Equipe técnica define estratégias da campanha contra evasão escolar

29/6/2021, 15:18 | Foto: Izinaldo Barreto
Profissionais conheceram estratégias para lidar com fatores causadores da evasão

A plataforma da campanha Busca Ativa, na internet, foi o tema principal do encontro de orientação e capacitação para a equipe técnica da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso), nesta segunda-feira, 18. O objetivo foi de orientar os profissionais para a atuação na campanha contra a evasão escolar, reintegrando o estudante que, por qualquer motivo, abandonou a escola ou não mantém nenhum tipo de contato com a instituição.

A iniciativa, integrada pela Administração Municipal, é do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, Undime.

Durante o encontro, no Centro de Convivência para Idosos Dona Zazinha Cerqueira, os profissionais conheceram estratégias para lidar com os fatores causadores da evasão, geralmente relacionados à assistência social, que podem ocasionar o afastamento do estudante da escola.

A assistente social Indaiá Oliveira, integrante da Equipe Interprofissional da Seduc, orientou a equipe. Segundo ela, estes encontros são fundamentais para o desenvolvimento da campanha e efetividade dos resultados.

“Nosso objetivo é que todos se sintam parte desse movimento para assegurar os direitos das crianças e adolescentes. Não se trata da ação de uma secretaria apenas, são múltiplos esforços. Esses encontros unificam nossa ação, já que para garantir esses direitos precisamos de um esforço de vários setores”, esclarece Indaiá.

Durante a formação foram apresentados o fluxo de encaminhamento dos casos, as dinâmicas entre as secretarias e profissionais envolvidos no processo, o funcionamento da plataforma tecnológica da Busca Ativa, como também as formas de abordagem às famílias, entre outros fatores necessários para a atuação das equipes multiprofissionais. Também foi definido o direcionamento dos casos específicos, quando houver necessidade, por territórios dos CRAS.

“A formação é de extrema importância, pois nos norteia a abordagem familiar, o parecer técnico e a reintegração do estudante. Quando o direito à escola é garantido, temos menos crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade”, defende Thamy Mascarenhas, supervisora institucional da Busca Ativa, da Sedeso.

Reintegração dos estudantes

Os CRAS atuarão nos episódios que careçam de assistência social, como em situações de vulnerabilidade social. A análise dos casos será feita pelos técnicos verificadores que atuam por território dos CRAS a partir de alertas que serão gerados pelos agentes comunitários de saúde. Após essa análise, os casos são direcionados para os supervisores através de relatórios que serão a base para a adoção de medidas para assistir o estudante/família.

A Busca Ativa atua desde a identificação da criança ou adolescente fora da escola ou em risco de abandono até a tomada das providências necessárias para seu atendimento nos diversos serviços públicos; a (re) matrícula e a permanência do estudante na escola. A ação ocorre de forma coordenada envolvendo as secretarias de Educação, Sedeso e Saúde.

 



  •