Mais de 100 professores auxiliares concluem formação continuada

21/6/2018, 11:21h

“Entendi qual é a minha função como auxiliar. Colaboro não apenas com os alunos com deficiência, mas todos aqueles que precisem”. A declaração partiu de Lays Queiroz Guerra, durante o encerramento da 2ª edição da Formação Continuada para Professores Auxiliares da Educação Especial (Forprae), realizado nesta quarta-feira, 20, na Escola Municipal Elizabeth Johnson. A formação reuniu mais de 100 professores auxiliares e contou com uma carga horária de 32h.

“A formação abriu meus olhos para muitas questões específicas, como nomenclatura, esclarecimentos sobre a minha atuação com alunos deficientes e a melhor forma de colaborarmos para o desenvolvimento de todos os estudantes em sala de aula. Precisamos entender e convencer as famílias de que todos são capazes de aprender”, afirma Lays, que atua como professora auxiliar na Escola Municipal Luís Alberto da Associação União Força, do bairro Jardim Cruzeiro.

Com o tema “Desafios e perspectivas no trabalho com o público alvo da Educação Especial”, o encerramento abordou diversos aspectos sobre a educação para estudantes com deficiência, visando à orientação dos professores auxiliares para lidarem com variadas situações encontradas em sala de aula. Mais dois encontros de formação serão realizados em 2018.

“Trabalhamos a aprendizagem do estudante com deficiência intelectual, o olhar do professor auxiliar para as potencialidades de cada sujeito, a importância de compreender como funciona a intervenção psicopedagógica para que os alunos sejam encaminhados corretamente e o trabalho com atendimento domiciliar. Buscamos abordar a atuação, as inseguranças, as dúvidas e qual é de fato a função destes profissionais”, explica a professora doutora Márcia Torres, formadora do Centro Interprofissional de Atendimento Educacional Professora Marliete Santana Bastos (InterEduc).



  •