Arraiá do Comércio 2024 começa neste sábado e segue até o dia 16

7/6/2024, 16:14 | Foto: Jorge Magalhães/ Arquivo
Nove dias de festa com forró, quadrilhas e produtos artesanais e culinários

A partir deste sábado (8), a Praça Bernardino Bahia se transforma no palco do Arraiá do Comércio 2024, um evento que reúne tradição, cultura e o melhor da Economia Solidária de Feira de Santana. Promovido pelo Sesc em parceria com a Prefeitura Municipal, o Arraiá vai até o dia 16 de junho, com programação que inclui apresentações musicais, festival de quadrilhas e espaço para comercialização de produtos artesanais e culinários.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SEDESO) selecionou seis associações e pequenos empreendedores para comercializar seus produtos no Arraiá. Entre os destaques, estão a Associação Rural Vila Feliz (Distrito de Taquaruçu), que levará produtos alimentícios, e a Associação Lagoa das Pedras (Distrito de Jaíba), com delícias à base de milho e tapioca, além de licores. A Associação Rural da Mantiba também estará presente, com peças de artesanato como bonecas de pano e panos de prato.

Representando a Divisão de Inclusão Produtiva, as empreendedoras Alda Maria Oliveira Silva, Maria das Graças Oliveira Lira e Rosane Laranjeiras também marcarão presença no Arraiá, com produtos artesanais e culinários, respectivamente.

Para facilitar a organização e garantir a visibilidade dos produtos, a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e o Sesc, disponibilizou dois tabuleiros específicos: o de número 30 para os empreendedores de comidas típicas e o de número 42 para os artesãos.

A iniciativa tem como objetivo principal estimular a comercialização dos produtos dos empreendimentos vinculados ao Projeto Feira Produtiva, reconhecendo o potencial da Economia Solidária e da Agricultura Familiar na geração de trabalho e renda.

Sobre o Feira Produtiva

O Feira Produtiva é um projeto da Prefeitura de Feira de Santana, executado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. Através do projeto, grupos da Economia Solidária recebem apoio técnico, qualificação profissional e equipamentos para aumentar a capacidade de produção, como freezers, armários de aço, batedeiras industriais, balanças eletrônicas, fornos a gás, liquidificadores industriais, cilindros, raspadores e garrafas térmicas.



  •