Escolas municipais em Feira são preparadas para incentivo à coleta seletiva de lixo

23/2/2018, 13:43h

Criar um plano de ação para incentivar a coleta seletiva e difundir temas de preservação do meio ambiente com os estudantes da Rede Municipal. Estes são os resultados esperados na formação que leva o título “Sustentabilidade na Escola”, com a participação de professores de onze escolas. O curso começou na quinta-feira, 22, e seguiu até esta sexta-feira, 23, no Parque da Cidade Frei José Monteiro Sobrinho.

A formação é fruto da parceria entre as secretarias municipais de Educação e Meio Ambiente, a UNAMACS (Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cidadania Sustentável) e a COOBAFS (Cooperativa dos Badameiros de Feira de Santana, responsável por coletas seletivas e reciclagens na cidade), com apoio da indústria SIG Combibloc. Esta empresa é uma multinacional que fabrica embalagens longa vida para a Pepsico. Ela contratou a Giral, consultoria em Educação Ambiental, para promover formações nos locais onde atua.

Foram escolhidas em Feira de Santana 11 escolas que ficam próximas à indústria ou da COOBAFS. Após os encontros preparatórios, cada escola seguirá sozinha no desenvolvimento de projetos e ações que visem melhorar o descarte de resíduos e trabalhar conceitos de preservação do meio ambiente com os alunos. A capacitação oferece carga horária de 20h, das quais 5 serão aproveitadas para a prática e vivências na COOBAFS. 

Plano prevê gestão e acompanhamento das atividades

“Um plano de ação é uma ferramenta de gestão e acompanhamento das atividades propostas. As escolas vão desenvolver estratégias com o objetivo de orientar a separação do lixo orgânico e inorgânico, de forma eficaz. Além disso, os professores atuarão como multiplicadores em cada unidade de ensino”, destaca Janaina Alves Nascimento (foto), técnica da Secretaria Municipal de Educação na área de Educação Ambiental.

Escolas devem selecionar e cooperativa, a coleta do lixo reciclável

O gestor ambiental Gustavo Hidaka (foto), que veio de São Paulo especialmente para esta atividade, é o formador convidado pela Giral para as aulas em Feira de Santana. A ação visa ainda que as escolas façam a separação do lixo e que a cooperativa de badameiros passe a fazer regularmente a coleta para que haja a reciclagem.

Objetivo é que embalagens retornem para reciclagem

Esta participação da indústria Sig Combibloc, que fabrica embalagens “longa vida”, tem a preocupação de incentivar a preservação ambiental e, também, que as suas embalagens retornem para a reciclagem, explica Milena Marinho (foto), coordenadora local da Giral. Segundo ela, a Giral, que é “um viveiro de projetos”,atua em ações que visam discutir e contribuir para causas relacionadas ao meio ambiente”.

Alunos já exercitam práticas ambientais em casa e nas escolas

Muitos alunos já reproduzem algumas ações de preservação do meio ambiente em suas casas e nas hortas das famílias, diz a professora Marta Maria Pereira Lima (foto), que atua na Escola Municipal Agrário de Oliveira Melo. A unidade, segundo ela, desenvolve projetos ambientais: “Criamos lá, por exemplo, uma composteira para a fabricação de adubo natural. O adubo que criamos a partir das aulas é utilizado também na horta da própria escola. Por isso, é muito bom participar do curso e aprender novas práticas”.



  •