Melhores índices de avaliação e aprendizagem são desafios para escolas municipais

28/2/2018, 10:54h

Melhorar os índices de avaliação e principalmente de aprendizagem dos estudantes. São estes os principais desafios de gestão tanto dos diretores das escolas quanto da própria Seduc, que reuniu nesta terça-feira, 27, aproximadamente 2 mil profissionais da Rede Municipal de Ensino durante a Jornada Pedagógica. Professores de vários segmentos da Educação participaram do evento, distribuídos em dez espaços distintos.

Os gestores escolares se reuniram durante esta terça-feira, 27, no Teatro Municipal Margarida Ribeiro. A partir do tema transversal “A aprendizagem em sala de aula: direitos e objetivos”, os gestores puderam avaliar os seus desafios perspectiva do direito à aprendizagem, que é o objetivo da educação.

Reduzir evasão, aumentar aprovação e alfabetizar alunos no primeiro cliclo

De acordo com a secretária de Educação, Jayana Ribeiro, que falou para aproximadamente 220 diretores, a principal expectativa da Rede Municipal é “melhorar os índices das escolas”. “E, para que isso aconteça, precisamos reduzir a evasão, aumentar a aprovação e alfabetizar os alunos dentro do primeiro ciclo, que se realiza entre o 1º e o 3º ano do Ensino Fundamental”, destacou a secretária, citando os investimentos feitos pelo governo municipal nos últimos para conseguir superar estas metas.

Na última avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, IDEB, de 2015, pela primeira vez a Rede Municipal registrou um aumento significativo do índice, que subiu de 3.4 para 4.0 (5º ano); e de 3.1 para 3.5 (9º ano). O avanço de 0.6 e 0.4, respectivamente, mostra que as escolas não apenas avançaram como deixaram para trás a estagnação registrada nas cinco edições anteriores da avaliação - de 2005 a 2013. Isto sem falar que a projeção de crescimento do próprio Ideb para cada análise é de 0.3 pontos.

Jayana Ribeiro ressaltou ainda os investimentos feitos no âmbito da Educação Infantil e nas séries iniciais, “já que esta é a base para conquistar melhores resultados e uma aprendizagem significativa e de qualidade”, comenta. A Prefeitura investiu na construção de 18 centros municipais de educação infantil (CMEIs) e em melhores condições de trabalho, além da valorização profissional.

Demandas coletivas



Ampliando um pouco mais a perspectiva, a diretora do Departamento de Ensino, Jozelia Araujo, explicou que os anseios no setor educacional envolvem demandas coletivas: “o bom funcionamento das escolas envolve todos os setores da Seduc, além de todos os setores das próprias unidades de ensino. É preciso trabalhar em conjunto para que a educação de qualidade se concretize, como se fosse um efeito dominó, que o bom trabalho de um reflita no trabalho do outro e assim consigamos garantir o direto à aprendizagem aos nossos 50 mil alunos”, defende.

Gestora há dois anos do Centro Municipal de Educação Infantil Manoel Anchieta Nery de Souza, a professora Livya Cruz Moura destacou sua experiência: “É preciso ter motivação pessoal e esforço coletivo para lidar com os desafios de ser gestor, pois o direito do aluno não está apenas no cumprimento dos 200 dias letivos, mas que este período que ele passa na escola tenha significado real em sua vida”, comenta Livya.

Roda de conversa

Na abertura do evento, o cantor Josiel San fez uma apresentação cultural para os professores. A manhã contou ainda com uma roda de conversa sobre “Os desafios da gestão escolar e seus impactos na aprendizagem”, tema discutido pelos professores Jonathas Porto e Marcos Rosa e da advogada Ticiana Sampaio, todos técnicos da Seduc.



  •