Ao som dos anos 60, Café Dramático faz leitura de clássico da dramaturgia

19/10/2017, 14:28h

A noite de valorização da dramaturgia brasileira teve inicio ao som de músicas dos anos 60, que faziam alusão aos movimentos sociais e culturais como a Jovem Guarda, Tropicália, época em que a peça Roda Viva, de Chico Buarque de Holanda, foi escrita.

A leitura dramática do clássico chamou atenção do público que ávido acompanhou até o fim a performance e o talento dos atores que mesmo sem cenário, nem figurino, conseguiam dar vida aos personagens. “É muito interessante. A nossa imaginação fica a mil acompanhando o desenrolar da história”, ressaltou Bruna Calixto, estudante de Letras.

A professora Vivian Maria Santos destacou a atualidade da temática. “Além da politica, imperialismo, a peça fala do poder da mídia, da fabricação de idolos, e o povo sendo massa de manobra, da desvalorização da mulher.  Muito pertinente.”

Para o cantor, Tanny Brasil, pela primeira vez no projeto Café Dramático, a sua participação como ator convidado foi uma experiencia prazerosa que tem a ver com sua trajetoria musical. “Já fiz alguns trabalhos teatrais, musicais como 'Votei em homem seu e ganhe seu cemitério'. Achei genial a ideia de trabalhar esse texto de Chico Buarque, que tem muita musica e temática bastante atual”, destacou.

O diretor do espetáculo, Arailton Públio, ressaltou a importância da obra como marco histórico da contracultura, inagurando uma nova maneira de se fazer teatro onde atores e plateia interagem, quebrando paradgimas.

“Com essa peça, o teatro passa a ser uma arena de discussões. Roda Viva foi encenada, censurada e depois liberada durante a ditadura. Na estreia, ainda sob o regime militar, os atores foram agredidos porque o texto discutia alguns temas politicos da época. É um texto marcante na história do Brasil, nós quisemos fazer esse elo nesse momento político que a gente está vivendo com uma leitura dramática significativa”.

Estiveram também no elenco da leitura de Roda Viva, os atores Welber Oliveira (Anjo da Guarda), Cláudio Galizas (Mané) e Márcio Nunes (Capeta) e a atriz Lene Costa (Juliana). O projeto ainda faz mais duas leitura antes do final de 2017. Para 2018 estão programadas quatro apresentações, duas por semestre. Entre os autores que vão ter obras lidas estão Plínio Marcos, Antonio Bivar e Dias Gomes.

  •  

Secretário de Habitação vai a Brasília discutir soluções para o Minha Casa, Minha Vida em Feira

19/10/2017, 14:25h

Inconformado com a situação de desvio de finalidade do programa Minha Casa, Minha Vida em Feira de Santana, o Secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Eli Ribeiro, vai a Brasília, sede do governo brasileiro, para discutir a problemática do programa na cidade.

O secretário parte de Feira de Santana no próximo dia 26 com destino a capital federal. No Ministério das Cidades, Eli será recebido pela Secretária Nacional de Habitação, Maria Henriqueta Arantes Ferreira Alves, que é a responsável pela grande vitrine da Pasta, o programa Minha Casa Minha Vida.

Em seu gabinete, Henriquieta e Eli tratarão sobre as perspectivas e desafios para o futuro do programa que, segundo o secretário feirense, constitui num exemplo bem-sucedido de política pública para os mais pobres.

“Feira de Santana foi a primeira cidade do Brasil a receber unidades do Minha Casa, Minha Vida, mas cerca de 7 anos já se passaram e muita coisa mudou no país e na concepção do programa, então, vou dialogar com a secretária sobre o que está acontecendo no âmbito municipal para que fique ainda mais clara quais são as competências de cada ente federativo”, disse Eli.

O secretário tem razão. Muitas pessoas confundem as competências quando o assunto é Minha Casa, Minha Vida. A maioria acredita que é do município o dever de fiscalizar o desvio de finalidade nesses empreendimentos sociais, quando, na verdade, é uma obrigação dos bancos financiadores (Caixa Econômica ou Banco do Brasil).

De acordo com ele ao município, cabe apenas, “executar a seleção de beneficiários do Programa, observados os critérios de elegibilidade e seleção da demanda definidos pelo Ministério das Cidades”, conforme portaria n° 168, de 12 de abril de 2013.

  •  

Professor deve ter "intencionalidade pedagógica" em sala de aula, defende especialista

19/10/2017, 14:16h

“Se carrega o nome 'professor' na função, é preciso ter intencionalidade pedagógica em sala de aula”. A orientação partiu da professora doutora Suzana Alves Nogueira Souza, durante palestra na manhã desta terça-feira, 17, no Centro de Cultura Maestro Miro.

A palestra marcou a abertura da Formação Continuada para Professores Auxiliares da Educação Especial – FORPRAE, cujo calendário segue até 2018. Mais de 400 professores auxiliares participam dos encontros de formação.

A professora Suzana Nogueira Souza falou sobre a relação entre o currículo escolar e a inclusão de estudantes público alvo da Educação Especial. De acordo com ela, "o professor auxiliar precisa ter práticas pedagógicas de forma intencional e eficiente a fim de contribuir para a formação do aluno. A função do professor não é apenas passar conhecimentos específicos da escola, mas construir uma formação humana, pois estas crianças precisam se sentir protagonistas na sua em sociedade”, garante.
“Historicamente a própria escolarização das pessoas com deficiência sempre teve um caráter assistencialista”, explica a professora Suzana. “Ser um professor auxiliar não é só colaborar com a assistência. Um bom professor  deve atuar como tal, investir na formação das crianças”, orienta.

Durante a FORPRAE, os professores vão discutir a função do professor auxiliar nas salas de aula. A iniciativa é da Divisão de Educação Especial e do Centro Interprofissional de Atendimento Educacional Professora Marliete Santana Bastos (InterEduc), ambas setores da Secretaria Municipal de Educação.

A solenidade contou com a apresentação cultural da psicopedagoga do InterEduc, Sheila Menezes, e dos monitores do programa Música na Escola, Daniel Souza Bento e Fredson Ribeiro.

“Fico muito feliz por termos este espaço e tempo para expormos os nossos desafios em sala de aula e aprendermos as melhores formas de resolver as dificuldades que enfrentamos”, declara Edvania Almeida de Souza, a professora auxiliar da Escola Municipal Chico Mendes. “Nosso desenvolvimento profissional e também a aprendizagem dos nossos alunos depende do nosso aprimoramento”, relata.

A professora Ana Maria Alves dos Santos e Silva, chefe da Divisão de Ensino Especial da Seduc, apresentou a programação do curso para os professores auxiliares. “Dividiremos a programação de 30 horas de carga horária entre aulas presenciais e atividades virtuais. Serão dez turmas separadas em quatro encontros e, no final, encerraremos com uma mesa redonda. A troca de experiências é um dos nossos principais objetivos”, destaca Ana Maria.

  •  

Decretado ponto facultativo nas repartições municipais no dia 03 de novembro

19/10/2017, 9:16h

Os órgãos municipais não sujeitos a regime de plantão não funcionarão no dia 03 de novembro. Através de decreto assinado pelo prefeito José Ronaldo de Carvalho, o expediente será facultativo, considerando o feriado de caráter religioso do dia 02 de novembro (Dia de Finados), numa quinta-feira.

Conforme o decreto, publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município, "em tais circunstâncias é de bom alvitre reduzir custos operacionais no dia subsequente (sexta-feira)". As horas não trabalhadas no dia 03 de novembro serão compensadas com acréscimo de uma hora de atividade nos dias: 23, 24, 25, 26, 27, 30 e 31 de outubro e no dia 01 de novembro. 

  •  

Recadastramento de servidor da Secretaria de Educação termina sábado

19/10/2017, 9:5h

Termina neste sábado, 21, o prazo para o recadastramento dos servidores que atuam na Rede Municipal de Ensino. Cerca de 22% dos funcionários ainda não se apresentaram e o não comparecimento pode implicar no bloqueio dos salários.

Iniciado no último dia 21 de setembro, o recadastramento é feito de maneira dinâmica, sem perda de tempo. Uma equipe com vários técnicos atendem aos servidores que têm hora marcada para apresentação.

Para fazer o agendamento, os servidores devem acessar o endereço eletrônico: www.sagres.wimax.com.br/agendamento, e marcar dia e horário para comparecimento à Seduc, sala 2, que fica na avenida Senhor dos Passos, 197, Centro.

Na data e horário marcados para o procedimento, os funcionários devem apresentar os documentos necessários: identidade com foto (Registro Geral – RG, Cadastro Nacional de Habilitação - CNH ou passaporte, etc); Cadastro de Pessoa Física – CPF; uma fotografia 3x4; contracheque; comprovante de residência atualizado; diploma de graduação e, caso haja, diploma de pós-graduação.

  •  

Profissionais fazem atualização de emergência pediátrica em anemia falciforme

19/10/2017, 9:2h

Para prestar uma melhor assistência à população, profissionais do Programa de Anemia Falciforme do município participaram nesta terça-feira, 17, de um curso de atualização e treinamento na APAE, em Salvador. O encontro teve como objetivo uniformizar protocolos e condutas nas emergências pediátricas, com foco na padronização e resolutividade.

Luciana Brito, coordenadora do Programa de Anemia Falciforme, informa que anualmente participa dessas atualizações. “A troca de experiências com outros gestores da área traz contribuições importantes para a saúde da criança, a assistência farmacêutica e o tratamento de pacientes. Tivemos um encontro revigorante com pessoas comprometidas em melhorar cada vez mais o atendimento ao paciente portador da doença falciforme”, afirma.

A coordenadora ressalta que novos conhecimentos devem ser aplicados nos serviços oferecidos pelo município. “Um novo encontro estadual dos serviços já está previsto entre abril e maio de 2018. Buscamos sempre a participação para proporcionar uma melhor qualidade de vida aos pacientes”, informa.

O evento contou com a presença de representantes do Ministério da Saúde, médicos dos Serviços de Referência e Ambulatório Especializados e profissionais de diversas instituições de saúde pública.

DOENÇA FALCIFORME

A doença falciforme é uma das doenças genéticas e hereditárias mais comuns no Brasil e está presente em 1 a cada 17 nascidos na Bahia. Os sintomas são fortes dores nos ossos, músculos e articulações, cansaço, anemia, olhos amarelados (icterícia), insuficiência renal aguda e feridas (úlceras).

O serviço especializado para portadores da doença é oferecido de forma gratuita pela Rede Municipal de Saúde no Centro de Referência, localizado na Unidade Básica de Saúde (UBS) CSU, no bairro Cidade Nova.

  •  

Cinco mil novas árvores serão plantadas em Feira

18/10/2017


Compartilhar no Facebook    
  •  

Mais de mil aposentados e pensionistas ainda não se recadastraram no IPFS

18/10/2017, 14:20h

A menos de um mês do prazo final para o recadastramento anual obrigatório, mais de mil aposentados e pensionistas do IPFS (Instituto de Previdência de Feira de Santana), de um grupo formado por 2.804 pessoas, ainda não foram ao órgão comprovar que estão vivos e, assim, continuar recebendo seus benefícios.

O recadastramento foi iniciado no dia 8 de setembro e será encerrado no dia 10 de novembro. O presidente do IPFS, Alcione Cedraz, disse que o não comparecimento acarretará na suspensão dos benefícios. “Vamos enviar para a Secretaria de Administração a lista com os nomes dos que não apareceram já no dia 13 de novembro”.

O recadastramento é presencial – os beneficiários devem levar os documentos pessoais mais comprovante de residência. Entretanto, equipe de assistência social do órgão municipal está se dirigindo à casa dos que estão doentes ou que tem dificuldades de deslocamento. Mas estas pessoas devem agendar o atendimento diferenciado.

Alcione Cedraz disse ainda que as procurações devem ser atuais e que alguns casos de aposentados e pensionistas que residem em outros estados são analisados com atenção. “A documentação apresentada deve ser oficial, bem como os relatórios médicos que indicam a impossibilidade do deslocamento”.

A professora Sônia Rita disse que se recadastra todos os anos, desde que se aposentou, em 1997. “Todos nos devemos obedecer a lei”. Nos últimos dias, cerca de 80 aposentados e pensionistas são recadastrados, em média.

  •  

Vias exclusivas de ônibus vão ser monitoradas por radar

18/10/2017, 9:4h

As vias exclusivas para os ônibus que fazem o transporte urbano de passageiros, que existem em quatro ruas e avenidas de Feira de Santana, dentro de alguns meses passarão a ser fiscalizadas eletronicamente.

Um radar já foi instalado na praça Dom Pedro II, mais conhecida como Praça do Nordestino, e está em teste. O equipamento flagra veículos que trafegam ilegalmente nestas faixas.

Equipamentos semelhantes serão instalados nas ruas JJ Seabra e Visconde do Rio Branco, nas avenidas Senhor dos Passos – entre as ruas Santo Dumont e Monsenhor Mário Pessoa, e a partir da praça J. Pedreira.

Além de coibir a invasão destas pistas por veículos pequenos, os radares fiscalizarão a velocidade dos ônibus, que não deve passar de 50 quilômetros por hora. Os excessos serão devidamente punidos com multas.

O superintendente de trânsito, Maurício Carvalho, disse ainda não saber quando os equipamentos começarão a registrar oficialmente este tipo de infração de trânsito.

“Depois de instalados, todos os equipamentos passarão por uma verificação de técnicos do Ibametro. Apenas depois disso é que o seu funcionamento será oficializado”, afirmou o superintendente.

Circular numa destas faixas virou infração gravíssima pelo Código Brasileiro de Trânsito. Além da multa, o dono do veículo perde sete pontos na carteira de motorista.

Maurício Carvalho disse ainda que a instalação destes equipamentos será acompanhada da devida sinalização e de uma intensa campanha publicitária, como determina a lei.

Ele argumenta que os motorista que invadem a pistas exclusivas além de provocarem o retardo dos ônibus, na volta às faixas destinadas a eles podem provocar acidentes. “Os radares combaterão este mau comportamento”.

  •  

Convocados mais 101 professores aprovados em seleção pública simplificada

18/10/2017, 8:42h

Mais 101 professores aprovados na seleção pública simplificada para a Rede Municipal de Ensino foram convocados nesta terça-feira, 17. A lista de chamados foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do Município, edição nº 596, desta terça-feira, 17.

“Totalizamos 500 convocados. Na primeira chamada foram 300; na segunda, 100; e nesta última, mais 100. Uma candidata que havia perdido o prazo anteriormente entrou com recurso e a Procuradoria Geral do Município entendeu que ela deveria ser convocada na terceira chamada”, explica a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

Os convocados deverão comparecer à Secretaria Municipal de Educação, sala 02, situada na Avenida Senhor dos Passos, 197, no centro da cidade, entre os dias 31 de outubro e 1º de novembro próximos.

Os professores deverão apresentar os seguintes documentos: carteira de identidade; comprovante de inscrição no cadastro de pessoa física (CPF); certidão de nascimento ou casamento; cartão de inscrição no PIS/PASEP; comprovante de regularidade com as obrigações eleitorais; comprovante de regularidade com o serviço militar, quando couber; comprovação de escolaridade mínima compatível com o cargo de acordo com a exigência do edital – diploma do curso de Pedagogia.

Também é exigido histórico escolar para candidatos que concorreram às vagas da cota “oriundo da escola pública e bolsista”; laudo médico atestando a capacidade física para o exercício da função; declaração de bens; atestado de antecedentes policiais; uma foto 3x4; para os selecionados que possuam outros vínculos com o serviço público, declaração dos órgãos de origem informando a jornada de trabalho; carteira de trabalho e previdência social – CTPS; e finalmente comprovante de residência.

Além disso, é preciso apresentar alguns exames laboratoriais acompanhados dos respectivos laudos oferecidos por médico do trabalho, conforme a lista:  hemograma completo, válido por três meses; sumário de urina, válido por três meses; acuidade visual, válido por até seis meses; raio X do tórax, válido por seis meses; laudo médico atestando capacidade física para o exercício da função.

Caso o candidato não compareça até o prazo final estipulado no Edital de Convocação ou não apresente a documentação necessária, perderá o direito à nomeação e ao consequente ingresso no serviço público municipal.

O prazo de contratação é de um ano, podendo ser prorrogado por igual período. Já a seleção é válida por dois anos e também pode ser prorrogada por igual período.

  •