Licitação do transporte alternativo e complementar é adiada, devido a tumulto, mas secretário garante realizar em breve

25/1/2018, 15:47h

A Prefeitura de Feira de Santana decidiu adiar a licitação pública para o serviço de transporte alternativo e complementar de passageiros, que aconteceria nesta quinta-feira (25). A medida foi adotada em razão de uma invasão do auditório da Secretaria Municipal de Saúde, onde ocorreria a sessão. O tumulto, com envolvimento de pessoas alheias ao processo, teve a participação de líderes vinculados ao movimento político oposicionista, sob o comando de um deputado estadual, que compareceu ao local, logo após o adiamento, para discursar.

Uma nova data será publicada para a licitação, no Diário Oficial Eletrônico do Município. O secretário de Transportes e Trânsito, Saulo Figueiredo, garante que o certame ocorrerá. “Hoje aconteceu essa invasão do espaço, com ameaças a servidores, não sendo possível a abertura dos trabalhos. Mas tenha certeza a população que o processo será finalizado em breve, pois se trata de algo legitimo, legal e necessário para a organização do transporte público em nosso município”.

O procurador geral da Prefeitura de Feira de Santana, Cleudson Almeida, assinala que essa licitação foi “pordemais debatida pela administração municipal, em várias reuniões e audiências, sendo que foram acatadas sugestões e feitos ajustes na proposta, de modo que se pudesse atender ao máximo a todos os demandados, mas principalmente ao interesse público”.

A licitação para o transporte alternativo e complementar de passageiros, afirma o procurador, é um processo recomendado e acompanhado pelo Ministério Público. “Uma orientação legal não pode ser prejudicada por pessoas que defendem o interesse próprio e não a coletividade”, observa.



  •