Comerciantes orientados sobre descarte correto de lixo na Expofeira

7/9/2018, 15:36h

O lixo é um grande vilão para a saúde pública. O acondicionamento incorreto é um atrativo para mosquitos como o flebótomo, transmissor da leishmaniose, e o aedes aegypti, que transmite doenças como a febre amarela, dengue, zika e chikungunya. Para evitar a proliferação desses insetos, a Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Serviços Públicos, realiza um trabalho preventivo na 43º Exporfeira.

Em todo o Parque os educadores em saúde distribuem panfletos com a mensagem “Lixo: Qualidade de vida é viver com saúde”. Em frente aos estabelecimentos colam cartazes e aproveitam o momento para passar orientações importantes sobre o acondicionamento do lixo seco e molhado, enquanto os agentes da SESP fazem a entrega de sacos para lixo.

Alojamento desses mosquitos

“Uma latinha jogada à-toa, uma garrafa pet sem tampa podem se tornar um alojamento desses mosquitos. Então, muito cuidado, pois vem a chuva, entra água e o mosquito se aproveita dessa oportunidade”, orienta a educadora Glizerda dos Santos.

De acordo com a profissional, não é necessário muito tempo para a reprodução do aedes aegypti em um ambiente propício. “A fêmea do aedes aegypti acaba entrando na garrafa, casquinha de ovo ou fruta, como maracujá que acaba formando uma bacia, coloca os seus ovos e em 10 dias já tem mosquito voando”, alerta.

Sem sacos para o descarte

Dilma de Jesus já aprendeu a receita. Comerciando produtos há cinco anos na Exporfeira, ela conta que estava sem sacos para o descarte de resíduos e não tinha conhecimento das doenças que poderiam ser causadas pelo acondicionamento errado.

Cuidado para não sujar a área

“Estávamos colocando em saco de supermercado, por não ter um saco maior apropriado para o lixo. Graças a Deus vocês estão distribuindo e vamos ter todo cuidado para não sujar a área. Eu não sabia sobre os problemas que poderiam ser causados, mas agora estamos cientes como agir”, ressalta.



  •