SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

50 casos de automutilação de crianças e adolescentes registrados em Feira desde o ano passado

11/10/2018, 9:3h

O Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi) registrou 50 casos de automutilação envolvendo crianças e adolescentes, em Feira de Santana, de 2017 até setembro deste ano. O número serviu como sinal de alerta para a Secretaria Municipal de Saúde, através do Grupo de Trabalho de Saúde Mental, sensibilizar nesta quarta-feira, 10, os profissionais de saúde, assistência social e educação na busca de uma maior atenção a esses casos.

O evento realizado no auditório da Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC) trouxe como abordagem estratégias para unir a sociedade em combate a automutilação e suicídio. “Toda a comunidade deve contribuir nesse processo, não só os profissionais, mas a família também tem que ser um correspondente”, ressalta a assistente social referência de saúde mental da Atenção Básica, Diana Damilles Costa.

Mudanças de comportamento servem como indicador

Algumas mudanças de comportamento podem servir para os pais como indicador que algo não vai bem com a criança ou adolescente. De acordo com a coordenadora da Rede de saúde mental, Robervânia Cunha, é preciso ficar atento a sinais como a utilização frequente de roupa de manga comprida, o ato de cobrir todo o corpo e a exposição durante muito tempo nas redes sociais. “É importante procurar saber o motivo desse isolamento e pedir ajuda num serviço de atendimento especializado”, alerta.

Ainda segundo Robervânia, a pessoa que se automutila tem intenções diferentes de um suicida. “Ele não quer acabar com a vida, mas quer acabar com a dor, e essa dor é emocional. Então essa pessoa machuca o corpo na tentativa de aliviar essas emoções”, ressalta.

Entre as estratégias utilizadas pelo município no atendimento a esse público estão as psicoterapias, as atividades em grupo e a escuta qualificada através de um psiquiatra, serviços esses gratuitos oferecidos através dos CAPS e encaminhados pela Atenção Básica. Além disso, o Grupo de Trabalho de Saúde Mental, que une os CAPS e Atenção Básica em parceria com faculdades do município, foi criado há um mês visando melhor capacitar profissionais no atendimento a esse público.

Atenção Básica é a porta de entrada desse serviço

“Nós temos hoje em Feira de Santana 115 Equipes de Saúde da Família e a gente sabe que a Atenção Básica é a porta de entrada desse serviço. A criança que está passando por automutilação, e o pai e a mãe conseguem observar essa questão, pode procurar a Unidade de Saúde do território e conversar com o médico, enfermeiro ou assistente social. Chamamos atenção também para os profissionais de educação que podem estar notificando esses casos, pois se preciso será feito o encaminhamento para o serviço especializado que é o CAPS Infantil”, informa Diana Damilles (foto).

  •  

Concentrando 25 por cento dos casos de dengue em Feira, distrito de Humildes é alvo de ação

5/10/2018, 11:51h

Feira de Santana confirmou 167 casos de dengue de janeiro a setembro deste ano. Desses 42 foram no distrito de Humildes, 25% do total registrado em todo o município. Visando combater esse índice, a equipe da Vigilância Epidemiológica esteve realizando uma ação contra o Aedes Aegypti nesta quarta-feira, 03, no povoado de Fulô, área com maior incidência da doença no Distrito.

O trabalho consistiu na procura de focos, o tratamento com larvicida e borrifação feita pelos agentes de endemias. Os profissionais passaram casa a casa, principalmente a de pessoas com sintomas associados a doença. 

Noélia foi orientada sobre como evitar focos de reprodução do mosquito

Uma das primeiras residências foi a casa de Noélia Santos, 54 anos. A neta de Noélia, que possui cinco anos de idade, desenvolveu sintomas da dengue. Durante a visita, focos do Aedes Aegypti foram encontrados em dois reservatórios de água. “Para que os ovos não eclodam é necessário lavar com bucha e cloro. Além disso, é importante deixar os reservatórios cobertos, para evitar que sirvam de alojamentos”, informa a bióloga Juliana Andrade.

Ainda na visita a residência, a enfermeira referência em arboviroses, Neuza Santos, que esteve acompanhando a ação, mostrou a Noélia outros objetos espalhados pelo quintal que apresentam riscos. “Esse vaso, se cair água, pode se tornar um criadouro”, orienta.

Grata pelas dicas, Noélia diz que irá colocar em prática todas as orientações. “Amanhã mesmo vou lavar o tanque”.

Com sintomas de dengue, Gilsara foi orientada a ir na policlínica

No local os profissionais estiveram conversando também com Gilsara Carvalho (foto), 38 anos, outra pessoa com suspeita de dengue. “Com cinco dias começaram as manchinhas no corpo, fiz exame na Policlínica, aí depois iniciou uma coceira. Outras pessoas tiveram essa coceira exagerada”, relata.

De acordo com Neuza, o caso de Gilsara pode ser dengue associado com zika, no entanto ela ressalta só poder confirmar após resultado laboratorial. “Todos que possuírem sintomas característicos devem procurar a Policlínica ou Unidade de Saúde para que seja feita a notificação e investigação da doença”, informa.

Os profissionais temem o aumento de casos, devido a proximidade do verão, por isto além de orientar a comunidade a ação tem como objetivo atualizar os agentes. “Nós estamos colocando em prática uma Atualização sobre controle químico, onde eles já tiveram acesso a parte teórica”, ressalta a bióloga, Juliana Andrade, que também informa a continuidade da atividade nesta sexta-feira, 5, no Distrito de Olhos D’Agua.

  •  

Cuidadores de pacientes acamados recebem acolhimento psicológico

4/10/2018, 17:43h

A aposentada Elza Lima, 81 anos, é acompanhada pelo Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) da Secretaria Municipal de Saúde há quatro meses, desde que foi desospitalizada com quadro de demência senil associada a AVC (Acidente Vascular Cerebral). Em casa, os cuidados da paciente ficam por conta de seu esposo, Viriato Manuel de Sena, que conta com mais duas pessoas o auxiliando nas atividades diárias. Nesta quarta-feira, 03, mais uma visita da equipe foi realizada, porém o acolhimento teve outro foco: cuidar de quem cuida.

A iniciativa faz parte do projeto Cuidando do Cuidador que acontece até esta sexta-feira, 05, no município. De acordo com a enfermeira referência, Mirella Ribeiro, o objetivo é promover o bem-estar para essas pessoas que acabam deixando tudo de si para ajudar o outro. “Eles geralmente estão sobrecarregados por tarefas domésticas, administração de medicamento, dar banho e fazer a refeição. Se essa pessoa adoece, sofre ele e o paciente”, ressalta.

Viriato admite que tem descuidado de sua própria saúde

Viriato Manuel concorda que acabou deixando de cuidar de sua saúde. Em conversa com a psicóloga do serviço, ele relata que o seu foco “é ela” (a esposa). “Agora com as instruções que recebi, vou tentar me adaptar pra poder ficar forte e cuidar da minha preta”, comenta carinhosamente.

Alívio dos sintomas do estresse e ansiedade

A sessão com a psicóloga, Sofia Portugal, que ajudou Viriato a refletir sobre o seu estado físico e emocional tem sido realizada com todos os cuidadores de paciente, por meio de uma escuta qualificada.  “A proposta é oferecer acolhimento para alívio dos sintomas do estresse, ansiedade e se o caso for muito crítico, como uma depressão por exemplo, essa pessoa é encaminhada para acompanhamento psicológico”, explica Sofia.

Questionado se está satisfeito com serviço, Viriato não poupa elogios. “Desde o primeiro dia que eles vieram aqui percebi que é uma equipe muito competente, amorosa e dedicada”, pontua.

Para ser contemplado com o serviço de equipe multidisciplinar em seu domicílio é necessário que seja solicitado avaliação médica na unidade de saúde mais próxima de sua residência. “Após avaliação e com relatório médico, a unidade de saúde encaminha para o SAD, caso o paciente se enquadre nos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde”, informa Mirella Ribeiro.

  •  

68 mil consultas de pré-natal foram realizadas na Rede Municipal de Saúde nos últimos dois anos

4/10/2018, 8:24h

Os cuidados com a saúde do bebê devem começar desde a descoberta da gestação. Assim, mães e famílias têm a disposição às consultas de pré-natal, onde recebem orientações para um desenvolvimento saudável da criança, com o acompanhamento da caderneta vacinal e a realização dos exames necessários.

Em Feira de Santana, o pré-natal é feito através das 115 Equipes de Saúde da Família e pelas 13 Unidades Básicas de Saúde. Nos últimos dois anos, aproximadamente 68 mil consultas foram realizadas. Uma assistência completa fornecida gratuitamente durante toda a gravidez.

No mínimo, sete consultas são realizadas

“O Ministério da Saúde preconiza no mínimo sete consultas, distribuídas entre os profissionais: médico, enfermeiro e odontólogo. Por isso o ideal é que ao descobrir a gestação, de preferência no primeiro trimestre, essa gestante seja localizada pelo Agente Comunitário de Saúde para comparecer a Unidade”, ressalta a referência técnica em saúde da mulher, Alessandra Magalhães (foto).

Mães foram presenteadas com um book fotográfico

A fim de motivar a adesão completa do acompanhamento, os profissionais de saúde utilizam de estratégias para motivar as mamães. Na Unidade de Saúde da Família do Parque Getúlio Vargas, as usuárias que fizeram o pré-natal corretamente, conforme orienta o Ministério, foram presenteadas com um book fotográfico, com direito a maquiagem, cabeleireira e adereços.

“Fazer esse ensaio fotográfico foi uma forma de estimular o cuidado com a saúde do bebê. Muitas mães que realizaram o pré-natal não têm condições de ter esse registro, então a ideia foi compensá-las por esse cuidado”, afirma a enfermeira Flávia Oliveira.

Momento maravilhoso, diz Fabyllane, fotografada com 26 semanas de gestação

Momento ímpar para Fabyllane Maria (foto), 30 anos, que está com 26 semanas em sua segunda gestação. Por possuir uma gravidez de risco, ela segue acompanhada pela Unidade de Saúde e também pelo Hospital da Mulher, maternidade a qual ela dará a luz. “Eu pensava em fazer um ensaio fotográfico e aí veio essa oportunidade. Foi um momento maravilhoso que deixa a gente feliz, excelente para todas as gestantes”, ressalta.

Para relembrar essas ocasiões, a enfermeira Flávia guarda na unidade um mural com fotos de todas as pacientes. “Durante o acompanhamento eu sempre coloco fotos delas em um mural na sala da unidade é uma forma de carinho e elas sempre visualizam ao retornar após o parto”, relata.

  •  

Café da manhã marca início da mobilização contra cânceres de mama e próstata

2/10/2018, 19:4h

Em mobilização referente ao Outubro Rosa e Novembro Azul, a Unidade de Saúde da Família Gabriela III e IV realizou na manhã de segunda-feira, 01, café da manhã para os pacientes que estavam aguardando atendimento. O momento foi oportunidade para conscientizar a comunidade sobre o combate aos cânceres de mama e próstata, durante sala de espera.

“As unidades de saúde têm essa responsabilidade, principalmente por trabalhar com a prevenção, de informar e conscientizar que o câncer tem cura e que a consulta periódica e autoexame são importantes para o diagnóstico precoce”, explica a enfermeira e palestrante, Rayane Graciele.

De acordo com a enfermeira, a paciente que detectar algum nódulo nas mamas deve procurar a unidade mais próxima de sua residência. “Essa pessoa irá passar por uma avaliação clínica e será encaminhada para um especialista”, ressalta.

As ações preventivas contra os cânceres de mama e próstata estão apenas começando. A partir das unidades de saúde as mulheres estão tendo acesso a mamografias com livre demanda na rede municipal. Os exames são feitos no CMDI (Centro Municipal de Diagnóstico Por Imagem), CEPAH (Centro de Pesquisa e Assistência em Reprodução Humana) e no Hospital D. Pedro de Alcântara.

A orientação é que o público com idade entre 50 a 69 anos faça a avaliação. Para tanto é necessário ter em mãos CPF, carteira de identidade e cartão SUS.

Já os homens acima de 45 anos, terão além dos exames laboratoriais, a solicitação do PSA. Os casos diagnosticados serão encaminhados para acompanhamento de urologista.

  •  

Secretaria de Saúde vai estimular os pais a participarem do pré-natal

2/10/2018, 10:44h

Enfermeiros da rede de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde passam por capacitação para inserir os pais durante as consultas de pré-natal. O treinamento foi encerrado na sexta-feira, 28, com objetivo de estimular a presença do homem durante a gestação e para acompanhamento de saúde, diminuindo os índices de doenças.

A equipe de saúde deverá estimular a presença do companheiro em consultas de pré-natal, sendo necessário a participação dele em pelo menos duas consultas. “A primeira para a solicitação de exames e a segunda para receber o diagnóstico. O pai vai receber uma caderneta onde será registrado o acompanhamento vacinal e triagem”, afirma a referência em saúde do homem, Isabela Machado.

Durante as consultas haverá a solicitação de exames laboratoriais. “Essa medida é para que haja o diagnóstico precoce de algumas doenças no companheiro que possam afetar bebê”, informa.

Parceiro que não é o pai da criança pode ser inserido no grupo da família

As mulheres em que o parceiro não for o pai da criança, poderão inseri-los no grupo da família. “Agora o grupo de gestante passará a se chamar grupo da família, onde os homens poderão participar das atividades e também serão incluídas parceiras ou mãe das gestantes. A medida é para que a mãe tenha o apoio de outra pessoa durante a gestação”, informa Isabela (foto).

“A presença deles na unidade de saúde é uma oportunidade para conscientizar sobre métodos contraceptivos, uso do álcool e tabagismo, como também abordar sobre planejamento familiar”, ressalta Isabela.

  •  

Feira tem redução da vacina meningocócica e substituição temporária da tetra viral e DTP

1/10/2018, 19:3h

Conforme nota informativa do Ministério da Saúde, o município de Feira de Santana terá o fornecimento da vacina Meningocócica C reduzido e as vacinas Tetra Viral e DTP (Difteria, Tétano e Pertussis) serão substituídas por vacinas equivalentes temporariamente.

A normalização no fornecimento da vacina Meningocócica C, que protege contra a meningite, depende da liberação das doses que se encontram em análise pelo Instituto de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

Em todo o nordeste, a vacina Tetra Viral foi substituída temporariamente pela vacina varicela monovalente e a vacina DTP, que chegou ao país em abril, aguarda parecer do Fundo Rotatório da Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e Baixa do Termo de Guarda (BTG) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Devido indisponibilidade em estoque, o imunobiológico será substituído pela vacina Pentavalente.

“A substituição temporária das vacinas DTP e Tetra Viral, conforme orientado pelo Ministério da Saúde, não trazem prejuízos. Em relação a vacina da meningite a Rede de Frio se mantém atenta afim de garantir o imunobiológico em estoque nas unidades até que seja regularizada a situação”, afirma o coordenador da Rede de Frio, Carlos Henrique Valverde.

  •  

Com média de mil atendimentos mensais, SAMU completa 14 anos em Feira

1/10/2018, 14:57h

Os atendimentos de urgência em Feira de Santana, há cerca de 14 anos atrás, eram prestados com somente uma ambulância para atender toda a cidade. O Corpo de Bombeiros era o órgão responsável pelo serviço. Mas desde a implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) essa realidade mudou no município. Hoje esse trabalho é feito com oito ambulâncias bem equipadas e uma motolância, resultando numa média de mil atendimentos mensais.

Durante a comemoração de 14 anos de atividades do SAMU, o marjor do Corpo de Bombeiros, Adriano Bertolino, lembrou das dificuldades para atender a demanda antes da implantação do órgão municipal. “Hoje a gente fica muito feliz em ver o SAMU, 14 anos depois da sua implantação, bem estruturado e inclusive regionalizado”, pontuou.

Técnica de enfermagem lembra da primeira ocorrência da história do órgão

A técnica de enfermagem Eliene Rosa está no SAMU desde a sua implantação. Ela participou da primeira ocorrência de atendimento. “Amo o SAMU. Lembro como se fosse hoje da minha primeira ocorrência que foi um paciente com amputação de membro inferior, mas que no final tudo deu certo. Cada atendimento é um aprendizado. A gente aprende e ensina a comunidade, é uma paixão”, relata. 

Pequena Ana Mel roubou a cena

O amor de Eliene pelo trabalho foi evidenciado na fantasia de sua filha de apenas quatro meses. A pequena Ana Mel vestiu uma roupa no padrão da farda usada pelos profissionais do SAMU. Para coordenadora do SAMU, Maísa Macedo, união, comprometimento e trabalho em equipe é o que contribui na prestação de um bom serviço para a comunidade. 

Inúmeras vidas salvas é motivo de comemoração, diz secretária

“Sabemos que nesses 14 anos inúmeras vidas foram salvas, pela agilidade, rapidez e eficiência. E por isso estamos aqui comemorando mais um ano de atividade”, ressalta a secretária de Saúde, Denise Lima Mascarenhas (foto).

Workshop de primeiros socorros

Durante o evento, realizado no Centro de Cultura Maestro Miro, além das várias homenagens que foram feitas ao órgão, estudantes de escolas municipais, junto com agentes comunitários, participaram de um Workshop de Primeiros Socorros, demonstrando o resultado do treinamento feito no primeiro semestre deste ano nos Distritos de Feira, através do Projeto “SAMU 192 mais perto de você”.

“Desde o ano passado nós fomos agraciados pelo projeto envolvendo a educação de Feira de Santana. Um trabalho maravilhoso, onde os alunos tiveram oportunidade de fazer aulas práticas e conhecer todo funcionamento do órgão, sabendo o quanto o SAMU é importante para nossa vida”, relata a representante da Secretaria Municipal de Educação, Adriana Simões (foto).

  •  

Secretaria de Saúde doa 2t de alimentos arrecadados na Corrida Pink and Blue

28/9/2018, 15:32h

Associações filantrópicas receberam na tarde desta quinta-feira, 27, duas toneladas de alimentos arrecadados durante a II Corrida Pink And Blue, realizada pela Secretaria Municipal de Saúde, através da Atenção Básica, no último domingo, 23.

Os alimentos arrecadados como taxa de inscrição para a corrida foram doados a Associação de Apoio a Pessoa com Câncer (AAPC), Creche Mãos Unidas, Creche Tia Marta, além de famílias de crianças com microcefalia.

Voluntário há seis anos da AAPC, Edmilson Alves (foto), foi um dos primeiros a chegar para transportar a doação. “É importante para manter o serviço pois temos muitas pessoas cadastradas, principalmente que não moram na cidade, e precisam dessa ajuda”, pontua.

Objetivo duplo alcançado

Segundo a referência técnica em Saúde da Mulher, Alessandra Magalhães (foto), a ação alcança dois objetivos. “Sensibilizar a comunidade feirense quanto a importância da prevenção dos cânceres com hábitos saudáveis e de contrapartida, a doação é um apoio a diversas instituições que necessitam desse ato de solidariedade”, afirma.

A II Corrida Pink And Blue mobilizou mil pessoas, entre homens e mulheres, contra os cânceres de mama e próstata. O ato marcou a aberturas das campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul.

“Através da corrida percebemos como a comunidade feirense é caridosa porque muitos nos procuraram para doar apenas o alimento”, relata Alessandra Magalhães.

  •  

Completando 15 anos de atividades, CAPS AD passará a ter leitos noturnos

27/9/2018, 17:36h

O Centro de Atenção Psicossocial Alcool e Outras Drogas (CAPS AD) passará a contar em breve com leitos noturnos. A informação foi dada pela coordenadora da Rede de Saúde Mental, Robervânia Cunha [foto abaixo], durante a comemoração dos 15 anos de atividades do órgão. O evento aconteceu nesta quarta-feira, 26, e contou com a oferta de vários serviços aos pacientes e familiares.   

“Nós ganhamos três unidades próprias para CAPS, a primeira vai ser entregue agora em outubro que é o CAPS Infantil, as outras serão a partir de dezembro. Para o CAPS AD nós vamos pedir a qualificação do tipo 2 para o tipo 3, ou seja, teremos aqui também leitos noturnos para os que necessitam. Esse é o nosso presente desses 15 anos para vocês”, revelou Robervânia.

A programação comemorativa incluiu: cortes de cabelo, aulas de dança, testes rápidos, grupos com palestras e um varal solidário com peças de roupas gratuitas. O CAPS AD conta atualmente com mais de seis mil pessoas cadastradas. 

Tentativa de suicídio e dois AVC; CAPS mudou a vida de Edmilson

O vício do álcool levou Edmilson Almeida a sofrer dois AVC (acidente vascular cerebral) e a tentar tirar a própria vida. Sua realidade começou a mudar há cerca de dois anos, quando passou a ser assistido pelo CAPS AD. 

“Ele queria sair do vício sozinho, sem ajuda. Foi quando eu conversei com ele e buscamos o CAPS. Graças a Deus está fazendo dois anos que ele se libertou do vício do alcoolismo, toma medicamento para ansiedade, e hoje passa essa experiência para outras pessoas, inclusive já trouxe dois amigos que estão no mesmo caminho que um dia ele esteve”, relata a esposa Euzélia Rodrigues.

Suporte familiar favorece o tratamento

A psicóloga Leandra Reis observa que o paciente que tem esse suporte familiar apresenta melhor resultado no tratamento. “O resultado é mais rápido do que aquele paciente que chega sozinho, porque o tratamento acontece também em casa. Então essa família está engajada em saber como está sendo esse processo e participa dos grupos terapêuticos que nós temos, recebendo também o acolhimento e assistência”, ressalta.

Projeto terapêutico individual

Cada paciente que adentra no CAPS tem um projeto terapêutico elaborado de maneira individual. O principal requisito para iniciar na unidade é “realmente querer ajuda”, informa a coordenadora, Carolina Carvalho.

“De acordo com a necessidade, substância e grau de dependência, fazemos o encaminhamento para oficinas terapêuticas, grupo de ajuda mútua, atividade física, psicoterapia, avaliação com psiquiatra e o tratamento medicamentoso”, ressalta.

O CAPS AD é aberto de segunda a sexta, das 8h às 18h, na Rua Prudente de Morais, nº 170, Ponto Central.

  •