Projeto da OAB conscientiza crianças sobre maus tratos e violência contra animais

18/6/2018, 22:56h

Conscientizar crianças sobre a importância de combater os maus tratos e a violência contra os animais é o principal objetivo do projeto OAB nas Escolas. A inciativa da Ordem dos Advogados do Brasil em parceria com a Secretaria Municipal de Educação promoveu a primeira ação de 2018 na Escola Municipal Nossa Senhora das Candeias, do distrito de Humildes, na manhã de sexta-feira, 15.

Crianças conscientes se tornam adultos responsáveis

O projeto também visa alertar e orientar os alunos sobre questões como cuidados com alimentação, higiene e saúde dos animais. “Crianças conscientes se tornam adultos responsáveis, elas também socializam o que aprenderam com outras pessoas e começam a repreender quando presenciam alguma situação de violência e maus tratos, que são crime e podem levar de três meses até um ano de prisão”, explica Carolina Busseni (foto), presidente da Comissão de Proteção de Defesa dos Animais da OAB.

Para colaborar com a conscientização através da empatia, os estudantes tiveram contato com a cadela Juju, que animou a apresentação e recebeu o carinho das crianças. Cada aluno ganhou um crachá de “Protetor dos Animais”, para reforçar a ideia de que não apenas devem cuidar e respeitar, mas também se manter atentos quando estiverem diante de situações de violência.

Maiza sonha em ser veterinária

A abordagem do tema despertou o interesse de Maiza Pereira Santana, do 5º ano, que sonha em se tornar veterinária. “Achei a palestra muito educativa e gosto de animais. Fui criada em um sítio, rodeada de bichinhos e sempre acreditei na importância de cuidar e tratá-los bem. Agora, que tenho meu crachá de protetora, me sinto ainda mais responsável”, acredita.

Estudos atestam que crianças que maltratam animais podem se tornar adultos violentos

“Nós buscamos estimular a compaixão nas crianças. Estudos do ‘Federal Bureau of Investigation (FBI)’, em português, Departamento Federal de Investigação, dos Estados Unidos, com assassinos em série e terroristas comprovam que 80% deles ingressaram na vida criminosa maltratando animais. O capitão da Polícia Militar Ambiental de São Paulo, Marcelo Robis, produziu uma tese de mestrado sobre a “Teoria do Link”, em que percebe-se que as pessoas que maltratam os animais tendem também a causar violência contra as pessoas, pois não respeitam a vida”, relata a advogada Ticiana Sampaio (foto), do setor Jurídico da Seduc.

A advogada explica ainda que prevenir a violência contra animais é prevenir a violência também contra pessoas. “Tentamos abordar com as crianças, desde os primeiros anos de vida deles na escola, a importância da empatia e compaixão, pois qualquer caso de maus tratos é um alerta para futuras situações ainda mais graves”, declara.

As escolas municipais que se interessarem pelo projeto devem solicitar o “OAB nas Escolas” ao setor Jurídico da Seduc. Em 2017, as escolas municipais Professora Laura Ribeiro Lopes, do bairro Tomba, e a Pré-Escola do Grupo Fraternal Espírita Mãos Unidas, da Mangabeira, foram contempladas.



  •