SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Dados da rede municipal de ensino ajudam na renovação de meia passagem estudantil

20/10/2017, 16:54h

Com o objetivo de agilizar o processo de recadastramento dos alunos da Rede Municipal de Ensino, que utilizam o cartão que garante meia passagem nos transportes coletivos de Feira de Santana, a Secretaria de Educação e a Via Feira, associação constituída pelas empresas de transporte da cidade, uniram forças. O cruzamento de dados das duas organizações proporcionará agilidade e reduzirá o impacto ambiental com a diminuição do uso de papel nos tramites.

A reunião para firmar a parceria e o inicio de cooperação entre as frentes, aconteceu na tarde desta quinta-feira, 19, e contou com a presença da secretária de Educação, Jayana Ribeiro, do secretário de Transporte e Trânsito, Saulo Figueiredo, de representantes da empresa Via Feira e técnicos da Seduc. Com a iniciativa, ao se matricular ou confirmar a matrícula na Rede Municipal de Ensino, o aluno automaticamente atualiza seus dados cadastrais que serão também disponibilizados para a Via Feira, agilizando o acesso aos cartões de meia passagem e reduzindo o tempo de espera do processo.

 “Atualmente, o aluno acessa o site http://www.viafeira.com.br/recadastramento e consegue realizar o seu recadastramento. Porém, depois de completar as informações virtualmente, ele ainda precisaria comparecer presencialmente para a comprovação dos documentos. Agora, com o cruzamento de dados da Via Feira com a Seduc, o aluno não precisará levar papéis e nem comparecer, pois tudo será feito virtualmente”, explica Ricardo Lucena, diretor da Via Feira.

Durante os meses de novembro e dezembro acontecerão as trocas de informações e a expectativa é que os alunos sejam beneficiados no começo do ano letivo de 2018. “Estamos agora fazendo as partes técnicas que permitirão que a agilidade aconteça, então, como estamos no final de um ano letivo, os alunos só terão acesso às facilidades no início do ano letivo de 2018”, comenta a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

  •  

Escola transforma celular em ferramenta pedagógica

19/10/2017, 18:1h

Estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental usaram a criatividade para resignificar o uso do celular no contexto da escola. Eles produziram vídeos abordando temas cada vez mais atuais, como homofobia, machismo, xenofobia e, também, a intolerância religiosa.

As produções foram apresentadas durante o “Educavideo: Aqui tem festival audiovisual” que premiou os melhores vídeos dirigidos pelos alunos da Escola Municipal Chico Mendes, na tarde desta quarta-feira, 18, no Teatro Ângela Oliveira, do Centro de Cultura Maestro Miro.

“A nossa proposta é resignificar o uso dos telefones, que os adolescentes usam o tempo todo. A ideia é fazê-los perceber que os celulares podem ser também ferramentas pedagógicas e de aprendizagem muito interessantes, defende a professora de Educação Física, Liamara Martfeld, que teve a iniciativa de criar o festival.

O projeto reforça duas metas que compõem o planejamento estratégico da escola, explica a diretora Anna Virgínia Félix de Araújo. "Ambas estão relacionadas à leitura, escrita e interpretação, além do ato de expressão. E, também, precisamos apresentar aos estudantes novas propostas de utilização do celular”, comenta Anna Virgínia.

“Este é o segundo ano da iniciativa. No ano passado, homenageamos os 25 anos de criação da escola. Neste ano, o nosso objetivo é discutir os preconceitos e dar voz às minorias. Acredito que a escola é o melhor lugar para incentivar o respeito às diversidades”, destacou a professora Liamara Martfeld, durante a premiação dos alunos.
 
Premiação

Em 1º lugar, com um prêmio de R$ 200,00 venceram os alunos do 7º ano A, com o vídeo “Preconceito pra quê?”; em 2º lugar, com o prêmio de R$ 150,00, os ganhadores foram os alunos do 7º ano C, com a produção “Sai pra lá preconceito”; e em 3º lugar, os ganhadores foram os alunos do 6º ano D, com o trabalho intitulado “Escola: lugar de gente!”.

O vídeo vencedor foi criado em tempo recorde - apenas um dia de produção e filmagem; e mais dois dedicados à edição, como explica Davi Cordier, membro do 7º ano A: “Tínhamos feito um vídeo, mas não aparecíamos nele. Quando descobrimos que esse era um critério de avaliação, refizemos tudo em três dias para conseguirmos concorrer. Estou muito feliz com o resultado e por termos saído vencedores da premiação”, comemora.

  •  

Professor deve ter "intencionalidade pedagógica" em sala de aula, defende especialista

19/10/2017, 14:16h

“Se carrega o nome 'professor' na função, é preciso ter intencionalidade pedagógica em sala de aula”. A orientação partiu da professora doutora Suzana Alves Nogueira Souza, durante palestra na manhã desta terça-feira, 17, no Centro de Cultura Maestro Miro.

A palestra marcou a abertura da Formação Continuada para Professores Auxiliares da Educação Especial – FORPRAE, cujo calendário segue até 2018. Mais de 400 professores auxiliares participam dos encontros de formação.

A professora Suzana Nogueira Souza falou sobre a relação entre o currículo escolar e a inclusão de estudantes público alvo da Educação Especial. De acordo com ela, "o professor auxiliar precisa ter práticas pedagógicas de forma intencional e eficiente a fim de contribuir para a formação do aluno. A função do professor não é apenas passar conhecimentos específicos da escola, mas construir uma formação humana, pois estas crianças precisam se sentir protagonistas na sua em sociedade”, garante.
“Historicamente a própria escolarização das pessoas com deficiência sempre teve um caráter assistencialista”, explica a professora Suzana. “Ser um professor auxiliar não é só colaborar com a assistência. Um bom professor  deve atuar como tal, investir na formação das crianças”, orienta.

Durante a FORPRAE, os professores vão discutir a função do professor auxiliar nas salas de aula. A iniciativa é da Divisão de Educação Especial e do Centro Interprofissional de Atendimento Educacional Professora Marliete Santana Bastos (InterEduc), ambas setores da Secretaria Municipal de Educação.

A solenidade contou com a apresentação cultural da psicopedagoga do InterEduc, Sheila Menezes, e dos monitores do programa Música na Escola, Daniel Souza Bento e Fredson Ribeiro.

“Fico muito feliz por termos este espaço e tempo para expormos os nossos desafios em sala de aula e aprendermos as melhores formas de resolver as dificuldades que enfrentamos”, declara Edvania Almeida de Souza, a professora auxiliar da Escola Municipal Chico Mendes. “Nosso desenvolvimento profissional e também a aprendizagem dos nossos alunos depende do nosso aprimoramento”, relata.

A professora Ana Maria Alves dos Santos e Silva, chefe da Divisão de Ensino Especial da Seduc, apresentou a programação do curso para os professores auxiliares. “Dividiremos a programação de 30 horas de carga horária entre aulas presenciais e atividades virtuais. Serão dez turmas separadas em quatro encontros e, no final, encerraremos com uma mesa redonda. A troca de experiências é um dos nossos principais objetivos”, destaca Ana Maria.

  •  

Recadastramento de servidor da Secretaria de Educação termina sábado

19/10/2017, 9:5h

Termina neste sábado, 21, o prazo para o recadastramento dos servidores que atuam na Rede Municipal de Ensino. Cerca de 22% dos funcionários ainda não se apresentaram e o não comparecimento pode implicar no bloqueio dos salários.

Iniciado no último dia 21 de setembro, o recadastramento é feito de maneira dinâmica, sem perda de tempo. Uma equipe com vários técnicos atendem aos servidores que têm hora marcada para apresentação.

Para fazer o agendamento, os servidores devem acessar o endereço eletrônico: www.sagres.wimax.com.br/agendamento, e marcar dia e horário para comparecimento à Seduc, sala 2, que fica na avenida Senhor dos Passos, 197, Centro.

Na data e horário marcados para o procedimento, os funcionários devem apresentar os documentos necessários: identidade com foto (Registro Geral – RG, Cadastro Nacional de Habilitação - CNH ou passaporte, etc); Cadastro de Pessoa Física – CPF; uma fotografia 3x4; contracheque; comprovante de residência atualizado; diploma de graduação e, caso haja, diploma de pós-graduação.

  •  

Convocados mais 101 professores aprovados em seleção pública simplificada

18/10/2017, 8:42h

Mais 101 professores aprovados na seleção pública simplificada para a Rede Municipal de Ensino foram convocados nesta terça-feira, 17. A lista de chamados foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do Município, edição nº 596, desta terça-feira, 17.

“Totalizamos 500 convocados. Na primeira chamada foram 300; na segunda, 100; e nesta última, mais 100. Uma candidata que havia perdido o prazo anteriormente entrou com recurso e a Procuradoria Geral do Município entendeu que ela deveria ser convocada na terceira chamada”, explica a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

Os convocados deverão comparecer à Secretaria Municipal de Educação, sala 02, situada na Avenida Senhor dos Passos, 197, no centro da cidade, entre os dias 31 de outubro e 1º de novembro próximos.

Os professores deverão apresentar os seguintes documentos: carteira de identidade; comprovante de inscrição no cadastro de pessoa física (CPF); certidão de nascimento ou casamento; cartão de inscrição no PIS/PASEP; comprovante de regularidade com as obrigações eleitorais; comprovante de regularidade com o serviço militar, quando couber; comprovação de escolaridade mínima compatível com o cargo de acordo com a exigência do edital – diploma do curso de Pedagogia.

Também é exigido histórico escolar para candidatos que concorreram às vagas da cota “oriundo da escola pública e bolsista”; laudo médico atestando a capacidade física para o exercício da função; declaração de bens; atestado de antecedentes policiais; uma foto 3x4; para os selecionados que possuam outros vínculos com o serviço público, declaração dos órgãos de origem informando a jornada de trabalho; carteira de trabalho e previdência social – CTPS; e finalmente comprovante de residência.

Além disso, é preciso apresentar alguns exames laboratoriais acompanhados dos respectivos laudos oferecidos por médico do trabalho, conforme a lista:  hemograma completo, válido por três meses; sumário de urina, válido por três meses; acuidade visual, válido por até seis meses; raio X do tórax, válido por seis meses; laudo médico atestando capacidade física para o exercício da função.

Caso o candidato não compareça até o prazo final estipulado no Edital de Convocação ou não apresente a documentação necessária, perderá o direito à nomeação e ao consequente ingresso no serviço público municipal.

O prazo de contratação é de um ano, podendo ser prorrogado por igual período. Já a seleção é válida por dois anos e também pode ser prorrogada por igual período.

  •  

Professora que teve filho morto por envenenamento recebe solidariedade

17/10/2017, 19:26h

A dor de uma mãe, professora, foi alvo de homenagem durante sessão solene da Câmara Municipal pela passagem do dia dedicado a categoria de educadores, em Feira de Santana. Janete Moura, que atua na rede municipal de ensino, perdeu o filho Luis Felipe Moura Teixeira, de seis anos, de forma trágica. A tia-avó do menino, que era aluno do Centro de Educação Básica (localizado na UEFS, mas pertencente ao Município), o envenenou com chumbinho, colocado em um bolo.

A secretária de Educação, Jayana Ribeiro, pediu ao público um momento de solidariedade pela família. “Peço que voltem suas orações para a nossa colega Janete, que está lidando com uma perda incomparável. Que os nossos melhores pensamentos estejam com ela”, apelou. 

A sessão solene foi promovida a partir de requerimento do vereador Luiz Augusto de Jesus, o Lulinha. Durante o evento, 13 gestoras de escolas e creches municipais foram homenageadas pela excelência no trabalho à frente das unidades de ensino. A galeria estava lotada, com a presença de autoridades e professores - a solenidade contou com a presença do reitor da UEFS, Evandro do Nascimento Silva; do deputado estadual Ângelo Almeida; do ex-prefeito José Raimundo Azevedo; e da ex-secretária de Educação, Lélia Vítor Fernandes.

Jayana destacou a atuação dos professores da Rede Municipal de Ensino que "superam dificuldades e se esmeram por realizar um trabalho de qualidade, nas escolas, distribuídas por toda a cidade e zona rural". Autor da proposição, o vereador Luiz Augusto disse que é preciso valorizar os professores, “que dignificam todas as profissões”. 

Anaci Paim: “A sala é um espaço para a formação continuada do professor”

A sala de aula é “um espaço privilegiado para a formação continuada do professor”, disse a ex-secretária estadual e municipal de educação, Anaci Paim, na sessão solene realizada pela Câmara de Feira de Santana em homenagem ao Dia do Professor. Ex-reitora da UEFS, ela disse ainda que o ambiente da escola é “nobre e, como tal, deve ser resguardado”.

Para Anaci, em sua vasta experiência com a educação, o papel do professor é desafiador, “mas também, encantador”. No universo da Educação, assinala a ex-secretária, “único caminho pelo qual podemos mudar o mundo”, ele (o professor) é um elemento fundamental. 

Momento Cultural

A sessão solene em homenagem ao Dia do Professor foi aberta pelas estudantes Kelly Kauane de Souza Oliveira e Graziele Almeida Santana, da Escola Municipal Jonathas Telles de Carvalho e integrantes do Programa Música na Escola. Poesia e um pouco de magia marcaram a apresentação quando as estudantes entoaram a versão em português da eterna canção “Ao mestre com carinho” e o recente sucesso “Trem bala”, da cantora Ana Vilela. 

Personagem

Um “chamado divino”. Assim a professora Livya Moura, gestora do Centro Municipal de Educação Infantil Manuel Anchieta Neri de Souza e uma das homenageadas na sessão solene realizada pela Câmara de Vereadores, enxerga a profissão. “Trouxe ao meu coração o melhor incentivo possível, pois, diante de tantas dificuldades enfrentadas na nossa profissão, o reconhecimento da sociedade renova nossas forças e ratifica a certeza do valor que temos”, disse ela, sobre ser reconhecida em um evento na Casa da Cidadania. 

A relação de homenageados

 

 

 

Foram homenageadas no plenário as professoras e gestoras de escolas municipais: Ana Claudia Carneiro Oliveira (Escola Municipal Antônio Alves Lopes); Ana Karine Passos Alves (Centro Municipal de Educação Infantil Eduarda Oliveira França); Andreia Cristina Barbosa Alves Bastos (Centro Municipal de Educação Infantil Antonio Carlos Machado); Flavia Carneiro Santos Morais (Escola Municipal Lídice Antunes); Girlene Do Nascimento Sena De Andrade (Escola Municipal João Marinho Falcão); Jucicleide Mascarenhas Serra Costa (Centro Municipal de Educação Infantil Honorina Oliveira De Amorim); Livya Layanse Cruz Moura Almeida (Centro Municipal de Educação Infantil Manuel Anchieta Neri de Souza); Maria Gorete Cerqueira Silva (Escola Municipal Colbert Martins); Marina Guimarães dos Santos (Escola Municipal Dalva Suzart de Assis); Plácida Emília Silva (Centro Municipal de Educação Infantil Irma Rosa de Lima Caribé Amorim); Roza Angélica Queiroz Ribeiro (Escola Municipal Mãe dos Humildes); Selma Aparecida Santos Silva (Centro Municipal de Educação Infantil Professor José Raimundo de Azevedo); e Suzana Alves De Almeida (Escola Municipal Nossa Senhora das Candeias).

  •  

Professores que atuam em Educação Especial participam de Formação Continuada

17/10/2017, 9:45h

Mais de 400 professores que atuam no apoio aos estudantes público alvo da Educação Especial participam a partir desta terça-feira, 17, da FORPRAE, Formação Continuada para Professores Auxiliares. O primeiro encontro vai ser marcado pela palestra da professora doutora Suzana Alves Nogueira, a partir 8:00, no Centro de Cultura Maestro Miro.

A palestrante vai abordar o tema “O currículo escolar e a inclusão de estudantes, público alvo da Educação Especial: a importância da mediação na promoção da aprendizagem”.

A formação é promovida Secretaria Municipal de Educação, através do Centro Interprofissional de Atendimento Educacional Professora Marliete Santana Bastos (InterEduc). O FORPRAE oferece carga horária de 30 horas, divididas entre encontros presenciais e atividades desenvolvidas no ambiente virtual de aprendizagem, o Moodle.

“Já realizávamos alguns encontros com os professores auxiliares, mas percebemos que é importante investir na formação mais sistemática para eles, a fim de discutirmos a função que eles desempenham na sala de aula, para que a atuação não tenha cunho assistencialista, mas sim inclusivo”, explica a professora doutora Márcia Torres Nery Soares, coordenadora pedagógica do InterEduc.

Os participantes serão divididos em turmas que se reunirão em quatro encontros presenciais, a partir desta terça-feira; a programação segue até dezembro.

  •  

Ação Social da Escola Wilson Mascarenhas integra comunidade no Campo Limpo

13/10/2017, 8:23h

Cuidados com a saúde e a estética, relaxamento, palestras e ainda brincadeiras marcaram a ação social promovida na quarta-feira, 11, pela Escola Municipal Professor Wilson Moreira Mascarenhas, do bairro Campo Limpo. Familiares, a população e estudantes se divertiram no evento que promoveu a integração da comunidade e marcou a comemoração pelo Dia da Criança.

“Nosso intenção foi oferecer serviços para todos. Pais, responsáveis e estudantes cuidaram da beleza e da saúde durante a ação, que promoveu à interação entre a escola e os moradores do nosso entorno”, destaca a diretora da unidade de ensino, Sumaya Ramos Rodrigues.

Profissionais do Posto de Saúde da Família – PSF do Novo Horizonte - proferiram palestras sobre cuidados com a saúde; também ofereceram serviços como aferição da pressão e testes de glicemia. A comunidade ainda teve acesso a cortes de cabelo, manicure e massoterapia. As crianças participaram de diversas brincadeiras.

“A criança que não brinca não é feliz”, disse Phelipe Nery Santos, aluno do 5º ano. “Todos temos o direito a brincar e acho importante compartilhar este momento com nossos colegas e a comunidade”, defende.

“É muito bom que a família e a comunidade estejam dentro da escola, que conheçam e ampliem a visão de como ela funciona, sejam mais participativos no ambiente escolar. Os serviços oferecidos foram muito úteis e as crianças puderam se divertir bastante”, garante Zélia Silva dos Santos Fernandes, mãe do aluno Geovanni dos Santos Fernandes, também do 5º ano.

  •  

Alunos de escola municipal apresentam peça no Festival Nacional de Teatro Infantil

10/10/2017, 14:15h

Após meses de preparação, estudantes do Centro Municipal de Educação Monteiro Lobato estrearam no teatro no último sábado, 7, na programação do 10º Festival Nacional de Teatro de Feira de Santana (FENATIFS). O espetáculo “O voo da arara azul” foi encenado pelos alunos no Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA).

O espetáculo retrata de forma poética os desafios e a superação de uma arara azul após um drástico acidente. Ao longo do ano, os estudantes participaram de oficinas de teatro e práticas circenses, atividades que integram o Programa Novo Mais Educação. As aulas contaram com o apoio da diretora teatral Elizete Destéffani, que também é produtora da Cia. Cuca de Teatro.

"É uma grande alegria poder proporcionar aos nossos alunos a vivência do teatro e do circo e perceber as mudanças no comportamento, na aprendizagem e na autoestima de cada um deles", conta a gestora do Centro Municipal de Educação Monteiro Lobato, Adriana Pereira.

  •  

Internautas vão escolher melhor trabalho estudantil sobre patrimônio histórico de Feira

9/10/2017, 9:20h

A partir desta segunda-feira, 9, os internautas podem votar na melhor produção de vídeo, e-book e fotografia, trabalhos elaborados por estudantes da Rede Municipal de Ensino que exploraram aspectos diversos do patrimônio histórico-cultural de Feira de Santana. Eles participam da segunda edição do Feira Que Te Quero Ver, iniciativa da Secretaria Municipal de Educação envolvendo escolas de Ensino Fundamental II - do 6º ao 9º ano - de 20 escolas públicas.

Para votar nas três categorias, o público deve acessar o site www.feiraquequerotever.com.br. A votação estará aberta até o dia 15 de outubro.

O objetivo do projeto é valorizar o patrimônio histórico-cultural de Feira de Santana e promover o uso da tecnologia a favor da educação. Em 2017, os estudantes estão explorando aspectos próprios dos bairros onde as escolas estão localizadas.

“A ideia é que o aluno conheça a história do seu lugar de origem, que ele frequenta diariamente. É uma forma de preservar e valorizar a identidade deles, além de promover o pertencimento de cada estudante", destaca a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

O projeto, segundo a visão da secretária, também estimula o amor pela cidade. "É uma forma de demonstrar o quanto gostamos de Feira de Santana”, comenta.

Durante a primeira etapa do Feira Que Te Quero Ver os alunos visitaram espaços importantes dos bairros, gravaram vídeos, fizeram entrevistas e conheceram diversos pontos históricos da cidade; já na segunda, produziram os materiais contando a experiência e compartilhando o aprendizado adquirido nas visitas. Eles também tiveram aulas sobre a utilização das ferramentas proporcionadas pela tecnologia da informação e seu uso na educação, dentre os quais, celulares, computadores, câmeras, etc.

Após o período de votação aberto à comunidade, os materiais produzidos pelos estudantes serão analisados e votados por uma comissão instituída pela Seduc, composta por professores, pesquisadores e/ou produtores ligados à articulação do audiovisual com a educação. Esta análise ocorrerá nos dias 19 e 20 de outubro. A comissão terá no máximo cinco membros, que não integram a Prefeitura ou a Seduc.

A cerimônia de premiação dos trabalhos mais votados está prevista para a primeira quinzena de novembro.

  •