Mais de 35 por cento dos alunos do Acelera Brasil apresentaram melhora

2/8/2018, 9:28h

Mais de 35% dos alunos da Rede Municipal de Educação contemplados pelo programa Acelera Brasil – que tem por objetivo diminuir a distorção entre a série em que o aluno está matriculado e a sua idade – apresentaram avanço no quesito “produção textual”, no período de maio até junho.

Esses alunos passaram a escrever textos com frases ampliadas e desenvolvimento lógico de ideias, segundo relatório apresentado durante reunião do Comitê Gestor – integrado pelas lideranças dos setores da Secretaria Municipal de Educação e profissionais do Instituto Ayrton Senna, responsável pela implantação do programa. O encontro aconteceu na manhã de quarta-feira, 1º, na sede da Seduc.

Resultados apresentados em reunião

Os resultados obtidos no bimestre maio-junho nos programas desenvolvidos pelo instituto em parceria com a Seduc - Se Liga, Acelera Brasil e Gestão da Alfabetização - foram apresentados na reunião que contou com a participação da secretária de Educação, Jayana Ribeiro. O objetivo do encontro foi analisar os desafios de cada instituição de ensino e propor soluções, além de discutir as metas do Plano Nacional de Educação.

Mais alunos leem com fluência

Já na escrita, o número de alunos que consegue escrever palavras com sílabas complexas teve um aumento de 10,1% e os que leem com fluência apresentaram crescimento de 8,5%, entre outros fatores. Dentre os alunos atendidos pelo programa Se Liga – dirigido aos estudantes matriculados nos anos iniciais do ensino fundamental que não estão plenamente alfabetizados – houve queda de 10,4% entre aqueles que ainda não conseguem ler e de 10,5% entre os que escrevem sem compreensão funcional.

O número de alunos que se mostraram capazes de encontrar informações explícitas em textos curtos e também em textos longos cresceu 7,4%; e aumentou para 6,4% o número de crianças que desenvolvem um tema com parágrafos curtos e ampliados.

Formação e acompanhamento

O programa Gestão da Alfabetização oferece formação e acompanhamento ao coordenador pedagógico das escolas municipais. Segundo a gerente de projetos do Instituto Ayrton Senna, Nelma Lopes, apesar de o programa estar numa fase ainda inicial, quando comparado aos demais, apresenta resultados positivos, mesmo que de maneira mais lenta. “Conseguiremos melhores resultados à medida que os coordenadores pedagógicos forem abraçando a ideia”, declarou.

Mais escolas atendidas

Segundo a coordenadora dos programas de correção do fluxo escolar – Se Liga e Acelera Brasil – Lisandra Sampaio, o número de escolas atendidas pelo Gestão da Alfabetização pulou de 22 em 2017 (com 58 turmas) para 80 em 2018 (com 409 turmas), fator que também influencia nos resultados.



  •