SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Prefeitura promove Bota Fora no bairro Serraria Brasil nesta sexta-feira

16/1/2020, 18:20h

Como estratégia de eliminação dos focos do mosquito Aedes Aegypti, a Prefeitura de Feira de Santana, através das secretarias de Saúde (SMS), Serviços Públicos (Sesp), Desenvolvimento Social (Sedeso) e Superintendência Municipal de Trânsito (SMT), promove a Ação Bota Fora no bairro Serraria Brasil nesta sexta-feira, 17.

Móveis inutilizáveis, eletrodomésticos, vaso sanitário, entre outros materiais que são potenciais criadouros do mosquito podem ser descartados durante a ação do Governo do prefeito Colbert Martins Filho, que acontece até o final da tarde, a partir das 8h, iniciando na rua Vasco Filho.

"A população deve procurar a equipe para informar a necessidade de descartar algum material. Estaremos de forma itinerante percorrendo as ruas do bairro", pontua Justiniano França, secretário de Serviços Públicos.

De acordo com a responsável técnica pela Vigilância Epidemiológica, Francisca Oliveira, a iniciativa surgiu devido ao aumento das notificações de casos suspeitos de chikungunya no bairro Serraria Brasil e aumento dos casos confirmados de dengue no ano de 2019.

"Estamos preocupados com o aumento das notificações de chikungunya, que tem surgido desde dezembro, principalmente em locais pontuais", afirma.

Ainda de acordo com Francisca Oliveira, as equipes de combate ao mosquito transmissor das arboviroses: dengue, zika e chikungunya, não cessaram o trabalho desde o ano passado, quando surgiram o aumento de casos notificados de dengue. 

"O município de Feira de Santana se encontra em alerta, por este motivo contamos com o apoio de toda a população, não só nos bairros com maior índice de notificação", ressaltou a responsável técnica da Vigilância Epidemiológica.

O Bota Fora no bairro Serraria Brasil acontece nos dias 17, 18 e 20 de janeiro, a partir das 8h. Em breve será divulgada a data da ação nos bairros Cidade Nova, Eucaliptos, Tomba, Brasília e Morrinhos.

Materiais como entulhos, sucatas e automóveis abandonados devem ser solicitados através do aplicativo Fala Feira 156.

 

 

  •  

Ação da Prefeitura detectou 30 casos de sífilis e dois de HIV

13/1/2020, 15:13h

Dos 632 testes rápidos realizados em Feira de Santana pelo Centro de Referência Municipal em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AIDS, 30 foram positivos para sífilis e 2 para HIV. A ação fez parte da campanha Dezembro Vermelho – encerrada no último dia 30 – desenvolvida pela Prefeitura através da Secretaria Municipal de Saúde. Todos as pessoas diagnosticadas estão em tratamento.

Na avaliação da enfermeira referência técnica em infecções sexualmente transmissíveis, Vanessa Sampaio, o diagnóstico dos casos tem grande relevância para a quebra da cadeia de transmissão. 

“O preservativo ainda é o método mais eficiente de prevenção das IST’s e temos percebido um aumento de casos de sífilis no município. A falta de prevenção nos preocupa, mas a ampliação do diagnóstico tem sido reforçada”, afirma Vanessa Sampaio.

Preservativos são oferecidos de forma gratuita em qualquer unidade de saúde, como também a realização dos testes rápidos para diagnóstico das infecções sexualmente transmissíveis.

Basta apresentar documento de identidade pessoal e informar o interesse. O resultado do exame é sigiloso e sai em menos de vinte minutos.

A pessoa diagnosticada tem acompanhamento gratuito de uma equipe multidisciplinar no Centro de Referência Municipal em Infecções Sexualmente Transmissíveis, localizado na rua Professor Germiniano Costa, s/n, Centro.

Este ano a campanha teve adesão de todas as Unidades Básicas de Saúde e de Saúde da Família com a ampliação do diagnóstico, ações educativas e de prevenção.

Dezembro Vermelho

Em maio de 2017 foi sancionada a Lei Municipal de nº 3.702, de autoria do vereador Luiz Ferreira Dias, que institui o mês de dezembro como o período dedicado a intensificação das ações de combate e prevenção ao HIV/AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis no município de Feira de Santana.

  •  

Frota do SAMU ganha nova ambulância básica

9/1/2020, 16:36h

Mais uma ambulância de suporte básico, a USB, foi incluída à frota do SAMU de Feira de Santana, que passou a somar oito destes modelos, mais uma USA (Unidade de Suporte Avançado), equipada com UTI Móvel, além de uma motolância, que pela agilidade é usada para chegar mais rapidamente ao local do acidente, por exemplo. A nova unidade adquirida pela Prefeitura foi apresentada a imprensa nesta quinta-feira, 09. 

A quantidade destes veículos do SAMU local, diz a secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, é maior do que o preconizado pelo Ministério da Saúde, que estabelece uma ambulância para cada grupo de cem mil habitantes. O IBGE estima que Feira tenha 614 mil habitantes.

“Com base nestes números e relações, o município tem três destas ambulâncias a mais do que a quantidade considerada ideal pelo Ministério da Saúde”, afirmou a secretária. “Mas o prefeito Colbert Filho busca mais recursos no Governo Federal para que este número seja aumentado”.

 Ela explica que a busca de recursos para compra de novos veículos deve-se ao fato de que o período de vida útil de algumas das ambulâncias do SAMU locais se aproxima do final e a reposição é necessária para haja continuidade na prestação do serviço.

O atendimento do SAMU em Feira de Santana foi descentralizado, com a instalação das bases do Centro e da Norte, no bairro Campo Limpo. A redução no tempo para a prestação deste serviço é fundamental.

  •  

Janeiro Roxo: 65 novos casos de hanseníase foram registrados em Feira ano passado

8/1/2020, 15:48h

Durante o mês de janeiro a Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde, vai intensificar as ações para busca ativa de novos casos de hanseníase. A ação faz parte da campanha de prevenção e combate a doença, intitulada Janeiro Roxo. Em Feira de Santana foram diagnosticados 65 novos casos de hanseníase em 2019.

A programação do mês conta com intensificação das salas de espera e atendimento multidisciplinar em todas as Unidades Básicas de Saúde, Unidades de Saúde da Família e Centro de Saúde Especializada.

Em alusão ao dia mundial de luta contra hanseníase – celebrado no último domingo do mês – uma ação especial marca o dia D de mobilização da campanha, dia 31 de janeiro.

A ação acontece a partir das 8h, no espaço Marcus Moraes. Atividades educativas, consulta médica e de enfermagem, avaliação de pressão arterial e nutricional estarão sendo ofertadas de forma gratuita.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, explica que a hanseníase, conhecida no passado como lepra, é uma doença crônica, infectocontagiosa e uma das enfermidades mais antigas da humanidade. "Em Feira de Santana, os portadores da doença recebem assistência nas unidades de saúde, onde é feito o diagnóstico e acompanhamento. Para casos específicos, o tratamento é disponibilizado no Centro de Saúde Especializado Dr. Leone Coelho Leda (CSE)", ressalta Colbert.

Sintomas

A hanseníase se caracteriza por manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas na pele, com perda ou alteração da sensibilidade térmica, dolorosa ou tátil no local. Possui lenta evolução e apresenta principalmente sinais e sintomas dermatoneurológicos nos nervos periféricos, como: mão, olhos e pés, podendo atingir pessoas em qualquer faixa etária, independente do sexo.

A transmissão ocorre através do contato prolongado e frequente com uma pessoa infectada, que não esteja em tratamento, através da tosse, espirro, saliva ou secreções nasais.

O tratamento é feito a base de comprimidos e a duração varia de seis a doze meses, dependendo da manifestação clínica de cada indivíduo.

Pessoas com sintomas semelhantes devem procurar a unidade de saúde a qual é cadastrado para receber orientações.

Confira a programação abaixo:

Local

Período

Atividade

Unidades Básicas de Saúde e de Saúde da Família

07 a 31 de janeiro

- Salas de Espera

- Atendimento multidisciplinar ao público alvo e encaminhamento para o serviço de referência para diagnóstico precoce de lesões sugestivas de hanseníase.

Centro de Saúde Especializada Dr. Leone Coelho Lêda (CSE)

07 a 31 de janeiro

- Salas de Espera

- Atendimento multidisciplinar ao público alvo e encaminhamento para o serviço de referência para diagnóstico precoce de lesões sugestivas de hanseníase.

Espaço Marcus Moraes

31 de janeiro (Manhã e Tarde)

- Atividades educativas

 - Consulta de Enfermagem

- Consulta Médica

- Aferição de Pressão Arterial

- Avaliação Nutricional

  •  

Conscientização e alerta sobre os cuidados com a saúde mental são reforçados durante o mês de janeiro

3/1/2020, 14:15h

Recomeços, promessas e metas que marcam o início do ano podem ser frustrantes quando não alcançados. Estar mentalmente saudável é necessário para lidar com as inquietudes da vida. Para conscientizar quanto aos cuidados com a saúde mental, a Prefeitura de Feira de Santana, através da Secretaria Municipal de Saúde, iniciou a campanha Janeiro Branco nesta quinta-feira, 02.

A intenção é mobilizar a população a pensar nas questões envolvendo a saúde mental, desde os cuidados preventivos até a parte de diagnóstico e tratamento. Salas de espera serão realizadas durante o mês em todos os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS).

O preconceito, segundo a coordenadora da rede de saúde mental, Robervânia Cunha, é um dos desafios enfrentados. “O medo de ser associado a um doente mental faz as pessoas evitarem buscar ajuda com profissionais especializados. Para esse cuidado não devem existir tabus, são profissionais de saúde como qualquer outro”, explica.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, orienta que as pessoas que precisam de ajuda devem procurar a unidade de saúde ou CAPS mais próximo de sua residência com documentos de identificação pessoal, comprovante de residência e cartão do SUS para receber orientações.

Durante todo o mês, os CAPS estarão trabalhando com a equipe multiprofissional a disposição para ajudar e orientar os pacientes. “A recomendação é que as pessoas procurem o serviço o quanto antes, para que os transtornos mentais não gerem problemas na vida delas”, pontua Colbert.

  •  

Casos confirmados para HTLV aumentam em 94 por cento

20/12/2019, 15:41h

Em Feira de Santana, de janeiro a setembro deste ano, 105 casos de HTLV foram notificados, destes, 97 confirmados e 8 descartados. Em 2018, de janeiro a dezembro, foram 61 notificações, destes, 50 confirmados e 11 descartados, o que representa um aumento de 94%. O HTLV é uma infecção sexualmente transmissível que é silenciosa, assintomática, não tem cura e é pouco conhecida.

Na quarta-feira profissionais do Ambulatório Municipal de Infectologia encaminharam diversas pessoas para participar da ação de conscientização e diagnóstico do HTLV. A iniciativa da Prefeitura de Feira de Santana, através da Vigilância Epidemiológica, teve o objetivo de oferecer orientações e esclarecimentos sobre esta doença.

"Digamos que o HTLV é um 'primo' do HIV, já que ambos atacam os linfócitos de defesa do organismo. A única diferença é que o HTLV não tem tratamento, o paciente uma vez diagnosticado, a depender do seu organismo, se desenvolver as sequelas dessa doença, pode vir a ter dores em membros inferiores, fraquezas, dormências e formigamento dos membros. Pode evoluir até com paralisia dos membros, levando inclusive a tetraplegia, dificuldade de defecar e urinar. Há um grande comprometimento motor”, explica a enfermeira supervisora da Vigilância Epidemiológica, Neuza Santos.

O pastor Juan Monteiro aproveitou a oportunidade para realizar a sorologia do HTLV. “Fui abordado na rua e me interessei em fazer o exame, vejo que é uma ação muito importante para as pessoas que não tem conhecimento sobre a doença”, avalia. 

Orientações e sorologia para HTLV, testes rápidos para HIV, sífilis e distribuição de preservativos foram os serviços ofertados durante a ação. Na avaliação da enfermeira referência técnica em HTLV, Iracilda Araújo, a pessoa portadora da infecção é assintomática, geralmente havendo a suspeita durante a triagem de pré-natal e doação de sangue.

“Boa parte dos casos notificados são encaminhados depois de realizar essa triagem. O crescimento dos casos representa que a vigilância é ativa e está ampliando o diagnóstico, mas existem ainda muitos estão contaminados, contaminando, e não sabem”, avalia a enfermeira.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, explica que a transmissão do HTLV ocorre por meio da mãe infectada para o recém-nascido, durante o parto ou aleitamento materno, relação sexual desprotegida com uma pessoa infectada e compartilhamento de materiais perfurocortantes contaminados.

"Para prevenir é necessário realizar o acompanhamento de pré-natal em gestantes, utilizar preservativo durante toda a relação sexual e não compartilhar objetos pessoais perfurocortantes, como alicate, seringas, agulhas e entre outros. A amamentação por mulheres infectadas é contraindicada", explica Colbert.

Dos infectados pelo HTLV, apenas 2% apresentarão algumas doenças associadas a esse vírus, entre as quais se podem citar: doenças neurológicas, oftalmológicas, dermatológicas, urológicas e hematológicas (ex.: leucemia/linfoma associada ao HTLV).

Qualquer pessoa que tiver interesse em realizar a sorologia pode procurar a unidade de saúde mais próxima da residência ou comparecer no Ambulatório Municipal de Infectologia. A sorologia é um exame realizado através da amostra de sangue, que pode diagnosticar o HTLV, e o resultado fica pronto em uma média de 30 dias.

  •  

Testes rápidos para detecção de HIV e Sífilis foram realizados no Beco da Energia

19/12/2019, 21:26h

Testes rápidos para detecção de HIV e Sífilis foram realizados nesta terça-feira (17) no Beco da Energia, local conhecido na cidade por concentrar profissionais do sexo. A ação realizada pela Prefeitura, através da Secretaria de Saúde, faz parte da campanha Novembro Vermelho, que busca conscientizar as pessoas sobre as infecções sexualmente transmissíveis.

Valterney Morais, enfermeiro do Centro Municipal de Referência em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AID, explica que a prevenção contra o HIV vai além do uso da camisinha. Uma vez detectado o HIV, é necessário fazer a terapia antirretroviral com uso do coquetel para ficar com carga viral indetectável. “Se uma pessoa tem uma carga viral indetectável por mais de seis messes e está usando o remédio corretamente, não passa mais o HIV para ninguém”, afirma o enfermeiro.

A ação realizada no Beco da Energia teve o intuito de alcançar as chamadas populações chaves, que são pessoas com risco maior comparado com a população geral, como as profissionais do sexo, transexuais e gays. 

Valterney reforça a importância de conscientizar as profissionais do sexo sobre esse tema. “Não é só chegar aqui e falar de prevenção. É, além disso, entender que essas mulheres são profissionais, elas estão trabalhando e como qualquer trabalhador, necessitam de cuidados”.

Tatiane Sacramento, ex-presidente da antiga Associação de Profissionais do Sexo de Feira de Santana (APROFS), destacou a importância de levar essa ação até o Beco. “As meninas aqui tem muito mais dificuldade de ter acesso a essas ações do que a própria sociedade em si, então é importante para que elas fiquem sempre atentas. Para elas o uso do preservativo é uma negociação e elas têm essa consciência disso”.  

Tatiane estima que existam hoje cerca de mil profissionais do sexo trabalhando em Feira de Santana. Ela acredita que por a cidade ter o maior entroncamento rodoviário do norte-nordeste, a maioria dessas profissionais vem de fora. 

Rosenilda Oliveira é um exemplo disso. Vinda de Araçatuba, no interior de São Paulo, ela trabalha em Feira como profissional do sexo há 15 anos e disse que foi fazer o teste porque é importante saber se contraiu HIV no trabalho que exerce.

Ela acredita que é possível levar uma vida saudável mesmo após contrair DSTs. “Antigamente, quem era portador da doença morria rápido. Hoje em dia existem remédios e muitos recursos”. Ela ainda conta que cuidar da saúde é fundamental para ter uma longa vida. “Pretendo viver até os cem”, afirma.

Sergio Costa é mecânico e também foi fazer o teste. Para ele, é fundamental está com exames em dia, mesmo com o uso da camisinha. “Eu tenho vários relacionamentos e apesar de usar sempre o preservativo, é uma coisa que a gente sempre precisa saber”.

Ele contou que faz os exames anualmente e já esteve diversas vezes no Centro Municipal de Referência em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AIDS. O mecânico elogiou a iniciativa do Governo do prefeito Colbert Martins Filho. “Parabéns para a área de saúde, é isso aí que tem que fazer sempre. Eu agradeço cada vez mais a Secretária de Saúde”.

Durante todo o mês de dezembro serão realizadas ações pontuais de prevenção e diagnóstico do HIVAIDS. No entanto, quem não puder participar dessas ações pode procurar o Centro Municipal de Referência em Infecções Sexualmente Transmissíveis/HIV/AID durante todo o ano para fazer testes rápidos gratuitamente.

  •  

Colbert Filho participa da inauguração do Centro de Convivência para Idosos com Deficiência

17/12/2019, 16:49h

As doenças que chegam com o avanço da idade acometem mais cedo portadores de deficiência mental. Para prevenir e tratar estes problemas de saúde, foi criado em Feira de Santana o Centro de Convivência para Idosos com Deficiência, o Con Viver, oficialmente inaugurado nesta terça-feira, 17.

O prefeito Colbert Filho elogiou o trabalho realizado pela Apae, grupo formado por altruístas. “São pessoas que diariamente nos ensinam o quanto precisamos ser humildes”. Para ele, os deficientes devem ser identificados e cuidados. “As famílias devem ter participação efetiva neste trabalho”.

Colbert Filho afirmou que o trabalho desenvolvido pela instituição está focado no desejo de tornar os outros mais sociáveis. “Cuidar, tratar a saúde destes jovens é prevenir problemas futuros. Todos devem ter atendimento específico, especial. E nos empenhamos para manter a estratégia para atender a este segmento da sociedade”.

A secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, disse estar feliz com mais esta conquista da Apae. E também destacou as pessoas que prestam este tipo de trabalho. “Fazem com o coração e se doam para quem necessita de acolhimento”.

A presidente da Apae de Feira de Santana, Edna Amorim, disse que a instituição abre mais uma importante frente de atendimento ao seu público. “Este é um espaço que deve ser usado pela sociedade”. Tem o apoio da iniciativa privada.

“Este é mais um momento especial para a Apae local, que há 35 anos vem ajudando quem necessita, as pessoas especiais em seus vários núcleos”, afirmou o vereador Roberto Tourinho.

Professor da UEFS e enfermeiro, Jairo Santana, que tem uma irmã atendida na instituição, agradeceu o trabalho que a beneficia. “Aqui todos são acolhidos, amados, cuidados. O que seria da gente, sem conhecimento técnico, se não fosse o Con Viver, que cuida dos nossos parentes queridos”?

A entidade está atendendo a mais de 50 pessoas, com geriatra, psicólogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, oficinas de teatro, música, dança, entre outras. Para ter acesso aos serviços, as famílias interessadas devem procurar a instituição, à rua Santa Cruz, 740, Jardim Cruzeiro, onde a pessoa vai passar por avaliação médica.

O secretário de Comunicação Social, Valdomiro Silva, acompanhou Colbert Filho no evento.

  •  

Feira interprofissional de saúde foi realizada no Feira VI

14/12/2019, 17:4h

A comunidade do bairro Feira VI recebeu nesta quarta-feira (11) a primeira feira de saúde interprofissional promovida pela Prefeitura de Feira de Santana, através da Unidade de Saúde da Família Roque de Carvalho Cordeiro.

Diversos serviços sociais e de saúde foram oferecidos em estandes distribuídos na praça do local, como: consulta médica, aplicação de flúor, vacinação, corte de cabelo, testes rápidos para infecções sexualmente transmissíveis, aferição de pressão arterial e glicemia capilar, orientações sobre autoexame das mamas e nutricional.

A ação contou também com aula de ginástica, massagem, palestras, espaço infantil, bazar, sorteio, atração musical, apresentação teatral, orientações sobre o bolsa família, orientação jurídica sobre saúde do trabalhador e entre outras atividades.

De acordo com a enfermeira da unidade de saúde, Naluse Coutinho, a iniciativa teve o objetivo de centralizar diversos serviços de interesse da comunidade, para ser solucionado em um mesmo local.

Marilene Azevedo, dona de casa, soube da ação pelo agente comunitário de saúde. Para ela, iniciativa é importante cuidar da saúde. “Pretendo participar de cada estande”, pontuou.

“Queremos agradecer aos colaboradores, sem eles não realizaríamos a feira de saúde para nossa comunidade”, agradeceu Naluse Coutinho.

O evento contou com apoio da Secretaria Municipal de Saúde, Centro Municipal de Referência em Endemias, Corpo de Bombeiros, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), PET/Interprofissionalidade, Academia Fisicu’s, Ronda Maria da Penha, 66ª CIPM, IHEF, CRAS, CEREST, UBUNTU, representantes comerciais do bairro, Mayko Barber, Ronaldo Bonzart, Conselho Local de Saúde do Feira VI e entre outros.

  •  

Feira de Santana recebe premiação nacional por trabalho desenvolvido para famílias de crianças com a síndrome zika congênita

12/12/2019, 18:30h

O projeto feirense de assistência a famílias de crianças com a síndrome zika congênita, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Feira de Santana, ficou em terceiro lugar na 16ª Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi). A colocação resultou em uma premiação de R$ 20 mil, valor que será empregado na qualificação e melhoria deste serviço de saúde.

Representando a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana, a enfermeira sanitarista, Maricélia Maia, apresentou palestra com o tema: “Projeto aconchego: desafios e conquistas na busca do acesso e do direito à saúde de crianças com síndrome da zika congênita em um município na Bahia”, onde elencou as principais estratégias e iniciativas desenvolvidas na área.

A premiação e reconhecimento, na avaliação da secretária de saúde Denise Lima Mascarenhas, é resultado do trabalho em equipe. “Não trabalhamos em busca de reconhecimento, a premiação é o resultado do esforço de todos que tem buscado o acesso e direito aos serviços de saúde para essas famílias, uma conquista que nos estimula e traz felicidade”, ressalta.

O projeto oferece suporte a famílias e crianças com a síndrome zika congênita, onde recebem acompanhamento do município desde a descoberta da doença. A Vigilância Epidemiológica e Atenção Básica tem dado o acolhimento inicial a essas mães desde a gestação, a partir de notificações, até o atual desenvolvimento dessas crianças.

De acordo com Maricélia Maia, a iniciativa surgiu em 2015 a partir do pedido de ajuda em um aplicativo de mensagens, vindo de uma mãe quando o filho se engasgou com o leite.

“Tentamos ajudar ela prestando orientações por celular e conseguimos, a criança ficou bem, mas essa situação nos fez perceber que era preciso oferecer orientações educativas, foi quando surgiu o projeto aconchego”, explica.

Atualmente em Feira de Santana 31 famílias de crianças com a síndrome zika congênita são acompanhadas no Ambulatório Municipal de Infectologia, localizado na rua Barão do Rio Branco, 1054, Centro.

Todo acolhimento e acompanhamento com uma equipe multidisciplinar, composta por infectopediatra, fisioterapeuta, psicólogo, assistente social, nutricionista e enfermeiras, realização de exames com técnicos de laboratório e bioquímicos tem sido ofertados. Recentemente o serviço de fonoaudiologia foi implantado no local, o que pode proporcionar melhorias no desenvolvimento da fala dessas crianças.

“Hoje conseguimos oferecer uma assistência de qualidade além de outras atividades que são garantia dos direitos, como transporte para atendimento de alta complexidade fora do município. O objetivo é ampliar cada vez mais o serviço, garantindo os direitos sociais e de saúde”, evidenciou a secretária de saúde.

O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, observa que ainda há muito a ser feito e tem articulado propostas entre a Secretaria de Educação e a Secretaria de Saúde para garantir o acesso a uma educação inclusiva na rede municipal de ensino para este público.

O projeto aconchego conta com apoio da Secretaria Municipal de Educação, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Ministério Público, Secretaria de Saúde do Estado da Bahia e do Hospital de Olhos de Feira de Santana (CLIHON).

Sobre a Expoepi

A Expoepi é reconhecida como um dos mais importantes eventos de vigilância em saúde do Brasil, promovido a cada dois anos pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Este ano foi realizado entre os dias 04 a 06 de dezembro em Brasília/DF. Os participantes inscritos tiveram que apresentar experiências bem-sucedidas que contribuíram para a melhoria da assistência prestada à população nos últimos dois anos. Os trabalhos foram relacionados à Vigilância em Saúde.

A apresentação do projeto aconchego foi de autoria de Maricélia Maia, apresentadora do trabalho para o público presente no evento; Tamires Moreira; Ana Luiz Andrada; Nelma Lucia Alves; Normeide Pedreira; Neuza de Jesus; Eloisa Bahia; Denise Lima Mascarenhas; Geisiane Cerqueira; Jamilly de Carvalho; Francisca Lucia de Oliveira; Alessandra Divino; Diana Damilles; Stephane Fraga e Luiz Carlos Alcântara.

Premiações

Em julho de 2017 o projeto aconchego foi premiado em Brasília, durante o 33º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. Em 2018 recebeu o prêmio Irmã Dulce, concedido pelo Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde da Bahia (COSEMS/BA).

  •