SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Gestores recebem orientações sobre elaboração e implementação de Projetos Político-Pedagógico das escolas

29/7/2019, 10:5h

Orientar a elaboração e implementação dos Projetos Político-Pedagógico (PPPs) das escolas municipais. Foi este o objetivo do atendimento oferecido pelo Grupo de Gestão e Mediação da Secretaria de Educação a gestoras de unidades de ensino na quinta-feira, 25. O encontro aconteceu na sede da Seduc e foi a segunda etapa desta formação.

O PPP funciona como um guia para as ações a serem desenvolvidas na escola. Nele serão encontradas metas e métodos para que a instituição de ensino consiga atingir os objetivos a que se propõe. Esse documento tem elaboração anual obrigatória pela legislação, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

O atendimento foi dedicado a dois grupos: o dos que receberiam orientações sobre a elaboração de projeto próprio e o daqueles que já possuem um, porém manifestaram dificuldade em implementá-los. O primeiro ouviu sobre a importância de um PPP para uma escola e quais caminhos trilhar durante sua construção.

“Toda comunidade escolar deve se envolver no processo e saber de sua existência, mesmo quem não fizer parte dele desde o início. O projeto deve ter relação intrínseca com a realidade da escola em questão”, explicou Alexsandra Soares, coordenadora do Grupo de Gestão e Mediação e uma das formadoras.

Já o segundo grupo ouviu que o PPP deve ser revisitado constantemente para que todos se sintam parte dele. Uma dica prática foi a utilização da tecnologia a favor desta implementação. “Em caso de tempo reduzido, pode-se utilizar os formulários on-line da Google para recolha de opiniões, evitando suspender aulas ou mesmo marcar reuniões físicas”, complementou.

Além de Alexsandra, o Grupo de Gestão e Mediação da Seduc é composto pelas professoras Rosana Falcão, Geórgia Kaline Matos, Giovana Marget e Fátima Suely – nele, todas atuam como coordenadoras. 

  •  

Crianças matriculadas nas creches municipais passam a contar com agenda personalizada para a família acompanhar seu dia a dia

22/7/2019, 10:39h

Uma medida simples cujo objetivo é tornar a relação entre pais e creche mais clara e eficiente. Nos próximos dias, todas as crianças dos Centros de Educação Infantil da Rede Municipal de Educação vão contar com agendas personalizadas, onde é registrado seu dia a dia.  As turmas de Educação Infantil não levam atribuições ou tarefas para casa, mas nas agendas os educadores fazem avaliações sobre os alunos e contam à família como foi o dia criança na creche.

Esta sexta-feira, 19, a secretária de Educação, Jayana Ribeiro, e sua chefa de Gabinete, professora Paula Soto, fizeram a entrega simbólica das agendas às professoras e crianças matriculadas na Creche Escola Municipal Professora Dalva Suzart Gomes, localizada no bairro Alto do Papagaio. A entrega foi feita para o segundo semestre de 2019.

A secretária Jayana Ribeiro ressaltou que o item aperfeiçoa a relação entre CMEI – Centro Municipal de Educação Infantil – e a família, proporcionando também mais segurança às crianças, já que, além de um espaço reservado para identificação de todos os responsáveis – pai, mãe, às vezes, avôs e da própria criança – também permite o acesso a informações, como grupo sanguíneo, alergias e outras particularidades dos menores.

“Há situações em que a família também autoriza outras pessoas a buscarem criança, como tios e tias, por exemplo. Então, a agenda facilita estes registros, com nomes e telefones”, observa a professora Michele Marques Santos, vice-diretora da Creche Dalva Suzart.

Para Michele, a medida é importante para fortalecer os laços entre família e escola. “Quando nossos filhos estão na escola, queremos saber o que se passa. Se almoçou bem, se teve algum problema de saúde, principalmente no caso dos nossos grupos 2 e 3 – dois e três anos de idade, respectivamente, que funcionam em tempo integral. É realmente importante para que os pais possam acompanhar mais; aproxima mesmo”, destacou.

A partir de anotações feitas nas agendas pelos professores, os pais e mães terão ainda acesso a outras informações específicas, como é o caso das refeições: se a alimentação da criança foi boa ou ótima; se eles comeram metade, se recusaram a comida ou até mesmo se pediram mais.

Há um trecho específico destinado também a breves análises sobre as idas das crianças ao banheiro. E ainda um espaço reservado a especificações sobre eventual medicação que a criança esteja fazendo uso – os responsáveis podem informar a dosagem, horário correto, etc.

  •  

Conselho Municipal de Educação elege novas presidente e vice-presidente

17/7/2019, 9:10h

As professoras Ana Maria Alves dos Santos, da equipe da Seduc, e Gleice Anne Silva de Souza Assis, diretora da Escola Municipal Eurides Franco de Lacerda, foram eleitas presidente e vice-presidente, respectivamente do Conselho Municipal de Educação. A eleição aconteceu na tarde desta terça-feira, 16, na sede do CME.

A reunião contou com a participação de membros titulares e suplentes. O CME é formado por representantes da Secretaria Municipal de Educação, do Sindicato dos Professores (APLB), das escolas privadas de educação infantil, dos gestores escolares, dos estudantes e professores da Rede Municipal, entre outros.

Dentre as atribuições do conselho está a fiscalização das ações da educação em Feira de Santana, o acompanhamento das atividades e a proposição de melhorias. “Da nossa atividade como cidadão, é um papel social que fazemos pelos nossos ideais, como pessoas que querem o melhor para o futuro da nossa cidade”, defendeu durante o encontro a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

Imparcialidade na fiscalização

“É um consenso entre os conselheiros que precisamos sempre lembrar da imparcialidade para a nossa fiscalização, sem priorizar grupos e pensar no coletivo”, afirmou a nova presidente, Ana Maria Santosn[foto].

  •  

Prefeito Colbert Filho anuncia a construção do Centro de Educação Complementar

16/7/2019, 16:14h

Com um depósito judicial no valor de R$ 9 milhões, o Governo Municipal deu um passo decisivo para transformar o Feira Tênis Clube em um  Centro de Educação Complementar. O complexo educacional será voltado à captação e formação pedagógica da Rede Municipal de Ensino, com ênfase na promoção de atividades esportivas e culturais.

A desapropriação da área de 12 mil metros quadrados, onde por décadas funcionou o tradicional clube social, ocorreu através de Decreto Municipal declarando o espaço de utilidade pública, com vistas a preservar o importante patrimônio arquitetônico da cidade.

O projeto arquitetônico, desenvolvido por uma equipe de arquitetos da Secretaria Municipal de Planejamento, vai abrigar a sede da Secretaria de Educação com os seus respectivos departamentos, bem como um auditório para 350 lugares.

Um Centro de Formação Pedagógico, dotado de oito salas multiuso e informática, também contará com dois auditórios com capacidade para  mil pessoas; salas de línguas.

A Secretaria de Educação será edificada num prédio de sete pavimentos, na rua Barão de Cotegipe, numa área onde funcionou o Ginásio de Esportes Péricles Valadares. O espaço contará com edifício/garagem.

A secretária Jayana Ribeiro (Educação) salientou que serão preservadas três piscinas remanescentes do Parque Aquático do Feira Tênis Clube. O objetivo é usá-las para a prática de esportes aquáticos, com prioridades para crianças e jovens portadores de algum tipo de deficiência.

De acordo com o prefeito Colbert Martins Filho, os recursos utilizados para erguer o complexo educacional são oriundos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), sendo que a obra está orçada entre R$ 20 a R$ 30 milhões, e deverá ser concluída dentro de um ano e meio.

“O Aristocrático” e sua memória

Fundado em meados da década dos anos l940, o Feira Tênis Clube, que em seu apogeu viveu momentos de glória, com suas festas e atrações antológicas, além da sua incomensurável contribuição para a formação de jovens atletas e para o esporte amador de Feira de Santana,  terá a sua memória e a sua história preservadas numa grande biblioteca.

De acordo com o secretário Carlos Brito (Planejamento), a construção do Centro de Educação Complementar é parte do projeto de requalificação do Centro Comercial de Feira de Santana:

“Se a Prefeitura não tivesse a iniciativa de adquirir este patrimônio histórico para preservá-lo, esta área seria transformada num grande supermercado atacadista. A biblioteca abrigará um acervo de toda a produção literária de autores exclusivamente feirenses, e será um centro de pesquisa e de preservação da nossa história”, disse.

O ato, ocorrido no Salão de Reuniões do Paço Municipal Maria Quitéria, na manhã desta terça-feira,16, é considerado um marco histórico pela Administração Municipal, e, segundo o prefeito Colbert Martins, “o Centro de Educação Complementar vai reunir todas as condições necessárias para a promoção da qualificação do Ensino Público, em Feira de Santana”, pontuou.

A solenidade contou com as participações de secretários municipais, lideranças políticas e representantes da imprensa.

  •  

Estudantes aprendem como o lixo descartado irregularmente impacta na proliferação da dengue

10/7/2019, 12:48h

A poluição ambiental e suas conexões com a dengue. Este foi um dos temas discutidos pela Equipe de Educação e Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, com os estudantes da Escola Municipal Professora Francy Silva Barbosa, do bairro Campo Limpo, durante sua visita à unidade de ensino nesta terça-feira, 9. Dilza Pereira da Silva, integrante do grupo, alertou os jovens de que o perigo não está apenas em deixar água parada.

“Sabe aquele saco de salgadinho que a gente come e, às vezes, joga no quintal de casa ou no meio da rua? A tampinha da garrafa pet? Uma casquinha de ovo? Em tudo isso, os mosquitos põem seus ovos. Esses ovos ficam nas paredes desses recipientes e podem sobreviver ali por um ano. Quando eles entram em contato com água, eclodem e aí surgem as larvas que darão origem ao mosquito”, explicou.

A dengue foi um dos principais temas de estudo dos estudantes de 4º e 5º ano da Escola Municipal Professora Francy Silva Barbosa, do bairro Campo Limpo, durante os seus primeiros três meses de aula. A discussão surgiu a partir do estudo da água e suas ramificações – poluição, limpeza, etc. Dentre estes aspectos, os alunos buscaram ampliar seus conhecimentos sobre o mosquito Aedes Aegypti e sua relação com o recurso.

Segundo a coordenadora pedagógica da unidade de ensino, Lêda Pereira da Silva, a ideia de convidar o grupo surgiu após uma agente de endemias mencionar sua existência em uma visita rotineira à escola. Por se tratar de um tema importante, decidiu-se que todas as turmas assistiriam às apresentações, e não somente 4º e 5º ano, como no início dos estudos sobre o tema.

As intervenções da Equipe de Educação e Saúde incluem dramatizações acerca da relação entre macho e fêmea, uso de fantoches (quando crianças forem o público-alvo), explicações sobre as causas que levam ao aparecimento do mosquito em determinado ambiente e o porquê de sua eventual permanência, transmissão de doenças, entre outros aspectos.

  •  

Professores de duas escolas aprendem mais sobre sustentabilidade e reaproveitamento de resíduos sólidos

8/7/2019, 19:3h

Sustentabilidade, reaproveitamento de resíduos sólidos, compostagem e coleta seletiva. Estes foram alguns dos temas abordados durante a primeira edição em Feira de Santana do Programa Caiubi, que oferece formação a professores. A atividade aconteceu na última sexta-feira, 5, no auditório do Instituto Federal da Bahia (IFBA).

Idealizado pela empresa Klabin, o programa conta com a parceria da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação, associações do bairro e do próprio IFBA. Participaram da formação os professores das escolas municipais Monsenhor Jessé Torres Cunha e Josenita Nery Boaventura, ambas do bairro Aviário.

O Programa Caiubi é oferecido a profissionais da educação dos estados do Paraná e Santa Catarina desde 2001 e já beneficiou mais de 245 mil alunos, 9 mil professores e 770 escolas municipais dos dois estados.

Em Feira de Santana, foram realizadas palestras sobre sustentabilidade e consciência ambiental durante todo o dia, com o objetivo de transformar estes professores e, consequentemente, os estudantes em multiplicadores.

“A formação foi um presente, não só para os alunos, mas para a toda a comunidade. Sabemos que modelos comportamentais tendem a ser repetitivos, e queremos que nossos estudantes sejam multiplicadores de boas ações”, avalia a professora Aylla Grecce Santos Miranda, diretora da Escola Municipal Josenita Nery. “É importante ver empresas preocupadas não somente com o hoje, mas com o futuro das gerações”, defende.

A Klabin também doou materiais às escolas que vão facilitar a realização de algumas atividades. Cada unidade de ensino ganhou um kit com datashow, DVD e notebook para uso nos projetos, além de lixeiras de papelão ondulado para a coleta seletiva.

  •  

Diálogo é crucial para relação saudável entre professor regente e auxiliar, defende formadora

6/7/2019, 12:0h

“Professora da Sala de Recursos Multifuncionais e auxiliares: uma relação inclusiva saudável”. Este foi o tema trazido por Kelly Rossinholli, educadora da Escola Municipal Professora Maria José Dantas Carneiro, do bairro Caseb, para a roda de conversa que abriu o cronograma de encontros da Formação Continuada para Professores Auxiliares da Educação Especial, Forprae 2019. O evento aconteceu nesta quinta-feira, 4, no Centro de Cultura Maestro Miro.

Em sua fala, Kelly orientou as professoras auxiliares a também tomarem iniciativa, a compartilharem suas ideias. “Toda relação tem que ter diálogo e essa construção é processual. Não se pode achar que a professora titular é ‘dona do aluno’ por ela ser a principal responsável pela turma; ela não pode fazer tudo sozinha. Façam. Perguntem”, incentivou a professora: “Olha o que eu trouxe hoje. A senhora concorda?’. Nada deve acontecer no silêncio”, disse.

A partir do tema geral do evento - “Construindo caminhos para a Educação Inclusiva na minha escola”, outros três subtemas foram abordados por professoras da Rede: “A inclusão na escola pública: dificuldades e possibilidades”; “A inclusão na sala de aula: desafios e estratégias de intervenção”; e “O papel do professor auxiliar: desafios e possibilidades”.

Os temas foram apresentados respectivamente por Maria da Vitória Oliveira Ferreira, diretora da Pré-Escola Municipal Dr. Nilton Bellas Vieira; Tanimar Ramos Parente Coutinho, professora da mesma unidade de ensino; e Marlicely Pereira Santana Oliveira, ex-professora auxiliar da Rede.

Um dos objetivos da Forprae é apresentar e discutir a função do professor auxiliar, tendo em vista a legislação para a educação inclusiva brasileira em vigor e a política local de contratação e encaminhamento dos professores. A iniciativa é uma determinação do prefeito Colbert Martins Filho para capácitar ainda mais os professores da rede municipal pública de ensino. Os encontros acontecem quinzenalmente e se estendem até setembro, quando será realizada a sexta e última formação.

  •  

Professora aprovada em concurso público da Prefeitura tem a chance de voltar ao convívio da família

2/7/2019, 11:20h

Depois de 27 anos afastada da Bahia, a professora Rosângela Macêdo finalmente voltou para perto da família. Ela acaba de ser nomeada no concurso público realizado pela Prefeitura de Feira de Santana e vai atuar como profissional da Rede Municipal de Educação.

Na tarde desta segunda-feira, 1º, mais 116 professores foram empossados pelo prefeito Colbert Martins Filho durante solenidade no teatro do Centro de Cultura Maestro Miro, no bairro Muchila. Com a posse de hoje, a Rede alcança o número de 994 novos professores que ingressaram nas escolas entre 2018 e 2019.

Nascida em Cícero Dantas, mas de família feirense, Rosângela passou cinco anos no Rio de Janeiro e 22 em São Paulo. Decidida a voltar para a Bahia, encontrou no concurso público a oportunidade de se estabelecer com um emprego garantido. “Viria de qualquer jeito até o final do ano, mas quando passei no concurso, foi algo maravilhoso pra mim. Agora, estarei mais próxima dos meus familiares e da minha terra”, comemora.

Para Rafaela Santos Souza Borges, foram 16 anos atuando na rede privada de Feira de Santana até esta nova experiência na Rede Municipal. “Foi a primeira vez que prestei um concurso. Soube que teria e decidi estudar para tentar uma vaga. E fui aprovada. Agora, quero conhecer uma nova realidade, ter outra experiência”, relata a professora que, na solenidade de posse, estava acompanhada da filha.

Aliás, muitos familiares acompanharam os novos educadores no evento. Eles vibraram e celebraram o resultado do estudo e dedicação dos professores que partem para uma jornada diferente na rede pública. Durante a cerimônia, também foi lido o juramento protocolar obrigatório.

Até esta data, 842 professores aprovados no concurso de 2018 foram convocados, e destes, 692 tomaram posse. “Nossa 
Rede atende a 49 mil estudantes, aos quais queremos cada vez mais educação de qualidade. A educação é nossa obrigação e precisamos oferecer o melhor que pudermos a essas crianças e adolescentes”, defendeu o prefeito Colbert Martins Filho.

A chefe de Gabinete da Secretaria Municipal de Educação, professora Paula Soto, explicou que os novos professores já estão sendo imediatamente encaminhados para as escolas onde há demanda. Eles substituem professores que estão sendo aposentados.

  •  

Prefeito Colbert Martins Filho dá posse a mais 140 professores concursados

28/6/2019, 16:16h

Em solenidade presidida pelo prefeito Colbert Martins Filho, mais 140 professores aprovados em concurso público realizado em 2018, foram empossados para atuarem no Município.

O ato, ocorrido na tarde desta sexta-feira, 28, no auditório do Centro de Cultura Maestro Miro, contou com as presenças dos secretários de Educação, Jayana Ribeiro, e João Marinho Gomes, de Administração.

Na próxima segunda-feira, 1º de julho, mais 108 novos professores também estarão tomando posse. De acordo com a secretária Jayana Ribeiro, dos 486 professores aprovados neste certame, 389 tomaram posse.

Com algum problema apresentado na documentação, 97 aprovados vão tomar posse, oportunamente, assim que todos regulamentem a documentação.

  •  

Prefeito Colbert Martins Filho dá posse a 141 professores concursados

26/6/2019, 15:57h

Em solenidade presidida pelo prefeito Colbert Martins Filho, 141 professores aprovados em concurso público realizado em 2018, foram empossados para atuarem no Município.

O ato, ocorrido na tarde desta quarta-feira, 26, no Teatro Municipal Ângela Oliveira, do Centro de Cultura Maestro Miro, contou ainda com as presenças dos secretários  de Educação, Jayana Ribeiro, e João Marinho Gomes, de Administração.

Na próxima sexta-feira, 28, mais 140 novos professores também estarão tomando posse. De acordo com o secretário de Administração, outros 108 professores serão empossados no dia 1 de Julho.

  •