Quase 200 testes para HIV estão no CTA à espera dos donos

9/8/2018, 17:35h

O Centro de Testagem e Aconselhamento de Infecções Sexualmente Transmissíveis (CTA) já diagnosticou mais de 4.500 casos de Aids e sífilis em Feira de Santana, em 15 anos. Este número ainda é considerado baixo quando comparado à quantidade de pessoas que realizam o exame e não buscam o resultado, ressalta a coordenadora do programa, Vanessa Sampaio (foto - abaixo).

“Estamos esperando 180 pessoas que realizaram o exame no primeiro semestre deste ano e não vieram buscar o resultado. Infelizmente, ainda existe muito preconceito em relação a essas doenças e muitas pessoas acabam tendo receio em receber o diagnóstico”, observa.

Segundo Vanessa, a incidência da doença é maior nos jovens com idade entre 20 e 29 anos. “Nos últimos 15 anos, foram mil casos de sífilis e quase 600 casos de HIV nessa faixa etária”, informa.

Aconselhamento combate tabus

Para conscientizar e orientar a população acerca da importância do exame, o CTA realiza o aconselhamento antes e depois do teste de detecção. A medida busca justamente combater alguns tabus relacionados à doença e esclarecer dúvidas dos pacientes.

“No momento do aconselhamento a gente faz um breve relato sobre a doença e os possíveis resultados. Os pacientes chegam aqui com dúvidas sobre contágio, transmissão e a maioria acha que é possível detectar o HIV no mesmo dia em que passou pela exposição”, ressalta a enfermeira Patrícia Soares (foto).

Contaminação aparece após 30 dias

De acordo com a profissional, o vírus da Aids tem uma janela imunológica e só aparece no sangue após 30 dias da contaminação. Mesmo assim, ela orienta que o paciente compareça ao Centro em até 72 horas pós exposição.

“No caso de um acidente ocupacional ou relação desprotegida a pessoa deve vir ao serviço para vermos a possibilidade do uso da profilaxia. Essa medicação irá evitar a contaminação a qual ele foi exposto naquele momento”, informa.



  •