Pacientes com câncer recebem tratamento odontológico e visita domiciliar

17/5/2018, 9:54h

Em diferentes bairros da cidade, pacientes com câncer têm recebido assistência da Secretaria Municipal de Saúde. É o caso de Maria das Graças, 58 anos, que tem câncer na cabeça, em estado avançado. Por estar acamada e sem condições de se locomover, ela recebeu, na terça-feira, 15, visita domiciliar feita por profissionais da Unidade de Saúde da Família do conjunto Feira VII.

Ao chegar à residência de dona Maria das Graças, a médica Elida Carolina Lessa fez perguntas à família sobre reações, alimentação e os sintomas apresentados. Marlene Pereira, filha da paciente, informou um quadro característico de resfriado. Imediatamente, a médica orientou a família.

A paciente também recebeu a visita de nutricionista e fisioterapeuta do NASF (Núcleo de Apoio a Saúde da Família). “Eles orientaram sobre os alimentos e os exercícios, porque ela está também com trombose”, informa Marlene Pereira.

Prioridade em atendimentos odontológicos

Atendimento especial também foi garantido no bairro George Américo. Basílio Gonçalves, 85 anos. Acompanhado da filha Rosimeire Gonçalves esteve em sua terceira consulta no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO). O paciente tem câncer de próstata e metástase óssea, o que o garante atendimento prioritário.

“Eles são encaminhados antes de iniciar o tratamento contra o câncer na Unacon (Unidade de alta complexidade do Hospital Dom Pedro de Alcântara) e só são liberados para quimioterapia e radioterapia após concluir o tratamento odontológico. O método é uma forma de prevenir algumas complicações bucais, a exemplo da xerostomia (ausência de saliva) que pode causar cárie”, informa a cirurgiã-dentista Juliana Albuquerque.

Para a secretária municipal de Saúde, Denise Mascarenhas, esses atendimentos reafirmam o compromisso com toda diversidade da população. "Estamos aqui para garantir sempre uma melhor assistência e um atendimento cada vez mais humanizado", ressalta.



  •  

Famílias recebem aluguel social e deixam barracos de papelão

16/5/2018, 16:44h

Duas famílias que estavam morando nas ruas, em situação de vulnerabilidade social, foram relocadas para casas alugadas, no conjunto George Américo, na manhã desta quarta-feira, 16. A assistência, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso), foi assegurada através do auxílio Aluguel Social.

As famílias estavam vivendo em barracos de papelão, nas imediações do Centro Social Urbano (CSU), no bairro Cidade Nova. A equipe do serviço de abordagem do Centro de Referência Especializado de Assistência Social Maria Régis (Creas), do bairro Mangabeira, esteve no local, antes de encaminhar famílias para a nova moradia.

Segundo a assistente social Telma Sampaio (foto), as visitas de prepostos da Sedeso às famílias eram frequentes. Além de serem encaminhadas para o Centro de Assistência Social (Cras), também foram atendidas pela equipe do Consultório de Rua, da Secretaria Municipal de Saúde.

Filha grávida e neto de 2 anos nas ruas

Há dez anos vivendo nas ruas, Aidil de Jesus Lima (foto), 54 anos, veio de Salvador em busca de oportunidades. Ela vive nas ruas com uma filha, de 21 anos, grávida, e um neto de 2 anos.

“Vivo de reciclagem e não tenho como pagar aluguel. Estou esperando a Caixa Econômica me chamar para ter minha casa própria”, contou ao informar que já está inscrita no programa Minha Casa, Minha Vida.

Casa estava com as paredes rachadas 

Também morando nas ruas, Jaciara da Silva (foto), 28 anos, tem dois filhos. Um de 6 anos e outro de apenas 2 meses. Ela alega que deixou a casa onde morava, no bairro Mangabeira, porque está com as paredes rachando. “Minha mãe foi morar de favor e eu não tive pra aonde ir com meus filhos”, explica.

“A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social assegurou para as famílias de Aidil e Jaciara o Aluguel Social, por três meses, período para elas conseguirem um vínculo empregatício que permita pagarem o aluguel”, informa a assistente social.



  •  

Mais higiene no comércio de peixes no Centro de Abastecimento

16/5/2018, 16:2h

Os permissionários do galpão de peixes, que será inaugurado no Centro de Abastecimento, concluíram o treinamento sobre legislação sanitária e proteção à saúde do consumidor. Foi realizado em módulos, em parceria firmada entre a Secretaria Municipal de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Unifacs e a Associação dos Comerciantes e Trabalhadores do Centro de Abastecimento.

Eles participaram de oficinas, que tiveram como temas "Controle Higiênico, Sanitário e Manipulação de Alimentos - Modulo Teórico e Prático", no Campus Getúlio Vargas da Unifacs. Entre permissionários e colaboradores foram treinadas 36 pessoas.

Espaço requer outra postura dos comerciantes

“Os permissionários atenderão às determinações das autoridades sanitárias, bem como à Portaria 304, do governo federal, que obriga os comerciantes a oferecer à clientela os produtos de origem animal devidamente resfriados”, disse o titular da Settdec, Antônio Carlos Borges Júnior.

Para ele, o novo espaço de vendas, que deverá ser entregue brevemente, requer nova postura entre os comerciantes, principalmente no tocante à manipulação e à higiene. “Os consumidores estão cada vez mais exigentes. Por isso, os comerciantes devem se adequar a esta postura”.

A capacitação foi ministrada pela professora de Direito Kesia Magalhães (foto), que também coordena o Programa de Integração Social da Unifacs – Integra. Alunos dos cursos de publicidade e propaganda, arquitetura, enfermagem, fisioterapia, logística também participaram dos treinamentos, recepcionando os feirantes, e também das dramatizações.

Comerciantes receberam aulas teóricas e práticas

O treinamento contou, ainda, com a supervisão técnica da professora Jociene Oliveira, que é nutricionista e coordena o curso de nutrição da Unifacs.

Os comerciantes tiveram aulas teóricas e também foram realizadas demonstrações práticas. A técnica de lavagem das mãos foi demonstrada em um dos laboratórios da UNIFACS e os participantes tiveram a oportunidade de colocar em prática as orientações sobre o procedimento em conformidade com as determinações da Anvisa.



  •  

Editais de barracas para 43ª Expofeira já estão disponíveis na Seagri

16/5/2018, 15:0h

Os editais da licitação para a exploração comercial temporária das barracas que serão montadas no Parque de Exposição João Martins da Silva já estão disponíveis na Seagri para os interessados em participar do certame. A licitação está marcada para o dia 30.

Os editais serão entregues na Secretaria da Agricultura, localizada no piso superior do Paço Maria Quitéria, sede administrativa do governo municipal, em horário comercial. A 43ª Expofeira vai acontecer de 2 a 9 de setembro.

“Todos devem preencher os formulários que deverão ser entregues, com a documentação exigida, à Comissão de Licitação, no dia definido no edital”, afirmou o secretário de Agricultura, Joedilson Freitas. Ele diz que o processo foi simplificado, em relação a 2017.

Espaços remanescentes destinados à livre concorrência

Neste ano serão licitados 87 espaços comerciais: 26 destinados à venda de coquetéis, 38 para lanches, seis para acarajé, quatro que serão ocupados por churrascarias, quatro especiais – com 36 metros quadrados, 15 serão montadas na área dos shows para a venda de comidas e bebidas e duas de lanchonetes no mesmo espaço.

O secretário disse que as reservas das áreas que não participam de licitação serão iniciadas no dia 30 de julho e encerrada no dia 31 de agosto. “Mas, os comerciantes que participaram no ano passado terá prioridade sobre os novatos”. Deverão apresentar o DAM (Documento de Arrecadação Municipal) quitado e relativo a 2017.

Este pessoal tem de 30 de julho a 3 de agosto para confirmar o interesse em comercializar no Parque de Exposição durante a mostra. Os espaços remanescentes serão destinados à livre concorrência.



  •  

Comércio de flores gera centenas de empregos e dá colorido ao centro da cidade

16/5/2018


Compartilhar no Facebook    
  •  

Elaborado Plano Municipal da Assistência Social

16/5/2018, 10:15h

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) apresentou as propostas do Plano Municipal da Assistência Social para o período de 2018 a 2021 aos representantes de equipamentos de assistência social e conselheiros ligados à área para uma discussão ampliada com a gestão. O evento foi realizado no auditório da Faculdade Uniasselvi, atendendo a convocação do Conselho Municipal de Assistência Social.

O Plano foi elaborado pela Sedeso e é analisado pelo Conselho Municipal de Assistência Social de Feira de Santana, que também participa dos debates e sugere alterações, caso considere necessárias. E para acelerar o processo de consolidação do plano foi promovida a reunião ampliada.

Durante a abertura do evento, o secretário da Sedeso, Ildes Ferreira, falou sobre a importância de apresentar o Plano para que todos possam contribuir para a sua elaboração.

Plano apresentado nessa quinta-feira

Para a presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Ângela Pérsico (foto), o momento é de importantes contribuições para os avanços nas conquistas sociais. “É um momento rico de diálogos e interlocução onde foram apontadas algumas propostas pelos participantes. E um plano elaborado de acordo com as demandas, e também com as resoluções e determinações da última conferência”, frisou.
Nesta quinta-feira, 17, o plano vai para o Pleno do Conselho para aprovação em reunião ordinária. Depois serão realizadas quatro reuniões itinerantes para que os assistidos possam se envolver mais no processo participativo e democrático de elaboração do Plano.

Planejamento para os próximos 4 anos

O plano foi apresentado por Eduardo Antônio (foto). Em seguida, a diretora do Departamento de Gestão Integrada, Soneide Rios. “Trata-se de um planejamento da política para quatro anos, que já subsidiou o PPA, trazendo informações precisas dos quatro anos de trabalho, nosso planejamento orçamentário e de recursos humanos”.
Já o diretor do Departamento de Assistência Social, Carlos Lacerda, considera a iniciativa uma consideração clara de uma gestão democrática do Governo Municipal. “Ao apresentar o Plano Municipal de Assistência Social com a participação do Conselho como também de todos os trabalhadores do SUAS e também de conselheiros de Assistência Social”.



  •  

Som alto em residências lidera queixas de poluição sonora em Feira

16/5/2018, 9:59h

O combate à poluição sonora continua sendo um dos grandes desafios da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Semmam). No ranking das queixas, as residências lideram com 43% das reclamações, seguido pelos bares.

De janeiro a abril deste ano, o órgão apreendeu quarenta e cinco caixas de som, resultado das operações da campanha “Feira Quer Silêncio”. Neste mesmo período, foram feitas 264 notificações e emitidos 34 autos de infração.

O titular da Semmam, Arcênio Oliveira, reforça que as operações são rotineiras e atendem às denúncias que chegam através do Serviço 156 ou pelos telefones (75) 3322-9300 (Semmam) e 99170-7198 (somente finais de semana).

Poluição sonora é crime ambiental

É considerado abuso o volume do som acima de 70 decibéis, de dia, e de 60 decibéis, à noite, conforme a Lei Complementar nº 041/09. A poluição sonora está enquadrada como crime ambiental e de perturbação da ordem pública.

“A população deve ser sempre parceira no combate à poluição sonora, denunciando as situações em que a aparelhagem esteja sendo utilizada fora dos limites legais de emissão sonora. Isso vai ajudar o trabalho que vem sendo executado”, afirma Arcênio Oliveira (foto).

Bairros onde há mais queixas

Conforme dados apresentados pela chefe da Divisão de Fiscalização da Semmam, Janice Estrela (foto), no ranking das queixas, as residências lideram com 43% das reclamações, seguido de bares. Os bairros que apresentaram maior número de denúncias atribuídas a poluição sonora, nos primeiros quatro meses do ano, foram: Centro com 30 reclamações, Tomba e Capuchinhos com  25 e Campo Limpo 13 ligações.

As operações do Feira Quer Silêncio são desencadeadas em conjunto com as polícias Civil e Militar, Guarda Municipal, Superintendência Municipal de Trânsito, Ministério Público, entre outros órgãos.



  •  

Levantamento analisa potencial para exploração de turismo religioso em Feira

16/5/2018, 9:20h

As experiências exitosas no turismo religioso em cidades como Salvador e Bom Jesus da Lapa, no oeste baiano, entre outros municípios, podem ser estudadas e seus resultados impulsionar este setor em Feira de Santana.

A opinião é de Graça Cordeiro, diretora do Departamento de Turismo, órgão da Secretaria de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, que recentemente participou, em Salvador, do Congresso Nacional do Turismo Religioso.

“A próxima etapa é estudar as viabilidades para que estas experiências sejam adequadas para a nossa realidade”, diz a diretora. Feira tem um importante conjunto de templos religiosos. “Vamos entrar em contato com as lideranças e apresentar-lhes as ideias para que possamos inserir Feira nesta rota”.

Impacto econômico positivo

O evento foi realizado pela Pastur (Pastoral do Turismo Religioso) e a Secretaria de Turismo da Bahia, de 9 a 12 deste mês, com participações de representantes de vários estados. “Nos mostraram como este turismo cresceu e mudou o perfil de várias cidades”.

Graça Cordeiro (foto) diz que o impacto econômico nestas cidades foi altamente positivo com a construção destes santuários. Em Feira, a Settdec já traçou o roteiro das igrejas católicas e está realizando o cadastramento dos terreiros das religiões de origem afro brasileiras.



  •  

"Babel" reúne obras de latinos e europeus no Museu de Arte Contemporânea

16/5/2018, 9:18h

Trabalhos de mais de duas dezenas de artistas latinos – incluindo locais - e europeus, farão parte da mostra “Babel” que será aberta no Museu de Arte Contemporânea Raimundo de Oliveira, nesta quinta-feira, 17. Será encerrada no dia 14 de junho.

“Esta exposição é uma declaração de amizade, uma resposta ao carinho recebido de todos eles”, diz o artista plástico feirense Júlio Firmo (foto), que é um dos curadores da mostra – os outros são Clarissa Macedo e Jean Lima. “São amigos que fiz ao longo da vida”, observa.

Além das telas, serão mostrados textos e poemas de autores colombiano, peruano, cubano, argentino, italiano, espanhol, russo e português, mais os feirenses. O que se deseja é mostrar linguagens artísticas.

Conceito de arte contemporânea

Depois do MAC, os artistas levam a mostra ao Museu Regional de Arte, entre os dias 24 de junho e 24 de julho. O curador explica que outros trabalhos serão levados ao MRA. Cada um dos expositores terá dois trabalhos mostrados em cada uma das exposições.

“Procuramos trazer para o MAC as obras que se encaixam no conceito de arte contemporânea, como é perfil do museu, e serão levadas ao MRA aquelas que têm a linguagem daquele museu”, disse Júlio Firmo.

Ele destacou o apoio recebido do MAC, instituição municipal da Fundação Cultural Egberto Costa.



  •  

Assistente social "indica caminhos" no ataque a desigualdade, diz Colbert

15/5/2018, 18:36h

A assistência social, nos últimos anos, tomou um impulso significativo, no país, e em Feira de Santana, tornou-se um “forte instrumento de defesa dos interesses coletivos, especialmente dos mais necessitados”. A constatação é do prefeito Colbert Martins Filho, que nesta terça-feira, 15 de maio, dia consagrado aos profissionais da área, presta uma homenagem à categoria.

Em Feira de Santana, são 160 profissionais assistentes sociais atuando em diversos equipamentos do Município destinados a promover o bem-estar da população carente e a atender as pessoas em estado de vulnerabilidade. 

“O assistente social não apenas realiza esse seu mister, de atuar em um campo extremamente difícil, da vulnerabilidade, mas também presta ao Governo um importante trabalho, indicando os caminhos na busca do ataque a desigualdade, algo que também perseguimos”, diz o prefeito.



  •