SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Duas escolas reformadas vão ser reabertas próxima semana

11/3/2018, 12:49h

Após a reforma, as comunidades do distrito de Tiquaruçu e do bairro Santa Mônica recebem, na próxima semana, as escolas municipais Joviniano Cordeiro Vitório e Alda Marques, respectivamente. A primeira será reinaugurada nesta segunda-feira, 12, às 8h, e a segunda, na quarta-feira, 14.

Contando antes da reforma com duas salas de aula, sanitários e cozinha, a Escola Municipal Joviniano Cordeiro Vitório ganhou sala de professores, secretaria, diretoria, sanitários masculino, feminino e para pessoas com deficiência - PNE, sala de informática, sala multiuso, depósitos e refeitório. A unidade de ensino fica na localidade Fazenda Piabas.

A Pré-Escola Municipal Alda Marques, que antes dispunha de quatro salas de aula, ganhou outras quatro, que foram divididas entre as modalidades de Educação Infantil e Ensino Fundamental. A escola passou a contar ainda com cantina, copa, lavanderia, secretaria, diretoria, sala dos professores, sanitários masculino, feminino e PNE. As salas de educação infantil também ganharam sanitários internos.

“Estamos felizes por poder entregar às comunidades as novas instalações de mais duas escolas municipais. O ano letivo de 2018 começa com os alunos podendo contar com um ambiente mais adequado e melhor preparados para recebê-los. Ao longo do semestre, vamos entregar ainda outras escolas que estão sendo recuperadas”, afirma a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

  •  

Mais 150 professores convocados por seleção pública

2/3/2018, 17:50h

Cento e cinquenta professores licenciados em Pedagogia foram convocados para atuar temporariamente na Rede Municipal de Ensino. Eles foram aprovados na seleção simplificada para contratação pelo Regime de Direito Administrativo (Reda), realizada em 2017, e vão trabalhar nas turmas de Educação Infantil e Ensino Fundamental.

Dos convocados, 30 candidatos são oriundos da cota afrodescendente ou indígenas; 45 são bolsistas e oriundos de escola pública e 75 são da lista de livre concorrência.

A Secretaria Municipal de Educação convocou até o momento 650 profissionais, dos quais, 70% estão atuando desde o ano passado. O restante acabou desistindo da nova colocação, por motivos diversos – muitos ainda não adquiriram o certificado de Pedagogia.

Os professores devem se apresentar no período entre os dias 14 e 16 de março, de acordo com escalonamento. A ordem de comparecimento para entrega dos documentos será pela de classificação. Os convocados devem comparecer à Sala 3, da Seduc, localizada à avenida Senhor dos Passos, 197, das 8h às 11h30 e das 14h às 17h, nas datas específicas para sua colocação, de acordo com a lista de chamada.

Os profissionais que concorreram às vagas da cota “oriundo da escola pública e bolsista de escola particular” devem comparecer também com o histórico escolar. Para os concursados que possuam outros vínculos com o serviço público, é necessário apresentar declaração dos órgãos de origem, informando a jornada de trabalho.

Para consultar a colocação e data de comparecimento na edição do Diário Oficial do município de Feira de Santana, de 2 de março de 2018, acesse o   link: https://www.diariooficial.feiradesantana.ba.gov.br/abrir.asp?edi=688&p=1.

Os convocados devem estar munidos dos seguintes documentos: carteira de identidade; comprovante de inscrição no cadastro de pessoa física (CPF); certidão de nascimento ou casamento; cartão de inscrição no PIS/PASEP; comprovante de regularidade com as obrigações eleitorais; comprovante de regularidade com o serviço militar, quando couber; comprovação de escolaridade mínima compatível com o cargo, de acordo com a exigência do edital, diploma do curso de pedagogia; laudo médico atestando a capacidade física para o exercício da função; declaração de bens; atestado de antecedentes policiais; uma foto 3x4; carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS; e comprovante de residência.

Os profissionais que concorreram às vagas da cota “oriundo da escola pública e bolsista de escola particular” devem comparecer também com o histórico escolar. Para os concursados que possuam outros vínculos com o serviço público, é necessário apresentar declaração dos órgãos de origem, informando a jornada de trabalho.

  •  

Ansiedade e boa expectativa marcam o retorno às aulas na Rede Municipal de Ensino

2/3/2018, 8:33h

Um misto de ansiedade e expectativa marcou o retorno às aulas nas escolas municipais nesta quinta-feira, 1º. Os mesmos sentimentos foram compartilhados pelas alunas Sara Nascimento, da Escola Municipal Adelice Cavalcante (Sim), e a criança Ana Alicia Cerqueira, do grupo 4 do Centro Municipal de Educação Infantil Eduarda Oliveira França (Conceição II). Em toda a Rede Municipal de Ensino, cerca de 2 mil professores recepcionaram os 50 mil alunos distribuídos pela sede e distritos de Feira de Santana.

Avó e neta animadas na volta às aulas

Sueli Costa chegou animada na companhia da neta, Sara Nascimento, de 9 anos, aluna da Escola Adelice Cavalcante, no Sim [ambas na foto acima]. “Ela gosta muito de estudar e estava ansiosa para que as aulas recomeçassem. Me perguntava sempre quantos dias faltavam pra voltar à escola”, conta dona Sueli Costa. “Eu estava com saudade de vir brincar e aprender com os meus amigos. Gosto muito de estar na escola”, garante Sara.

Agora é o momento de colocar em prática os planos de ação

Após a Jornada Pedagógica, período de preparação e planejamento para o ano letivo, é o momento dos gestores e professores colocarem em prática seus planos de ação para o novo ano letivo. “Durante a jornada avaliamos o período anterior e, para este novo ciclo, a nossa expectativa é melhorar ainda mais, pois sempre existe algo que pode ser melhorado. Temos muitos projetos para este ano e as expectativas são as melhores possíveis”, conta a professora Geisane Souza (foto), gestora da Escola Municipal Adelice Cavalcante.

Aluna se sente feliz por ir todos os dias a escola

“Eu estava sentindo muita saudade de todo mundo aqui. Gosto de brincar de massinha, de correr com meus colegas, de fazer as tarefas... Tô feliz por que agora eu posso vir todos os dias para a escola”, comemora Ana Alicia Cerqueira (foto), de 4 aninhos, que chegou animada ao CMEI Eduarda França.

Trabalhar valores de cidadania é a meta para este ano

Com vagas ainda disponíveis para os grupos 4 e 5, a gestora do CMEI Eduarda França, Ivanira Carneiro (foto), afirma que trabalhar valores de cidadania é a meta para o ano letivo de 2018: “O tema do nosso ano letivo é 'Chuva de Valores'. Conceitos de prevenção e combate à violência serão abordados com as crianças, para que elas se tornem adultos mais conscientes”, relata a gestora.

“Estamos trabalhando para oferecer uma estrutura física melhor, além de investir na formação de professores, como forma de valorização tanto dos alunos quanto dos profissionais da Educação. Todos nós, da Seduc, desejamos um ano letivo de muita produtividade, conhecimento e harmonia para toda a Rede Municipal”, destaca a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

  •  

Diretora da Escola Municipal Maria Antonia da Costa recebe Prêmio Educadora do Ano

28/2/2018, 18:36h

A professora da Rede Municipal de Ensino, Nelcilandia Arouca, gestora há 15 anos da Escola Municipal Maria Antonia da Costa (bairro Santa Mônica), recebe na noite desta quarta-feira, 28, às 19:00, o Prêmio Educador do Ano.

A sessão solene é uma iniciativa da Academia de Educação de Feira de Santana, que este ano realiza a 8a edição da outorga. O evento acontece no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Feira de Santana. 

A Escola Municipal Maria Antonia da Costa é referência na realização de projetos socioeducativos, como o "15 Primaveras", que a cada ano oferece uma série de atividades educativas e um baile de debutantes com festa e muita música às estudantes de 15 anos.

Outras duas professoras da Rede Municipal de Ensino já foram homenageadas com o Prêmio Educador do Ano: Neumam Ribeiro de Brito, diretora da Escola Municipal Comendador Jonathas Telles de Carvalho, do bairro Conceição II; e Marta da Graça Lima, diretora do Centro Integrado de Educação Municipal Professor Joselito Falcão de Amorim, localizado no centro.

A professora Nelcilandia, que atua na Rede Municipal há 27 anos, comemora a premiação: "É muito importante para todo profissional ter o seu trabalho reconhecido. Para mim, este prêmio mostra a importância do meu profissionalismo, é a prova de que todos os anos de dedicação e entrega à educação municipal valeram a pena”, declara a gestora escolar.

Os professores premiados recebem medalha, certificado e suas carreiras são também tema de publicação na Revista da Academia. O evento é aberto ao público e contará com a presença da presidente da Academia de Educação, Profa. Anaci Paim e do vice-presidente, Dr. Geraldo Leite.

  •  

50 mil estudantes retornam às aulas esta quinta-feira, 1º, na Rede Municipal de Ensino

28/2/2018, 18:28h

Para aproximadamente 50 mil estudantes que compõem a Rede Municipal de Ensino, o ano letivo 2018 começa nesta quinta-feira, 1º. Depois das férias escolares, alunos e 2 mil professores retornam às atividades nas 217 escolas públicas, distribuídas entre a sede e os distritos.

Esta quarta-feira, 28, os profissionais da Educação participaram do segundo dia da Jornada Pedagógica, momento em que discutem temas atuais e definem diretrizes para o novo período letivo.

"Estamos felizes com o retorno dos nossos alunos para mais um ano letivo. Para 2018, a nossa meta é melhorar os índices de avaliação e aprendizagem. Para isso, vamos continuar investindo em escolas com uma melhor estrutura física e na reforma, além de também darmos continuidade às formações para os vários segmentos da Educação. Uma forma de valorização do aluno e dos profissionais que atuam nas escolas municipais”, afirma a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

  •  

Melhores índices de avaliação e aprendizagem são desafios para escolas municipais

28/2/2018, 10:54h

Melhorar os índices de avaliação e principalmente de aprendizagem dos estudantes. São estes os principais desafios de gestão tanto dos diretores das escolas quanto da própria Seduc, que reuniu nesta terça-feira, 27, aproximadamente 2 mil profissionais da Rede Municipal de Ensino durante a Jornada Pedagógica. Professores de vários segmentos da Educação participaram do evento, distribuídos em dez espaços distintos.

Os gestores escolares se reuniram durante esta terça-feira, 27, no Teatro Municipal Margarida Ribeiro. A partir do tema transversal “A aprendizagem em sala de aula: direitos e objetivos”, os gestores puderam avaliar os seus desafios perspectiva do direito à aprendizagem, que é o objetivo da educação.

Reduzir evasão, aumentar aprovação e alfabetizar alunos no primeiro cliclo

De acordo com a secretária de Educação, Jayana Ribeiro, que falou para aproximadamente 220 diretores, a principal expectativa da Rede Municipal é “melhorar os índices das escolas”. “E, para que isso aconteça, precisamos reduzir a evasão, aumentar a aprovação e alfabetizar os alunos dentro do primeiro ciclo, que se realiza entre o 1º e o 3º ano do Ensino Fundamental”, destacou a secretária, citando os investimentos feitos pelo governo municipal nos últimos para conseguir superar estas metas.

Na última avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, IDEB, de 2015, pela primeira vez a Rede Municipal registrou um aumento significativo do índice, que subiu de 3.4 para 4.0 (5º ano); e de 3.1 para 3.5 (9º ano). O avanço de 0.6 e 0.4, respectivamente, mostra que as escolas não apenas avançaram como deixaram para trás a estagnação registrada nas cinco edições anteriores da avaliação - de 2005 a 2013. Isto sem falar que a projeção de crescimento do próprio Ideb para cada análise é de 0.3 pontos.

Jayana Ribeiro ressaltou ainda os investimentos feitos no âmbito da Educação Infantil e nas séries iniciais, “já que esta é a base para conquistar melhores resultados e uma aprendizagem significativa e de qualidade”, comenta. A Prefeitura investiu na construção de 18 centros municipais de educação infantil (CMEIs) e em melhores condições de trabalho, além da valorização profissional.

Demandas coletivas



Ampliando um pouco mais a perspectiva, a diretora do Departamento de Ensino, Jozelia Araujo, explicou que os anseios no setor educacional envolvem demandas coletivas: “o bom funcionamento das escolas envolve todos os setores da Seduc, além de todos os setores das próprias unidades de ensino. É preciso trabalhar em conjunto para que a educação de qualidade se concretize, como se fosse um efeito dominó, que o bom trabalho de um reflita no trabalho do outro e assim consigamos garantir o direto à aprendizagem aos nossos 50 mil alunos”, defende.

Gestora há dois anos do Centro Municipal de Educação Infantil Manoel Anchieta Nery de Souza, a professora Livya Cruz Moura destacou sua experiência: “É preciso ter motivação pessoal e esforço coletivo para lidar com os desafios de ser gestor, pois o direito do aluno não está apenas no cumprimento dos 200 dias letivos, mas que este período que ele passa na escola tenha significado real em sua vida”, comenta Livya.

Roda de conversa

Na abertura do evento, o cantor Josiel San fez uma apresentação cultural para os professores. A manhã contou ainda com uma roda de conversa sobre “Os desafios da gestão escolar e seus impactos na aprendizagem”, tema discutido pelos professores Jonathas Porto e Marcos Rosa e da advogada Ticiana Sampaio, todos técnicos da Seduc.

  •  

Brincar e aprender são sinônimos na Educação Infantil, defendem especialistas durante Jornada Pedagógica

27/2/2018, 19:19h

No âmbito da Educação Infantil, o ato de brincar é sinônimo de aprender. Quem garante isto são os especialistas deste segmento, reunidos nesta terça-feira, 27, durante o primeiro dia da Jornada Pedagógica da Rede Municipal de Ensino. Professores e coordenadores pedagógicos se reuniram no Centro de Cultura Maestro Miro para debater a temática central do evento: “A aprendizagem na sala de aula: direitos e objetivos”.

Este ano, a Jornada reuniu os grupos de profissionais da Educação pela modalidade em que eles atuam - do Infantil à Educação de Jovens e Adultos. Ao todo, aproximadamente 2 mil professores se dividiram em dez espaços para o debate e troca de experiências.

Ludicidade favorece o desenvolvimento do aprendizado

“As crianças têm direito de brincar e de aprender desde o momento em que nascem e é nosso objetivo garantir ambos, pois a ludicidade favorece o desenvolvimento do aprendizado”, explica a professora Darlene Lima (foto), técnica da Divisão de Educação Infantil da Seduc. “É importante discutir isto na jornada, desta forma, iniciamos o ano reafirmando um tema relevante para nossas escolas e profissionais, com um debate amplo sobre a prática pedagógica”, destaca.

Doutora em política social destaca importância de falicitar o aprendizado

A professora Fani Quitéria Nascimento Rehem (foto), doutora em política social, da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), falou sobre os direitos da criança e aqueles relacionados à aprendizagem, segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

“Os direitos da criança são resultados de uma trajetória de lutas. É preciso que os professores e coordenadores tenham consciência da importância do aprender desde cedo, e de quais formas este aprendizado é facilitado”, explica Fani. “Conhecer as características de cada aluno, estimular a interação e ter intencionalidade pedagógica são necessários para o bom desenvolvimento do trabalho. Estas crianças não estão nas creches e pré-escolas para serem apenas cuidadas, mas também educadas”, defende.

Aprender brincando

A professora Jaqueline Bastos Lopes (foto), que atua na Pré-Escola Municipal João Serafim de Lima, destacou a importância do trabalho do professor na Educação Infantil. “Precisamos pensar em cada aluno e nas formas pelas quais eles absorvem o que queremos ensinar. A ludicidade precisa estar sempre atrelada aos conteúdos para que as crianças possam aprender brincando, facilitando a aprendizagem e promovendo atividades divertidas ao mesmo tempo”, conta.

Nesta quarta-feira, 28, a Jornada Pedagógica continua, nas escolas. Professores, coordenadores pedagógicos e gestores se reúnem nas próprias unidades de ensino para trocar experiências e planejar o trabalho para o ano letivo.

  •  

Escolas municipais em Feira são preparadas para incentivo à coleta seletiva de lixo

23/2/2018, 13:43h

Criar um plano de ação para incentivar a coleta seletiva e difundir temas de preservação do meio ambiente com os estudantes da Rede Municipal. Estes são os resultados esperados na formação que leva o título “Sustentabilidade na Escola”, com a participação de professores de onze escolas. O curso começou na quinta-feira, 22, e seguiu até esta sexta-feira, 23, no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho.

A formação é fruto da parceria entre as secretarias municipais de Educação e Meio Ambiente, a UNAMACS (Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cidadania Sustentável) e a COOBAFS (Cooperativa dos Badameiros de Feira de Santana, responsável por coletas seletivas e reciclagens na cidade), com apoio da indústria SIG Combibloc. Esta empresa é uma multinacional que fabrica embalagens longa vida para a Pepsico. Ela contratou a Giral, consultoria em Educação Ambiental, para promover formações nos locais onde atua.

Foram escolhidas em Feira de Santana 11 escolas que ficam próximas à indústria ou da COOBAFS. Após os encontros preparatórios, cada escola seguirá sozinha no desenvolvimento de projetos e ações que visem melhorar o descarte de resíduos e trabalhar conceitos de preservação do meio ambiente com os alunos. A capacitação oferece carga horária de 20h, das quais 5 serão aproveitadas para a prática e vivências na COOBAFS. 

Plano prevê gestão e acompanhamento das atividades

“Um plano de ação é uma ferramenta de gestão e acompanhamento das atividades propostas. As escolas vão desenvolver estratégias com o objetivo de orientar a separação do lixo orgânico e inorgânico, de forma eficaz. Além disso, os professores atuarão como multiplicadores em cada unidade de ensino”, destaca Janaina Alves Nascimento (foto), técnica da Secretaria Municipal de Educação na área de Educação Ambiental.

Escolas devem selecionar e cooperativa, a coleta do lixo reciclável

O gestor ambiental Gustavo Hidaka (foto), que veio de São Paulo especialmente para esta atividade, é o formador convidado pela Giral para as aulas em Feira de Santana. A ação visa ainda que as escolas façam a separação do lixo e que a cooperativa de badameiros passe a fazer regularmente a coleta para que haja a reciclagem.

Objetivo é que embalagens retornem para reciclagem

Esta participação da indústria Sig Combibloc, que fabrica embalagens “longa vida”, tem a preocupação de incentivar a preservação ambiental e, também, que as suas embalagens retornem para a reciclagem, explica Milena Marinho (foto), coordenadora local da Giral. Segundo ela, a Giral, que é “um viveiro de projetos”,atua em ações que visam discutir e contribuir para causas relacionadas ao meio ambiente”.

Alunos já exercitam práticas ambientais em casa e nas escolas

Muitos alunos já reproduzem algumas ações de preservação do meio ambiente em suas casas e nas hortas das famílias, diz a professora Marta Maria Pereira Lima (foto), que atua na Escola Municipal Agrário de Oliveira Melo. A unidade, segundo ela, desenvolve projetos ambientais: “Criamos lá, por exemplo, uma composteira para a fabricação de adubo natural. O adubo que criamos a partir das aulas é utilizado também na horta da própria escola. Por isso, é muito bom participar do curso e aprender novas práticas”.

  •  

Matrícula na rede municipal termina nesta quarta e ainda restam 4 mil vagas

21/2/2018, 9:49h

Aproximadamente 4 mil vagas ainda estão disponíveis para matrícula na Rede Municipal de Ensino, cujo prazo termina esta quarta-feira, 21. De acordo com o balanço da Secretaria Municipal de Educação, já foram preenchidos 92% da capacidade de atendimento das 217 escolas municipais.

“Estamos muito satisfeitos com a demanda registrada nas nossas escolas e o preenchimento das vagas. Reordenamos a Rede Municipal e, também, reorganizamos e redistribuímos diversas turmas, de acordo com a procura. Este trabalho possibilitou ainda a criação de novas turmas, onde foi registrada maior demanda”, destaca a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

Na tarde desta terça-feira, 20, – quando foi elaborada a reportagem – algumas escolas de grande porte, como a Emiliana Souza Oliveira, de Ensino Fundamental, ainda ofereciam aproximadamente 180 vagas; existe também a possibilidade de abertura de novas turmas, devido a reorganização pela qual a escola passou.

Também dispõem de vagas unidades de ensino como o Centro Integrado de Educação Municipal Professor Joselito Falcão de Amorim, que fica no centro, e a Escola Municipal Monteiro Lobato, que fica nos bairros Capuchinhos.

Em outras escolas, no entanto, as vagas já foram preenchidas. É o caso dos Centros Municipais de Educação Infantil, CMEI´S, normalmente chamados pela comunidade de creches. E também das escolas situadas no bairro Feira VII, entre outras.

Para efetuar a matrícula, os estudantes, pais ou responsáveis devem apresentar os seguintes documentos: histórico escolar (original); cópia da certidão de nascimento ou carteira de identidade; uma foto 3x4; cópia do comprovante de residência atualizado; para as crianças de Educação Infantil também é necessário apresentar cópia do cartão de vacinação atualizado. E, finalmente, para as crianças beneficiárias do Programa Bolsa Família, deverá ser apresentada ainda cópia do cartão em nome do pai, mãe ou responsável. No ato da matrícula, devem ser apresentados os documentos originais para a devida conferência.

  •  

Com 10 mil vagas a mais este ano, Rede Municipal de Educação inicia matrícula de novos alunos

16/2/2018, 9:45h

Com um incremento de 21%, o equivalente a 10 mil novas vagas, começou nesta quinta-feira, 15, a matrícula para novos alunos na Rede Municipal de Ensino. De acordo com a secretária de Educação, Jayana Ribeiro, as escolas municipais passam a ter este ano a capacidade para atender até 58 mil estudantes, distribuídos na Educação Infantil e Ensino Fundamental do 1º ao 9º ano. A matrícula segue até o próximo dia 21.

A construção de 32 novas escolas, reforma com ampliação em aproximadamente 50 unidades de ensino, a reorganização da Rede Municipal e ainda resultados mais positivos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – Ideb permitiram a ampliação das vagas.

Já no primeiro dia, muitas famílias fizeram filas em busca de uma vaga nas escolas municipais. Em dezenas delas, há vagas suficientes, mas também há escolas em que a procura tem sido ainda maior que a oferta, apesar do incremento. É o caso, por exemplo, do Centro Municipal de Educação Infantil - CMEI Antonio Carlos Machado, no Feira VII.

Os CMEIS, também chamados pela comunidade de creches, são os mais procurados. Este ano, a oferta de vagas para este segmento, que é a Educação Infantil, cresceu 10,7%, implicando em 1.150 novas vagas para crianças entre 1 e 5 anos. Nos últimos cinco anos, a Seduc construiu e entregou à comunidade 18 novos CMEIS, permitindo um aumento de 35% das vagas -  antes a oferta era de 8.427; subiu para 11.800 vagas. Ainda assim, algumas famílias estão enfrentando dificuldades para matricular as crianças menores, geralmente aquelas que têm entre 1 e  3 anos.

A secretária de Educação, Jayana Ribeiro, explica a necessidade de priorizar a oferta: “A nossa obrigatoriedade, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, no seu artigo 6º, é matricular os alunos a partir dos quatro anos. Apesar do incremento bastante significativo nesta modalidade nos últimos anos, a demanda no município é cada dia mais crescente. Portanto, a dificuldade em atender todas as crianças nesta faixa etária e, consequentemente, a necessidade de priorizar a matrícula a partir dos 4 anos”, argumenta.

Conforme a orientação da Seduc, nos CMEIS onde houver vagas remanescentes, estas serão distribuídas para os grupos 3, 2 e 1, respectivamente.

Pais demonstram satisfação ao concretizar matrícula 

“Fico feliz por matricular meu filho hoje em uma boa escola pública”, comemora Miraildes Correia dos Santos, mãe de Michel Santos Ferreira, agora aluno do 1º ano da Escola Municipal Antonio Carlos Coelho, no bairro SIM. “Espero que este seja um ano de muita aprendizagem para ele e que aproveite a oportunidade”, diz Miraildes.

“Eu estava na lista de espera e agora consegui matricular a minha filha”, comemora Jussimara Santos Brito, que garantiu a vaga da filha, Lohane Hadassa Santos Silva, no grupo 2 do Centro Municipal de Educação Infantil Irma Rosa de Lima Caribé Amorim, localizado no bairro Santo Antônio dos Prazeres. “Consegui inscrevê-la na mesma creche que a irmã frequenta e ‘tô’ muito feliz”, conta.

“Consegui uma vaga para o meu filho, Marcos Santana de Souza, que tem quatro anos, porém não consegui para a minha irmã, de três anos”, relata Joice Santana de Souza, que passa a ter uma relação mais próxima com o Centro Municipal de Educação Infantil Manoel Anchieta Nery de Souza, da Mangabeira. “A gestora da escola me explicou que é obrigatório oferecer o maior número de vagas para alunos a partir dos quatro anos. Apesar de querer muito que minha irmã já estivesse na escola a partir deste ano, não foi possível e entendo claramente esta situação”, atesta.

Responsáveis devem ficar atentos a documentação necessária

Para efetuar a matrícula, os estudantes, pais ou responsáveis devem apresentar os seguintes documentos: histórico escolar (original); cópia da certidão de nascimento ou carteira de identidade; uma foto 3x4; cópia do comprovante de residência atualizado; para as crianças de Educação Infantil também é necessário apresentar cópia do cartão de vacinação atualizado. E, finalmente, para as crianças beneficiárias do Bolsa Família, deverá ser apresentada ainda cópia do cartão em nome do pai, mãe ou responsável. No ato da matrícula, devem ser apresentados os documentos originais para a devida conferência.

  •