Estudantes de quatro escolas aprendem sobre meio ambiente em narrativa aberta

18/6/2018, 22:50h

“Quando eu trago uma história, acordo as histórias das pessoas. Se eu pedir pra todo mundo silenciar o que traz de casa pra ouvir minha única história, vai ser muito menos efetivo do que essa construção coletiva”. A afirmação partiu de Kiara Terra, criadora do método “história aberta”, durante apresentação do projeto “Histórias para pertencer ao mundo” para estudantes de quatro escolas municipais, nesta sexta-feira, 15, no Teatro Margarida Ribeiro.

O projeto é iniciativa do Instituto Estre de Responsabilidade Social e integra a programação alusiva ao mês dedicado ao meio ambiente, que transcorre em junho. Kiara contou a história de Maria, uma menina que tem uma trajetória de construção e mudança através dos resíduos. A vida da menina e uma particularidade dos resíduos reúnem uma singular semelhança, de acordo com a contadora de histórias: ambos são rejeitados e esquecidos pela sociedade.

O projeto “Histórias para pertencer ao mundo” consiste em contações de histórias que buscam aprimorar a participação do público, levantando questões relacionadas ao pertencimento, meio ambiente e cultura. Atualmente está se deslocando pelo Nordeste, tendo já visitado Maceió, Aracaju e outras cidades de Sergipe. Esta é sua segunda passagem por Feira de Santana.

“Maria é um pouco invisível por essa perspectiva social, e o lixo, muitas pessoas pensam ‘joguei fora, sumiu’, mas ele continua no planeta. Quando a gente fala, por exemplo, em aterro sanitário, é preciso lembrar que são necessários 40 anos para cuidar desse lixo. Então, nesse ano, acho que temos uma história muito rica e mais implicada, relacionada à educação”, defende Kiara Terra.

Relação de empatia e pertencimento

A performance da contadora de história ganha mais destaque a partir da interatividade que motiva na plateia, uma estratégia que vem desenvolvendo há mais de 15 anos. “À medida que o público se percebe como alguém que não veio somente para assistir, mas que está ativo, começa a entrar nas questões dessa personagem. Gera uma relação de empatia, de pertencimento”, pontua.

Participaram do evento estudantes das escolas municipais Horácio Silva Bastos, do bairro Caseb; Eurides Franco de Lacerda, do bairro Conceição; Áureo de Oliveira Filho e Centro de Educação Monteiro Lobato, do Capuchinhos.

O Instituto Estre

Este é um dos projetos voltados para a questão ambiental no Brasil, desenvolvido pelo Instituto Estre de Responsabilidade Socioambiental. Além deste, o Estre também tem um programa chamado “Escolas Sustentáveis”, que tem o objetivo de fomentar a construção de espaços educadores sustentáveis que buscam incorporar as ideias da educação ambiental crítica em todas as vias da unidade escolar; também há o projeto “Cadê o lixo que estava aqui?”, em que o Instituto oferece oficinas pedagógicas em escolas para fortalecer o debate acerta da educação ambiental.



  •