SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

Discutir sobre suicídio é a melhor maneira de buscar prevenção, diz especialista

12/9/2018, 18:52h

A cada 100 pessoas, 17 pensam e três tentam suicídio. Discutir o assunto é a melhor maneira de buscar soluções para o tema. A afirmação é da enfermeira e especialista em saúde mental, Mariana Lopes, durante capacitação em alusão ao Setembro Amarelo.

O evento que aconteceu nesta terça-feira, 11, na Secretaria Municipal de Saúde, por iniciativa da Atenção Básica, reuniu médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e estudantes em busca de qualificação no atendimento a pacientes com transtornos psíquicos.

Durante a palestra, Mariana ressaltou a importância do acolhimento, escuta qualificada e do vínculo pelos profissionais que estão nas unidades de saúde. “Alguns pacientes vão a unidade apenas para conversar com vocês, o acolhimento neste primeiro momento pode trazer grandes contribuições para o tratamento. Vocês podem utilizar de momentos integrativos, como grupos de roda de conversa e atividades físicas que trazem qualidade de vida”.

Problema de saúde pública

Estima-se que até 2020 a depressão interligada ao suicídio seja um problema de saúde pública. De acordo com a coordenadora da rede de saúde mental, Robervania Cunha, o levantamento mais recente, feito há dois meses, envolve crianças de 8 anos a adultos de 84 anos de idade. “Esse momento vale uma reflexão para entendermos mais sobre o assunto e como profissionais sabermos agir”, afirma.

Importância da solidariedade com o próximo

Presente no evento, a secretária de Saúde Denise Lima Mascarenhas ressaltou a importância da solidariedade com o próximo. “Nos habituamos a referenciar transtorno mental apenas a distúrbios mais severos, quando na verdade você pode estar ao lado de uma pessoa todos os dias, no trabalho ou até mesmo um paciente que tem algum tipo de desequilíbrio. Então vamos ser solidários, o mundo melhor começa dentro da gente e o exemplo bom contamina”, ressalta.

A capacitação prossegue até o dia 13 na Secretaria de Saúde. Mas os profissionais estarão trabalhando até o fim do mês o assunto nas unidades. “A gente ver todos os dias reportagens sobre pessoas que atentaram contra suas próprias vidas, e ficamos no perguntando ‘por que?’. E é para isso que buscamos esse espaço, para entender como está sendo o acolhimento no nosso dia a dia”, informa a enfermeira referência em saúde mental da Atenção Básica, Cristiane Bastos.

  •  

Corrida Pink and Blue abre campanhas contra câncer de mama e de próstata

12/9/2018, 14:23h

A Corrida Pink and Blue, em alusão às campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul, terá sua segunda edição este ano. O evento acontece no dia 23 de setembro na avenida Noide Cerqueira, às 7h.

Os interessados em participar da corrida devem comparecer à Secretaria Municipal de Saúde, entre os dias 19 e 20 de setembro, com carteira de identidade e 2kg de alimento não perecível. No local de inscrição será feita a troca por um kit com camisa, viseira e pochete.

Reunir cerca de mil pessoas

O evento marca a abertura das ações municipais em combate aos cânceres de mama e próstata. De acordo com a referência técnica em saúde do homem, Isabella Machado a expectativa é reunir cerca de mil pessoas.

A concentração ocorrerá em frente ao Colégio Despertar. O Dj Simba e o coreógrafo Luciano Melo farão o aquecimento no local, antes da corrida. Fisioterapeutas e educadores físicos ficarão responsáveis pelo alongamento e massoterapia.

  •  

Secretaria de Saúde realizou 312 atendimentos durante a Expofeira

11/9/2018, 16:41h

Durante a 43ª Exposição Agropecuária de Feira de Santana (Expofeira), a Secretaria Municipal de Saúde prestou assistência com uma Unidade Móvel de Atendimento dentro do Parque de Exposição João Martins da Silva. Nesse período foram realizados 312 atendimentos médicos e de enfermagem, além de 66 administrações de medicamentos, duas suturas e três transferências.

“A maior procura por atendimento foi de pessoas que trabalharam no evento, geralmente apresentando dor de cabeça, dor de barriga ou para aferir pressão. São os clientes fixos já esperados todo ano”, informa a enfermeira Jucilene Ramos.

Quedas de cuidadores de animais

Já as três transferências foram motivadas por suspeita de fratura. Todas encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento da Queimadinha e para o Hospital Geral Clériston Andrade. “Duas dessas transferências foram de cuidadores de animais, que caíram e se machucaram, e tivemos um caso isolado por agressão física fora do parque, mas a pessoa procurou atendimento em nossa unidade”, informa a coordenadora, Marydalva Leão.

Diante da movimentação intensa no Parque, Marydalva avalia que foi uma festa tranquila para os profissionais de saúde. “Foi uma festa mais família. Tivemos apenas um caso de alcoolismo e sem registros de gravidade que precisasse ficar muito tempo na unidade”, ressalta.

  •  

Fisioterapeutas e educadores físicos do NASF aprendem técnicas de primeiros socorros

11/9/2018, 11:48h

Traumas, convulsões, desmaios, quedas são algumas ocorrências que podem acontecer durante a realização de atividades físicas. Para que os profissionais do NASF saibam agir diante dessas situações, a Atenção Básica, em parceria com o Corpo de Bombeiros, ministrou técnicas de Suporte Básico de Vida e Reanimação Cardiopulmonar (RCP), nesta segunda-feira, 10.

O evento aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Saúde e teve como palestrante a soldado do Corpo de Bombeiros, Jéssyka Cerqueira. De acordo com a profissional “se a vítima não responde a estímulos, de imediato temos que verificar os movimentos respiratórios e também checar o pulso para confirmar os sinais vitais”, explica.

Tornar o trajeto mais rápido

Em casos como esse, a palestrante também orienta ligar para o SAMU e passar as informações de forma precisa sobre o estado do paciente. “A informação correta dos pontos de referência pode tornar o trajeto da equipe mais rápido”, afirma Jéssyka Cerqueira (foto).

Garantir uma assistência melhor

“Essa capacitação é importante para deixar os profissionais preparados para qualquer situação durante as práticas, e que possam aplicar os primeiros socorros para garantir uma assistência melhor ao usuário até a chegada do socorro médico”, explica a referência técnica das equipes NASF, Jamiley Dias (foto).

  •  

Comerciantes orientados sobre descarte correto de lixo na Expofeira

7/9/2018, 15:36h

O lixo é um grande vilão para a saúde pública. O acondicionamento incorreto é um atrativo para mosquitos como o flebótomo, transmissor da leishmaniose, e o aedes aegypti, que transmite doenças como a febre amarela, dengue, zika e chikungunya. Para evitar a proliferação desses insetos, a Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Serviços Públicos, realiza um trabalho preventivo na 43º Exporfeira.

Em todo o Parque os educadores em saúde distribuem panfletos com a mensagem “Lixo: Qualidade de vida é viver com saúde”. Em frente aos estabelecimentos colam cartazes e aproveitam o momento para passar orientações importantes sobre o acondicionamento do lixo seco e molhado, enquanto os agentes da SESP fazem a entrega de sacos para lixo.

Alojamento desses mosquitos

“Uma latinha jogada à-toa, uma garrafa pet sem tampa podem se tornar um alojamento desses mosquitos. Então, muito cuidado, pois vem a chuva, entra água e o mosquito se aproveita dessa oportunidade”, orienta a educadora Glizerda dos Santos.

De acordo com a profissional, não é necessário muito tempo para a reprodução do aedes aegypti em um ambiente propício. “A fêmea do aedes aegypti acaba entrando na garrafa, casquinha de ovo ou fruta, como maracujá que acaba formando uma bacia, coloca os seus ovos e em 10 dias já tem mosquito voando”, alerta.

Sem sacos para o descarte

Dilma de Jesus já aprendeu a receita. Comerciando produtos há cinco anos na Exporfeira, ela conta que estava sem sacos para o descarte de resíduos e não tinha conhecimento das doenças que poderiam ser causadas pelo acondicionamento errado.

Cuidado para não sujar a área

“Estávamos colocando em saco de supermercado, por não ter um saco maior apropriado para o lixo. Graças a Deus vocês estão distribuindo e vamos ter todo cuidado para não sujar a área. Eu não sabia sobre os problemas que poderiam ser causados, mas agora estamos cientes como agir”, ressalta.

  •  

Secretaria de Saúde tem unidade móvel de atendimento na Expofeira

4/9/2018, 22:35h

Durante a 43ª Exposição Agropecuária de Feira de Santana, a Secretaria Municipal de Saúde oferece assistência médica à população com a Unidade Móvel de Atendimento e apoio de duas ambulâncias, sendo uma do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e outra convencional.

A unidade de atendimento conta com gabinete médico, sala de reanimação e procedimentos.  O serviço estará disponível das 8h às 22h, durante os dias 2 a 9 de setembro.

No Caminho da Roça

“Quem precisar de atendimento de urgência e emergência pode procurar a unidade móvel de saúde ou a ambulância do SAMU. As unidades estarão localizadas no Caminho da Roça”, informa a coordenadora do setor de eventos, Marydalva Leão.

Além da assistência médica, a SMS estará realizando educação em saúde por meio das equipes da Vigilância Epidemiológica, a fiscalização de comidas e bebidas através dos profissionais da Vigilância Sanitária e as ações de apoio do Centro de Controle em Zoonoses (CCZ). 

Atuar levando informações

Já a segurança dos trabalhadores do evento será fiscalizada por meio do Centro de Referência a Saúde do Trabalhador (Cerest).

“Estaremos analisando as condições do ambiente e segurança do trabalho durante a montagem e desmontagem das estruturas, como também durante o evento, onde iremos atuar levando informações a essas pessoas”, informa a coordenadora do Cerest, Verena Liberal.

  •  

Não houve perda de vacinas por "armazenamento inadequado" na rede municipal de saúde em Feira

3/9/2018, 18:8h

A Secretaria de Saúde de Feira de Santana informa que não houve descarte de doses de vacinas, em unidades da rede municipal, em razão de “armazenamento inadequado” do produto. O esclarecimento está sendo prestado pela Prefeitura devido a divulgação, equivocada e em pleno domingo, da Secretaria Estadual de Saúde.

As 1.332 doses vacinais as quais se refere a Sesab, na verdade, foram encaminhadas para avaliação pela Secretaria Municipal de Saúde devido a problemas de variação de temperatura e oscilação da rede elétrica na área das respectivas unidades. O material foi recebido pela Divisão da Vigilância Epidemiológica do Estado - seguindo rigorosamente protocolo do Ministério da Saúde.

Essas situações ocorrem por deficiências na rede de energia elétrica em algumas comunidades, mas também pela ação de vândalos, que desligam ou quebram disjuntores, eventos registrados em boletins de ocorrência nos órgãos de segurança pública competentes.

A supervisão que resultou na suspeita sobre essas doses foi feita pela própria equipe municipal de referência técnica de Imunização da Atenção Básica  e não é situação recente – refere-se ao período de maio a agosto deste ano. 

Portanto, não é verdadeira a informação de  que a Vigilância Epidemiológica do Núcleo Regional Centro-Leste verificou “armazenamento inadequado em 190 salas de Vacinas”. Feira de Santana, aliás, possui apenas 115 salas, não sendo nenhuma destas notificadas até o momento. A sala de vacina do Hospital da Mulher, por exemplo, uma das citadas pela Sesab, até a presente data não recebeu visita do Núcleo Regional.  

Já na sala de vacina do Presídio Regional de Feira de Santana, órgão de administração estadual mencionado equivocadamente como de responsabilidade municipal, foram constatadas várias irregularidades pela equipe de supervisão Municipal, como condição inadequada de armazenamento e conservação, sendo a mesma interditada até a sua total regularização.

A campanha contra poliomielite em Feira de Santana atingiu a 99,83% da meta estabelecida, e 97,01 na vacinação contra o sarampo. A Secretaria de Saúde de Feira preza pelas boas práticas de vacinação, tendo profundo zelo pelas doses enviadas a esta cidade e realizando frequentemente capacitações técnicas para a atualização dos profissionais, seguindo normas e protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

  •  

Feira ultrapassa meta de vacinação contra sarampo e poliomielite

3/9/2018, 17:39h

Feira de Santana ultrapassou a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde ao vacinar 99,83% do público alvo contra a poliomielite e 97,01% referente ao sarampo. Com esses primeiros dados, lançados até esta segunda-feira, 03, o município fica à frente do índice estadual, que marca 86,36% e 85,86%.

“Nos empenhamos para alcançar o maior número de crianças possíveis. Isso é saúde pública e Feira de Santana tem esse compromisso de trabalhar na prevenção”, ressalta a secretária municipal de Saúde, Denise Lima Mascarenhas.

A campanha mobilizou a comunidade durante todo o mês de agosto e não será prorrogada devido ao alcance de mais de 95% do público alvo. Para alcançar bons resultados, os profissionais de saúde buscaram a conscientização de pais e responsáveis, através de palestras nas unidades de saúde, e intensificando a busca ativa das crianças por meio dos agentes comunitários de saúde.

Surto de sarampo tem assustado

Além disso, o município aderiu a dois dias “D” de vacinação, no objetivo de captar o público e promover a proteção contra ambas as doenças, que já eram consideradas erradicadas, mas nos últimos meses o surto de sarampo tem assustado algumas regiões do país.

“Lembramos que a tríplice viral e a pólio são vacinas de rotina, que devem ser administradas tanto na infância, quanto na idade adulta para aqueles que nunca foram vacinados”, ressalta.

  •  

Cassa registra aumento na procura por vacina

2/9/2018, 11:23h

Os gêmeos Miguel e Rafael, de um ano e oito meses, filhos de Ari de Almeida (foto - abaixo), foram duas das 43 crianças que foram vacinadas no CASSA (Centro de Assistência Santo Antônio) até às 11h deste sábado, 1º de setembro, Dia D de vacinação.

No Cassa e em outras unidades de saúde, mais a Secretaria de Saúde, crianças de até cinco anos foram imunizadas contra paralisia infantil e receberam a tríplice viral – que evita o sarampo, a caxumba e a rubéola.

O esforço visa melhorar os índices de vacinação no município, que até a semana passada atingiu 76,84% contra a paralisia infantil e 70,80% contra o sarampo. Os números de Feira estão melhores do estadual e do apresentado nacionalmente.

As vacinas foram aplicadas nas 13 UBS: Baraúnas, Caseb (unidades I e II), Capuchinhos (Cassa), Cidade Nova (CSU), Jardim Acácia (Dispensário Santana), Brasília (Irmã Dulce), Jardim Cruzeiro, Mangabeira, Queimadinha, Subaé, Rua Nova e Serraria Brasil.

A enfermeira Flávia Sampaio Campos, do Cassa, disse que a frequência deste sábado está melhor da registrada no Dia D anterior e que foi baixo – apenas duas – cadernetas de vacinação que estavam desatualizadas.

“Nos últimos dias os nossos agentes comunitários de saúde foram às casas das crianças registradas nesta UBS e que não tinham sido vacinadas e cobraram aos pais a participação neste sábado”. Credita o comparecimento a esta ação.

  •  

Vacinação contra sarampo e poliomielite tem dia "D" no sábado

30/8/2018, 11:54h

Em Feira de Santana, 76,84% do público alvo já foi imunizado contra poliomielite e 70,80% contra sarampo. Mesmo estando acima do índice estadual (70%) e na média do nacional (76%), o município irá aderir ao dia “D” de vacinação, no próximo sábado, 1º/9.

A mobilização acontece na sede da Secretaria Municipal de Saúde e nas 13 Unidades Básicas de Saúde, localizadas nos bairros: Baraúnas, Caseb (unidades I e II), Capuchinhos (Cassa), Cidade Nova (CSU), Jardim Acácia (Dispensário Santana), Brasília (Irmã Dulce), Jardim Cruzeiro, Mangabeira, Queimadinha, Subaé, Rua Nova e Serraria Brasil.

Das 8h às 17h, pais e responsáveis devem se dirigir aos pontos com a caderneta vacinal da criança. A campanha é destinada para os pequenos com idade entre um a quatro anos, 11 meses e 29 dias, inclusive para os que já receberam todas as doses das vacinas.

Horário visa a facilitar

“Sensibilizamos aos pais que ainda não levaram as crianças aos postos, que compareçam. O horário do sábado visa inclusive facilitar para aqueles que não levaram os filhos por indisponibilidade durante a semana”, ressalta a secretária de Saúde, Denise Lima Mascarenhas.

Durante todo o período da campanha, a Secretaria esteve intensificando a busca ativa para vacina, através dos Agentes Comunitários de Saúde, com salas de espera para a comunidade com abordagem do tema, busca da população nas micro áreas descobertas e controle das salas de vacina com relação nominal das crianças.

Último caso registrado em 2007

O último caso registrado de sarampo em Feira de Santana foi em 2007. Já de poliomielite não há registro nos últimos anos no município. Porém com o surto de sarampo em outras localidades do Brasil, como Roraima e Amazonas, a estratégia é proteger as crianças para evitar a proliferação da doença que pode levar a morte.

  •