para lembrarmos aos professores o quão necessário é celebrar a diversidade, manter ambientes de paz na convivência entre aquelas pessoas que possuem ou não possuem crenças, com respeito e aprendizado mútuo”, defende José Nery.

“Nós, do Cointer, entendemos que o espaço escolar é a casa de todos e é também o ambiente propício à construção de uma sociedade cada vez mais democrática”, argumenta Nery. O pastor lembra que ainda existe muita intolerância, racismo e preconceito até mesmo nas escolas e o que o ato de escutar e socializar estes problemas “contribui para o melhor enfrentamento destes entraves de forma sensível e inteligente”.



  •